Campanha salarial na educação básica: em dissídio, agora vai a julgamento

Patronal recusa proposta de conciliação, nega acordo, confessa que deseja terceirização e campanha salarial vai a julgamento.