Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 14 de agosto de 2022

18 de novembro de 2021

18/11 – Defensoria da União contra vazamento do Enem, Estadão descobre troca de questões no exame, deputados pedem investigação no MEC, e mais: aulão gratuito online dá dicas para o Enem 2021

.

Rodada de assembleias da Educação Básica começa neste sábado (20) e segue até 24/11. Vamos decidir convenções coletivas no lugar do dissídio (até 2025!), seus reajustes, PLR e direitos como professor e como auxiliar. Veja data e horário da sua assembleia aqui aqui:  https://bit.ly/31T2Kcc

 

 


 

Defensoria cobra na Justiça prova de que Enem está seguro contra vazamento e fraudes
Monica Bergamo; 18/11
https://bit.ly/3x09JeE

A Defensoria Pública da União (DPU) ingressou junto à Justiça Federal da 3ª Região com uma ação civil pública solicitando que o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), organizador do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), comprove que tomou todas as providências para garantir que não haja vazamento de informações nem fraudes durante a realização da prova.

“A higidez e confiabilidade do Enem são essenciais para a manutenção desta política pública eficaz de ingresso, principalmente de pessoas pobres, no ensino superior, atendendo aos objetivos da República de construção de uma sociedade livre, justa e solidária e de diminuição das desigualdades”, afirma o defensor público federal João Paulo Dorini, autor da ação.

“É direito dos estudantes terem informações que garantam a realização do Enem sem qualquer problema de segurança”, segue. O defensor pede à Justiça que o Inep responda no prazo de até 24 horas.

 

Em intervenção inédita, gestão Bolsonaro faz seleção de questões do Enem
Estadão; 17/11
https://bit.ly/3cqHpJe

O governo Jair Bolsonaro tem usado diversas estratégias, como a impressão prévia de provas e a análise do banco de questões por comitês externos ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), para tentar controlar o conteúdo do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Servidores que pediram exoneração do órgão federal falam em pressão para trocar questões e o Estadão apurou que já houve supressão de itens “sensíveis” na prova que será aplicada nos dias 21 e 28 de novembro.

Segundo relatos à reportagem, 24 questões foram retiradas após uma “leitura crítica”, sob o argumento de serem “sensíveis”. Depois, 13 delas voltaram a ser incluídas e 11 foram vetadas. Para essa análise das questões, servidores do Inep tiveram de imprimir a prova previamente dentro da sala segura do órgão, em um procedimento não adotado em anos anteriores.

“Insatisfação generalizada”, diz dirigente do Inep
Valor Econômico; 18/11
https://glo.bo/327pchH

O presidente da associação dos servidores do Inep, órgão do Ministério da Educação, Alexandre Rematal, disse ontem que os funcionários “vivem em clima de insegurança, desconfiança e insatisfação generalizada” com a atual gestão. A declaração foi feita em reunião com o presidente do Inep, Danilo Dupas.

Ambos participam de uma audiência na Comissão Senado do Futuro, convocada para tratar da crise que resultou em um pedido de demissão em massa de servidores do Inep às vésperas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A prova está entre as atribuições do órgão.


Deputados entram com representação contra ministro da Educação por ‘interferência política’ no Enem
Estadão; 17/11
https://bit.ly/3DyW2pG

Um grupo de nove deputados federais protocolou nesta quarta-feira, 17, ação contra o ministro da Educação, Milton Ribeiro, e o presidente do Inep, Danilo Dupas, pedindo que o Ministério Público Federal os investigue por improbidade administrativa. Eles também pedem que quaisquer “agentes públicos eventualmente envolvidos” no “controle ideológico” do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) sejam punidos.

O documento se refere à “crise instaurada no Inep” e “um verdadeiro processo de desmonte” do órgão, responsável pela elaboração do Enem, que teria culminado na desoneração coletiva de 37 servidores.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Relatório retrata professor brasileiro como ‘fornecedor de aula’
UOL; 15/11
https://bit.ly/3HvZa85

Que as condições de trabalho dos professores brasileiros estão longe do ideal é algo costumeiro de se dizer. Um estudo recente confere contornos mais nítidos às dificuldades e aponta caminhos para superá-las. Realizado pela Fundação Carlos Chagas (FCC) e pela organização D3E, o relatório Volume de trabalho dos professores dos anos finais do Ensino Fundamental traz uma comparação da docência em quatro países: Brasil, Estados Unidos, França e Japão. Como era de se esperar, o retrato brasileiro é o mais preocupante dos quatro.

  • Veja no site da Fepesp, artigo de Antonio Gois: Professores no Brasil acumulam mais trabalhos e aulas, aqui.

Na comparação com as situações dos três outros países, os brasileiros são os que são os que mais precisam atuar em mais de uma escola (45%, contra 1,7% nos EUA, 4,7% na França e 2,7% no Japão), em mais de uma etapa de ensino (61%, contra no máximo 36% nos EUA e 0% na França e Japão) e em mais de uma rede de ensino (30%, exclusividade brasileira). Parte significativa dos professores brasileiros têm elevado número de turmas — 44% dos docentes de Língua Estrangeira lecionam para mais de 10 turmas — e total de alunos — 14% dos professores de Matemática e 39% dos de Língua Estrangeira dão aulas para mais de 300 estudantes.

Embora as cargas horárias semanais dos brasileiros em uma escola sejam as menores do grupo de países (36h, em comparação com 47h nos EUA, 39h na França e 59h no Japão), somos líderes no quesito tempo em sala de aula (28h, mesmo valor dos EUA e superior às 19h na França e 18h no Japão).

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Ânima Educação (ANIM3): Focando em Medicina
Investing.com; 17/11
https://bit.ly/3qOtgxV

Hoje a Ânima negocia a 6x EV/Ebitda para 2023, com um modelo de mais flexível e uma base de alunos mais limpa do que os demais players do setor. Além disso, por ter várias bases como Una, Unisociesc, UniBH e São Judas, fica mais fácil conseguir ter uma exposição ao segmento digital.

Vale ressaltar que, com a última aquisição, ela tem um caminho muito interessante de maturação do curso de medicina, além da captura de sinergias. Sendo assim, eu considero que a companhia deveria negociar na faixa de R$ 14 a R$ 15,50 para ter uma precificação mais adequada ao seu crescimento esperado (projetei CAGR até 2025 de 20% receita e 30% de Ebitda).

 

CORONAVÍRUS

Merkel vê onda dramática de Covid, e mais 6 países europeus elevam restrições
Folha de S. Paulo; 17/11
https://bit.ly/3wWToYq

O número de novos casos de Covid bateu recorde na Alemanha nesta quarta-feira (17) e levou a primeira-ministra Angela Merkel a chamar a atual onda de infecções de “dramática”.

Na semana encerrada no domingo (14), o número de novos casos já havia saltado 50% entre os alemães — na comparação com os sete dias anteriores—, a terceira maior alta global de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), após os Estados Unidos e a Rússia.

Bélgica, Irlanda, Suécia, Dinamarca, Eslováquia e República Tcheca anunciam novas medidas em meio a forte alta no contágio por coronavírus.

 

Especialistas aprovam antecipação da terceira dose contra a covid-19 em adultos
Rede Brasil Atual; 17/11
https://bit.ly/3wWToYq

Infectologistas consultados pela Rádio Brasil Atual aprovaram a medida de antecipar e ampliar a vacinação da população adulta com a terceira dose contra a covid-19. Em entrevista coletiva nesta terça-feira (16), o governo federal anunciou que todas as pessoas com mais de 18 anos deverão tomar o chamado reforço cinco meses depois da segunda dose da vacina.

A cobertura com a terceira dose da vacina contra o coronavírus já está ocorrendo entre a população idosa que teve completado 6 meses da aplicação da 2ª dose. Agora, o governo quer que o intervalo para a dose de reforço diminua para 5 meses e englobe toda a população adulta.

O médico infectologista Gonzalo Vecina explica que a medida é importante porque cada vacina tem seu prazo. E, no caso da vacina contra a covid-19, uma terceira dose é a resposta para a produção de mais anticorpos.

 

 

Enem 2021: aulão on-line e gratuito dá dicas importantes na véspera do 1º dia de provas
Estadão; 1t/11
https://bit.ly/30DibER

A Oficina do Estudante de Campinas (SP) vai realizar neste sábado (20), por meio do time de professores do seu Curso Pré-Vestibular, um aulão on-line e gratuito com orientações importantes para quem vai prestar o Enem 2021. O Oficinão Enem 2021 está previsto para ocorrer das 9h às 13h, com transmissão pelo YouTube, a partir do Teatro Oficina do Estudante Iguatemi, no Shopping Iguatemi.

Diretor pedagógico do Curso Oficina, Daniel Cecílio explica que as dicas são tradicionalmente passadas de forma descontraída e motivadora. Sobre a dinâmica do evento, informa que, com base em uma escala pré-determinada, os professores terão 20 minutos cada para falar sobre os conteúdos das áreas de conhecimento os quais avaliam terão maior relevância no grande dia da prova.

“Para isso, fazem o uso de recursos audiovisuais, da sua grande experiência, de excelente oratória e o amplo conhecimento sobre todos os aspectos envolvidos nas provas do Enem”, detalha.

Cerca de 350 alunos da Oficina do Estudante irão acompanhar presencialmente o evento. Cecílio destaca que, para eles, é uma última e bacana oportunidade de ter contato com a equipe de professores que os acompanhou durante toda a jornada de preparação, na véspera desse momento importante, que normalmente gera ansiedade.

SERVIÇO
Oficinão Enem 2021 (on-line e gratuito, aqui)
Data: 20 de novembro
Horário: Das 9h às 13h

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio