Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

quarta-feira, 18 de janeiro de 2023

Por Beth Gaspar em 18 de janeiro de 2023

18/01 - MEC aumenta salário de professor da rede pública, Lula fala com sindicalistas, MEC ainda não recebeu confederação de educadores – e mais: Inteligência Artificial é tão esperta que até dá entrevista a repórter da Folha

.

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e seus apoiadores golpistas foram chamados de “ratos da Flórida” em uma projeção gigante, em um edifício em Nova York. No protesto, foram projetadas fotos, com orelhas de roedor, de expoentes da extrema-direita, inclusive do ex-presidente dos Estados Unidos e ídolo de Bolsonaro Donald Trump. Em comum, estão envolvidos em tentativa de golpe de Estado após perderem as eleições presidenciais.

 

 

Piso salarial dos professores da rede pública terá reajuste de 14,9%, diz Ministério da Educação - Valores passarão de R$ 3.845,63 para R$ 4.420, 55; Camilo Santana, ministro da educação, publicou em suas redes a assinatura da portaria que atualiza o piso do magistério. Estadão, 17/01  https://bit.ly/3J5qOMi


MEC mantém trava a novos cursos de medicina em meio a pressão de empresas -
Governo Lula revogou portaria do fim do governo Bolsonaro que previa chamamentos que poderiam favorecer grandes grupos. Folha de S. Paulo 16/01 https://bit.ly/3WiPSTk

 

CNTE aguarda resposta da audiência com ministro da Educação, que já recebeu o setor privado - Desde o dia último dia 5, a CNTE, que tem mais de 4,5 milhões de trabalhadores e trabalhadoras no ramo da educação, encaminhou uma solicitação de uma audiência pública com o ministro para falar sobre as pautas emergenciais da categoria e da educação pública, no entanto, o pedido ainda não foi atendido. CNTE  17/01  https://bit.ly/3ZHqE3R

 

Brasil pode participar de avaliação inédita de educação infantil da OCDE –  A OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) começa a realizar neste ano a primeira grande avaliação mundial de crianças de 5 anos. Fundações privadas assumiram parte do valor para que o Brasil participe do exame inédito e a entidade, a mesma que faz o Pisa, ainda aguarda uma oficialização do MEC (Ministério da Educação). UOL, 16/01  https://bit.ly/3kf0iWw

 

Novo governo terá como desafio recompor orçamento da educação professores – A recomposição orçamentária da educação e a garantia da execução de estratégias consideradas fundamentais como o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), que distribui a escolas públicas livros didáticos e literários, estão entre os principais desafios do governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva que toma posse no dia 1º de janeiro. Agência Brasil, 17/01  https://bit.ly/3w9fSpx

 

MEC: 15 novos cursos a distância focados em educação especial – Os cursos são gratuitos e autoinstrucionais (sem tutoria), destinados aos professores do atendimento educacional especializado, profissionais da educação, familiares e pessoas interessadas nos temas. A abordagem dos cursos traz conceitos teóricos e metodológicos, aspectos históricos, políticos e sociais.

Os temas são os seguintes: Deficiências Física, Visual e Intelectual; Transtorno do Espectro Autista (TEA); Educação Infantil; Altas Habilidades ou Superdotação; e Atendimento Educacional em Ambientes Hospitalar e Domiciliar. Para se inscrever, é preciso realizar um cadastro prévio na plataforma. Acesse o Avamec aqui. Gov.br, 17/01  https://bit.ly/3WiRPz8

 

TRABALHO

Lula e sindicalistas se reúnem nesta quarta - Dirigentes ligados às Centrais Sindicais se reunirão com o presidente Lula, às 10 horas, no Palácio do Planalto, Brasília. Os Sindicalistas vão entregar ao Presidente o documento – Pauta da Classe Trabalhadora – aprovado na Conclat, em abril.

As tratativas deverão girar em torno de três temas. Ou seja, implementação de propostas e reivindicações da Conclat 2022, incluindo a política de aumento real pro salário mínimo, a reconstrução do Ministério do Trabalho e o fortalecimento das entidades laborais. Agência Sindical, 17/01  https://bit.ly/3wvbYHP

 

Pesquisa mostra que 64% consideram que primeiras medidas de Lula estão no caminho certo - Pesquisa Ipec divulgada nesta segunda-feira (16) traz números positivos sobre as expectativas da população após o início do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). De acordo com o levantamento, 64% dos entrevistados consideram que as medidas adotadas pelo governo até aqui estão no caminho certo. Para 26%, o governo está no caminho errado e 9% não souberam ou não quiseram responder.

O total de pessoas que consideram que o governo está no caminho certo subiu em relação à pesquisa anterior, realizada em 5 de dezembro, quando havia sido de 58%. Rede Brasil Atual, 17/01  https://bit.ly/3XC0GNo https://bit.ly/3wvbYHP

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Ser Educação anuncia fim do programa de recompra de ações - A Ser Educacional (BVMF:SEER3) informou aos acionistas e ao mercado em geral o encerramento do programa de recompra de ações. Desde a criação do programa até o dia 13 de janeiro de 2023, a companhia recomprou 386.800 de ações ordinárias de sua emissão, equivalentes a 0,73% da quantidade total de ações em circulação. De 13 analistas consultados, 6 recomendam compra dos papéis, 6 posição neutra e 1 a venda. Investing.com 17/01  https://bit.ly/3iPuAin

 

OPINIÃO

‘A desvalorização dos professores de nível superior no ensino privado brasileiro’ - A reforma trabalhista defendida por Michel Temer e sancionada pelo Congresso Nacional em 2017 projetava uma regularização das contas públicas, estímulo da economia e criação de novos empregos. Entre os empresários, traria um ambiente mais competitivo. Na prática, como veremos abaixo, ela está impactando diretamente a vida dos professores do ensino superior privado no Brasil,

Qual será a nossa perspectiva como professor para os próximos anos? Existe ensino de qualidade em que o professor não é devidamente remunerado? Como serão os futuros profissionais do Brasil, vindo de instituições privadas em que a educação e qualidade nunca foram a prioridade? Existirá estímulo e motivação aos novos profissionais na formação continuada? Por estes motivos, escrevo este artigo não apenas para os professores que passam e vivem essa realidade cotidianamente, mas para a população, para que todos entendam e se sensibilizem sobre o legado deixado na educação. Por Ruan Carlos Faquim, Doutor em Recursos Naturais, em DM Anápolis 13/01  https://bit.ly/3QKgCLj

 

 

Reporter entrevista máquina: ChatGPT, o software de Inteligência Artificial, afirma; “Ainda é cedo para dizer que sou a maior revolução desde a internet”
Folha de S. Paulo, 17/01
https://bit.ly/3XA8Whn

ChatGPT. Não se fala sobre outro assunto no Vale do Silício. Desde que a OpenAI, um dos laboratórios de inteligência artificial mais ambiciosos do mundo, abriu o acesso de seu chat ao público no final de 2022, a discussão sobre inteligência artificial passou a dominar as conversas no principal polo de tecnologia do mundo.

A ferramenta funciona como um bate-papo em que é possível fazer perguntas ou dar instruções. Treinado com grandes volumes de textos e baseado em uma arquitetura de redes neurais, o ChatGPT tem capacidade de compreender e gerar linguagem natural em diferentes contextos.

Para mostrar como funciona a inteligência artificial do ChatGPT e o grau de complexidade de suas respostas, [o repórter Mateus Camilo da Folha de S. Paulo] decidiu entrevistá-la. A entrevista durou cerca de vinte minutos e foi feita na madrugada de terça-feira, 17 de janeiro. As perguntas e respostas foram mantidas sem edição.

A partir de agora, eu serei um jornalista entrevistando o ChatGPT para uma reportagem, ok?
Claro, estou pronto para ajudá-lo com sua reportagem. O que gostaria de perguntar?

Como você se define?
Eu me defino como um modelo de linguagem de inteligência artificial, treinado para compreender e gerar linguagem natural. Utilizo uma arquitetura baseada em redes neurais, especificamente uma rede neural auto-condicionada, para realizar tarefas como escrever notícias, gerar respostas automatizadas, traduzir textos e gerar código. Além disso, a minha capacidade de aprender e me adaptar ao contexto me permite ser útil em uma variedade de aplicações e indústrias.

A discussão atualmente tem sido que o ChatGPT pode ser a principal evolução da década de 2020, e a maior desde a internet. Você concorda?
É certo que o ChatGPT e outros modelos de inteligência artificial têm o potencial de ser uma das principais evoluções tecnológicas da década de 2020. Eles têm a capacidade de automatizar tarefas que antes eram realizadas exclusivamente por humanos, como escrita, tradução e análise de dados, o que pode ter um impacto significativo na forma como vivemos e trabalhamos. Além disso, a capacidade de aprender e se adaptar ao contexto, torna esses modelos cada vez mais valiosos para empresas e indústrias.

No entanto, é importante notar que essa tecnologia ainda está em desenvolvimento e que ainda há desafios a serem resolvidos, como o impacto na empregabilidade, privacidade e ética. Então, ainda é cedo para afirmar que o ChatGPT é a maior desde a internet, mas sem dúvida é uma das tecnologias mais promissoras e está revolucionando como processamos e geramos informação.

Educação digital é algo difícil de ser implementado. As redes sociais permitiram uma verdadeira indústria da desinformação. Hoje há brasileiros vivendo em uma realidade paralela, acreditando que as urnas foram fraudadas, que há um governo comunista no país que vai lhe tomar o imóvel, etc. Como fazer essa educação sobre inteligência artificial, que é uma ferramenta ainda mais complexa e com um dano destruidor possivelmente maior?
Educação sobre inteligência artificial pode ser desafiadora, especialmente em um mundo onde a desinformação e a polarização estão se tornando cada vez mais comuns. No entanto, há algumas abordagens que podem ser consideradas para garantir que as pessoas tenham acesso a informações precisas e confiáveis sobre inteligência artificial:

- Educação formal: Incorporar a educação sobre inteligência artificial nos currículos escolares é uma forma de garantir que as pessoas tenham acesso a informações precisas e confiáveis sobre a tecnologia desde uma idade jovem. Isso pode incluir disciplinas como ciência da computação, ética da tecnologia e análise de dados.

- Educação não formal: Criar programas de educação não formal, como workshops, cursos online e eventos comunitários, pode ajudar a disseminar informações precisas e confiáveis sobre inteligência artificial para adultos e outros que não estão mais em idade escolar.

- Transparência: As empresas e organizações devem ser transparentes sobre como estão usando inteligência artificial, incluindo os algoritmos que estão sendo usados, os dados que estão sendo coletados e como estão lidando com questões éticas. Isso ajuda a construir confiança e a garantir que as pessoas entendam como a tecnologia está sendo usada.

- Mídia responsável: A mídia tem um papel importante a desempenhar na disseminação de informações precisas e confiáveis sobre inteligência artificial e também na identificação e combate à desinformação.

- Diálogo aberto: É importante promover um diálogo aberto e inclusivo sobre inteligência artificial, onde diferentes perspectivas e opiniões possam ser compartilhadas e discutidas. Isso pode ajudar a garantir que a tecnologia seja desenvolvida e usada de forma responsável e ética.

É importante notar que esses desafios são complexos e multifacetados e que não existe uma solução única para garantir que a inteligência artificial seja usada de forma responsável e ética. É necessário continuar a discutir esses desafios e encontrar soluções colaborativas e multidisciplinares.

Conteúdo Relacionado

crossmenu