Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 21 de maio de 2022

5 de fevereiro de 2021

05/02 – Campanha decreta insegurança para volta às aulas, aumenta numero de infectados em escolas de Campinas, Metodista em greve no ABC, e mais: o que falta para condenar Bolsonaro?

.

EDUCAÇÃO BÁSICA: CAMPANHA SALARIAL 2021, DEFESA DA VIDA, NA PAUTA DE ASSEMBLEIAS

A partir deste sábado. Confira horário e local – e obtenha o link para participação! – no site do seu sindicato. 

 

 

Campanha pela educação vê cenário ainda inseguro para volta às aulas na pandemia de covid-19
Rede Brasil Atual; 04/02
http://bit.ly/2MFFwyR

Guia lançado ontem por várias organizações lista 70 recomendações para uma volta às aulas realmente segura em meio à pandemia de covid-19

A volta às aulas presenciais é essencial e urgente. “Mas não pode passar por cima da garantia de condições para um retorno seguro”, em meio pandemia de covid-19. Esse é o ponto principal do Guia dos Guias Covid-19.


ACESSE O GUIA COMPLETO AQUI:  https://bit.ly/2YMDPSP

O material foi elaborado pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação, em parceria com outras organizações. E traz 70 recomendações para retomada das atividades presenciais nas escolas de todo o Brasil, com atividades suspensas desde o primeiro semestre do ano passado. A campanha entende que a volta às aulas é essencial para a garantia da educação, da proteção e da saúde mental das crianças e adolescentes. Mas explica: no cenário atual, compromete o direito à saúde de toda a sociedade.

 

Sobe para 47 número de infectados com a Covid em escola de Campinas
Veja; 04/02
https://outline.com/MBTuNW

Subiu para 47 o número de pessoas que contraíram a Covid-19 no Instituto Educacional Jaime Kratz, em Campinas, no interior de São Paulo. De acordo com a escola, são 39 funcionários e oito alunos infectados.

A instituição de ensino anunciou na segunda-feira (1º) que havia suspendido as aulas presenciais até o dia 18 de fevereiro. Na ocasião, havia 34 colaboradores e um aluno com a Covid-19. Uma professora precisou ser hospitalizada e o estado de saúde é estável.

As aulas na escola foram retomadas presencialmente no dia 25 de janeiro com capacidade de 35% dos alunos em cada sala.


Ministério Público pede esclarecimentos a colégios de Campinas após surto de Covid
Agora; 05/02
http://bit.ly/3cKF1hU

No procedimento, o promotor Rodrigo Augusto de Oliveira pede informações a respeito dos protocolos de segurança sanitárias adotadas pelas escolas para prevenção à disseminação do novo coronavírus e dá prazo de 10 dias para o envio das respostas. Ele ainda determinou que a Vigilância Sanitária fizesse vistoria nas duas escolas e enviasse o relatório ao MP.


‘Se escola não seguir protocolo, pode ser fechada’, diz secretário de Educação de SP
UOL; 01/02
http://bit.ly/36K8aFP

O secretário estadual de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, valorizou hoje a suspensão da liminar que proibia a volta às aulas presenciais no estado, mas reforçou que as escolas da rede pública e privada terão que seguir as determinações da pasta no retorno. Caso contrário, poderão ser fechadas.


Frente Parlamentar da Educação pede prioridade de vacina a professor
Estadão; 05/02
http://bit.ly/39RU9Ie

A Frente Parlamentar Mista da Educação pediu prioridade na vacinação de professores em audiência com o ministro da Educação, Milton Ribeiro, nesta quinta-feira, 4. O grupo também cobrou atenção ao processo de reabertura das escolas, que passaram a maior parte de 2020 fechadas. Secretário-geral da Frente, o deputado federal Professor Israel Batista (PV-DF) também criticou o foco do governo federal no homeschooling (ensino em casa), um dos 35 itens da lista de propostas apresentadas pelo presidente Jair Bolsonaro ao Congresso.


S J do Rio Preto: Professores defendem vacinação
Diário da Região; 04/02
https://outline.com/JK3aXS

Uma pesquisa do Sindicato dos Professores de Rio Preto (Sinpro) apontou que 92% de escolas particulares se dizem desconfortáveis com o retorno presencial das aulas e dizem ter medo de serem contaminados. Entre as principais queixas estão: medo de desemprego e familiares no grupo de risco.

Segundo a vice-presidente do Sinpro, Letícia Banzatto Monteiro, a entidade é contrária ao retorno presencial até os professores serem vacinados. “Nós somos contrários ao retorno presencial antes da vacinação e entendemos toda a comunidade escolar. O nosso município não está preparado para o retorno, que antecede o protocolo de segurança, já que o calendário de vacinação segue a passo lento”.

Professores ouvidos pela reportagem, que preferiram não se identificar, também estão divididos quanto ao retorno. Contudo, todos são unânimes em desejarem retornar vacinados.

 

Guaíra: testagem em massa da Covid-19 em profissionais da educação
G1 Ribeirão Preto; 04/02
http://glo.bo/36JRnTE

Com foco na volta às aulas na próxima segunda-feira (8), a Secretaria de Saúde de Guaíra (SP) deu início a testes rápidos em massa contra a Covid-19 em profissionais da educação do município.

Além de funcionários da rede pública, profissionais de escolas particulares começaram a ser examinados na quarta-feira (3). De 800 pessoas testadas, nove testaram positivo para o vírus e 46 tiveram a confirmação de que contraíram a doença nos últimos meses.


Federação irá discutir com categoria resistência à convocação de aulas presenciais
O Regional, Mogi Guaçu; 04/02
http://bit.ly/3txf6jp

“Desde o início do combate à pandemia, com a paralisação das aulas presenciais em março de 2020, os professores têm se empenhado em aulas remotas, em manter seus programas, e em ensinar a partir de suas próprias casas com seus próprios meios, em muitos casos” lembra Celso Napolitano, presidente da Fepesp. “Continuaremos lecionando remotamente, mas iremos resistir ao ensino presencial. Não há condições seguras para isso, ainda”.

 

 

ABC: Metodista em greve a partir de quarta
Sinpro ABC; 05/02
http://bit.ly/2S3vCHv

A assembleia de professores e funcionários da Metodista, realizada pelo Sinpro ABC na noite desta quinta, 04/02, decidiu por declarar greve na instituição a partir da próxima quarta-feira, dia 10. A Metodista é caloteira, esta com salário atrasado e não respeita decisões judiciais. Nova assembleia está marcada para o dia 11/02.

 

Como os profissionais da cultura estão se virando na pandemia
Valor Econômico; 05/02
http://glo.bo/2YPfRGp

Trabalhadores do setor mais atingido pela crise sanitária buscam alternativas para compensar a perda de renda.

No Brasil, a crise é agravada pela desarticulação das políticas públicas de cultura e à instabilidade institucional. Ao assumir a Presidência da República, Jair Bolsonaro pôs fim ao Ministério da Cultura, transformando-o numa secretaria, e atacou frontalmente os mecanismos de apoio ao setor.

A pesquisa “Conjuntura do Setor de Economia Criativa – Efeitos da Crise da Covid-19”, realizada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) em parceria com o Sebrae e a Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, indica que 63,4% dos profissionais estarão impossibilitados de realizar suas atividades enquanto perdurar o distanciamento social.

 



Opinião: ‘O que falta para condenar Bolsonaro?’
Folha de S. Paulo; 05/02
http://bit.ly/2MVjKqT

Por Fabricio Pereira da Silva, professor de ciência política na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO): ‘Desde o começo de sua atuação pública, Jair Bolsonaro vem cometendo crimes em série. Nas últimas semanas, devido ao descontrole da pandemia da Covid-19 (com a morte de pacientes por falta de oxigênio no Amazonas, no Pará e em Rondônia) e a ausência de planejamento para aquisição e distribuição de vacinas, seu impeachment voltou a ser debatido. A pergunta a ser feita é: o que falta para condenar Bolsonaro? Mais concretamente: o que o sustenta no poder?’

‘Ainda que não ocorra um impeachment, ainda que o Judiciário brasileiro não consiga futuramente condenar Bolsonaro, alguns destes crimes são imprescritíveis (contra a humanidade). Isto implica na possibilidade de condenação a qualquer tempo por tribunais internacionais, e de prisão fora do território nacional. Isto pode se estender a alguns de seus aliados, inclusive fardados’.

 

Bolsonaro será investigado pela PGR por conduta diante da covid-19 no Norte do país
Rede Brasil Atual; 05/02
http://bit.ly/2MVjKqT

O presidente Jair Bolsonaro será investigado pelo agravamento da crise sanitária no estados do Amazonas e do Pará. A Procuradoria-Geral da República (PGR) instaurou nesta quinta-feira (4) investigação preliminar para analisar a conduta do governo federal no combate à covid-19 no Norte do país. Com isso, toda apuração passa a correr pela esfera penal, informa reportagem do UOL. “Caso, eventualmente, surjam indícios razoáveis de possíveis práticas delitivas por parte dos noticiados, será requerida a instauração de inquérito nesse Supremo Tribunal Federal”, escreveu o procurador-geral da República, Augusto Aras.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio