22 de janeiro de 2021

22/01 – SP volta à fase vermelha por Covid; PF prende por desvio de verba na educação infantil e mais: dois mil livros (bons!) para baixar de graça.

.

Na campanha ‘Todos pelas vacinas’, organizações de divulgação científica projetam frase na sede do inoperante Ministério da Saúde e do Museu da República.

 


  SP entrará em fase vermelha todos os dias às 20h contra agravamento da pandemia
Folha de S. Paulo; 22/01
http://bit.ly/3c36hre

O governo de São Paulo decidiu endurecer a quarentena devido ao agravamento da pandemia da Covid-19 no estado.

A partir desta sexta (22), a fase vermelha vale para todas as cidades paulistas a partir das 20h, todos os dias da semana. Nos fins de semana e feriados, a medida valerá durante o dia e a noite.

 

 

Fepesp; 21/01
http://bit.ly/3p8flz5

A vacinação de professores é fundamental para garantir qualquer plano de retorno seguro às aulas.

O anúncio do governo do Estado pela volta às aulas em 1º de fevereiro esbarra na evidência de que a pandemia não enfraqueceu. Pelo contrário: a maior parte de São Paulo regride agora para a fase vermelha, com aceleração da transmissão do novo coronavírus.

Como disse Celso Napolitano, presidente da Fepesp, apenas ‘um número ínfimo’ de escolas estão preparadas para aplicar protocolos de prevenção de contaminação –  o que reforça a necessidade de incluir os educadores – professores, auxiliares, pessoal administrativo, todos que tem contato com escolares – nos grupos prioritários de vacinação.

 

Artigo: ‘Aulas presenciais, divertidas e com menos risco de contágio; a estratégia de Jundiaí’
Folha de S. Paulo; 20/01
http://bit.ly/3o2pf3K

Por Laura Mattos: ‘No país que bateu o triste recorde de tempo de escolas fechadas na pandemia, a cidade paulista, a 58 km da capital e com cerca de 400 mil habitantes, é pioneira na estratégia de retomar as aulas presenciais com um mapeamento de áreas abertas para o aprendizado.

Haverá também o ensino a distância e dentro das salas tradicionais, mas o plano é oferecer o maior número de aulas, inclusive de disciplinas regulares, como matemática, história e português, para espaços abertos.

O projeto Desemparedamento da Escola foi adotado com apoio do Instituto Alana, ONG de defesa dos direitos da criança, que formou e treinou equipes integradas por diferentes áreas além da educação, como saúde, esportes, cultura e urbanismo.’

 


Polícia Federal investiga desvio de verba para educação infantil em São Paulo
Jovem Pan; 22/01
http://bit.ly/3o7A5Wm

Mais de 80 agentes da Polícia Federal e Receita voltaram suas atenções a unidades de centro de educação infantil. A operação Day Care aconteceu em São Paulo e em regiões como Itaquaquecetuba, Santana de Parnaíba e Mogi das Cruzes. A ação tinha como objetivo desarticular uma organização criminosa que atuava em organizações da sociedade civil. Cinco sócios de um escritório de contabilidade resolveram montar a quadrilha para gerir creches, em que os cargos foram distribuídos para os familiares e empregados desses empresários.

Como as organizações da sociedade civil não podem arrecadar ou distribuir dinheiro, os sócios passaram a simular despesas a fim de se apropriarem do montante arrecadado. Foram cumpridos mandados de busca e suspensão das atividades das empresas sob os crimes de peculato, falsificação de documento, sonegação e organização criminosa. A diferença entre os valores registrados na união e os que realmente foram utilizados é de 4.900%.


Máfia das creches desviou ao menos R$ 14 milhões em SP, diz PF
Agora; 21/01
http://bit.ly/3970NKk

A operação da Polícia Federal mira os mesmos alvos de outra ação, realizada por policiais civis do 10º DP (Penha, na zona leste).

Batizada de Misantropia, a ação também se baseou em reportagens da Folha de S.Paulo sobre a indústria das creches conveniadas na cidade que, embora sejam mantidas por instituições sem fins lucrativos, possuem donos e dão lucro por meio dos desvios.

Um dos principais pontos do esquema descoberto consiste no uso de notas frias. Pelo esquema, as empresas vendem produtos só no papel que, em vez de ir parar nas escolas, têm a verba desviada.

Um dos exemplos usados pelos policiais está em uma papelaria que, estranhamente, vende carne para as escolas. Em quatro anos, ela comprou R$ 11 mil em produtos, mas vendeu quantias superiores a R$ 9 milhões.

 

ENEM

Análise: Fracasso na aplicação do Enem é triste episódio de um MEC incompetente e omisso
Estadão; 21/01
https://outline.com/rFW4VX

Com aglomerações, superlotações, alunos barrados e o dobro de abstenções frente a outros anos, o Enem 2020 esteve longe de ser um sucesso, como disse o ministro da Educação, Milton Ribeiro. O fracasso na aplicação desse Enem é mais um triste episódio de um Ministério da Educação incompetente, omisso e alheio à realidade da educação, dos estudantes e da pandemia no Brasil.

No segundo dia de prova (neste domingo, dia 24), MEC e Inep têm o dever de garantir a plena execução das medidas de segurança sanitária a todos os estudantes. E, graças ao caos que geraram, agora precisam realizar novas edições urgentes do Enem para os estudantes que não puderam participar.

 

NEGÓCIOS DA EDUCAÇÃO

Febraban lança programa de aceleração para startups de educação financeira
Folha de S. Paulo; 21/01
http://bit.ly/3iDM904

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) lançou seu primeiro programa de aceleração de startups, que será dedicado a empresas que atuem com educação financeira. Inscrições vão até o dia 9 de fevereiro e podem ser feitas no site do Meu Bolso em Dia, como foi batizado o projeto.

O programa conta com apoio do Banco Central e da aceleradora Voe sem Asas e terá investimento de R$ 1 milhão feito pela federação para a realização de mentorias e workshops, além de aportes em cinco empresas selecionadas ao final do processo.

 

UFRJ disponibiliza mais de 2.000 títulos para baixar gratuitamente
Notaterapia; 22/01
http://bit.ly/3qJBfsM

O Sistema de Bibliotecas e Informação (Sibi) da Universidade Federal do Rio de Janeiro reuniu vários títulos de oito áreas do conhecimento disponíveis para baixar de graça.

Com a seleção das editoras acadêmicas das principais universidades do Brasil, a relação conta com 2.650 e-books (livros eletrônicos) distribuídos da seguinte forma: 89 de Ciências Agrárias, 43 de Ciências Ambientais, 73 de Ciências Biológicas, 215 de Ciências da Saúde, 57 de Ciências Exatas e da Terra, 1.154 de Ciências Humanas, 581 de Ciências Sociais Aplicadas, 40 de Engenharias e 398 de Linguística, Letras e Artes.

Clique nos links para abrir a lista de livros em cada área de conhecimento, em ordem alfabética:

Ciências Agrárias

Ciências Ambientais

Ciências Biológicas

Ciências Exatas e da Terra

Ciências Humanas

Ciências Sociais Aplicadas

Engenharias

Linguística, Letras e Artes

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio