Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 21 de maio de 2022

7 de julho de 2021

07/07 – dissídio da educação básica em tréplica dos sindicatos, governo nega verba para internet nas escolas, ‘variante delta’ do coronavírus em SP, e mais: SBPC quer mais ciência nas escolas

.

Conheça o Educador+: saúde e bem-estar, segurança, conhecimento, valorização do seu dinheiro.
Clique na imagem ou veja aqui: https://bit.ly/3gPNtvt 

Governo Bolsonaro briga na Justiça para não dar internet a alunos de escola pública
Folha de S. Paulo; 06/07
https://bit.ly/36iGpUh

O governo Jair Bolsonaro ingressou com uma ação no STF (Supremo Tribunal Federal) para suspender lei que prevê garantia de conexão à internet a alunos e professores de escolas públicas. Essa lei fora vetada pelo presidente, mas o Congresso derrubou o veto.

Há a previsão de aplicação de R$ 3,5 bilhões de recursos federais para ações de conectividade. A nova lei foi uma resposta do Congresso à ausência da gestão Bolsonaro no enfrentamento dos reflexos da pandemia na educação básica —o orçamento do MEC (Ministério da Educação) ainda passa por reduções.

A desigualdade no acesso à internet tem sido um dos principais problemas para a manutenção de aulas na pandemia no esquema remoto. A continuidade de atividades online, com um modelo híbrido, é a aposta da maior parte das redes de ensino, mas o plano empaca no alto percentual de alunos e escolas sem conexão.


Aulas presenciais serão ampliadas em oito estados e no DF no 2º semestre
UOL; 06/07
https://bit.ly/36jXTQg

Com o início da aplicação da primeira dose da vacina contra covid-19 aos profissionais da Educação, estados têm planejado retomar e ampliar as aulas presenciais no segundo semestre. Levantamento feito pelo UOL com as secretarias estaduais apontou que oito estados mais o Distrito Federal já pretendem aplicar mudanças nas escolas da rede.

As escolas das redes estaduais do Ceará, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Piauí e Rio Grande do Norte já planejam o retorno presencial das aulas. Hoje, os alunos têm aula via plataformas, Whatsapp ou com a ajuda de materiais impressos.

 

Minuto Fepesp; 07/07
Você deve procurar sua sindicalização, em legítima defesa dos seus interesses! O sindicato oferece proteção, direitos e benefícios – e uma nova forma de benefício foi criada pela Fepesp, na forma do Educador+, com cursos, livros, viagens e produtos com grandes descontos, serviços e atualização profissional. Quer saber como?

 

EDUCAÇÃO BÁSICA

Dissídio Coletivo: sindicatos apresentam tréplica à Justiça
SinproSP; 06/07
https://bit.ly/3qTqc1p

Os advogados da Fepesp, do SinproSP e demais sindicatos entregaram, em 1º de julho, a tréplica à defesa das entidades patronais Sieeesp e Feeesp – no processo de dissídio coletivo contra as escolas de educação básica. Agora, existe a possibilidade de uma primeira audiência, de conciliação, mas ela ainda não foi marcada.

As negociações com a Fepesp e os demais sindicatos estão suspensas desde maio. Os patrões aceitam renovar a Convenção com base na norma coletiva de 2018. Também não concordam com a reivindicação econômica, que prevê aumento acima da inflação.

 

A Federação dos Professores de São Paulo lembra com pesar do professor Paulo Roberto Yamaçake, diretor do Sinpro ABC e entusiasmado defensor dos professionais de Educação. Professor no Sesi, faleceu vitima de infarto fulminante nesta segunda-feira, dia 5. Companheiro Paulo, presente!



CORONAVÍRUS

Prefeitura vê indícios de transmissão comunitária por variante delta do novo coronavírus em SP
Agora; 06/07
https://bit.ly/3hMfkhy

A Covisa (Coordenadoria de Vigilância em Saúde), da Prefeitura de São Paulo, afirma que existem indícios de que o paciente com a variante delta do novo coronavírus identificado na capital paulista foi infectado por transmissão comunitária.

O primeiro caso de um morador na cidade de São Paulo com a cepa de origem indiana foi confirmado na noite de segunda-feira (5) pela Secretaria Municipal da Saúde. Trata-se de um homem de 45 anos, que teve sintomas leves da Covid-19. De acordo com a secretaria, o paciente afirmou que trabalha em casa, disse não ter viajado e negou que teve contato com outras pessoas que tenham viajado. A sua profissão e o local onde mora não foram informados.


Brasil registra mais 1.780 mortes por covid-19. Estudo reafirma necessidade do uso de máscaras
Rede Brasil Atual; 06/07
https://bit.ly/2STgQGp

O Brasil registrou 1.780 mortos pela covid-19 nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia, em março de 2020, os registros oficiais apontam 526.892 vítimas. Trata-se do segundo país com maior número de mortes devido ao vírus, e aquele com mais casos em 2021. Em comparação com a média global, o coronavírus é 4,4 vezes mais letal no Brasil.

Governo britânico planeja reabertura total na Inglaterra em 19 de julho
Estadão; 06/07
https://bit.ly/3AMulc6

Durante o longo período de pandemia da covid-19, o primeiro-ministro Boris Johnson e o governo britânico adoraram lançar slogans engenhosos. O mais recente é “Mãos, Rosto, Espaço”. Antes disso, “Fique alerta, controle o vírus, salve vidas”. Além de mais alguns antes disso. Agora, a ênfase está claramente mudando das regras estabelecidas pelo governo para a responsabilidade dos indivíduos.

O premiê anunciou, nesta segunda-feira, 5,  que, se tudo avançar como o previsto, no dia 19 de julho serão eliminadas as restrições contra a covid-19 restantes na Inglaterra, de modo que o uso de máscara e o distanciamento social passarão a ser opcionais. Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte têm os âmbitos de discussão próprios sobre temas sanitários e decidem seus ritmos de desconfinamento.

 

 

 

 

Veja aqui como acessar as reuniões do Conepe – e participe!
Fepesp; 07/07
https://bit.ly/3AMulc6

Links de acesso para as reuniões do Conepe em Presidente Prudente, Sorocaba, Franca (hoje, 07/07),  Santos, Registro (08/07) e Campinas (25/07).

 




Renato Janine, novo presidente da SBPC: ‘Precisamos garantir o ensino, desde cedo, do método científico’
UFMG; 05/07
https://bit.ly/3AAjyl8

Em junho deste ano, o filósofo, cientista político, professor e escritor Renato Janine Ribeiro foi eleito presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, a SBPC. Nesta entrevista ao Portal UFMG, Janine, que é docente aposentado da USP e foi ministro da Educação por sete meses em 2015, fala de sua surpresa com o negacionismo científico que se revelou no Brasil durante a pandemia de covid-19, reforça o compromisso da SBPC com a defesa da universidade pública e enfatiza a importância da educação básica.

Segundo ele, só uma educação básica de qualidade pode assegurar oportunidades iguais para todos. “Eu arrisco sugerir que 70% das vocações brasileiras não são sequer identificadas, por causa das falhas na educação e na alimentação”, afirma o professor, que participa, nesta quinta, dia 8, às 9h, de mesa-redonda que integra a programação do Dia da Ciência na UFMG (veja aqui).

Qual a sua visão geral da SBPC e como encontra a entidade?
A SBPC é uma das grandes entidades da sociedade civil capazes de defender as principais causas relacionadas ao futuro do Brasil, que estão centradas na ciência, mas se expandem para a cultura, para a educação em geral, para o setor público da educação, que é essencial no país, bem como saúde, meio ambiente e inclusão social. Esse conjunto de assuntos compõe um círculo virtuoso que possibilitará ao Brasil crescer, tornar-se um país mais justo e mais produtivo. Hoje, o Brasil tem o desempenho de um terço de suas potencialidades, uma vez que um terço da população brasileira não dispõe de oportunidades adequadas – em termos de educação, alimentação, moradia, transporte – para realizar todas as suas qualidades, todas as suas vocações. O Brasil desperdiça um número gigantesco de vocações.

O que acha fundamental fazer hoje na área da educação?
Há uma prioridade óbvia, que é educação básica de qualidade. Porque é assim que se vai conseguir, com o passar do tempo, consolidar uma sociedade mais igualitária e até mesmo tornar as políticas de ação afirmativa desnecessárias.

O que mudou na educação no Brasil desde sua passagem pelo MEC?
A educação brasileira foi perdendo recursos e perdeu prioridade. Infelizmente, ela deixou de ser tão importante desde que a emenda constitucional do teto de gastos cristalizou uma redução de orçamentos.

Leia a entrevista completa aqui: https://bit.ly/3AAjyl8

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio