2 de maio de 2019

02/05 – 200 mil no Anhangabaú, impasse na negociação da educação básica, ministro ataca universidades federais, e mais.

A Fepesp disponibiliza em seu site uma carta-notificação para que a professora e o professor declarem expressamente a sua ‘não-autorização’ […]

A Fepesp disponibiliza em seu site uma carta-notificação para que a professora e o professor declarem expressamente a sua ‘não-autorização’ para a gravação de suas aulas.
Para baixar e imprimir, clique aquihttp://bit.ly/2J40iEn

 

 


Com 200 mil em SP, centrais defendem greve geral 
em 14 de junho e retirada de projeto
Rede Brasil Atual; 02/05
http://bit.ly/2ZQqZC9

Concluída a parte política do 1º de Maio – após as 14h, começaram as apresentações musicais –, representantes das centrais sindicais estimaram em 200 mil o número de pessoas no Vale do Anhangabaú, na região central de São Paulo, em ato que teve a “reforma” da Previdência como tema principal. Dirigentes pediram a retirada do projeto como ponto de partida para um eventual princípio de diálogo. Mas apostam na greve geral, marcada para 14 de junho, como fator fundamental para derrotar o governo.


Vale rasgar a Constituição para aprovar a reforma da Previdência?
IHU; 30/04
http://bit.ly/2VxsSEP

Favorecida por ocultamento de informações fundamentais, propaganda enganosa e promessa de liberação de 40 milhões de reais em emendas para cada parlamentar que a apoiar, a proposta de reforma da Previdência do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia Paulo Guedes foi aprovada com esbanjamento da “velha política”, que o capitão diz combater, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara na terça-feira 23, apesar de afrontar a lei máxima do País, denunciam vários especialistas.

 

Vídeo: a reforma da Previdência acaba 
com a aposentadoria do professor
Sinpro Campinas; 01/05
http://bit.ly/2J9a7ko

Os professores estão entre as categorias mais prejudicadas pela “reforma”, que torna a aposentadoria dos docentes praticamente inviável. Proposta pelo governo Bolsonaro, inimigo declarado dos professores e da educação, a reforma extingue a aposentadoria de magistério e não leva em consideração os baixos salários e péssimas condições de trabalho dos docentes, condenando-os à uma velhice miserável.

 

“Trabalho precário, intermitente, é a antessala do desemprego”, 
diz Ricardo Antunes
Brasil de Fato; 29/04
http://bit.ly/2VAQcBx

Em entrevista ao Brasil de Fato, o sociólogo falou sobre o futuro do trabalho, as características das relações trabalhistas no Brasil e os impactos da reforma trabalhista sobre esse cenário. “Se a classe trabalhadora, os movimentos sindicais, sociais e os partidos de esquerda não desenharem um outro modo de vida, daqui a dez anos eu vou dizer ‘está muito pior’. Com o mundo da internet, todos podem ter um tipo de trabalho onde não tem mais limite de jornada, não tem mais dia e noite”, avalia o sociólogo.

 

Sinpro ABC: Segundo dia de greve na Metodista; 
aumenta a adesão dos docentes à paralisação
Sinpro ABC; 01/05
http://bit.ly/2GYxT0U

A greve dos professores e professoras da Universidade Metodista entrou no seu segundo dia (30/04) com maior adesão de docentes e significativo apoio e solidariedade dos estudantes e de funcionários. A paralisação atinge praticamente 100 % dos campis. Os docentes reivindicam que os salários – alguns casos com até 2 meses de atraso sejam pagos e contestam o modo como a atual reitoria está conduzindo o gerenciando da universidade. Há professores que não recebem salários desde março, há também irregularidades no depósitos do FGTS, com falhas, em alguns casos, desde 2015. Há 3 anos os docentes suportam as constantes mudanças decididas unilateralmente pela reitoria.

 

 


Sinpro SP: Oficinas “mão na massa” 
Sinpro ABC; 24/04
http://bit.ly/2VJuCdS

Em maio, o SinproSP promoverá oficinas maker, ou, no popular, mão na massa, voltadas à prática docente. Serão encontros com atividades lúdicas e muita discussão sobre o que há de mais atual na tecnologia aplicada à Educação. As três primeiras oficinas já têm data marcada: aos sábados, nos dias 04, 11 e 18 de maio, sempre das 8h30min às 12h. Fique ligado, pois as vagas são limitadas.

 

 


Impasse na Educação Básica: patronal recua de proposta
Fepesp; 30/04
http://bit.ly/2J9DDGt

Em nova rodada de negociações na campanha salarial 2019 da Educação Básica realizada nesta terça-feira, 30/04, o lado patronal recuou de sua proposta apresentada aos sindicatos e se negou a assinar qualquer acordo. Os dirigentes dos sindicatos integrantes da Federação dos Professores do Estado de São Paulo – Fepesp irão agora avaliar esta nova situação e decidir pelo seu encaminhamento, que pode gerar ação de dissídio coletivo da categoria.

 

Sindicatos e instituições repudiam declaração de ministro da Educação
EM; 29/05
http://bit.ly/2LdNTjI

Após a declaração do Ministro da Educação Abraham Weintraub no último domingo, 28, quando afirmou que seria “direito dos alunos” filmar professores em sala de aula, sindicatos e associações de professores se manifestaram nesta segunda-feira, 29, contra a postura do governo federal. O presidente da Federação dos Professores do Estado de São Paulo (FEPESP), Celso Napolitano, afirmou que “considera como assédio qualquer tentativa de cerceamento da liberdade de cátedra – especialmente com a tentativa de estimular a gravação e veiculação de aulas. A gravação de aulas sem autorização é ilegal e atenta também contra a liberdade de cátedra dos docentes”.


Sinpro Rio Preto: Carta aberta aos professores 
das escolas particulares de ensino básico
Sinpro S. J. do Rio Preto; 02/05
http://bit.ly/2Lh8Zh7

Vivemos um momento extremamente delicado. Os professores parecem ter se transformado nos vilões que causaram todos os problemas que assolam o país. Somos pressionados e acusados de forma vil e injusta, por verdadeiros inquisidores, interessados apenas em destruir o pouco que resta da educação livre desse país. O SINPRO Rio Preto vem a público expressar seu repúdio a essa ilegalidade e esclarecer que a divulgação de imagens de professores em redes sociais, sem a expressa autorização destes, é ato ilegal, que fere diversas previsões legais, como o direito autoral, o direito de imagem, o direito à privacidade, dentre outros. Além disso, questionar métodos e abordagens dos docentes fere o direito de cátedra, previsto na LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional).

 


Contra as ameaças e a deleção de Professores 
Fepesp; 2018
http://bit.ly/2DH37Yu

A Federação dos Professores do Estado de São Paulo, integrada por 25 sindicatos das várias regiões do Estado, vem protestar contra o clima de chantagens e ameaças à atividade docente em sala de aula. A extrema-direita busca reeditar velhas práticas de intimidação, conclamando alunos a gravar o que seus mestres falam em sala de aula e a denunciarem supostas ‘doutrinações ideológicas’. A ideia é impor barreiras à liberdade de expressão e opinião e à liberdade de cátedra.

 

 


Ataque do governo às universidades federais
é tristemente ideológico
Blog do Sakamoto; 01/05
http://bit.ly/2WltMRI

Nesta terça-feira, docentes da Universidade Federal da Bahia, acordaram atordoados com mais um elemento distópico deste Brasil de 2019: o ministro da Educação, Abraham Weintraub, declarou ter bloqueado dotações orçamentárias de três universidades escolhidas a dedo, a nossa universidade entre elas. Os critérios, explicou ele, eram a promoção de “balbúrdia”, “evento ridículo” e o baixo desempenho acadêmico medido “pelo ranking”, este último não especificado pelo ministro.

 

Ministro da Educação ironiza reitores 
ao falar de tolerância e pluralidade
Folha de S. Paulo; 01/05
http://bit.ly/2UVsSd9

Após polêmica envolvendo cortes de orçamento no ensino superior federal, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, ironizou nas redes sociais os reitores de universidades federais ao falar de tolerância e pluralidade. “Para quem conhece universidades federais, perguntar sobre tolerância ou pluralidade aos reitores (ditos) de esquerda faz tanto sentido quanto pedir sugestões sobre doces a diabéticos”, escreveu Weintraub no Twitter na manhã desta quarta-feira, dia 1°.

 

OAB vai acionar STF para garantir autonomia universitária
O Globo; 30/04
https://glo.bo/2VE1SU2

Após o anúncio do corte de verbas em universidades que promoverem “balbúrdia” e que não apresentarem “desempenho acadêmico esperado” — nas palavras do ministro da Educação, Abraham Weintraub —, o Conselho Federal da OAB decidiu acionar o Supremo Tribunal Federal (STF) por temer a violação da autonomia universitária. Trata-se de um direito previsto na Constituição que dá às instituições federais independência tanto didático-científica quanto administrativa.

 

 


Colunista diz que Globo proibiu jornalistas 
de repercutir entrevista de Lula
Rede Brasil Atual; 30/04
http://bit.ly/2V7ghZv

A jornalista diz que conversou com colegas que trabalham na emissora, que relataram a recomendação do alto escalão. A emissora teria enfatizado ainda que não pedirá entrevista com Lula, nega ter recomendado a censura, mas não explicou porque a entrevista do ex-presidente aos jornais Folha e El País não foi citada em nenhum veículo da empresa global, como portal G1, o impresso O Globo ou o canal por assinatura GloboNews.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio