Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 25 de setembro de 2022

27 de fevereiro de 2019

Ministro da Educação admite ter errado | MEC volta atrás, alega ‘equívoco’ em carta às escolas | Pedido do MEC para escolas vira meme | PSOL denunciará ministro da Educação | Carta do MEC embala denúncias de falta de estrutura nas escolas | Solidariedade aos trabalhadores da Ford SBC | Dez pontos da reforma da Previdência podem ser questionados no Supremo | Kroton nega IPO da Saber na Nasdaq | E mais.

Veja aqui o horário e local de cada assembleia:
https://bit.ly/2sVoIq4
Baixe e compartilhe os materiais da Campanha Salarial 2019:
https://bit.ly/2EbG4Eq

 

 

 


Ministro da Educação admite ter errado 
ao pedir que escolas filmem crianças cantando hino
Folha de S. Paulo; 26/02
http://bit.ly/2IPAoFA

Apesar de ser uma iniciativa oficial do Ministério da Educação, a carta que orienta diretores de escolas a gravarem os alunos cantando o hino nacional, e ainda continha slogan da campanha do presidente Jair Bolsonaro (PSL), foi encaminhada às escolas sem nenhum respaldo das redes de ensino nem tampouco da área jurídica do governo.


MEC volta atrás, alega ‘equívoco’ em carta às escolas
e diz que filmagem é voluntária
Carta Educação; 26/02
http://bit.ly/2H5gx2O

Após o mal estar criado com o pedido de que escolas leiam o slogan de Jair Bolsonaro, perfilem alunos, professores e funcionários frente à bandeira, executem o hino e filmem a ação, o Ministério da Educação recuou da decisão, decidiu revisar a carta e reenviá-la às unidades, conforme anunciou em nota publicada nesta terça-feira 26.

 


Repercussão | Jornal da TV Cultura reproduz posicionamento 
da Fepesp sobre carta do MEC às escolas
Fepesp; 26/02
http://bit.ly/2Ej5pw6

O vídeo-comentário de Celso Napolitano, presidente da Fepesp,  foi repercutido pelo Jornal da TV Cultura desta terça-feira, dia 26/02. Confira a reportagem a partir de 5m53shttp://bit.ly/2IIe3Ke


PSOL denunciará ministro da Educação 
por crime de responsabilidade após carta a escolas

Revista Fórum; 25/02
http://bit.ly/2VnSRuE

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) reagiu à notícia de que o ministro da Educação, Ricardo Vélez, mandou um e-mail a todas as escolas públicas e privadas do País pedindo que os alunos cantem o hino nacional e que o momento seja gravado e enviado ao MEC. Segundo Freixo o PSOL apresentará um pedido à Procuradoria-Geral da República (PGR) para que investigue o ministro da Educação por crime de responsabilidade.

 

Kroton nega IPO da Saber na Nasdaq
Money Times; 25/02
http://bit.ly/2BUmA79

A Kroton (KROT3) negou nesta segunda-feira (25) que haja qualquer iniciativa ou fato concreto que sustente as afirmações destacadas em notícia do Valor sobre a ida da subsidiária Saber à Nasdaq por meio de um IPO. Segundo o jornal, o braço de educação básica da companhia pode vir fazer a oferta inicial de ações de parte da Saber a partir de 2020. “Ainda segundo fontes, um dos argumentos que tem sido usados pela Kroton com investidores para convencê-los desse potencial é a performance da Arco Educação, dona do sistema de ensino Ari de Sá, que levantou US$ 218 milhões na Nasdaq em setembro, e desde então viu a cotação de suas ações saltar cerca de 50%”, explica o jornal.

 

 

Estudantes reclamam de demora da divulgação do Fies; veja reações
Jornal Metro ; 25/02
http://bit.ly/2GNuCmc

O Fundo de Financiamento Estudantil será divulgado nesta segunda-feira (25), mas a espera está cada vez mais angustiante. Enquanto ainda não há a publicação dos resultados, os estudantes seguem aguardando ansiosos com manifestações nas redes sociais. Desde o último domingo (24), os internautas estão comentando sobre o Fies, com especulações do horário de divulgação. Ao todo, são ofertadas 100 mil vagas na modalidade juro zero e 450 mil na modalidade P-Fies.

 

 


Fechamento de fábrica? 
Solidariedade aos trabalhadores da Ford SBC
Fepesp; 26/02
http://bit.ly/2IFnf26

Os professores e dirigentes dos sindicatos integrantes da Fepesp, reunidos em conselho na manhã desta terça-feira, 26/02, manifestam sua solidariedade e apoio à mobilização dos trabalhadores da Ford de São Bernardo do Campo. Eles defendem seus empregos e denunciam a decisão unilateral e arbitrária da empresa em fecha a fábrica sem maiores explicações. À falta de respeito da empresa e desprezo por suas obrigações sociais, os trabalhadores respondem com a campanha ´#naõcompreumford’ até a fábrica decidir ficar em SBC. O fechamento anunciado da Ford em São Bernardo do Campo poderá custar a ocupação de 2500 trabalhadores da montadora e mais: calcula-se que um número superior a 20 mil pessoas, entre fornecedores e revendedores, tenham seus empregos em risco.

 

Governo começa a ceder na Previdência
Valor Econômico; 27/02
http://encurtador.com.br/hEVZ4

O governo já admite ceder e atenuar alguns pontos da proposta de emenda constitucional (PEC) da reforma da Previdência, apresentada na semana passada pelo presidente Jair Bolsonaro ao Congresso.

 

Dez pontos da reforma da Previdência 
podem ser questionados no Supremo 
Valor Econômico; 27/02
http://encurtador.com.br/nuvV4

Especialistas afirmam que, se o texto for aprovado como está, ações judiciais podem apontar inconstitucionalidades sobre a idade mínima para aposentadoria, a regra de transição dos servidores públicos e o possível fim da isenção previdenciária sobre receitas de exportação, entre outros.  Esses pontos, acrescentam,  também podem ser usados por quem é contrário à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para tentar derrubar a reforma no Congresso Nacional. Na Câmara dos Deputados, a primeira comissão a analisar uma PEC é a de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Se os integrantes concluem que alguma medida é inconstitucional, barram sua tramitação.

 

Previdência: Fagnani disseca a proposta Bolsonaro
Outras Palavras; 26/02
http://bit.ly/2tD78aX

E se a retirada de direitos dos trabalhadores, sob a justificativa de sustentabilidade da Previdência, fosse tão somente uma cortina de fumaça para a manutenção do projeto de transferência de renda para os mais ricos? A questão que abre o texto bem poderia ser tomada como uma espécie de teoria conspiratória se a realidade macroeconômica não fosse tomada em contexto. “O que me dá profunda irritação é este argumento de que sem a reforma da Previdência o país quebra. Isso é de um primarismo, algo quase rudimentar, por várias razões”, assevera Eduardo Fagnani, em entrevista por telefone à IHU On-Line.

 

 


Pedido do MEC para escolas gravarem crianças 
cantando Hino Nacional vira meme
O Globo; 26/02
https://glo.bo/2NvJ3vQ

O pedido do Ministério da Educação para que as escolas gravem seus alunos cantando o Hino Nacional, feito na segunda-feira, virou fonte de memes e protestos na manhã seguinte. Nesta terça-feira, já circulavam na internet vídeos fazendo piada com a carta enviada pelo ministro da Educação às escolas. Nela, Ricardo Vélez Rodríguez pede que diretores registrem em vídeo os alunos cantando o Hino Nacional , perfilados diante da bandeira dop Brasil, e também que leiam uma carta de volta às aulas que termina com o slogan da campanha do presidente Jair Bolsonaro nas eleições: “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos!”.


Nas redes sociais, Hino Nacional embala denúncias 
de falta de estrutura nas escolas
Carta Educação; 26/02
http://bit.ly/2H4k8hM

A impensada ação do Ministério da Educação de pedir que escolas leiam carta com slogan do governo de Jair Bolsonaro, cantem o Hino e filmem a ação, e o posterior recuo da medida sob alegação de ‘equívoco’, funcionou como um convite nas redes sociais – mas para mostrar a falta de estrutura das instituições. Estudantes, professores e funcionários passaram a filmar a unidades. Nas publicações, reunidas pela hashtag #HinoNacionalnasEscolas, é possível ver carteiras quebradas, inúmeras infiltrações de água pelas salas de aula, quadras esportivas encharcadas e crianças sendo retiradas das salas de aula de maneira bastante improvisada por professores.

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio