24 de janeiro de 2019| , , , ,

Governo quer liberar ‘homeschooling’ / Kroton estima alta em lucros / Reforma da Previdência não é prioridade nos 100 primeiros dias de governo / Professores temporários na rede estadual / Sindicatos contra Boeing e GM / Comunidade internacional não está otimista com Bolsonaro.

EDUCAÇÃO BÁSICA:
COMEÇAM AS NEGOCIAÇÕES

Nesta quinta, às 14h30, a comissão de negociação da Fepesp e os representantes de donos de escolas se reúnem no Sieeesp. Logo após, boletim da Federação dá conta do que foi discutido. Acompanhe toda a campanha aqui: http://bit.ly/2T5RU9y

 

 

Alfabetização e ensino domiciliar
são metas do governo na Educação nos 100 primeiros dias

O Globo; 23/01
https://glo.bo/2RbpEQU

A equipe do ministério estuda banir métodos globais de ensinar a ler e escrever, que costumam ser associadas à teoria construtivista de desenvolvimento cognitivo, para promover o método fônico. No fônico, a aprendizagem começa das letras e sílabas até chegar às palavras. Nos métodos globais, o caminho costuma ser inverso, partindo de textos e experiências sobre as funções da linguagem para se chegar às letras e sons, mas focando na compreensão da leitura.


A alfabetização no centro do debate educacional

Jeduca; 23/01
http://bit.ly/2FKsP0T

Em poucas palavras, o argumento do novo secretário de Alfabetização do MEC é o de que, desde os anos 1980, os documentos oficiais induzem à uma sobrevalorização do letramento em detrimento da alfabetização propriamente dita. Esta seria para ele a causa do baixo nível de aprendizagem das crianças em leitura e escrita, pois elas se veem frente a uma diversidade de textos, sem o domínio do código que permitiria a compreensão desse material. A ABAlf (Associação Brasileira de Alfabetização) divulgou um manifesto assinado por 120 grupos de pesquisa e organizações sociais em defesa das múltiplas abordagens metodológicas para a alfabetização, chamando a atenção para os avanços que o país vem alcançando ao longo do tempo e para a complexidade envolvida no processo.


Gestão Bolsonaro promete liberar ensino domiciliar
por medida provisória

Folha de S.Paulo; 23/01
http://bit.ly/2UdYPxk

O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) incluiu na lista de metas para os cem primeiros dias do governo a regulamentação do ensino domiciliar, também chamado de “homeschooling”, por meio de medida provisória. A prática havia sido considerada ilegal no final do ano passado pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Na ocasião, a maioria dos ministros entendeu que, por falta de regulamentação, ela não poderia ser considerada um meio lícito para os pais garantirem o direito dos filhos à educação.

 

Artigo | Educação: desafios do novo governo
Folha de S.Paulo; 23/01
http://bit.ly/2WfAB7R

Por Mozart Neves: O ministro da Educação, Ricardo Vélez, coloca, de maneira acertada, a educação básica como prioridade. Por outro lado, temas como Escola Sem Partido e identidade de gênero tomam conta de boa parte da mídia educacional e parecem fazer parte da agenda do atual Ministério da Educação (MEC). Entendo que a escola pública deve ser laica, tanto no aspecto político, como no religioso — a que se refere mais diretamente tal termo. Contudo, todas essas questões absorvem muita energia, enquanto 55% das nossas crianças no 3º ano do Ensino Fundamental (boa parte delas com 9 anos de idade) não sabem ler, contar e escrever adequadamente.

 

Kroton estima alta de até 5% no Ebitda em 2019
Estadão; 23/01
https://glo.bo/2TauDmJ

A companhia de educação Kroton estimou nesta quarta-feira que o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) deve crescer entre 1% e 5% neste ano enquanto o lucro líquido deverá se manter estável. A Kroton informou ainda que a captação de alunos no ensino presencial e a distância para o primeiro semestre está estável, com 30% do processo concluído até o momento. Com relação ao preço dos cursos, a companhia afirmou que estão em alta de 1% a 5% no presencial e estáveis no EAD.

 

Inscrições para o Sisu vão até sexta-feira (25)
Repórter Diário; 22/01
http://bit.ly/2DwPtri

É possível se inscrever até sexta-feira (25). Os resultados serão divulgados no dia 28 de janeiro. De acordo com o MEC, são oferecidas 235 mil vagas para 129 instituições. O candidato faz a inscrição para duas opções de vagas – em ordem de preferência – e até a data limite do fechamento é possível alterar as opções. Caso a nota do estudante seja maior do que a nota de corte para o curso no último dia de inscrição, o aluno é aprovado e pode fazer a matrícula na instituição de 30 de janeiro a 2 de fevereiro.

 

Reforma da Previdência fica fora das metas
dos 100 primeiros dias de governo

Folha de S.Paulo; 23/01
http://bit.ly/2CL43JQ

O governo do presidente Jair Bolsonaro deixou de fora das metas de 100 primeiros dias do governo a reforma da Previdência, medida considerada crucial para o ajuste das contas públicas. Em documento distribuído nesta quarta-feira (23) pela Casa Civil, constam cinco ações que devem ser adotadas pela pasta até meados de abril. A primeira medida listada pelo ministério comandado por Paulo Guedes é a Medida Provisória de combate à fraude do INSS, assinada na semana passada por Bolsonaro.

 

Educação confirma professores temporários na rede estadual
Governo de São Paulo; 23/01
http://bit.ly/2FXq77y

Depois da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), no último dia 12, favorável ao governo de São Paulo e que derrubou a proibição de contratos temporários no serviço público determinada no ano passado pelo Tribunal de Justiça, a Secretaria da Educação dá início na próxima semana ao processo de atribuição de aula e classes para professores da rede estadual. De acordo com o calendário, a escolha para docentes com contrato vigente ou candidato à contratação (categoria O) está marcada para 28 e 29 de janeiro em todo o Estado. Durante o período, esses profissionais decidem em quais unidades e horários vão atuar ao longo do ano letivo. Em 2019, as aulas começam no dia 1º de fevereiro.

 

Sindicato organiza passeata em São José
contra operação entre Boeing e Embraer

Correio Braziliense; 23/01
http://bit.ly/2FHK96s

O sindicato dos metalúrgicos da região de São José dos Campos (SP), que representa funcionários da Embraer, organizou um ato na manhã desta quarta-feira (23/1) contra o acordo fechado entre a fabricante brasileira e a Boeing. A passeata percorreu o centro de São José dos Campos e reuniu cerca de 120 manifestantes de várias categorias, como petroleiros, professores e representantes de movimentos sociais.

 

GM quer ‘redução drástica de direitos’ para investir, diz sindicato
Jornal Estado de Minas; 23/01
http://bit.ly/2RcZZqY

Após sinalizar que pode deixar o Brasil depois de anos de prejuízo, a GM apresentou proposta a trabalhadores da fábrica de São José dos Campos na qual pede uma “redução drástica de direitos” como condição para realizar novos investimentos, informou nesta quarta-feira, 23, o sindicato dos metalúrgicos da região. Segundo o sindicato, a montadora propõe aumento da jornada de trabalho, adoção do banco de horas, liberação da terceirização em toda a fábrica, fim do transporte fretado, jornada intermitente e fim da estabilidade de emprego para lesionados.

 

Sindicatos dos Professores do ABC prepara site novo,
lançamento será no próximo dia 25

Sinpro ABC; 22/01
http://bit.ly/2UbTRkJ

Novo site do Sinpro-ABC será lançado dia 25 de janeiro. Acesse: www.sinpro-abc.org.br.

 

Professor de Harvard diz que, no exterior,
há mais preocupação com o Brasil
Estadão; 23/01
http://bit.ly/2SaAg7q

Presença certa no Fórum Econômico Mundial de Davos, o professor de economia da Universidade de Harvard e ex-economista-chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kenneth Rogoff, afirmou nesta quarta-feira, 23, ao Broadcast que há uma grande diferença de percepção em relação ao novo governo brasileiro. Se internamente, há uma perspectiva acentuadamente otimista, há mais preocupação em relação ao rumo do País no exterior. Ele também acredita que a desaceleração da economia global pode ser “dura” para os países emergentes e, especificamente sobre o Brasil, previu que o País poderá sofrer os impactos negativos se a China continuar em seu processo de desaceleração da atividade.

 

Oxford e Harvard amam Paulo Freire, o pedagogo que
Bolsonaro quer tirar do MEC com um lança-chamas
 
The Intercept; 23/01
http://bit.ly/2TbrEdQ

Recentemente, fiz um relato no Twitter sobre a importância da pedagogia crítica na formação de professores da Universidade de Oxford, e o tema despertou tanto o interesse de professores quanto raiva de haters, me chamando de mentirosa. Achei prudente, então, contar um pouco mais aqui da minha experiência. Infelizmente, ainda prevalece no Brasil uma profunda ignorância e uma obsessão quase fantasmagórica sobre a obra Paulo Freire – o suposto guru da doutrina satânica gayzista, feminista e marxista que reina em nosso sistema educacional. Quando era candidato à Presidência, Bolsonaro prometeu “entrar com um lança-chamas no MEC e tirar Paulo Freire lá de dentro”. Sobre tal doutrinação, no entanto, não há qualquer evidência empírica.

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio