Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 04 de fevereiro de 2023

28 de janeiro de 2021

28/01 –  a volta às aulas e a vacina, Fuvest monitora 300 por covid-19, o professor homem na educação infantil, e mais: Freire, Darcy e Lispector no mural de Kobra

.

 

Apenas dez estados retomam aulas presenciais em fevereiro, com reforço e distanciamento entre alunos
Folha de São Paulo; 27/01
http://bit.ly/2McfcMD

Mesmo diante do avanço da pandemia de Covid-19 em todas as regiões brasileiras, governos de pelo menos dez estados preveem o retorno de aulas presenciais a partir do próximo mês com algum tipo de reforço e distanciamento entre os alunos. Outros seis estados, incluindo o Distrito Federal, só vão começar em março.

Desses que retomam as atividades já em fevereiro, cinco — São Paulo, Ceará, Paraná, Maranhão e Acre — devem adotar o modelo híbrido de ensino, que mescla aulas online e presenciais.

No Amazonas, a retomada das aulas na rede particular está prevista para 1º de fevereiro. A diarista Marilene Queiroz, 57, trabalha em duas casas diferentes, ambas com adolescentes em escolas particulares, e teme “levar” a doença para os netos, de 7 e 11 anos, alunos da rede pública estadual em Manaus e sem previsão de volta às aulas.

“As aulas só deviam voltar depois que todo mundo estiver vacinado porque Manaus tá de um jeito que, se a gente ficar doente, não sabe se vai ter leito nem oxigênio, então dá um medo, sim. Por outro lado, é mais um ano que eles vão perder”, diz.

Para o pesquisador da Fiocruz Jesem Orellana, a retomada das aulas na rede pública foi um dos fatores que contribuiu para o início da chamada segunda onda de contaminação da Covid-19 em Manaus, que começou a crescer entre agosto e setembro e atingiu o pico no dia 14 de janeiro, quando o sistema de saúde colapsou.

 

Rio de Janeiro: professores da rede municipal terão prioridade na vacinação
O Dia; 27/01
http://bit.ly/3chzxLd

A Secretaria Municipal de Educação afirmou que os professores da rede terão prioridade na vacinação, a partir de fevereiro. Além de educadores, outros profissionais também serão imunizados, como merendeiras e inspetores.

Eles devem ser vacinados logo após os idosos e as pessoas com comorbidades. O anúncio foi feito em coletiva na tarde desta quarta-feira, no Palácio da Cidade. A prefeitura anunciou o retorno das aulas remotas para o dia 8 de fevereiro, e das aulas presenciais para o dia 24.

“Isso estará condicionado às vacinas que chegarem”, pontuou o secretário de Saúde, Daniel Soranz. Além de professores, outros profissionais de educação também serão imunizados, como merendeiras e inspetores.


Jundiaí: Educação apresenta medidas de segurança para volta às aulas
Prefeitura de Jundiai; 28/01
http://bit.ly/2KWPRpt

Na manhã desta quarta-feira (27), a gestora de Educação, Vastí Ferrari Marques, apresentou as medidas de retorno às aulas em sistema híbrido, que ocorrem a partir de segunda-feira (1º). Em transmissão ao vivo para as redes sociais da TVTEC e no canal 24 da NET, foram destacados diferentes pontos, da segurança das crianças à segurança dos profissionais que trabalham nas escolas, como protocolos e uso de equipamentos de proteção.

“Temos de olhar criança a criança, casa a casa, para entender a realidade de cada um”, afirmou a gestora. O retorno presencial não é obrigatório nas escolas municipais. Em Jundiaí, as aulas serão oferecidas no formato híbrido (on-line e presenciais), com limite de até 35% de alunos em cada escola, duas horas e meia de permanência por dia e monitoramento diário dos índices epidemiológicos.

 

Campinas: Sindicato é contra retorno às aulas presenciais
Sinpro Campinas; 27/01
https://bit.ly/3qUIvly

O presidente do Sinpro Campinas e região, Carlos Virgilio Borges, o Chileno, foi entrevistado pelo jornal Correio Popular sobre a posição do Sindicato em relação ao retorno às aulas presenciais.


Fuvest monitora 300 pessoas por causa da Covid-19 após 1ª fase de vestibular
Folha de S. Paulo; 27/01
http://bit.ly/3ahBTXY

Ao menos 300 pessoas são monitoradas por causa de possíveis sintomas da Covid-19 após a realização da primeira fase do vestibular da Fuvest, a responsável por selecionar vagas na graduação da USP (Universidade de São Paulo).

As pessoas monitoradas incluem os colaboradores que atuaram na aplicação do exame e os candidatos.

Elas procuraram a fundação para informar os possíveis sintomas da doença que estão sentindo e também questionaram as medidas de prevenção empregadas no vestibular.

 


Brasil ultrapassa marca de 220 mil mortos por covid-19
Rede Brasil Atual; 27/01
http://bit.ly/3qYpCy7

Foram mais 1.283 mortes nas últimas 24 horas. Brasil é o segundo país com mais mortos por covid-19 no mundo. Número de infectados já chega à casa de 9 milhões.

São Paulo segue como o estado mais afetado do país com 1.731.294 infectados e 52.170 mortos, seguido do Rio de Janeiro, com 29.230 mortos e 509.113 casos. Na sequência vêm Minas Gerais, 14.544 mortos e 707.649 casos; Ceará, com 10.402 mortos e 367.265 infectados; e Bahia, com 9.952 mortos e 574.062 casos. O Rio de Janeiro tem uma mortalidade superior aos demais estados mais impactados, o que revela uma maior subnotificação no estado.

 

Enquanto isso, o leite condensado do governo federal:

Nível de conversa – Diante da repercussão dos gastos do governo federal com comidas e bebidas, que incluíam milhões de reais destinados à compra de leite condensado, Bolsonaro disse o seguinte ontem: “Vai para a puta que o pariu, imprensa de merda! É para enfiar no rabo de vocês da imprensa essas latas de leite condensado”. / estadão

Origem da discórdia – Os gastos vieram à tona numa reportagem publicada pelo site Metrópoles no domingo. O texto mostrou que o Executivo federal gastou R$ 1,8 bilhão em alimentos em 2020, num aumento de 20% em relação a 2019. A inflação no período foi de 14,1%. / metrópoles

Fora do ar – O Portal da Transparência, que reúne os gastos do Executivo, ficou fora do ar entre a noite de terça e a manhã de ontem. O governo atribuiu a queda ao excesso de acessos. O Nexo falou com Fernanda Campagnucci, da Open Knowledge Brasil, sobre a importância de acompanhar os gastos públicos. / nexo


Projeto institui Política Nacional de Educação Digital

Agência Câmara; 27/01
http://bit.ly/3chS2iw

O Projeto de Lei 4513/20, de autoria da deputada Angela Amin (PP-SC), institui a Política Nacional de Educação Digital. O texto altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).

A proposta é voltada para a Educação Digital Escolar. Entre as várias iniciativas sugeridas está a de promover a inovação pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem, com reforço de competências analíticas e críticas, por meio da promoção de projetos e práticas pedagógicas no domínio da lógica, algoritmos e programação, além de ética aplicada ao ambiente digital, letramento mediático e cidadania na era digital.

A Política Nacional de Educação Digital também prevê a formação de professores da educação básica e do ensino superior em competências digitais e uso de tecnologias. E inclui entre os objetivos do programa a promoção e divulgação da robótica e do letramento digital.

 

Artigo: ‘Professor homem na Educação Infantil: conheça os desafios e experiências’
Nova Escola; 27/01
http://bit.ly/36lSQPz

Por Evandro Tortora (na foto), professor de Educação Infantil, doutor em Educação para Ciência pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Bauru: “Somos a minoria dentre os docentes na Educação Infantil e isso é perceptível na grande maioria das instituições de Educação de crianças. A presença do homem é historicamente menor nesses espaços e, quando estão por lá, muitas vezes figuram como diretores ou coordenadores pedagógicos.

Homens que trabalham na Educação Infantil precisam lidar com esse tipo de preconceito quase sempre. No meu caso, ao longo de todos os anos como docente, tenho que lidar com esse tipo de discriminação. Sempre há aqueles olhares estranhos, conversas escondidas entre as famílias duvidando da minha capacidade como professor. Só fico sabendo disso ao término do ano letivo, quando as famílias relatam que essa desconfiança foi deixando de existir aos poucos.

É preciso pensar na Educação como um ato político, longe de uma visão presente no senso comum em que se liga a ideia de “ser político” a “ser adepto a um partido político”, mas em uma dimensão em que as escolhas que fazemos reforça ou combate aos preconceitos. Nos calar perante uma situação de preconceito pode parecer uma postura neutra, porém deixar de agir é tão grave quanto reforçar tal atitude, afinal estamos negando a possibilidade de combate ao preconceito.

 

Muralista Eduardo Kobra retrata Paulo Freire, Clarice Lispector e Darcy Ribeiro em mural “Olhares da Educação”
Revista Prosa e Verso, via Contee; 27/01
https://bit.ly/3t2yKDR

Um dos maiores nomes da arte urbana brasileira e mundial, o paulista Eduardo Kobra fez o mais recente de seus trabalhos em Lajeado, no Vale do Taquari. Para comemorar os 50 anos da Univates, o artista foi chamado para pintar o prédio mais antigo da universidade. A fachada do Prédio 1 da Universidade exibe a ilustração de três importantes personalidades da educação e literatura: Paulo Freire, Clarice Lispector e Darcy Ribeiro, painel com 14 metros de altura x 26 de comprimento, intitulado “Olhares da Educação”

Kobra saiu da periferia de São Paulo e conquistou o mundo. Em 2018, foi eleito a personalidade do ano pelo guia cultural Time Out, em Nova York.

O reconhecimento veio através da arte, que o fez passar por cinco continentes, 40 países, e representar artistas em mais de 500 obras de arte na rua. O artista plástico relata que já esteve na Índia, no Japão, nos Emirados Árabes e em vários lugares da Europa, e que possui mais de 50 murais nos Estados Unidos. Entre eles, Bob Dylan e Abraham Lincoln.

“Nunca imaginei que, saindo da periferia, de uma origem simples, sendo auto-didata, eu pudesse ter essa projeção mundial com meu trabalho. Emocionante para mim, eu curto muito.”

O novo trabalho, em Lajeado, é intitulado “Olhares da Educação”. Já é a terceira obra do artistas no Rio Grande do Sul.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio