27 de maio de 2019

27/05 – Comparativo entre as manifestações de 15 e 26 de maio, sede da Força Sindical em leilão, cresce o interesse por licenciatura, e mais.

.

O programa da semana na TV Fepesp é sobre contribuição assistencial e o Clube de Vantagens – ou seja, a força e a vantagem de ser sindicalizado ou contribuinte.
Assista: http://bit.ly/2HCVWCM





Comparativo entre as manifestações a favor de Bolsonaro 
e os protestos contra cortes na educação
G1; 26/05
https://glo.bo/2K3mX40

Atos em apoio ao governo do presidente Jair Bolsonaro foram realizados neste domingo (26) em 156 cidades de 26 estados, mais o Distrito Federal, segundo balanço do G1 às 20h40. No mesmo horário da quarta-feira 15 de maio, quando foram realizados atos em defesa da educação, foram contabilizados protestos em 222 cidades de todos os 26 estados do país, mais o Distrito Federal. O balanço das 20h40 foi o último registrado naquele dia de cobertura dos protestos de estudantes.

 

‘Bolsonarismo puro’ se impõe nas ruas, 
mas não supera atos contra cortes na Educação
El País; 27/05
http://bit.ly/2YJFKFI

O núcleo duro dos bolsonaristas exibiu força neste domingo, nas ruas do Brasil, para defender a agenda legislativa de Jair Bolsonaro e pressionar o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF), acusados de boicotar o presidente. A atitude do mandatário foi calculadamente ambivalente: o Gabinete não participou e o mandatário se desvinculou dos protestos, mas incentivou a mobilização ao postar vídeos de manifestantes no Twitter e manteve a tensão com os demais Poderes. Depois de sair do culto evangélico que frequenta, Bolsonaro declarou que a “manifestação espontânea” era um recado “para aqueles que, com suas velhas práticas, não deixam que o povo se liberte”.


Em ato pró-governo, 
professora faz ‘protesto solitário’ contra corte na educação
O Globo; 26/05
https://glo.bo/2Quvoqf

A professora municipal Valéria Mattos, de 60 anos, decidiu enfrentar o olhar de reprovação e aproveitar o ato pró-governo Jair Bolsonaro para protestar contra os cortes feitos nas universidades. Sozinha, ela pede mais investimos na área. “Votei no Bolsonaro porque queria uma mudança radical, mas sou contra essa medida. Precisamos de mais livros e menos armas. O povo está com fome, está desempregado” — diz Valéria Mattos.


PT vê chance de efeito rebote 
e crê que ato pró-Bolsonaro pode inflamar estudantes
Folha de S. Paulo; 26/05
http://bit.ly/30IXUt7

Monitoramento das redes sociais mostrou ao PT que a mobilização para os atos em defesa da educação, dia 30, ainda está fraca. Integrantes do partido acreditam que a manifestação dos bolsonaristas pode reacender o ânimo dos estudantes.

 

Artigo | 2019 não virou 1961
Piauí; 26/05
http://bit.ly/2MlMHvs

Por José Roberto de Toledo: Não foi um fracasso total. Diferentemente de quando o presidente Fernando Collor conclamou a população em 1992, muita gente de verde e amarelo aproveitou o domingo de sol e foi à rua defender o governo de Jair Bolsonaro. O problema foi a comparação. Os protestos de 15 de maio, contra cortes de verba na educação, ganharam em volume de manifestantes, em duração e amplitude pelo país: 222 cidades dia 15 contra 156 neste domingo, segundo o G1. De quebra, os protestos da oposição ocorreram em dia de trabalho e, no caso de São Paulo, sob chuva.

 

 



Em encontro com Weintraub, 
professores protestam com livros de Paulo Freire
Estadão; 25/05
http://bit.ly/2YTt5QB

Em encontro com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, um grupo de educadores que venceu o prêmio “Professores do Brasil” levantou livros de Paulo Freire durante fotografia oficial. Entre os 30 professores presentes ao evento, em um hotel no bairro de Pinheiros, na zona oeste da capital paulista, ao menos 8 tinham o livro de Paulo Freire em mãos – alguns ergueram seus exemplares durante a foto ao lado do próprio ministro. “Foi uma manifestação respeitosa e silenciosa. Soubemos ontem (sexta) que ele participaria do encontro. Então, pensamos em colocar a nossa posição contra o corte de recursos para as universidades. E também mostrar a importância do educador Paulo Freire”, comentou a professora Ana Beatriz Maciel, 34 anos.

 

Artigo | Educação: uma questão séria
Diário do Grande ABC; 27/05
http://bit.ly/2JK5bDA

Por Dom Pedro Cipollini: Neste mês, milhares de pessoas foram às ruas protestar contra cortes no orçamento na área da educação. Em todas as capitais, e mais 130 cidades, houve protestos. Participaram estudantes, professores de escolas e universidades públicas e privadas, além de outras entidades.

 

 


Prédio de R$ 12 milhões da Força Sindical fica sem lance em leilão
Folha de S. Paulo; 27/05
http://bit.ly/2HXCobs

O leilão da sede da Força Sindical, no bairro Liberdade, em São Paulo, não recebeu lance na última sexta (24). Avaliado em R$ 12,4 milhões, o prédio de 12 andares continua na mão de sindicalistas, que pretendem se desfazer do patrimônio diante da crise no caixa. Desde o fim do imposto obrigatório imposto pela reforma trabalhista e endossado pelo presidente Jair Bolsonaro, a receita pela contribuição sindical caiu 99%, segundo a Força.

 

 



Confira esta e outras charges no facebook da Federação: http://bit.ly/2YPu0S4
Ou através do nosso site: http://bit.ly/2HvT9vP

 

 


Cresce o interesse por cursos de licenciatura
EM; 24/05
http://bit.ly/2EzmdQE

Um levantamento realizado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e a Fundação Carlos Chagas (FCC) rendeu a publicação Professores do Brasil que apresenta um aumento de estudantes que optaram pela formação na área de educação. De acordo com o material, que é o terceiro da série, as matrículas para a licenciatura passaram de 659 mil alunos, em 2001, para 1,5 milhão em 2016. Desse total, 882.749 faziam licenciatura em cursos de ensino presencial e, o restante, 641.580, por meio de cursos a distância.

 

 


Palhaço encena vida e obra de Paulo Freire 
em ruas e teatros Brasil afora
G1; 20/05
https://glo.bo/2wn38wH

Cerca de oito anos atrás, Richard Riguetti e Luiz Antonio Rocha se reuniram em torno de um plano: levar a vida e obra do educador Paulo Freire para os palcos. Com agendas cheias, engavetaram o projeto. No ano passado, já com possibilidade de fazer virar realidade, visitaram Anita Freire, viúva do filósofo, morto em 1997, que adorou a ideia. Este foi o início de “Paulo Freire, o andarilho da Utopia”, em cartaz até 26 de maio no Teatro das Ruínas, no bairro carioca de Santa Teresa.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio