27 de janeiro de 2021

27/01 – Pediatras afirmam que escolas não estão preparadas para volta às aulas, professores falam em greve no Rio, e mais: religiosos pedem impeachment de Bolsonaro

.

Volta às aulas? Sociedade Brasileira de Pediatria afirma em nota que as escolas não estão preparadas para garantir a segurança de escolares no ensino presencial.
Leia nota completa abaixo. 

 

Escolas particulares começam a receber alunos para ano letivo em São Paulo
Jornal Agora; 27/01
http://bit.ly/3cer5w8

Escolas particulares retomaram, nesta terça-feira (26), as atividades de forma híbrida (presencial e online) na capital, mas apenas com ações de acolhimento dos alunos e reforço.

Na próxima segunda (1º), as 5.500 privadas na capital estão autorizadas a retomarem as aulas regulares.

Em nota, o Sinpro (o sindicato dos professores), reclamou do retorno obrigatório das aulas presenciais. “Os professores estão sendo obrigados a voltar sem que se estabeleçam garantias a eles e sem que o poder público tenha condições de fiscalizar as milhares de escolas particulares na cidade de São Paulo”, diz.

“O SinproSP acredita que o retorno das aulas presenciais, sem que a epidemia esteja controlada, só deveria ocorrer quando observadas outras condições, além dos protocolos sanitários”, diz trecho da n nota, que cita priorização dos professores na vacinação, testagem de todos os alunos, professores e demais trabalhadores custeada pelas escolas, e estabelecimento de regras de funcionamento da rede privada e “rígida fiscalização do poder público sobre os estabelecimentos, para garantir condições de trabalho, segurança e saúde” .


Secretaria de Educação de SP vai criar grupo com especialistas para acompanhar retomada das aulas na capital
Monica Bergamo; 27/01
http://bit.ly/3cg6bNi

A Secretaria Municipal de Educação de SP está reunindo especialistas de várias áreas para formar um grupo de conselheiros para acompanhar a retomada das aulas na capital, marcada para o dia 15 de fevereiro —famílias poderão optar pelo ensino presencial ou virtual.

AÇÕES – Além de representantes da área da educação, o núcleo deve ter pediatras, infectologistas e psicólogos para debater e criar instrumentos de acolhimento aos pais, dos responsáveis e dos educadores.

 


Sociedade Brasileira de Pediatria diz que escolas não estão preparadas para volta às aulas
Época; 26/01
https://outline.com/pnV6Na

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) afirma que as escolas não estão preparadas para o retorno das aulas presenciais. Em nota que divulgará na terça-feira, a SBP chama atenção para o risco de contágio da doença em meio ao aumento das taxas de transmissão da Covid-19 em diversos estados, assim como o número de casos e óbitos.

Para a entidade, a maioria das escolas, sobretudo as da rede pública, não está preparada para garantir a segurança básica no ensino presencial.

Aqui, a nota completa da Sociedade Brasileira de Pediatria: https://bit.ly/2KQdkbE

 

Rio de Janeiro: Professores criticam retomada de aulas presenciais e não descartam greve
CNN; 26/01
http://bit.ly/3pm4i5e

A Secretaria Municipal de Educação deve anunciar, em uma coletiva nesta quarta-feira (27), como vai funcionar o ano letivo de 2021 no Rio de Janeiro. À CNN na manhã dessa terça-feira (26), o Sindicato dos Profissionais de Educação (Sepe) criticou a decisão do Comitê Especial de Enfrentamento da Covid-19, formado por especialistas em saúde e pesquisadores, de recomendar a volta das aulas presenciais.

O Sepe mostrou preocupação com a defesa do comitê diante do avanço da pandemia no Rio de Janeiro. O município soma 184.676 casos de Covid-19 e 16.707 mortes causadas pela doença. Outro ponto de questionamento do sindicato é o fato de não ter sido convidado para o debate sobre a reabertura das escolas, feito nessa segunda-feira (25).


Amazonas: Ministério Público pede que aulas presenciais na rede particular sejam mantidas suspensas
Tribuna; 26/01
http://bit.ly/2M0cnhP

O MP-AM (Ministério Público do Amazonas) recomendou ao Governo do Estado que só autorize o retorno das aulas na rede particular de forma presencial ou semipresencial a partir da vacinação dos profissionais de educação prevista no Plano Nacional de Vacinação contra Covid-19. Pede ainda que no momento só permita o retorno das atividades de maneira remota.

O MP solicita que seja aplicada multa ao estabelecimento que descumprir a determinação.

 

Distrito Federal: governador diz que espera vacinar professores do DF até março
Metrópoles; 26/01
http://bit.ly/3ac2ipM

O governador Ibaneis Rocha (MDB) afirmou, na manhã desta segunda-feira (25/1), durante visita à fábrica Bthek Biotecnologia, no Polo de Desenvolvimento JK, em Santa Maria, que espera começar a vacinação de professores do DF contra a Covid-19 em março. “O retorno das aulas presenciais está previsto para 8 de março. Nós queremos proteger os nossos professores, para que a gente possa ter um nível de segurança maior”, disse.

 

Guarulhos: Juiz suspende volta às aulas na rede pública
Conjur; 26/01
http://bit.ly/2Yml0FD

Segundo a decisão, normas constitucionais, internacionais e infraconstitucionais permitem a conclusão de que “há um amálgama político-normativo voltado à fusão de normas protetivas ao meio ambiente, nele incluindo o do trabalho (…), que tem como ponto fulcral a proteção da dignidade da pessoa humana, na qual consiste o fundamento da República Federativa do Brasil”.

O juiz admite que o aprendizado de crianças e adolescentes, em que o convívio presencial e social fomenta o enriquecimento da formação da personalidade do indivíduo, é situação delicada. E ela se agrava diante do fato de se tratar de escolas públicas, em que “a maioria de seus alunos é de origem humilde e não conta com recursos financeiros e tecnológicos necessários para o aprendizado adequado”.

“No entanto, a proteção da vida humana deve ser preponderada e elevada a nível superior de tais aspectos fáticos, pois a educação se consegue recuperar, mais cedo ou mais tarde, mas a vida humana, uma vez perdida, não“, sopesou o julgador.


Ribeirão Preto: Volta às aulas presenciais na rede municipal será opcional, diz prefeito
G1; 25/01
http://glo.bo/3ac2buo

A volta às aulas presenciais na rede municipal de Ribeirão Preto (SP) em meio à pandemia de Covid-19 será opcional aos 45.781 alunos matriculados, disse o prefeito Duarte Nogueira (PSDB) em coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira (25).

A Secretaria Municipal de Educação também informou que não há objeção da Prefeitura para o retorno das escolas particulares, desde que sigam os protocolos.


Notas da Pandemia

Pedido de explicações – Tribunal de Contas da União diz haver ilegalidade no uso de dinheiro do SUS para a distribuição de cloroquina e derivados. O governo do presidente Jair Bolsonaro adota o remédio sem eficácia contra a covid-19 como política pública na pandemia. O Ministério da Saúde tem cinco dias para se explicar. / folha

Desconhecido’ – Em meio ao colapso do sistema de saúde de Manaus, o governo Bolsonaro distribuiu 120 mil comprimidos de hidroxicloroquina na cidade, enquanto os hospitais precisavam de cilindros de oxigênio. Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello disse ontem que o aumento de casos na capital amazonense foi rápido e “desconhecido”. / o globo

Variante – O governo de São Paulo confirmou ontem ter detectado três casos de covid-19 causados pela variante originária do Amazonas. Estudos mostram que a cepa é mais contagiosa e impulsionou o aumento de casos em Manaus. O “Durma com essa” fala sobre como autoridades ao redor do mundo têm lidado com mutações. / nexo

Vacinas particulares – O laboratório AstraZeneca, que desenvolveu uma vacina contra a covid-19 em parceria com a Universidade de Oxford, informou ontem que não vai disponibilizar vacinas para o setor privado. A nota foi divulgada após mobilização de empresários brasileiros a fim de obter o imunizante para funcionários. / estadão

 


Religiosos pedem o impeachment do presidente Jair Bolsonaro
Rede Brasil Atual; 27/01
http://bit.ly/2M0iGlu

Mais um pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro foi apresentado nesta terça-feira (26). E mais uma vez movido pelo assombro de 220 mil mortes causadas pela covid-19, ante a ausência de governo na pandemia. Tanto é que a base para este 62º processo pelo afastamento de Bolsonaro é “o manejo criminoso das políticas sanitárias durante a pandemia, o não acesso à vacina, e o desprezo pela vida dos brasileiros”.

Escrita pela Associação Brasileira de Juristas pela Democracia ABJD), a peça é assinada por religiosos da Frente Ampla Cristã. E lembra o direito à saúde usurpado dos cidadãos, além de diversos artigos da Constituição que vêm sendo desrespeitados pelo governo Bolsonaro. O pedido tem apoio do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic), da Comissão Justiça e Paz (órgão ligado à CNBB), da Câmara Episcopal da Igreja Anglicana do Brasil (IEAB), da Aliança de Batistas do Brasil (ABB) e de diversas lideranças católicas e evangélicas.

Além do pedido de impeachment dos religiosos contra Bolsonaro, outro, que deverá figurar como o de número 63 na lista que repousa “sob análise” na Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, será apresentado nesta quarta-feira (27). O pedido é assinado pelo partidos PT, PDT, PSB, PSol, PCdoB e Rede. Em nota, os parlamentares da oposição informam que a ação responsabiliza “Bolsonaro por crimes cometidos contra a humanidade”. E destacam a “ingerência e descaso do governo” no enfrentamento à pandemia e pelo fim do auxílio emergencial.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio