Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 06 de dezembro de 2021

25 de outubro de 2021

25/10 – Excesso de trabalho dos professores no Brasil, o excesso de lição de casa na China, o mistério de criar faculdades sem criar vagas de Milton Ribeiro, e mais: instagram e facebook derrubam vídeo mentiroso de Bolsonaro

.

É hoje a premiação do 43º Prêmio Vladimir Herzog de Jornalismo em Direitos Humanos. Assista, às 20 horas, pelo YouTube:  https://bit.ly/3BeNDWt. Na foto, menção honrosa para Mauro Pimentel da Agência France Presse pela cobertura do massacre na favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro.

  

 

 

‘Fornecedores de aulas’: estudo mostra que professores no Brasil acumulam mais trabalhos e aulas
O Globo; 25/10
https://glo.bo/3BbAuxw

A Fundação Carlos Chagas e o instituto D3E divulgam hoje, 25, um estudo que traz uma importante contribuição ao debate sobre as condições de trabalho dos professores no Brasil. Ao compararem o volume de trabalho daqui com o de Japão, Estados Unidos e França, os pesquisadores Gabriela Miranda Moriconi, Nelson Antonio Gimenes e Luciana França Leme identificaram uma característica que nos faz destoar demais desses países desenvolvidos: no Brasil, é muito mais comum que docentes sejam contratados em tempo parcial e atuem em mais de uma escola. Isso faz com que acumulem um número maior de turmas – e consequentemente de alunos – e que tenham menos oportunidade de estarem integrados plenamente a uma comunidade escolar.

No Brasil, 20% dos professores do segundo ciclo do ensino fundamental (que vai do 5º ao 9º ano) atuam em mais de uma escola nesta etapa, percentual que aumenta para 45% se nessa conta forem consideradas também turmas de outras etapas da educação básica (como o primeiro ciclo do fundamental ou o ensino médio). Nos três países comparados, a proporção não passa de 5%, sendo de 4,7% na França, 2,7% no Japão e 1,7% nos Estados Unidos (por Antônio Gois, colunista de Educação).

 

Avenues: Escola de elite de SP é obrigada a suspender ensino 100% online para crianças
Folha de S. Paulo; 24/10
https://bit.ly/3vFwYu9

A Avenues, escola de Nova York com campus em São Paulo, foi obrigada a suspender o programa de aulas 100% online para alunos a partir do 4º ano do fundamental, que começaria neste semestre, com mensalidades de R$ 10 mil.

A instituição recebeu um ofício do Conselho Estadual de Educação exigindo esclarecimentos, reiterando que o ensino presencial é obrigatório no Brasil e insinuando, inclusive, que o anúncio da Avenues On-Line poderia ser enquadrado como propaganda enganosa ou abusiva.

 

Rede municipal de SP volta a permitir 100% dos alunos nas escolas nesta segunda (25)
Agora; 24/10
https://bit.ly/3GmwIou

A partir desta segunda-feira (25), as escolas da rede municipal de ensino da capital paulista poderão voltar a receber 100% dos alunos simultaneamente, sem a necessidade de distanciamento social.

A medida acaba com o revezamento, mas, os pais que ainda não sentirem segurança para enviar seus filhos às escolas, por causa da Covid-19, podem continuar com o ensino remoto  pois a presença em sala de aula ainda é facultativa.

 

Centrais fazem ato dia hoje, 25, na Paulista
Agência Sindical; 25/10
https://bit.ly/3GcysRg

As Centrais Sindicais convocam todos a participar de ato nesta segunda (25), na Avenida Paulista, pela desoneração da folha de pagamentos. Segundo as entidades, de 3 a 6 milhões de trabalhadores podem perder o emprego nos próximos meses caso a desoneração não seja aprovada na Câmara dos Deputados.

Ato – Nesta segunda, dia 25, às 15 horas, em frente ao Banco do Brasil localizado na Avenida Paulista, esquina com a Rua Augusta. A escolha do local para o ato se dá pelo prédio abrigar a sede do governo federal em São Paulo.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

MEC prepara projeto para criar cinco universidades em redutos do centrão
Folha de S. Paulo; 24/10
https://bit.ly/2XI2tXT

Crítico à abertura de universidades, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, quer dividir instituições federais de ensino superior existentes para criar cinco novas universidades e cinco institutos técnicos.

A iniciativa não prevê a expansão de vagas de alunos ou da rede física, mas atende aos interesses de políticos aliados ligados ao centrão.

A ideia significará a criação de 2.912 cargos para comandar as novas instituições que, na prática, já funcionam. O inchaço da máquina pública virá com um aumento de gastos que pode chegar a R$ 500 milhões por ano, de acordo com estimativas do Ministério da Economia.

 

O agrado do ministro da Educação ao Centrão
O Antagonista; 25/10
https://bit.ly/3BhbHI5

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, pretende dividir instituições federais de ensino superior para a criação de cinco novas universidades e cinco institutos técnicos, diz a Folha.

“O inchaço da máquina pública virá com um aumento de gastos que pode chegar a R$ 500 milhões por ano, de acordo com estimativas do Ministério da Economia.”

 

Opinião: ‘Ensino híbrido veio para ficar? Sim, é uma opção para as escolas’
Correio Braziliense; 24/10
https://bit.ly/3Bg4VT0

Por Ana Maria Pol: “Especialistas afirmam que a modalidade híbrida é a tendência para a vida escolar pós-pandemia. Mesmo que as escolas optem por voltar 100% presencial, esse modelo tende a ser usado, por exemplo, na oferta de aulas complementares ou extracurriculares.

Em outubro do ano passado, o Conselho Nacional de Educação (CNE) decidiu que as escolas têm autonomia para manter o ensino remoto até dezembro de 2021, ajustando as necessidades de cada público e instituição. Atualmente, o combinado é que ocorra aulas tanto presenciais quanto remotas, o chamado ensino híbrido. Esse modelo propõe que a aprendizagem aconteça tanto no espaço físico da sala de aula quanto em plataformas digitais”.

 

Comissão rejeita proposta que exige biometria nos cursos de educação a distância
Agência Câmara; 22/10
https://bit.ly/3Ebkhdt

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados rejeitou o Projeto de Lei 3998/19, que exige o uso das tecnologias de biometria durante a aplicação de provas para alunos de educação a distância. Segundo a proposta, na avaliação presencial a medida poderá ser dispensada, a critério da instituição de ensino.

 

USP tem eleição para reitor e mira desafios da diversidade
Estadão; 24/10
https://bit.ly/3Bdjcje

Numa eleição para reitor atípica, em meio à pandemia e com só dois candidatos, a grande promessa é uma Universidade de São Paulo (USP) mais inclusiva e diversa. O físico Antonio Carlos Hernandes e o médico Carlos Gilberto Carlotti Junior disputam a gestão da mais conceituada instituição de ensino brasileira. Este ano, pela primeira vez em décadas, a maioria de seus novos alunos veio de escolas públicas. O desafio agora é garantir que eles tenham as mesmas oportunidades que o restante dos estudantes da USP.

 

CORONAVÍRUS

Covid volta a preocupar europeus, e governos já retomam restrições
Folha de S. Paulo; 24/10
https://bit.ly/3m98kyP

“Estamos claramente em uma quarta onda”, declarou o ministro da saúde da Bélgica, Frank Vandenbroucke, para quem o “grande aumento nas infecções deve ser seguido por uma alta nas internações hospitalares”.

 

Bolsonaro faz associação absurda e falsa entre Aids e vacina de Covid, dizem especialistas
Folha; 24/10
https://bit.ly/30SC9eF

Em sua live semanal, na última quinta-feira (21), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) leu uma suposta notícia que alertava que “vacinados [contra a Covid] estão desenvolvendo a síndrome da imunodeficiência adquirida [Aids]”. Na noite de domingo, Facebook e Instagram derrubaram o vídeo.

 

 

 

China adota lei para reduzir tarefas escolares
Estadão; 23/10
https://outline.com/bRGnxp

A China promulgou uma lei neste sábado, 23, que limita as matrículas e cursos após as aulas, uma iniciativa que visa reduzir a grande pressão sobre os alunos, segundo a mídia oficial chinesa.

Para proteger os jovens, o governo chinês aprovou várias normas paternalistas nos últimos meses, a fim de combater as atividades que considera prejudiciais ao desenvolvimento das crianças.

Anteriormente, havia banido menores de videogames por mais de três horas por semana para combater o vício e reduzido drasticamente o uso de aulas particulares.

Nas últimas semanas, o governo também adotou medidas mais ideológicas contra a idolatria das celebridades, principalmente em relação a programas de televisão com artistas considerados “vulgares” e “afeminados”.

A partir de agora, as autoridades locais devem “fortalecer sua supervisão para que a carga dos alunos em termos de matrículas e cursos extra-escolares seja reduzida”, disse a agência oficial Xinhua, referindo-se à lei aprovada neste sábado pelo Parlamento.

“Os pais (…) devem distribuir de forma razoável o tempo dedicado aos estudos, descanso, diversão e atividade física dos menores, de forma a não sobrecarregar o aprendizado e evitar qualquer dependência da internet”, diz o texto. .

Esta lei chamada de “promoção da educação familiar” entrará em vigor a partir de 1º de janeiro de 2022.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio