Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 13 de agosto de 2022

25 de setembro de 2019

25/09 – A educação no modelo neoliberal, enquete de satisfação – ou insatisfação – com o MEC, 15% dos empregos são para intermitentes, e mais.

.

Problema na escola? Reclamação? Comentário sobre Educação?
Fala que eu te escuto, aqui: 
http://fepesp.org.br/noticia/fala-que-eu-te-escuto/.

 

 


Positivo avança em negociação
Valor Econômico; 24/09
http://bit.ly/2lqUuvf

O Grupo Positivo desistiu de vender seus colégios, que estavam avaliados em R$ 300 milhões, mas deve concluir em breve a venda do negócio de ensino superior por cerca de R$ 500 milhões para a Cruzeiro do Sul, segundo o Valor apurou.

 

Enquete: você está satisfeito com o atual MEC?
Revista Educação; 23/09
http://bit.ly/2myufmF

Vote na enquete: você está satisfeito com as decisões e posicionamentos do atual Ministério da Educação (MEC)?

 

Weintraub diz que “não vai cair ideologia” no Enem deste ano
Carta Capital; 25/09
http://bit.ly/2lrWW4F

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano terá como foco conhecimentos objetivos. Segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub, a preocupação do Ministério da Educação (MEC) será selecionar os melhores alunos para ocupar as vagas no ensino superior. “Não vai cair ideologia, a gente quer saber de conhecimento científico, técnico, de capacidade de leitura, de fazer contas, de conhecimentos objetivos”, afirmou o ministro que participou ontem (24) do programa Brasil em Pauta, da TV Brasil, da EBC.

 

Repercussão: Federação denuncia cartel
de salários nas universidades privadas

Denúncia da Fepesp sobre cartelização de professores que trabalham no ensino superior privado repercute na imprensa do interior.
Jornal Dia a Diahttp://bit.ly/2lvrpPl
ItapoNewshttp://bit.ly/2mD3eOW
Jornal do Oestehttp://bit.ly/2n4jdpp

 




Educação no modelo neoliberal:
escolas como vetor de concorrência no mercado
Fepesp; 24/09
http://bit.ly/2n62NwJ

Em debate da série ‘Diálogos Fepesp’, o professor Luiz Carlos de Freitas, da Unicamp, afirmou que está em curso no Brasil uma “reforma empresarial da educação”, que concebe o magistério da mesma forma como concebe a escola: inserido em um mercado competitivo.


Até Estados ricos têm dificuldades de ampliar ensino integral
Estadão; 25/09
http://bit.ly/2lFZVX1

O alto custo da implementação do ensino em tempo integral é apontado como o principal entrave para a expansão da modalidade. Mas até os Estados mais ricos têm dificuldade de ampliar o número de matrículas com a jornada ampliada. O alto custo da implementação do ensino em tempo integral é apontado como o principal entrave para a expansão da modalidade. Mas até os Estados mais ricos têm dificuldade de ampliar o número de matrículas com a jornada ampliada.



Fundeb: organizações de educação
apoiam aumento de recursos ao fundo
Rede Brasil Atual; 24/09
http://bit.ly/2ncw7SB

Organizações articuladas na Campanha Nacional pelo Direito à Educação manifestaram apoio ao relatório da deputada federal Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO), que garante investimento federal equivalente a 40% dos fundos estaduais na composição do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Esse fundo é o principal sistema de financiamento da educação no país e está em debate por meio da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 15/2015, na Câmara, e da PEC 65/2019, no Senado. Atualmente, o governo federal complementa em 10% o montante dos fundos estaduais, que são compostos por verbas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

 

Artigo | Não podemos constitucionalizar a ineficiência na educação
Folha de S. Paulo; 24/09
http://bit.ly/2l3b83I

Por Priscila Cruz: Todos nós queremos que o potencial de desenvolvimento social e econômico do Brasil seja destravado. Mas sejam quais forem as próximas reformas e políticas públicas, elas terão seu impacto limitado pelo nosso baixo capital humano. Sem investir em pessoas, não há como ir além do histórico brasileiro de “voos de galinha”. O que é preciso fazer? Investir melhor em Educação Básica. É aí que entra o Fundeb, fundo por onde passa mais da metade dos recursos da área, distribuídos para estados e municípios.

 

Estudantes e professores derrubam projeto LGBTfobico em Santo André
Esquerda Diário; 24/09
http://bit.ly/2l2YmlL

Trabalhadores da educação e estudantes se organizaram nesta terça (24) para impedir que fosse votado o PL 299.2017 que queria impedir o debate de sexualidade e gênero nas escolas. O projeto foi derrubado com mobilização e na votação em 8 à 6 para barrar a PL. Os vereadores favoráveis, falaram coisas absurdas, defendendo asneiras lunáticas de suas cabeças, onde a escola que eles acham se ensina sexo para as crianças nas escolas, sendo que muitas vezes nem giz o professor tem.

 

 


Em quase 2 anos de reforma trabalhista,
15% vagas criadas no país são para intermitentes
G1; 25/09
https://glo.bo/2mHnlLL

Desde a entrada em vigor da nova lei trabalhista, em novembro de 2017, até julho deste ano, foram criadas 101,6 mil vagas na modalidade de trabalho intermitente, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia. O número de postos gerados representa 15,4% do total de vagas criadas no período no país (660.390) – ou seja, quase uma em cada seis vagas criadas foi para a modalidade de contrato intermitente.

 

Trabalhador vai pagar imposto sobre férias,
13º e hora extra em acordo trabalhista
O Globo; 24/09
https://glo.bo/2n3UAJs

O trabalhador passará a pagar impostos sobre valores como férias, 13º salário e horas extras frutos de acordos com as empresas. Isso valerá para acordos trabalhistas firmados na Justiça ou extrajudiciais. A equipe econômica espera arrecadar R$ 20 bilhões em dez anos com a medida. A mudança na legislação trabalhista consta em uma lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro na última sexta-feira.

 


Campinas: Psicóloga fala sobre transtornos
mentais relacionados ao trabalho
Sinpro Campinas; 25/09
http://bit.ly/2l3FvHn

Depressão, burnout e ansiedade são alguns dos transtornos que podem acometer os professores ao longo da carreira docente. Eles são causados, muitas vezes, pelo esgotamento mental devido ao desgaste do trabalho. Nesta edição do Sinpro Saúde, a psicóloga clínica e mestre em psicólogia social do trabalho, Mariana Pereira da Silva, fala sobre esses transtornos, o contexto em que vivemos e onde buscar ajuda profissional.

 

 



Veja a íntegra do discurso de Bolsonaro
na ONU com checagens e contextualizações
Folha de S. Paulo; 25/09
http://bit.ly/2lrHwgN

As obsessões do presidente Jair Bolsonaro pelo nióbio e pela caçada ao socialismo não escaparam de seu discurso na 74ª Assembleia Geral da ONU, realizado nesta terça (24). O entusiasmo que Bolsonaro demonstrou com a economia contrasta com as estimativas de crescimento pífio do mercado financeiro, assim como com os índices da violência no país —o presidente deixou de mencionar que, se em 2018 o número de assassinatos no Brasil caiu pela primeira vez em três anos, a taxa de pessoas mortas pela polícia bateu recorde.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio