Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 13 de agosto de 2022

24 de setembro de 2019

24/09 – A afinidade entre Weintraub e o Escola sem Partido, Ufba diz que ‘Future-se’ é inconstitucional, oposição tenta mudanças na ‘reforma’, e mais.

.

Saiba comohttp://fepesp.org.br/noticia/sindicalize-se/

 




Weintraub manda ofício para redes de ensino
que retoma diretrizes do Escola sem Partido
Folha de S. Paulo; 23/09
http://bit.ly/2mi8Qhr

O Ministério da Educação (MEC) encaminhou um ofício nesta segunda-feira (23) para as secretarias de Educação do país em que dá orientações sobre o respeito a crenças religiosas, pluralismo de ideias e sobre o veto de propagandas partidárias nas salas de aula. Os temas abordados no ofício remetem ao que é preconizado pelo movimento Escola sem Partido, que quer limitar o que os professores falam na sala de aula sob o argumento de que há uma extensa doutrinação de esquerda nas escolas brasileiras.

 

Estados e municípios têm até sexta para aderir a modelo cívico-militar
Agência Brasil; 23/09
http://bit.ly/2kNfcoB

Estados e municípios têm até sexta-feira (27) para manifestar interesse em aderir ao modelo de cívico-militar proposto pelo governo federal. A gestão híbrida compartilhada com civis e militares será implementada, em 2020, em 54 escolas. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), as escolas devem manifestar interesse junto à secretaria estadual de Educação. Serão selecionadas duas instituições de cada estado e do Distrito Federal.

 


CDH vota inclusão do tema da violência
contra a mulher na educação básica
Senado Notícias; 23/09
http://bit.ly/2mmKjI2

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) tem reunião deliberativa agendada para esta quinta-feira (26), às 9h. Há 9 itens na pauta. Entre eles, o Projeto de Lei (PL) 1.909/2019, que pretende incluir conteúdos relativos à prevenção da violência contra a mulher como temas transversais. O texto também adiciona o tema dos direitos humanos no rol dos componentes curriculares obrigatórios da educação básica. De autoria da senadora Rose de Freitas (Podemos-ES), a matéria tem parecer favorável da senadora Zenaide Maia (Pros-RN).

 

 


MEC quer professor sem concurso
em universidade que aderir ao Future-se
Exame; 23/09
http://bit.ly/2mQnLjd

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, vai estimular as universidades federais a contratarem professores e técnicos pelo regime CLT (de carteira assinada), destaca o jornal O Estado de S. Paulo. Hoje, eles passam por concurso público e têm direito à estabilidade. A contratação via CLT será exigência para a entrada das universidades no Future-se, novo programa do MEC que vai captar recursos junto à iniciativa privada. Segundo a pasta, boa parte dos novos investimentos no ensino superior federal será pelo programa. No Future-se, cuja adesão das universidades é facultativa, contratos de novos docentes e técnicos serão intermediados por Organizações Sociais (OSs), entidades privadas que prestam serviços públicos e não precisam seguir a Lei de Licitações e Concursos.

 


Future-se: Faculdade de Direito da Ufba aprova
parecer pela inconstitucionalidade do programa
Bahia no Ar; 23/09
http://bit.ly/2kMyHxx

Um parecer que trata da inconstitucionalidade do programa “Future-se”, elaborado pela Comissão de docentes da Congregação pertencente à Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia (UFBA), foi aprovado. O programa federal, criado pelo Ministério da Educação (MEC), tem o objetivo de captar recursos junto à iniciativa privada.

 

Educação aprova cota para pessoas
com deficiência em instituições federais
Câmara dos Deputados; 23/09
http://bit.ly/2mM2dEd

A Comissão de Educação aprovou proposta que reserva para as pessoas com deficiência, em instituições federais de ensino superior e de ensino técnico de nível médio, vagas em quantidade equivalente a pelo menos a metade da proporção dessa população registrada pelo IBGE em cada estado brasileiro. Ou seja, uma universidade de um estado que tenha 20% de sua população com deficiência deverá reservar pelo menos 10% das vagas para essas pessoas.

 

Editorial: O risco do ensino a distância
Jornal Agora; 23/09
http://bit.ly/2mrpT0o

Cada vez mais gente opta por fazer um curso superior a distância. Os dados oficiais mostram que, em 2018, o número de vagas oferecida nessa modalidade ultrapassou pela primeira vez a do ensino presencial: foram 7,2 milhões ante 6,4 milhões. A quantidade de cursos saltou de 2.108, no ano anterior, para 3.177. Esse é um mercado dominado pelo setor privado e que apresenta grande concentração. Os dados mostram que mais de 80% dos alunos a distância estão matriculados em 20 instituições (somente uma delas pública) e 52% estudam em cinco grandes faculdades particulares. Se essa tendência persistir, o risco mais óbvio é de queda da qualidade da educação superior do país, que já não é lá grande coisa. Os exames de desempenho de estudantes apontam que apenas 15% dos cursos a distância tiraram as notas mais altas, enquanto nos cursos presenciais a proporção foi de 29%.

 

PUC-SP abre cursos de jogos digitais, ciência de dados e inclusão
Folha de S. Paulo; 23/09
http://bit.ly/2mJgZvs

A PUC (Pontifícia Universidade Católica) de São Paulo criou seis novos cursos de graduação com vagas disponíveis já para o vestibular deste ano. Quatro deles farão parte da recém criada Faculdade de Estudos Interdisciplinares, que começa a funcionar em 2020 no campus Monte Alegre, em Perdizes (zona oeste de SP): ciência de dados e inteligência artificial; gestão de práticas inclusivas; tecnologia e processos gerenciais; e políticas públicas.

 

 


Alcolumbre adia votação da reforma da Previdência
e oposição ainda tenta mudanças
Rede Brasil Atual; 23/09
http://bit.ly/2kN6K8S

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), adiou de terça (24) para quarta-feira (25) a votação em  primeiro turno da reforma da Previdência no plenário da casa. A justificativa seria a sessão do Congresso Nacional para votar o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), às 15h desta terça-feira. No mesmo dia, pela manhã, deve ocorrer a votação do relatório do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, segundo a presidente do colegiado, Simone Tebet (MDB-MS). Com isso, a oposição ganha mais um dia para tentar articular algumas mudanças.

 


Projeto do MPT visa aprimorar conhecimento sobre adoecimento docente
Fepesp; 23/09
http://bit.ly/2mLVKsV

O procurador Ricardo Ballarini, do Ministério Público do Trabalho de São Paulo (MPT-SP), apresentou na última sexta-feira (20/9) um projeto para analisar os afastamentos de profissionais da educação por motivo de saúde nas sete cidades da região do ABC. O projeto é resultado de uma parceria entre o MPT-SP e o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), e foi apresentado durante reunião do Grupo de Trabalho (GT) Educação da entidade regional. O objetivo da proposta é criar um banco de dados da região coletando o número de afastamentos de educadores, tanto na rede pública como na rede privada. Com o banco de dados em mãos, torna-se possível identificar e correlacionar as causas.

 


SinproSP prioriza atendimento trabalhista, cursos e convênios
Agência Sindical; 23/09
http://bit.ly/2mrPfLF

O Sindicato dos Professores de São Paulo – Sinpro-SP – é tema da série “Sindicalismo e Assistência”. A entidade, que tem mais de 60 anos, representa os professores das escolas particulares da Capital, da pré-escola à pós-graduação. Sílvia Barbara, diretora de Imprensa, destaca duas áreas na prestação de serviços: a Jurídica e a Previdenciária. “Além dos processos individuais, o Jurídico  ingressa com ações coletivas. Ao constatar irregularidade trabalhista, entramos como substituto processual dos professores, evitando que se exponham”, explica Sílvia.

 

Campinas: Professores do Colégio Drummond estão em greve
Sinpro Campinas; 23/09
http://bit.ly/2mK1aEP

Os professores do Colégio Drummond de Americana, antigo Universitário, estão em greve por falta de pagamento de salários e de 1/3 de férias. A escola tem, constantemente, atrasado o pagamento do salário, em desrespeito à CLT e à Convenção Coletiva de Trabalho. Há professores que não receberam o pagamento relativo ao mês de agosto. O abono de 1/3 relativo às férias de julho também não foi pago. Além disso, os docentes sofrem com uma série de irregularidades como o não depósito de FGTS, INSS, entre outros.

 

Osasco: Professores da Estácio/FNC, estamos à disposição
SinprOsasco; 23/09
http://bit.ly/2ljyAty

Pedimos que marquem horário e compareçam ao Sindicato dos Professores para relatar as diferentes situações de atraso de salários. Recebemos algumas reclamações, mas é necessário formalizá-las por escrito para se tornar prova documental. Dessa maneira, o sindicato poderá cobrar previdências da instituição, além de orientá-los a como proceder juridicamente.

 

 



Professor é esfaqueado em São Paulo:
reflexo do sucateamento da educação
Rede Brasil Atual; 20/09
http://bit.ly/2mJYcAb

Um aluno de 14 anos esfaqueou um professor de Geografia no Centro Educacional Unificado (CEU) Aricanduva, na zona leste da capital paulista, na manhã desta quinta-feira (19). O docente agredido foi levado e operado no hospital da Vila Alpina, mesma região da cidade. Até o fechamento desta matéria o seu estado ainda era considerado grave. O estudante também feriu a si mesmo na frente dos colegas de classe. As atividades na unidade foram suspensas. O prefeito Bruno Covas (PSDB) esteve na escola após o ocorrido e, em pronunciamento à imprensa, disse que a rede municipal trabalha para prevenir agressões nas salas de aula. Segundo representantes dos professores, o que pode explicar a violência que vem crescendo nas escolas são as salas de aulas lotadas, a falta de valorização dos professores e de uma política educacional mais inclusiva e mais atraente.

 

A inovação pedagógica a serviço da precarização
SinproSP; 23/09
http://bit.ly/2kQD4b2

Mudanças na Educação não são um fenômeno recente. Novas abordagens metodológicas, conteúdos, projetos, múltiplas formas de avaliação. Não é de hoje que tudo isso faz parte do universo dos professores, em escolas de diferentes linhas pedagógicas, das mais inovadoras às mais tradicionais. Essa renovação pedagógica nem sempre foi tão evidente para quem estava do lado de fora, já que os aspectos mais visíveis da organização escolar – estrutura em aulas, grade, horário – permaneciam os mesmos. O uso de novas tecnologias acelerou esse processo de mudanças e alterou a atividade docente, em sua natureza e intensidade. O trabalho aumentou, tornou-se mais diversificado e complexo.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio