Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 28 de setembro de 2021

23 de fevereiro de 2021

23/02 – Professora vítima de covid em Caçapava, secretario de Educação lamenta morte, aulas suspensas no Nordeste, recorde de ocupação de UTIs em SP. E mais: PEC emergencial ameaça piso de Educação.

.

Campanha Salarial 2021: pauta de reivindicações unificada com propostas de assembleias de todo Estado entregue hoje (23/02) ao patronal. Leia:  https://bit.ly/3dJx5h0

 

 

VOLTA ÀS AULAS

Professora da rede estadual é primeira vítima da covid-19 na volta às aulas em São Paulo
Rede Brasil Atual; 23/02
http://bit.ly/3aKY9L5

A volta às aulas presenciais obrigatórias, em meio ao agravamento da pandemia de covid-19 em São Paulo, fez sua primeira vítima: a professora Maria Tereza Miguel Couto de Lourenço (foto), de 32 anos, que dava aulas na escola estadual de tempo integral Ministro José de Moura Rezende, em Caçapava, no interior, morreu sábado (20) em decorrência da covid-19. Dois dias antes, a mãe dela também morreu. A morte da professora ocorre em meio a uma explosão de casos de covid-19 nas escolas públicas e privadas, contaminando estudantes, professores e outros trabalhadores da educação, dias antes de completar um mês do início do processo de retomada das atividades.

Apeoesp responsabiliza Doria e o secretário da Educação pela morte da professora por covid-19 e já registrou 851 casos em professores e outros trabalhadores.

 

Secretário de Educação de SP lamenta morte de professora de Caçapava vítima de Covid
O Vale; 22/02
http://bit.ly/3ke8RNa

A professora Maria Tereza Miguel Couto de Lourenço, de 32 anos, que dava aula de geografia na escola Ministro José de Moura Resende, em Caçapava, morreu de Covid-19 nesta última sexta-feira. A escola já havia, inclusive, suspendido na semana anterior as aulas presenciais após os primeiros casos confirmados no local.

Na noite deste domingo, o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, publicou nas redes sociais um texto lamentando a morte da professora e acusando a Apeoesp (A Sindicato dos Professores e Ensino Oficial do Estado de São Paulo) de fazer política com a situação.

“A educação paulista está absolutamente consternada com o falecimento, ontem, da professora Maria Tereza Miguel Couto de Lourenço, que lecionava na escola de tempo integral Ministro José de Moura Rezende, em Caçapava (SP), vítima da Covid-19. Dois dias antes, no dia 18, a mãe da professora Maria Tereza também veio a óbito, por essa terrível doença. Toda a nossa solidariedade aos familiares de Maria Tereza, bem como aos profissionais e estudantes da escola, neste momento de dor. A equipe do Conviva estará dando todo o suporte necessário à comunidade escolar. Me indigna profundamente que a Apeoesp esteja sendo tão inescrupulosa, utilizando a perda de uma educadora, para fazer ato político. Isto é inaceitável e totalmente lastimável”, afirmou o secretário.

 

São Bernardo: prefeitura anuncia toque de recolher e suspende volta às aulas
Veja SP; 22/02
http://bit.ly/3pLCo1W

A cidade de São Bernardo do Campo terá toque de recolher entre 22h e 5h já a partir deste sábado (27) por causa do aumento do número de mortes por Covid-19. O anúncio foi feita nesta segunda-feira (22) pela prefeitura.

O retorno às aulas presenciais, que aconteceria no dia 1º de março, também foi adiado pela administração municipal. “A decisão se baseou no aumento da ocupação dos leitos de UTI na rede municipal, além do avanço da média móvel de óbitos”, diz em nota.

 

S J do Rio Preto: Vacina para todos e defesa do SUS dão o tom de protesto em Rio Preto
Diário da Região; 21/02
http://bit.ly/3siVKx9

Um grupo formado por partidos políticos de esquerda, movimentos sociais, sindicatos, comitês e coletivos realizou uma carreata neste domingo, 21, em Rio Preto. A manifestação, que reuniu, segundo a organização, 80 carros, durou 2h30 minutos e teve como objetivo protestar contra o retorno das aulas presenciais sem vacinação e exigir a imunização imediata à comunidade.

De acordo com Letícia Monteiro, que também é vice-presidente do Sindicato dos Professores da Rede Privada (Sinpro), os impactos que temos enfrentado na Saúde e na Economia são resultados da falta de lockdown e do negacionismo à doença. “Vacinação em massa é a única solução pra enfrentar essa pandemia. A classe trabalhadora e a juventude precisam botar pra fora Bolsonaro e Mourão”, disse a manifestante, que também criticou o Congresso em seu discurso.

 

Minas Gerais: Trabalhadores da educação de BH ameaçam parar se aulas voltarem em março
Estado de Minas; 22/02
http://bit.ly/3bxKTsh

“Teremos assembleia na sexta-feira. A decisão até o momento é pela deflagração de greve caso haja definição pela reabertura das escolas. Sem o controle da pandemia não existem condições seguras de retorno nem nas escolas públicas nem nas particulares”, disse a presidente do sindicato Sind-REDE/BH, Vanessa Portugal.

Os representantes dos trabalhadores citam na carta a alta a taxa de transmissão (Rt) do novo coronavírus na cidade, que se encontra muito acima dos índices considerados seguros para a reabertura das Escolas pelo próprio Comitê de Enfrentamento da Prefeitura.

 

Paraíba: João Pessoa terá toque de recolher e fechamento de orla
Estadão; 22/02
http://bit.ly/3uos4Ap

O governo da Paraíba e a prefeitura de João Pessoa anunciaram que vão implementar novas restrições contra a covid-19 a partir desta terça-feira, 23, válidas pelos próximos 15 dias. Entre as ações previstas, estão toque de recolher a partir das 22h e fechamento da orla . O retorno das aulas presenciais na rede estadual também será suspenso em razão do crescimento de casos e internações no Estado.

 

Piauí: Estado suspende aulas presenciais e libera só atividade essencial
Estadão; 22/02
http://bit.ly/3uos4Ap

O Piauí também suspendeu a reabertura de escolas e as atividades não essenciais. m decreto que será publicado nesta quarta-feira, 24, será determinada a suspensão das atividades econômicas presenciais não-essenciais até o dia 7 de março, “como medida excepcional voltada para o enfrentamento da grave crise de saúde pública decorrente da covid-19”. As aulas presenciais também não serão permitidas, sendo realizadas apenas de forma remota.


Alagoas: Professores já foram infectados pelo coronavírus e há casos subnotificados, alerta Sinpro
Cada Minuto; 22/02
http://bit.ly/3uos4Ap

Quatro escolas já emitiram notas informando a suspensão de determinadas turmas que entraram em contato com estudantes com Covid-19, para cumprimento de quarentena.

Segundo o presidente do Sindicato dos Professores de Alagoas (Sinpro), Eduardo Vasconcelos, muitas escolas não estão seguindo os protocolos sanitários, outras têm dificuldade em fiscalizar o cumprimento. Antes do carnaval, houve um colégio que chegou a realizar baile temático para as crianças do ensino infantil, promovendo aglomeração.

“A gente vem fazendo um levantamento, informando todos os casos ao Ministério Público do Trabalho, ao Procon e à Vigilância Sanitária”, afirmou.


Rondônia: Profissionais de educação devem ter preferência na fila da vacina
G1; 22/02
http://bit.ly/3uos4Ap

O Gabinete de Articulação para o Enfrentamento da Pandemia na Educação no Estado de Rondônia (GAEPE-RO), divulgou uma nota técnica argumentando que professores e funcionários de escolas devem ter preferência para receber a vacina contra a Covid-19. O documento é assinado por diversos órgãos de fiscalização e controle. O  GAEPE destaca que o poder público fica obrigado a, com maior urgência, adotar ações contundentes para evitar eventual conflito entre a garantia da segurança sanitária da população e a necessidade de retomada das atividades escolares presenciais, ainda que de forma híbrida e escalonada”.

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Cogna (Kroton): Somos Sistemas pagará R$ 580 milhões por aquisição da Editora Eleva
Valor Econômico; 22/02
http://glo.bo/3sgbCAr

A Cogna informou na noite desta segunda-feira (22) que a Somos Sistemas de Ensino, que faz parte do conglomerado da ex-Kroton, pagará R$ 580 milhões pela aquisição da totalidade de ações da Editora Eleva, que terá direitos e ativos relacionados aos sistemas de ensino de educação básica comercializados. O contrato de compra e venda foi assinado hoje pelas empresas

De acordo com a Cogna o valor corresponde a um múltiplo de lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, na sigla em inglês) de 16,6 vezes em relação ao ano de 2020, “que estará sujeito a ajustes de acordo com a receita a ser apurada pela Editora Eleva em 2021 e 2022”. A conclusão da transação está sujeita à aprovação prévia do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

 

CORONAVÍRUS

São Paulo registra maior ocupação de leitos de UTI desde início da pandemia
Folha de S. Paulo; 23/02
http://bit.ly/2Mn39fG

O estado de São Paulo registrou o maior número de pacientes com Covid-19 internados em UTIs (unidades de Terapia Intensiva) desde o início da pandemia. Segundo o secretário-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus, João Gabbardo, 6.410 pessoas estavam internadas em leitos intensivos nesta segunda-feira (22).

No pico da pandemia, em julho do ano passado, o estado registrou 6.257 pacientes em UTIs, de acordo com o secretário de estado da Saúde, Jean Gorinchteyn. “Ultrapassamos um numerário histórico da pandemia”, disse em entrevista coletiva à imprensa na tarde desta segunda, no Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi (zona oeste da capital paulista).

 

 

Apoiada pelo governo, PEC Emergencial acaba com piso para gastos em educação e saúde
Folha de S. Paulo; 22/02
http://bit.ly/37FcIhm

A versão preliminar do relatório da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) Emergencial prevê a extinção dos valores mínimos a serem aplicados em educação e saúde. O fim do piso setorial valeria para União, estados e municípios.

Isso faz parte do pacote de medidas em avaliação pelo relator da PEC, senador Márcio Bittar (MDB-AC). O objetivo do projeto é apresentar um conjunto de ações de redução de despesas para o ajuste das contas públicas e, além disso, viabilizar uma nova rodada do auxílio emergencial, em 2021, a trabalhadores informais e desempregados.

Para acabar com o gasto mínimo para saúde e educação, é necessário aval do Congresso, onde há uma resistência histórica a essa ideia. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), por exemplo, não apoio a extinção total dos pisos constitucionais. Deputados e senadores das bancadas de saúde, educação e ligados ao serviço público também tentarão barrar a mudança.

Nos bastidores, a equipe econômica apoia a desvinculação dos pisos sobre saúde e educação.

O QUE PREVÊ A PROPOSTA?

  • Fim do gasto mínimo para saúde e educação
  • Permite que nova rodada do auxílio emergencial fique fora de regras fiscais, como teto de gastos e meta para contas públicas
  • Reduz repasses para o BNDES
  • Cria mecanismos a serem acionados temporariamente em caso de aperto nas contas públicas, como barreira a aumentos de gastos com servidores e à criação de despesas obrigatórias e de benefício tributário
  • Cria dispositivos para enfrentamento de novas calamidades públicas, como flexibilização de aumento de despesas e de regras para contratação de pessoal
  • Prevê que uma lei complementar traga regras e medidas visando a sustentabilidade da dívida pública
  • Determina um prazo para que o governo apresente um plano para redução gradual dos benefícios tributários
    Retira da Constituição a possibilidade de a União intervir em um estado para reorganizar as finanças da unidade da federação

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio