Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 28 de junho de 2022

18 de julho de 2019

18/07 – MEC atrela universidade a empresas,‘future-se’ não foi discutido com reitores das federais, ex-presidentes do IBGE criticam desmonte do Censo, e mais.

.


No site da Fepesp
: Projeto de atrelar universidades públicas à iniciativa privada fere a autonomia universitária e compromete a soberania nacional. Leia mais aquihttps://bit.ly/2XN8hOx

 


MEC elaborou plano para universidades
sem consultar reitores, diz associação

Folha de S. Paulo; 17/07
http://bit.ly/2YY29Qf

O plano anunciado pelo Ministério da Educação para captar recursos do setor privado para as universidades foi elaborado sem consultar reitores, afirmou nesta quarta-feira (17) o presidente da Andifes (Associação Nacional de Dirigentes de Instituições Federais do Ensino Superior), Reinaldo Centoducatte. “É uma proposta formulada sem qualquer tipo de participação e escuta dos reitores”, disse. “Não tem precedente um projeto desse vulto sem ter tido discussão prévia.”

 

Plano para universidades vai esbarrar
em órgãos de controle, diz especialista

Folha de S. Paulo; 17/07
http://bit.ly/2LrJJUy

O plano do governo Jair Bolsonaro (PSL) para as universidades federais, da forma como foi formulado, deve esbarrar em órgãos de controle como o TCU (Tribunal de Contas da União), afirma Gustavo Fernandes, professor da área de gestão pública da FGV (Fundação Getulio Vargas). Segundo o texto submetido pelo Ministério da Educação a consulta pública, as instituições de ensino interessadas em aderir ao programa Future-se serão obrigadas a contratar organizações sociais (OSs) para a gestão “sem a necessidade de chamamento público”, caso o escopo do trabalho esteja previsto em contrato já existente.

 

MEC quer custear universidade com fundo na Bolsa e Lei Rouanet
Folha de S. Paulo; 17/07
http://bit.ly/2Gf8pvq

O Ministério da Educação anunciou nesta quarta-feira (17) um novo programa para incentivar a captação de recursos privados para as universidades federais. Entre as medidas, estão a constituição de fundo imobiliário para vender imóveis ociosos que façam parte do patrimônio da União, a participação de Organizações Sociais na gestão de gastos do dia a dia e o aumento da captação de recursos do setor privado para financiar projetos. Em outra frente, o projeto prevê que museus ligados a universidades possam captar recursos da Lei Rouanet.

 

Future-se: entenda os principais pontos do programa do MEC
Carta Capital; 18/07
http://bit.ly/30EZ6wI

O Ministério da Educação lançou na quarta-feira 17 o programa Future-se, aposta governamental para reestruturar o financiamento de institutos e universidades federais. O programa tem como objetivo central estimular que as instituições operem para captar suas receitas próprias, condição que seria possível ao estabelecerem contratos com organizações sociais e atuarem dentro de alguns modelos de negócios privados. O Future-se se organiza a partir de três eixos principais.

 


Novo presidente da UNE:
“Educação é a melhor bandeira de mobilização”

Carta Capital; 17/07
http://bit.ly/2XXp4Ka

Enquanto os holofotes da capital federal na última semana estavam apontados para a votação da reforma da Previdência, mais de 10 mil estudantes de todo o Brasil se reuniam no Congresso da União Nacional dos Estudantes, realizado bianualmente. Além de pautarem a defesa da Educação, estiveram entre os principais temas o debate de medidas que possam barrar a reforma da Previdência e os retrocessos do governo Bolsonaro. No 57º congresso da entidade também foi eleito um novo presidente, o goiano Iago Montalvão, que conduzirá a UNE pelos próximos dois anos.

 



Artigo: Mozart Neves | Um Compromisso pela Educação Básica
Isto É; 17/07
http://bit.ly/2M09IlM

“Os números da Educação Básica revelam um quadro de baixa qualidade e ineficiência do sistema de ensino em nosso país. É mais do que urgente estabelecer e executar uma agenda de aprendizagem na qual todos os alunos aprendam o que é esperado para cada ano escolar e concluam na idade correta seus estudos básicos, ou seja, aos 17 anos. De cada 100 alunos que começam o 1o ano do ensino fundamental, apenas metade conclui o último ano do ensino médio”.



Artigo | A previdência pública sobrevive
Folha de S. Paulo; 18/07
http://bit.ly/30xAuG6

Por Laura Carvalho: Ainda que possa não representar uma vitória do governo, a aprovação em primeiro turno da reforma da Previdência pela Câmara foi interpretada por boa parte dos analistas como uma imensa derrota para a esquerda brasileira.O “7 a 1 na esquerda”, como classificou Vinicius Torres Freire em coluna publicada nesta Folha em 11/7, se faria ver pelo amplo placar de aprovação do texto-base em meio à forte resistência pública da oposição à necessidade de reforma. Quando olhamos para o que ficou de fora do texto aprovado, a história é um pouco diferente.


Feteerj: ‘A defesa dos Sindicatos é a defesa da democracia’
Contee; 17/07
http://bit.ly/30xD3Ie

No texto, Antonio Rodrigues, diretor da Feteerj e do Sinpro-Rio, relembra o ataque desmesurado do governo Bolsonaro aos sindicatos, com a publicação da Medida Provisória 873, em março, que dificultava ou até impedia os associados de pagarem suas contribuições às entidades de classe. A MP foi arquivada pelo Congresso devido à resistência do movimento sindicalista e também devido à sua ilegalidade inerente.

 


SinproSP: 3ª Oficina de preparo vocal: 27 de julho 
SinproSP; 17/07
http://bit.ly/32Dgeov

 

 



Ex-presidentes do IBGE criticam 
desmonte do Censo 2020 por Bolsonaro
Rede Brasil Atual; 17/07
http://bit.ly/2GjZUPL

As mudanças no Censo Demográfico 2020, anunciadas pelo governo Bolsonaro, foram alvos de críticas por parte de cinco ex-presidentes do IBGE – Eurico Borba, Eduardo Nunes, Wasmália Bivar, Paulo Rabello de Castro e Roberto Olinto. Eles assinaram carta pública denunciando “improvisação técnica” na preparação do estudo e realizaram evento na últma segunda-feira (15), no Rio de Janeiro, para debater o tema.

 

Terceira edição do Congresso Internacional da Jeduca 
está com inscrições abertas
Folha de S. Paulo; 16/07
http://bit.ly/2O3jzdd

O terceiro Congresso Internacional de Jornalismo de Educação da Jeduca (Associação de Jornalistas de Educação) abriu suas inscrições no site. A programação de dois dias será composta por 15 mesas de debate e 7 oficinas que abordarão os desafios do jornalismo de educação na era da desinformação, levando em conta a atuação da imprensa e a importância da educação midiática.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio