Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 14 de agosto de 2022

17 de novembro de 2021

17/11 – Enem com menor número de inscritos desde 2005, novos formatos nos vestibulares das particulares, e mais: pesquisadora descobre formigas e batiza com nomes de mulheres

.

Alerta de assembleia: o seu sindicato está convocando assembleia de professoras, professores e de auxiliares para discutir proposta de reajustes de salário, PLR, e mais: todos os direitos na sua convenção coletiva até 2025!) Leia tudo aqui:  https://bit.ly/31T2Kcc

 

 


Enem tem menor número de inscritos desde 2005
 

Nexo; 16/11
https://bit.ly/3DrIsV9

Neste domingo (21/11) começam as avaliações do Enem, o Exame Nacional do Ensino Médio, com um total de 3,39 milhões de inscritos, o menor número desde 2005. A proporção de pessoas pretas, pardas e indígenas caiu de 62,3%, do total que possui informação de cor ou raça em 2020, para 55,7% em 2021.

 

Inicialmente, 3,09 milhões de pessoas tiveram suas inscrições confirmadas, mas após determinação do STF (Supremo Tribunal Federal), as inscrições foram reabertas para os isentos de taxa de inscrição em 2020 que faltaram à última prova. Entre 14 e 26 de setembro, 280 mil pessoas se inscreveram por essa possibilidade. As informações sobre o perfil racial desses candidatos não foram divulgadas.

 

Ministro contradiz Bolsonaro e nega Enem com ‘cara do governo’
Folha de S. Paulo; 16/11
https://bit.ly/30vjUfP

O ministro da Educação, pastor Milton Ribeiro, contradisse frase do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de que o Enem estaria agora com a “cara do governo”.

A fala de Bolsonaro veio após denúncias de servidores de interferência ideológica para mudar itens do exame deste ano.

O ministro, no entanto, disse em entrevista à CNN nesta terça-feira (16) que não teria havido qualquer ingerência sobre o conteúdo do exame e que é o presidente quem deveria explicar sua declaração.

 

O Enem deve ter a cara da Constituição
Estadão; 16/11
https://bit.ly/3FohfTJ

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vai passar a ter “a cara do governo”. A declaração veio durante entrevista na Expo Dubai. Ao Estadão, Claudia Costin, diretora do Centro de Políticas Educacionais da FGV, afirma que é “inaceitável ingerência em um exame que até hoje passou por governos com diferentes orientações ideológicas que não interferiram na prova”. O exame ocorrerá nos próximos dois domingos, 21 e 28.

O presidente da República, dentre de suas atribuições, deve implementar a educação no Brasil, nos limites da Constituição e das necessidades do povo brasileiro. Não deve se pautar pelo que seus correligionários pensam sobre ela.



Instituições de ensino superior usam novos formatos de provas em seus vestibulares
Estadão; 16/11
https://bit.ly/3npvQYZ

De um lado, um novo ensino médio que promete trocar o conteudismo pelo desenvolvimento de habilidades e competências. Do outro, faculdades e universidades alinhadas à sociedade digital. Entre os dois universos, processos seletivos estagnados.

Mudar esse cenário depende de as instituições de ensino superior ressignificarem sua principal porta de entrada, o que já começa a ocorrer. A máxima “menos é mais”, tipicamente usada em áreas como Design e Arquitetura, pode apontar caminhos para tornar o processo seletivo mais simples e efetivo no contexto da educação do século 21.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

5 prêmios na área de educação com inscrições na reta final
Porvir; 15/11
https://bit.ly/3oE0X2d

O Porvir selecionou abaixo algumas delas. Basta clicar sobre o título para cair na página de inscrição e contar como foi desenvolvido o projeto em que você ou seus alunos foram protagonistas. Saiba mais detalhes clicando nos links:

Até 19 de novembro – Prêmio Prudential Espírito Comunitário

Até 30 de novembro – Prêmio Educador Nota 10; Prêmio Propriedade Intelectual nas Escolas

Até 1 de dezembro – Prêmio Professor Transformador

Até 10 de dezembro – Conectando Boas Práticas 2021

 

EDUCAÇÃO BÁSICA

Patronal da educação retoma negociações
Agência Sindical; 16/11
https://bit.ly/3Cu4qoV

Os Sindicatos filiados à Federação dos Professores do Estado de SP (Fepesp) estão esperançosos com a retomada das negociações com o patronal Sieeesp, que representa as escolas particulares da educação básica. Dois meses após o julgamento do dissídio, existe a possibilidade concreta de um Acordo Coletivo.

A estratégia tomada pela entidade foi precisa e, duas semanas após a notificação às escolas da obrigação de negociar a PLR com o corpo docente, os professores de quase 900 instituições de ensino já começaram a escolher os representantes. Durante esse tempo o, o Sinpro-SP ouviu a categoria, ajustou procedimentos e reuniu mais de 500 profissionais pra negociar o beneficio.

De acordo com o presidente da Fepesp, Celso Napolitano, essa é uma determinação da Justiça, que deu prazo de 60 dias pra que os acordos de PLR fossem fechados a partir do julgamento do dissídio. Aliás, foi no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-SP) que as entidades conseguiram renovar as cláusulas sociais da Convenção Coletiva de Trabalho.

 


O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Curso presencial da Kroton tem crescimento de 22%
Valor Econômico; 16/11
https://glo.bo/3nwCxbX

Após três vestibulares com queda expressiva de novas matrículas em cursos presenciais, a Kroton voltou a registrar crescimento nesse segmento no último processo seletivo. O volume de calouros aumentou 22% quando comparado a um ano antes – o que demonstra uma tendência de retomada do setor. A Yduqs e a Ser Educacional cresceram 12% e 32%, respectiva

Havia uma expectativa de especialistas de que o desempenho ficasse igual ao vestibular de inverno de 2020, que não foi bom porque era o auge da pandemia. “A captação, realmente, veio um pouco acima das nossas projeções. Mas, no nosso caso, também fizemos uma reestruturação e passamos a dar preferência para cursos presenciais nas áreas de saúde e engenharias”, disse Rodrigo Galindo, presidente da Cogna, holding que controla a Kroton e Vasta, braço de educação básica.

 

CORONAVÍRUS

Doria prepara flexibilização de uso de máscaras em São Paulo. Cientistas criticam
Rede Brasil Atual; 16/11
https://bit.ly/3CjfDc4

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), deve anunciar a flexibilização do uso de máscaras no estado, em coletiva prevista para amanhã (17). De acordo com a secretaria paulista de Saúde, o abandono da obrigatoriedade seguirá um modelo escalonado. Inicialmente, espaços abertos e sem aglomeração, provavelmente a partir do primeiro dia de dezembro. Em seguida, eventos de maior público em locais abertos e progressivamente, até abranger a totalidade dos espaços. A medida é criticada por cientistas que a avaliam como precipitada e sem base de dados suficiente.

A medida, se confirmada, também contraria decisão preliminar da prefeitura da capital que, na última semana, anunciou manutenção das medidas não farmacológicas no enfrentamento à covid-19. “Mantemos a utilização da máscara no município, devendo fazer as projeções com relação aos indicadores de uma nova versão para o início do mês de dezembro com os indicadores que seguramente a cidade poderá alcançar”, disse o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido.

 

Em vez de flexibilizações, fim de ano do Brasil deveria ser de conscientização, diz cientista
Rede Brasil Atual; 16/11
https://bit.ly/3nn052z

O Brasil registrou nesta terça-feira (16) mais 132 mortes por covid-19 em um período de 24 horas. Também foram notificados 4.918 novas infecções. Desde o início da pandemia, em março de 2020, ao menos 611.478 pessoas morreram da doença no país e 21.965.684 ficaram doentes

O fim das medidas protetivas não farmacológicas junto com a proximidade das festas de fim de ano também desperta críticas. A neurocientista e pesquisadora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Mellanie Fontes-Dutra lembra que “tem uma galera bastante feliz, e é super positivo, mas temos que entender que (a pandemia) ainda não acabou”. “Só vamos poder ter a segurança de que comemoraremos um carnaval mais seguro se, além da ampliação da vacinação, também tivermos reflexos claros na redução da transmissão”, acrescenta.

 

 

 

Dandara, Clarice, Marielle: as formigas com nomes de mulheres
Nexo; 16/11
https://bit.ly/3Hv3ftj

Novas espécies de formigas descobertas por uma pesquisadora brasileira foram registradas com os nomes de grandes mulheres da história do país, como a guerreira Dandara dos Palmares, a vereadora Marielle Franco, a escritora Clarice Lispector e a jogadora de futebol Formiga.

Publicada em outubro em artigo na revista científica Zootaxa, a descrição das 14 novas espécies de formigas do gênero Hylomyrma foi feita por Mônica Ulysséa, pesquisadora de pós-doutorado no Museu de Zoologia da USP (Universidade de São Paulo).

Escolher para as formigas nomes como os de Dandara e Marielle busca “reconhecer a vida e obra de mulheres incríveis”, disse a pesquisadora ao Jornal da USP. Parte das espécies também homenageia a mirmecologia (ciência que estuda as formigas) e os povos indígenas.

 

 

Como as espécies foram achadas – Mônica Ulysséa é pesquisadora da área da taxonomia, ciência dedicada à organização e à classificação dos seres vivos. Segundo o Jornal da USP, a pesquisadora se dedicou ao gênero Hylomyrma de formigas porque o grupo não recebia uma nova atenção da taxonomia desde 1973.

Para chegar às novas espécies, a Ulysséa entrou em contato com museus e laboratórios de diversos países, que cederam a ela mais de 3.200 exemplares de formigas do gênero Hylomyrma. Na análise, ela descobriu 14 espécies únicas que ainda não haviam sido descritas.

Com a descoberta de Ulysséa, há 30 formigas do gênero conhecidas. Antes, havia apenas 16. O artigo com a descrição das espécies foi feito em colaboração com Carlos Roberto Ferreira Brandão e teve apoio da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

Além de 11 mulheres, as formigas descobertas homenageiam o povo indígena Wachiperi, que vive na mesma região onde foi encontrada a espécie Hylomyrma wachiperi, e os pesquisadores da mirmecologia Benedito Cortês Lopes e Christian Paul Peeters.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio