Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 25 de setembro de 2022

17 de junho de 2021

17/06 – Doria quer mais alunos na escola em agosto, Rio já vacinou todos seus educadores, diretora demitida por discriminar aluno em Campinas, e mais: a volta da inflação alta

.

Veja como será o novo acordo coletivo de professores no Senac, aqui: https://bit.ly/3xwzjax
 

 

Escolas poderão ampliar atendimento presencial a partir de agosto, diz Doria
Folha de S. Paulo; 16/06
https://bit.ly/2S5SyZp

O governo João Doria (PSDB) anunciou nesta quarta-feira (16) que a partir de 1º de agosto as escolas de São Paulo poderão ampliar a capacidade de atendimento de alunos.

O anúncio foi feito durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, zona oeste de São Paulo, sobre medidas contra o coronavírus. “Neste novo plano, a partir de agosto cada escola deverá determinar a capacidade de acolhimento total de alunos de acordo com a sua realidade”, disse Doria.

O anúncio foi feito em meio ao aumento do número de internados e óbitos.


Prefeituras elevam gastos com saúde em 2020, mas reduzem com educação
Valor Econômico, 16/06
https://glo.bo/3vsXPb2

Enquanto a despesa municipal per capita com saúde cresceu em 2020, os gastos por habitante das prefeituras com educação diminuíram. Em termos nominais, as despesas das cidades brasileiras na área de saúde subiram 18,08% entre 2019 e o ano passado, conforme indica levantamento feito pelo Observatório de Informações Municipais (OIM). No mesmo período, o volume de recursos desembolsados pelas prefeituras para custear a educação caiu 2,64%, considerando o montante gasto por habitante.

 

Rio de Janeiro: todos profissionais da educação vacinados nesta semana
CNN, 16/06
https://bit.ly/3q2QihW

A vacinação contra Covid-19 na cidade do Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (16), é destinada aos profissionais da educação do ensino superior e cursos profissionalizantes, da rede pública e privada, que tenham entre 18 e 42 anos. Com isso, a expectativa da prefeitura é de que todos os profissionais da educação no município tenham recebido pelo menos a primeira dose da vacina.

 

Campinas: Educação afasta diretora e mediadora de escola após aluno receber críticas por sugerir trabalho com tema LGBT
G1, 16/06
https://glo.bo/3gv8HRw

A Secretaria da Educação de São Paulo (Seduc-SP) anunciou nesta quarta-feira (16) o afastamento da diretora e da professora-mediadora da Escola Estadual Aníbal de Freitas, de Campinas (SP), após um aluno de 11 anos ter sido alvo de críticas e repreensão em um grupo de mensagens após sugerir a realização de um trabalho com tema LGBT.

A direção da escola havia se manifestado no dia anterior por carta, via grupo de mensagens onde as críticas foram feitas, lamentando o caso. Segundo a Seduc, a diretora enviou nesta quarta nova carta à família do estudante “reafirmando a retratação e o compromisso de ações efetivas sobre o caso”.


POLÍTICA EDUCACIONAL

Superdotados enfrentam ‘jornada’ por direito à educação adequada nas escolas
G1; 15/06
https://glo.bo/3q4Yoqr

Brasil tem 24 mil estudantes com aprendizagem acima da média, segundo Censo Escolar. Especialistas afirmam que número pode ser ainda maior.

O estudante Pedro Alonso, de 13 anos (foto), já trocou de escola quatro vezes. Seu raciocínio rápido fazia com que terminasse as tarefas antes do esperado e, quando ficava desocupado durante as aulas presenciais, incomodava os professores e alunos. Mas ele não era um “problema”. Identificado com altas habilidades/superdotação, termos identificados pelas siglas AH/SD, ele sabia mais do que a média. Isso deveria ajudá-lo na

As leis e regras educacionais preveem atendimentos específicos para AH/SD, mas nem sempre isso ocorre. A legislação prevê enriquecimento curricular ou suplementação, aceleração de série, contraturno escolar, com atividades extras após as aulas regulares.

Pedro avançou duas vezes de série e, aos 13, está no primeiro ano do ensino médio. Hoje estuda em uma escola particular em Americana, no interior de São Paulo. Sua mãe paga por aulas particulares em um projeto para superdotados.

 

Comissão aprova oferta obrigatória de atividade complementar durante férias na educação infantil
Agência Câmara; 16/06
https://bit.ly/3cJAETl

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (16) projeto que altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) para determinar que as escolas da educação infantil, de responsabilidade dos municípios, deverão ofertar atendimento complementar durante o período de férias escolares.

A medida terá de ser seguida pelos estabelecimentos da rede pública e da rede privada conveniada.


Artigo: ‘O novo “normal” na educação: a sala de aula digital’
Metrópoles; 16/06
https://bit.ly/3q7AP03

Por Fausto Camargo, professor: “A sala de aula digital não se restringe a simples incorporação de ferramentas tecnológicas ou a automatização de atividades de aprendizagem, ou, educativas. Mas, principalmente, se volta para uma mudança de cultura e de mindset no processo de ensino-aprendizagem e, consequentemente, na maneira como professores e profissionais da educação, absorvem as transformações digitais na educação”.


CORONAVÍRUS

CPI da Covid já tem provas para incriminar Bolsonaro, diz professor da USP
Rede Brasil Atual, 16/06
https://bit.ly/3gALFHE

Autor do “Diário da CPI”, do Estadão, Mário Scheffer diz que a expectativa, visibilidade e repercussão, turbinadas pelas redes sociais, sinalizam que o relatório vai apontar para a responsabilização do presidente e de agentes públicos.

Segundo ele, será relevante o levantamento aprofundado que a CPI encomendou a juristas e pesquisadores da área do Direito, que será liderado pelo professor Salo de Carvalho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O objetivo do estudo é relacionar os crimes que podem ser imputados a Bolsonaro por ações e omissões no combate à pandemia da covid-1.

Casos de covid-19 no Brasil têm maior alta desde abril, e fazem mais 3 mil mortes
Rede Brasil Atual, 16/06
https://bit.ly/3iK0FFT

O país teve nas últimas 24 horas o maior número de mortos por covid-19 desde 4 de maio – 2.997 –, e assim chegam a 493.693 os óbitos causados pelo novo coronavírus. As informações são do painel do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass). Em relação ao número de novos casos de covid-19 no Brasil, o aumento também foi expressivo: foram 95.367 novos infectados de ontem para hoje (16).


O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Gaúchos lançam “Airbnb da Educação” para conectar professores autônomos com alunos
Zero Hora; 15/06
https://bit.ly/3wEKgGQ

Três empresários gaúchos criaram a Turno Inverso, uma plataforma que conecta professores autônomos a alunos e escolas. A ideia é funcionar como um marketplace da educação, onde alunos conseguem entrar no sistema, ver a lista de professores conforme as especialidades, e contratar aulas. Podem se inscrever profissionais de todas as disciplinas, mas o negócio tem foco em aulas extracurriculares, como de modalidades esportivas, culturais e de idioma.

 

 


INFLAÇÃO
Quais os efeitos de mais um aumento na taxa básica de juros
Nexo; 16/06
https://bit.ly/3q1sz1A

O Comitê de Política Monetária do Banco Central anunciou na quarta-feira (16) que decidiu aumentar a taxa Selic em 0,75 ponto percentual. É a terceira decisão consecutiva de alta da taxa básica de juros, que chega a 4,25% ao ano.

O novo ciclo de alta da taxa de juros ocorre em um contexto de retomada da atividade econômica após o choque da chegada da pandemia de covid-19 em 2020. Além disso, o momento é de alta dos preços: a inflação acumulada em 12 meses até junho de 2021 foi de pouco mais de 8%, maior nível desde o segundo semestre de 2016.

A decisão do Banco Central está ligada ao movimento de alta inflacionária. Neste texto, o Nexo detalha essa escalada dos preços e conversa com economistas para entender se a Selic mais alta será capaz de conter a inflação.

 

Os juros e a alta da inflação em 2021 – A taxa Selic serve de referência para a definição dos juros cobrados pelos bancos em empréstimos, o retorno de títulos do Tesouro e até o rendimento da caderneta de poupança.

A Selic é o principal instrumento da política monetária do Banco Central, cujo objetivo central é o controle da inflação. Desde 1999, o Brasil adota um regime de metas de inflação. O Banco Central estipula metas para a variação de preços em um ano, com uma margem para mais e outra para menos – as chamadas bandas. Ele age para manter a inflação dentro desse objetivo, usando a taxa de juros como instrumento. Se a inflação está alta, o Banco Central aumenta os juros; se a inflação está baixa, há espaço para reduzir a Selic.

Em 2021, o centro da meta da inflação é de 3,75% ao ano. Considerando as bandas, os preços podem variar de 2,25% ao ano (piso da meta) a 5,25% ao ano (teto da meta). Em maio de 2021 – mês com dados mais recentes divulgados –, a inflação acumulada em 12 meses ficou em 8,06%, acima do teto da meta. É o que mostra o gráfico acima.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio