Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 09 de agosto de 2022

12 de novembro de 2021

12/11 – Terceira dose para educadores a partir de terça, crise no Inep/Enem pode afetar distribuição de merenda, fiscalização trabalhista em risco, e mais: grande prêmio volta a Interlagos

.

O seu sindicato vai marcar a data e será nos próximos dias:
assembleia de professoras, professores e de auxiliares para discutir proposta para a sua PLR de 2021 (e mais, até 2025!)
Leia tudo aqui: https://bit.ly/31T2Kcc 

 

 

 

São Paulo (Capital) aplica terceira dose de vacina em professores a partir da próxima terça (16)
Agora; 12/11
https://bit.ly/3HiNdlY

Profissionais da educação das redes pública e particular da cidade de São Paulo, com idade a partir de 40 anos, poderão tomar a terceira dose (ou reforço) da vacina contra a Covid-19 a partir da próxima terça-feira (16). O anúncio foi feito pela Secretaria Municipal da Saúde na noite desta quinta-feira (11).

A vacina será a da Pfizer e poderá ser aplicada em professores e demais funcionários da educação de escolas municipais, estaduais e particulares da capital. Para receber a vacina é necessário um intervalo de seis meses entre a segunda dose e a adicional.

Em 22 de novembro será a vez dos profissionais da educação com idades entre 18 e 39 anos receberem a dose extra, de acordo com o comunicado.

 

ENEM

Crise no Inep pode afetar até distribuição de merenda
EStadão; 11/11
https://bit.ly/30iBhzD

Uma das atuais preocupações dos servidores é o censo de 2022. Ele terá de ser reformulado, com um novo sistema informatizado, para se adequar ao novo formato do Fundeb, aprovado em 2020. Nada foi feito ainda.

O Inep ainda precisava apresentar até julho um estudo com os novos cálculos do Fundeb, que determinariam quanto seria enviado de dinheiro para cada etapa de ensino. Educadores pleiteavam que a creche e o ensino integral, por exemplo, passassem a receber mais verbas, como uma forma de incentivo para que municípios e Estados abrissem mais vagas.

 

Enem 2021 simboliza abismo entre redes pública e privada
UOL; 10/11
https://bit.ly/3c5ThQD

Sem políticas adequadas, exame perde potencial de instrumento de democratização do acesso ao ensino superior e aumenta a desigualdade na competição por vagas entre alunos das redes pública e privada.Uma espécie de monopolização da forma de ingresso no ensino superior brasileiro vem ocorrendo por meio da expansão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que já é adotado como vestibular único ou um dos aceitos por 84% de todas as universidades públicas do país.

Na contramão, tivemos neste ano o menor número de inscritos no exame desde 2005, quando o Prouni só tinha um ano de existência, não existiam Sisu ou Fies, e o exame ainda não era utilizado como vestibular direto para ingressar em universidades públicas.

 

TRABALHO

Decreto de Bolsonaro tenta tirar poder do Ministério Público na fiscalização trabalhista
Folha de S. Paulo; 12/11
https://bit.ly/3c5vdNH

O decreto publicado nesta quinta-feira (11) pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que enxugou normas trabalhistas determina que a atividade de fiscalização de relações de emprego é exclusiva dos auditores-fiscais vinculados ao Ministério do Trabalho e da Previdência.

Procuradores do MPT (Ministério Público do Trabalho), que também têm essa atuação, reagiram à medida e estudam levar o tema à Justiça. Os procuradores afirmam que a exclusividade pretendida pelo Executivo não tem respaldo legal e pode gerar insegurança jurídica para as atividades do Ministério Público e outras autoridades que participam da fiscalização trabalhista, como a Polícia Federal e o Corpo de Bombeiros.

PRINCIPAIS PONTOS DO DECRETO TRABALHISTA

  • Cria programa permanente de simplificação de normas trabalhistas infralegais, que terá como diretrizes tanto a valorização do trabalho como a busca pelo pleno emprego no país
  • Compila normas de fiscalização, de proteção, de segurança e de saúde no trabalho
  • Traz regras sobre certificação de equipamentos de proteção individual
  • Reúne regras sobre registro eletrônico de jornada, mediação de conflitos coletivos de trabalho, trabalho temporário e gratificação de Natal
  • Traz regras sobre vale-transporte e vale-alimentação
  • Compila regras sobre repouso semanal remunerado e pagamento de salário nos feriados civis e religiosos, previstas em decretos anteriores​

Onyx se licencia do Ministério do Trabalho e Previdência para cuidar de emendas parlamentares
Valor Econômico; 11/11
https://glo.bo/3qxA5U7

O ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, foi exonerado do cargo nesta quinta-feira e retomará temporariamente o cargo de deputado federal pelo DEM do Rio Grande do Sul. Ele retorna à Câmara a fim de destinar emendas sugerindo a destinação de verbas do Orçamento para suas bases eleitorais.

O prazo para que deputados, senadores, bancadas estaduais e comissões façam isso se encerra no dia 16 de novembro.

 

Sindicato vai cobrar escolas que não pagaram diferenças salariais retroativas
Sinpro SP; 11/11
https://bit.ly/3D9mC8M

O dissídio coletivo na educação básica foi julgado em 22 de setembro e a sentença publicada dia 28. As escolas já tiveram tempo suficiente para quitar as diferenças retroativas a março de 2021, decorrente do reajuste salarial de 6,29%. Se você ainda não recebeu, denuncie. O SinproSP garante sigilo absoluto e vai cobrar todas as escolas que ainda não pagaram o que devem aos professores.

Como o julgamento ocorreu quando a maior parte das folhas de pagamento já estava fechada, algumas escolas alegaram que não tinham tempo hábil para calcular as diferenças e pagá-las no mês passado. Agora, esse argumento não vale. Houve tempo para fazer as contas e pagar, junto com os salários de outubro.

As escolas que forem denunciadas serão cobradas. Caso os professores não recebam, o Sindicato entrará com ação de cumprimento na Justiça do Trabalho.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Artigo: ‘Uberização da educação básica: a última fronteira?’
Extra Classeo; 12/11
https://bit.ly/3c5vdNH

Por Cristiano Fretta, professor: “O discurso neoliberal, arrojado, repleto de vocabulários novos e trespassado pela ideologia empreendedora contrasta com a massa de trabalhadores cuja precarização remonta a condições pré-industriais. No Brasil, isso fica ainda mais evidente: em uma sociedade colonizada até os ossos, desigual até o último centavo e ainda assim crente no mérito individual como ferramenta de ascensão social e, portanto, também de libertação das amarras de um suposto Estado opressor e burocrático, a crença no empreendedorismo salvador acaba por funcionar como uma forma de ocultar e glorificar a autoexploração sem limites.

Mais do que nunca os valores precisam ser humanos, e não apenas financeiros. Dessa forma, é necessário que todos os atores envolvidos na educação básica estejam atentos a essas mudanças, pois elas não ocorrem subitamente. E, quanto mais lentas elas se impõem, mais imperceptíveis elas se parecem. A educação básica precisará ser um ambiente de resistência não no sentido político ideológico puro e simples, mas sim em um sentido mais amplo: que a educação não seja um ambiente maleável na mão dos interesses do lucro puro e simples, mas sim que ela exerça uma autonomia capaz de trabalhar em prol da diminuição dos contrastes de nossa sociedade”.

 

CORONAVÍRUS

Falta ‘vontade política’ para acabar com a pandemia, afirma OMS
Rede Brasil Atual; 12/11
https://bit.ly/3HiNdlY

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, condenou nesta quinta-feira (11) a desigualdade que impera mundialmente na distribuição de vacinas contra a covid-19. Ele destacou que, dos 7 bilhões de doses de imunizantes produzidos até agora, mais de 80% foram entregues para países do G20 (grupo que reúne as maiores economias do mundo). Por outro lado, apenas 5% da população dos países africanos está completamente imunizada.

“Quando a pandemia vai acabar? Talvez esse seja o centro da questão”, afirmou Tedros, durante participação no Fórum da Paz, em Paris. “É uma questão de vontade política e incentivo. A pandemia vai acabar quando o mundo decidir acabar com ela“, frisou.

 

 

 

Novidade que ainda divide opiniões, Sprint Race definirá grid de largada do GP de São Paulo
Band; 12/11
https://bit.ly/3F7489t

Uma das grandes novidades da atual temporada, a Sprint Race – ou corrida Sprint – terá o seu terceiro teste em Interlagos no próximo sábado (13). A corrida de curta duração vai definir o grid de largada para o GP de São Paulo, que acontecerá no domingo (14), com cobertura completa do Grupo Bandeirantes.

O novo formato, que ainda requer ajustes, aconteceu até aqui em duas etapas. Em Silverstone, na Inglaterra, foi vencida por Max Verstappen. Já em Monza, na Itália, Valtteri Bottas foi quem chegou à frente. Ainda reticente sobre a realização de corridas de curta duração, Lewis Hamilton vê com preocupação a cautela dos pilotos pensando na corrida de domingo.

O que é a sprint race? – A sprint race, ou corrida de classificação, é uma corrida menor e mais rápida, ou seja, conta com 100km e terá aproximadamente 24 voltas em Interlagos, com duração de 30 minutos.

Além do tempo, os pilotos não têm a obrigatoriedade de fazer um pit stop, e são livres para escolher os pneus. As três primeiras posições ganham uma pontuação extra no campeonato, sendo três para o primeiro, dois para o segundo e um ponto ao terceiro.

Na sexta-feira (12), acontece o qualifying tradicional, que define as posições de largada para corrida curta, de sábado (13). O resultado da prova do sábado é que define o grid de largada para a corrida do domingo. Por último, vale lembrar que para a ‘Sprint Race’ não há cerimônia de pódio.

 

Grande Prêmio de São Paulo (horários de Brasília)

Sexta-feira (12)
12h20 – Treino livre 1 – ao vivo no Bandsports
15h30 – Treino classificatório – ao vivo na Band, Bandsports, Bandplay e site da Band

Sábado (13)
11h50 – Treino livre 2 – ao vivo no Bandsports
16h – Corrida sprint – ao vivo na Band, Bandsports, Bandplay e site da Band

Domingo (07)
15h30 – Corrida – ao vivo na Band, Bandplay, BandNews FM e site da Band
19h – VT da corrida – Bandsports

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio