Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 25 de outubro de 2021

12 de agosto de 2021

12/08 – os protocolos contra a Covid, MEC acéfalo, ‘minirreforma’ aprovada na Câmara torna trabalhadores ainda mais vulneráveis, e mais: viaje neste site para ‘férias’ virtuais

.

Mais aperto nas leis do trabalho com a votação da MP 1045: FGTS, férias, hora extra, salário, tudo cortado, para jovens e pessoal com mais de 55. Querem te vender ainda mais barato. Passou na Câmara, na surdina, mas ainda tem que ser votada no Senado. E lá faremos nossa barreira contra este aumento na exploração. 


Protocolo contra Covid amplia fosso entre escolas públicas e particulares

Folha de S. Paulo; 11/08
https://bit.ly/3jMK6YS

O que a escola deve fazer quando o teste para Covid de um estudante der positivo? Enquanto o protocolo do governo de São Paulo determina para a rede pública a suspensão por 14 dias da turma que teve contato com o contaminado, consultorias médicas orientam escolas particulares a autorizar a retomada dos colegas antes, com teste negativo, ou até que só se determine a suspensão dos outros alunos se houver um segundo caso.

Os diferentes protocolos se somam ao fosso de desigualdade ampliado na pandemia entre escolas públicas e privadas. Nas particulares, em que há mais estrutura para o controle de casos e famílias com acesso a testes, os alunos têm uma chance maior de permanecer com aulas presenciais. A discussão torna-se ainda mais relevante neste segundo semestre, em que o governo paulista permitiu a presença de 100% dos alunos nas escolas, e as ocorrências de Covid dentre as turmas tendem a ser mais frequente.

As escolas aguardam as novas orientações do governo para definir seus procedimentos. A comissão médica da Secretaria de Saúde deve se reunir nos próximos dias para discutir os protocolos.

 

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Após polêmica, ministro diz que não quer tirar acesso ao ensino superior
UOL; 11/08
https://bit.ly/3fVpFro

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou hoje que não quer tirar o acesso do brasileiro ao ensino superior, mas voltou a defender a formação técnica. Em entrevista à CNN, o ministro ressaltou que “está na hora do Brasil olhar para a educação de nível técnico”.


Bacharéis que dirigem Uber respondem a ministro: “Vamos parar de estudar?”
UOL; 11/08
https://bit.ly/2UaAnCK

Sem a carteira da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e com a necessidade de complementar sua renda, o bacharel em direito Rodrigo Brum, 37, encontrou no trabalho como motorista de aplicativo um caminho para pagar suas contas.

Editorial: ‘MEC acéfalo’
Estadão; 11/08
https://bit.ly/3xHzBej

O Ministério da Educação (MEC) segue acéfalo. Quem nutria alguma esperança de resgate da pasta com a troca de Abraham Weintraub por Milton Ribeiro pode se contentar apenas com a fala mansa e os bons modos do atual titular da pasta, pois este é o único traço distintivo entre os dois.

A bem da verdade, é de lamentar esta pequenez do pensamento do ministro Ribeiro, mas não chega a impressionar. O que seria impressionante é haver um ministro da Educação neste governo à altura da importância e dos desafios do MEC. O abastardamento da pasta, uma das mais importantes da Esplanada, talvez seja a mais bem-sucedida “política” implementada pelo governo de Jair Bolsonaro. E uma das mais perniciosas. Levará anos até que os estragos causados na área de educação sejam remediados, para prejuízo de uma geração de brasileiros.

 

Reitores divulgam nota contra ‘desmanche’ na educação e ciência
R7; 11/08
https://bit.ly/3xGzGyH

O Cruesp (Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas) divulgou nesta quarta-feira (11), uma nota pública expressando preocupação com a condução das políticas para educação e ciência no país.

No texto assinado por Vahan Agopyan,  reitor da USP (Universidade de São Paulo) e presidente do Cruesp; Antonio José de Almeida Meirelles,  reitor da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), e Pasqual Barretti, reitor da Unesp (Universidade Estadual Paulista), há “um verdadeiro desmanche está em curso, o qual trará graves consequências a médio e longo prazos”.

 

Novo Ensino Médio: construção pedagógica sem protagonismo docente
Extra Classe; 09/08
https://bit.ly/3jNYTlX

Um dos impactos mais preocupantes do Novo Ensino Médio na vida do professor da rede privada é a possível redução de carga horária de algumas disciplinas em função da mudança curricular prevista com a reforma.

Por conta da inserção dos itinerários formativos, que passam a representar 1,2 mil horas, o currículo da formação geral fica mais enxuto, reduzindo das antigas 2,4 mil horas para 1,8 mil. Para a diretora do Sinpro/RS Cecília Farias, os professores não foram adequadamente incluídos no debate sobre o Novo Ensino Médio, o que aprofunda a recorrente ausência docente nas construções pedagógicas das escolas privadas. “Os professores não foram envolvidos nas novas propostas com antecedência. Isso já aconteceu na implantação do ensino fundamental de 9 anos e agora com o ensino médio está acontecendo de novo”, destaca.

 


TRABALHO

Centrais: ‘minirreforma’ aprovada na Câmara torna trabalhadores ainda mais vulneráveis
Rede Brasil Atual; 11/08
https://bit.ly/3lW4Jex

Por 304 a 133, com uma abstenção, a Câmara aprovou nesta terça-feira (10) a Medida Provisória (MP) 1.045, que de uma renovação do programa de manutenção do emprego e da renda (com redução de jornada e salários) se tornou uma “minirreforma” trabalhista, como criticou a oposição. Vários deputados lembraram que a MP nem foi discutida na Casa e criticaram o parecer do relator.

“Adotar essa medida provisória é nada menos que um escândalo”, afirmou a líder Talíria Petrone (Psol-RJ). Segundo ela, o projeto representa um “esculacho com o trabalhador”. Para Wolney Queiroz (PDT-PE), o texto original da MP 1.045 era muito melhor. “Com todo respeito, ele (Aureo) se atrapalhou na relatoria dessa medida provisória. Ele piorou o texto, retirou direitos.”

 

Congresso da CTB se inicia nesta quinta
Agência Sindical; 11/08
https://bit.ly/3yHbVIh

O Congresso da CTB será no formato híbrido. Ou seja, parte será presencial e parte acompanhará de forma online. Apenas 30 pessoas poderão participar de maneira presencial, respeitando os protocolos sanitários de combate à Covid-19.

A abertura do evento trará o seminário internacional ‘Crise global do capitalismo e o futuro do trabalho’. Participam dirigentes sindicais de diversos países e membros da CTB.

Conjuntura – Para Adilson Araújo, presidente da central, o Congresso da Central ocorre em meio ao mais grave desastre já vivido no Brasil e, por isso, é preciso grande mobilização para deter as crises sanitária, econômica e social. “Impõe-se a formação de ampla frente nacional e política para intensificar a campanha ‘Fora, Bolsonaro’, mudar a política econômica e promover a recuperação da economia e do emprego”, ressalta.

 

CORONAVÍRUS

Campinas investiga 10 surtos de Covid-19 em escolas públicas e particulares
G1; 11/08
https://glo.bo/37AD8QK

A Prefeitura de Campinas (SP) informou nesta terça-feira (10) que investiga 10 surtos de Covid-19 em escolas públicas e particulares da cidade. Em uma creche, parte das aulas de uma turma foi suspensa após uma professora testar positivo no início do mês – as aulas presenciais com horário ampliado foram retomadas no dia 2 de agosto.

Segundo a administração, dos casos em investigação, seis são em escolas municipais, uma em unidade do estado e três em instituições privadas. Os nomes não foram divulgados.


CPI: Vitamedic ‘pagou por fora’ a médicos que promoveram ivermectina
Rede Brasil Atual; 11/08
https://bit.ly/3xGyknB

Além de “patrocinar” manifesto do grupo Médicos pela Vida em defesa do “tratamento precoce” contra a covid-19, a Vitamedic também teria pago “bonificações” a médicos que estimularam o uso da ivermectina.

De acordo com o senador Otto Alencar (PSD-BA), a CPI da Covid tem documentos que comprovam que agentes de saúde recebem “estímulos financeiros” do laboratório para divulgar o uso da medicação, que não tem eficácia contra o novo coronavírus. Além disso, ele destacou os riscos à saúde do uso prolongado da droga, que supostamente evitaria a contaminação pela doença.

 

 

 

De carro, a pé ou voando: um site para férias virtuais
VirtualVacation; 11/08
https://virtualvacation.us/

As restrições de viagens impostas pela pandemia de covid-19 mantiveram irrequieta a necessidade exploratória de muitas pessoas. Para aplacar essa vontade de viajar, o desenvolvedor Paul McBurney Jr. criou o Virtual Vacation (férias virtuais, em tradução livre).

O site conta com vídeos de mais de 50 cidades e em alta qualidade, em que a perspectiva da filmagem está em primeira pessoa (câmera subjetiva), permitindo assim que seu usuário se sinta imerso no ambiente. Lançado em 2020, a plataforma ficou pronta em menos de um mês.

Ao entrar no Virtual Vacation, o usuário se depara com diferentes opções disponíveis para explorar o mundo. Ele pode, por exemplo, escolher fazer uma caminhada a pé por um bairro em Paris, uma viagem de carro em Tóquio ou sobrevoar Dubai.

Além disso, a plataforma disponibiliza câmeras ao vivo em diferentes localidades e vídeos produzidos diretamente de monumentos históricos, e permite que o usuário explore a visão de diferentes janelas ao redor do mundo. Há também um jogo onde o usuário pode adivinhar a cidade da filmagem exibida.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio