Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 28 de junho de 2022

2 de junho de 2020

02/06 – CNE e a reposição de aulas, redução de receita das particulares, Weintraub e o STF  – e mais.

.


Mesmo na pandemia, seguem as negociações da campanha salarial 2020 do Ensino Superior privado no Estado de São Paulo. A vida segue, o vírus será controlado e professores e auxiliares nas instituições de ensino superior têm seus direitos a defender!

E na rodada de negociações desta segunda-feira, 1º de junho, a discussão foi centrada nos direitos dos auxiliares de administração escolar e, especificamente, na questão do banco de horas do pessoal administrativo nas IES. Uma proposta foi apresentada pelo setor patronal que será discutida pelos sindicatos, representados pela Fepesp e demais federações.

Leia tudo aqui:
 https://bit.ly/3eFVbGR

 

STF marca julgamento sobre exclusão de Abraham Weintraub de inquérito das fake news
G1; 01/06
https://glo.bo/2U2baHc

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve analisar em plenário virtual, a partir do próximo dia 12, o pedido de habeas corpus para que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, seja excluído do inquérito que apura ofensas contra ministros da Corte e disseminação de fake news.

O ministro relator, Edson Fachin, liberou o pedido para julgamento em plenário. O habeas corpus foi apresentado pelo ministro da Justiça, André Mendonça, após vir a público que Weintraub defendeu a prisão de ministros do STF e os chamou de “vagabundos” na reunião ministerial de 22 de abril.

 

Risco de falência atinge metade das escolas pequenas e médias do Brasil, diz pesquisa
Folha de S. Paulo; 01/06
https://bit.ly/3gKqtyf

Entre 30% e 50% das escolas particulares de pequeno e médio porte do Brasil estão sob o risco de falência em razão da pandemia do novo coronavírus.

A redução de receita, ocasionada pela necessidade de conceder descontos, por atrasos nas mensalidades e pela inadimplência, atingiu 40% delas em abril e deve ultrapassar os 50% no fechamento das contas de maio. Em 95% dos estabelecimentos já houve o cancelamento de matrículas.

Os dados constam de uma pesquisa encomendada pela União pelas Escolas Particulares de Pequeno e Médio Porte, uma organização sem fins lucrativos criada durante a pandemia com o objetivo de dar suporte às instituições de ensino.

Em seu site, a entidade deu início ao que chama de “obituário” das escolas vítimas da Covid-19. Entre as que fecharam neste período de confinamento, lista o colégio Stella Maris, de Guarulhos (Grande SP), o Integral e o Nautas, de Campinas (interior de SP), a escola Maxwell, de Brasília, e a Organização Educacional Evolutivo, de Fortaleza (CE).

Bolsonaro indica nome ligado ao centrão à presidência de fundo bilionário (FNDE)
UOL; 01/06
https://bit.ly/2zRH6Hu

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aprovou hoje mais uma indicação do chamado centrão, bloco de partidos que trocam cargos por apoio no Congresso, dentro do governo. Marcelo Lopes da Ponte (foto), que era chefe de gabinete do senador Ciro Nogueira (PP-PI), será o novo presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Nogueira já foi alvo de ao menos duas operações da PF (Polícia Federal), é réu no STF (Supremo Tribunal Federal) desde 2019 sob acusação de organização criminosa e foi denunciado em fevereiro deste ano por supostos de crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O senador nega todas as acusações.

O FNDE é uma autarquia ligada ao Ministério da Educação. No ano passado, teve orçamento de mais de R$ 50 bilhões e neste ano já recebeu quase R$ 11 bilhões. O fundo é responsável pela execução das políticas educacionais da pasta, como por exemplo o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE,

 

MEC aprova diretrizes de ensino durante a pandemia, mas veta trecho que se refere ao Enem
Estadão; 01/06
https://bit.ly/3gPOTXg

Um mês após o Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovar as diretrizes para o ensino durante a pandemia do coronavírus, o Ministério da Educação (MEC) homologou o texto, com exceção do item que sugere a alteração de datas de provas como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O despacho foi publicado no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 1º.

O documento sugere que as instituições, desde a educação infantil até o ensino superior, busquem alternativas para minimizar a necessidade de reposição presencial das aulas.  As escolas podem computar atividades não presenciais para cumprimento de carga horária. Plataformas virtuais, redes sociais, programas de televisão ou rádio, material didático impresso entregue aos responsáveis são algumas das alternativas possíveis.

Para repor a carga horária ao fim do isolamento social, a diretriz indica a utilização do período de férias, dos sábados, da ampliação da jornada escolar diária e do contraturno.

Veja as diretrizes do CNE – O parecer completo do CNE que dispõe sobre a reorganização do calendário escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais pode ser lido neste link.

Conselho Nacional de Educação elabora parecer para reorganizar o calendário
Correio Braziliense; 02/06
https://bit.ly/3dmvvyN

Para Michelle Jordão, coordenadora do Núcleo de Inovação das Práticas Pedagógicas do Centro Universitário IESB, esse é um momento de mudanças. “Ainda não sabemos muito bem aonde isso vai dar, aonde vamos terminar e o que pode acontecer”, diz a doutora em educação. Entre as consequências na vida de alunos e professores, ela afirma que a pandemia “tem reformulado constantemente o nosso cotidiano”.

 

 

Brasil passa de meio milhão de casos e se aproxima de 30 mil mortos pela covid-19
Rede Brasil Atual; 02/06
https://bit.ly/2XLX5ic

Em um mês, o número de mortos cresceu cerca de cinco vezes, saltando de perto de 6 mil no início de maio para os quase 30 mil de hoje. O número de casos também vem recentemente dando saltos recordes a cada dia. Oficialmente, são 526.447 doentes.

Segundo país mais afetado pelo vírus, atrás apenas dos Estados Unidos, o Brasil já é o quarto do planeta em total de mortes, ultrapassando que países que já foram epicentros da pandemia, como Espanha e França. Ainda somam mais mortos que o Brasil a Itália (33.229), Reino Unido (38.243) e Estados Unidos (102.516).

 

Para Organização Mundial da Saúde, Brasil não atingiu pico da pandemia
Agência Sindical; 02/06
https://bit.ly/2XVo5vQ

O diretor-executivo da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan, afirmou nesta segunda (1º) que o Brasil e outros países da América Latina são os que mais registram aumentos diários de casos do coronavírus, com a transmissão fora de controle.

Para ele, ainda não chegou o pico de contágio nesses países e ainda não é possível prever quando vai chegar. O Brasil já tem mais de 500 mil casos confirmados e, até domingo (31), contabiliza 29.314 mortes, sendo o segundo com mais casos no mundo e o quarto em número de vítimas fatais.

O diretor da OMS afirma, ainda, que a densidade urbana e o grande número de pessoas mais pobres nas cidades são fatores que dificultam o combate à doença, mas políticas públicas podem ser implantadas a fim de estabilizar a gravidade da pandemia.

  

 


Professores universitários criam livro sobre a educação no período de pandemia
O Vale, São José dos Campos; 02/06
https://bit.ly/36Sj4by

Mais de 20 artigos de professores de diferentes instituições de ensino nacionais e internacionais foram reunidos na publicação “Educação em tempos de Covid-19: Reflexões e narrativas de pais e professores”. O material é uma resposta imediata às transformações ocorridas em um breve espaço de tempo, que alteraram o status quo da atuação educacional.

“Esta publicação demonstra o quanto nós alteramos nossa forma de atuar para atender os alunos, está acontecendo uma transposição na ciência pedagógica. Vivemos numa sociedade líquida e exponencial, ao registrar em texto escrito, marcamos uma percepção do acontecimento na história, deixamos um legado com esse livro”, afirma Dinamara Pereira Machado que é professora e diretora da Escola Superior de Educação do Centro Universitário Internacional Uninter.

Dinamara reforça que produzir um livro de narrativas e reflexões é demonstrar para o próximo que todos estão em um movimento de desenvolvimento, buscando novos caminhos. “Quando lançamos uma obra desta envergadura é para dar suporte pedagógico, mas também psicológico. Conseguiremos passar por esse momento”, completa.

O livro pode ser baixado neste link.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio