Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 13 de agosto de 2022

1 de outubro de 2019

01/10 – MEC solta verbas, primeiro turno da ‘reforma’ da Previdência, atos pelo país por soberania e educação, e mais.

.

Assista aos programas da semana na TV Fepesp, aqui: http://bit.ly/2nq6m1p.

 




Governo desbloqueia R$ 1,15 bilhão
de orçamento de universidades e institutos federais
Folha de S. Paulo; 30/09
http://bit.ly/2oVr1uB

O governo Jair Bolsonaro (PSL) informou nesta segunda (30) o destino de R$ 1,99 bilhão em recursos no Ministério da Educação cujo desbloqueio foi anunciado há duas semanas. Restam congelados assim R$ 3,8 bilhões do total retido neste ano pela pasta. Do dinheiro desbloqueado, R$ 1,156 bilhão (58%) vai para o orçamento das universidades e institutos federais. O restante será destinado para pagamento de bolsas de pesquisa vigentes, compra de material didático e avaliações de larga escala.

 

MEC anuncia desbloqueio de R$ 2 bi dos R$ 5,8 bi contingenciados
Estadão; 30/09
http://bit.ly/2ns9n17

O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta segunda-feira, 30, o descontingenciamento de R$ 1,99 bilhão, dos quais R$ 1,156 bilhão vai para as universidades federais. Isso corresponde à metade do que havia sido contingenciado no orçamento deste ano para as unidades.

 

Verba de R$ 7,9 bi para universidades
em 2020 depende de aval do Congresso
Estadão; 01/10
http://bit.ly/2ngoY45

A proposta do governo para o orçamento das universidades em 2020 inclui recursos que não estão em caixa. Diferentemente de outros anos, o montante previsto para as instituições só vai se materializar caso o governo receba aval do Congresso para “quebrar” a norma batizada de regra de ouro. O mecanismo, criado para garantir a saúde das contas públicas, impede a contratação por parte do Executivo de empréstimos para pagar despesas correntes, como salários e contas de luz. É o primeiro ano em que o orçamento das universidades, de R$ 54 bilhões, mostra uma cifra que ainda não existe. Essa fatia corresponde a R$ 7,9 bilhões, ou seja, 15% da proposta orçamentária para 2020.

 

Há um movimento orquestrado para privatizar
universidades, diz professor da Unesp
Rede Brasil Atual; 26/09
http://bit.ly/2ogmG4L

O presidente da Associação dos Docentes da Universidade Estadual Paulista (Adunesp), João Chaves, observa que existe uma movimento coordenado no país para privatizar universidades públicas, estaduais e federais. Em entrevista à Rádio Brasil Atual, Chaves alerta que a ação pode destruir o desenvolvimento acadêmico e tecnológico no país. “Tanto o Future-se quanto as iniciativas que estão sendo tomadas no estado de São Paulo, de asfixia financeira das universidades, e as medidas que estão sendo tomadas por alguns reitores, caminham na mesma direção. Ocorre que, em nenhum lugar do mundo, as universidades importantes são financiadas pela iniciativa privada”, afirmou.

 

Como a Kroton está construindo o maior
“hub” de edtechs da América Latina
StartSe; 30/09
http://bit.ly/2o76z9U

A Kroton é hoje a maior empresa de educação do mundo, com quase um milhão de alunos, 15 mil professores, e valor de mercado de R$ 18 bilhões. No entanto, nos últimos dois anos, a empresa vem tendo dificuldades para crescer com o esgotamento de sua estratégia de aquisição e com a maior evasão de alunos, em parte relacionada aos cortes sucessivos no Fies, o programa de financiamento estudantil. Para retomar o crescimento, deu início a um intenso processo de transformação digital.

 

RJ: Seminário debate EaD na realidade brasileira
Sinpro-Rio; 30/09
http://bit.ly/2nsSB1R

 


Alcolumbre prevê para hoje até 63 votos a favor da Previdência

Valor Econômico; 01/10
https://glo.bo/2ntHUvY

O Senado deve concluir hoje a votação da reforma da Previdência em primeiro turno, no plenário, assegurou o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP). O presidente do Senado prevê uma votação tranquila, mas o líder do governo no Senado, senador Fernando Bezerra (MDB-PE), alertou para o risco de aprovação de pelo menos dois destaques que poderão desfigurar a proposta. Alcolumbre disse esperar até 63 votos a favor da reforma, uma margem segura ante a necessidade de 49 votos favoráveis para aprovação de uma emenda constitucional no Senado.

 

Senado pode votar reforma da Previdência
nesta terça-feira, Dia Internacional do Idoso
Rede Brasil Atual; 30/09
http://bit.ly/2mAiOv3

O que deveria ser celebração corre o risco de se tornar uma data simbólica do ataque a direitos dos aposentados. Nesta terça-feira (1º), Dia Internacional do Idoso, devem ser votadas no Senado as propostas de emenda à Constituição (PEC 6/2019 e PEC 133/2019), que tratam da reforma da Previdência, projeto que reconhecidamente ataca o direito à aposentadoria dos trabalhadores. Esse fato foi lamentado hoje (30) pelo senador Paulo Paim (PT-RS), durante audiência pública na Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado. “Exatamente amanhã está prevista na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), e provavelmente aqui no plenário, a votação da reforma da Previdência. Previdência está ligada diretamente ao idoso, porque quem não é idoso, sonha em ser um dia e quer ter o direito a envelhecer com qualidade de vida”.

 

Centrais se dividem sobre alternativas para reforma sindical
Valor Econômico; 01/10
http://bit.ly/2od6Lo8

Unânimes na posição contrária a um modelo de reforma sindical que possibilitaria  até um sindicato por empresa, as centrais sindicais estão divididas sobre qual alternativa defenderão. Força e UGT defendem uma representatividade mínima dos sindicatos por categoria, em eventual fim da unicidade sindical. Já CTB, NCST, CGTB e CSB querem a continuidade do modelo atual, em que é permitido apenas um sindicato por categoria em cada cidade ou região.

 


Plenária da CTB defende unicidade sindical
e combate pluralidade na base
Agência Sindical; 30/09
http://bit.ly/2oZgyP3

A Executiva Nacional da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) se reuniu em Curitiba, dias 26 e 27 de setembro, para a 21ª Reunião da Direção Executiva Ampliada. Afora analisar a conjuntura nacional, o comando da entidade trata diretamente de temas ligados aos trabalhadores e ao sindicalismo. O item 15, que mais diz respeito ao sindicalismo, diz: “A CTB reafirma a defesa da Unicidade Sindical e a rejeição do pluralismo que Bolsonaro pretende impor para dividir, pulverizar e debilitar ainda mais o movimento sindical e o povo trabalhador, de modo a facilitar a destruição das conquistas e direitos da nossa classe. O momento exige um esforço redobrado para a sobrevivência e o fortalecimento das organizações sindicais, que caminham lado a lado com as conquistas e os direitos trabalhistas”.

 

ABC, Metodista: Assembleia Geral
Extraordinária Permanente dia 05/10/2019
SinproABC; 30/09
http://bit.ly/2nqSvIe

A assembleia tem como finalidade a análise, discussão e deliberação sobre a seguinte ordem do dia: a) atrasos nos pagamentos dos salários; b) não pagamento do salário de agosto/2019; c) não pagamento do terço constitucional sobre as férias de julho/2019; d) não recolhimento dos depósitos do FGTS; e) não cumprimento do acordo em dissídio de greve; f) pagamento do vale alimentação em atraso e atual; f) formas de mobilização. A convocatória se refere ao caso da Instituto Metodista de Ensino Superior.

 

Colégio Drummond fecha e não comunica professores
Sinpro Campinas; 26/09
http://bit.ly/2nh430L

No dia 25 de setembro, o Sinpro Campinas realizou assembleia com os professores do Colégio Drummond para tratar sobre o movimento grevista e sobre o fechamento da escola. O Sindicato e o corpo docente da instituição somente ficaram sabendo do encerramento das atividades do colégio através do comunicado encaminhado aos pais e da reportagem do jornal “O Liberal”. Não houve nenhum comunicado oficial por parte da administração da escola sobre a atual situação dos professores. Na assembleia, os professores se mostraram preocupados com o fechamento da escola e a falta de diálogo por parte da administração do colégio.

 

Professores do Drummond fazem carta
aberta sobre greve e fechamento da escola
Sinpro Campinas; 26/09
http://bit.ly/2oQyU4r

“A greve, que é um direito de qualquer trabalhador, decorreu do constante desrespeito de direitos trabalhistas por parte da instituição e falta de condições dignas de trabalho. Todos sabemos que os problemas do colégio antecedem o movimento grevista […]”, consta em parte da carta.

 



Educação do estado de SP muda regra para professor escolher aulas

Jornal Agora; 01/10
http://bit.ly/2npPI1W

Os docentes efetivos, temporários e contratados da rede estadual de ensino de São Paulo passam a ter as mesmas regras de pontuação para os procedimentos de escolha de aulas e vagas para o ano letivo de 2020. A portaria com os novos procedimentos está na edição desta terça-feira (1º) do “Diário Oficial” do estado. As diretrizes, informou a Educação, pretendem otimizar a atribuição de aulas, “abrindo oportunidade para que o professor dê aula em única unidade escolar, diminuindo o desgaste.”

 

Teatro une alunos de escola pública e privada em São Paulo
Secretaria da Educação do Estado de S. Paulo; 30/09
http://bit.ly/2oSKgoA

Escola é escola. É lugar de união, de aprendizagem, de carinho e de cuidado. Foi com essa ideia em mente que os adolescentes do Colégio Palmares e da Escola Estadual Fernão Dias Paes, na capital, promoveram um encontro semanal para aprender sobre arte e convivência e trocar experiências sobre o teatro. Os estudantes participam do projeto Pensarte, responsável pelo curso de teatro gratuito que uniu os jovens. As aulas acontecem todas as sextas-feiras e a cada semana em uma das instituições para aproximar ainda mais os novos colegas de palco e de vida.

 




Greve e atos no país por soberania
e contra cortes na educação serão dias 2 e 3
Contee; 30/09
http://bit.ly/2o8Kmbu

Nos dias 2 e 3 de outubro ocorrerá no Brasil a Greve Nacional da Educação. A mobilização, convocada por organizações estudantis e sindicais, contará com a participação dos movimentos populares que compõem as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, entre os quais a CUT e a União Nacional dos Estudantes (UNE). Nesses dias haverá atividades em escolas e universidades, aulas públicas e mobilizações. Na capital paulista, o ato está programado para quinta-feira (3), a partir das 16h, no vão livre do Museu de Arte de São Paulo, na Avenida Paulista.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio