10 de julho de 2020| , ,

Demissões na Uninove: audiência termina com proposta e Sinpro consultará professores

As professoras e os professores que foram dispensados da Uninove neste final de semestre serão chamados, em assembleia na próxima semana, para deliberar sobre proposta discutida na audiência de conciliação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), realizada nesta quinta-feira, 09/10, via videoconferência por causa da pandemia.

do Sinpro SP

Pela proposta, a Uninove garantirá plano de saúde até 31 de outubro e bolsas de estudo integrais – aos professores e dependentes – até o final de 2021. A partir de 2022, será garantido um desconto de 50% até o final do curso.

Três professores com deficiência que avisaram o Sindicato serão reintegrados. Outros professores deficientes que ainda não entraram em contato devem comunicar o SinproSP, com urgência, no email uninove@sinprosp.org.brA Lei 14.020, sancionada dia 06, veda a dispensa de trabalhadores deficientes até o final do estado de calamidade pública.

A Uninove também deve disponibilizar aos professores todos os seus holerites. É uma questão importante, pois os docentes tiveram bloqueado o acesso à plataforma e muitos não conseguiram salvar seus comprovantes de pagamento.

A Mantenedora deverá ainda nomear um interlocutor para tratar com o SinproSP questões como eventual reintegração de outros professores, diferenças nas verbas rescisórias que forem apuradas pelos advogados do Sindicato e problemas relacionados à carga horária.

 

Assembleia – O SinproSP marcará a assembleia já para a próxima semana. Até lá, é muito importante que os professores que foram dispensados se cadastrem no email uninove@sinprosp.org.br , que também serve para esclarecer dúvidas, orientar sobre questões particulares e informar eventuais casos de estabilidade.

Para garantir uma rede de comunicação ainda mais ágil, se você ainda não adicionou o whatsapp do SinproSP, mande um alô com a UNINOVE no número (11) 5080.5988.

 

No lugar de aula, Uninove posta cartas de demissão na sua plataforma; Federação e sindicatos reagem

 

Audiência – O SinproSP defendeu a anulação das demissões, alegando que elas foram resultado da reestruturação pedagógica e de gestão, pelo uso de novas tecnologias, que permite o “ensalamento” de diversas turmas numa gigantesca sala virtual. O fato de essa demissão ter corrido em meio a uma pandemia as demissões ainda mais crueis.

 

Audiência do TRT: diretores e advogado do Sinpro SP participam via videoconferência.

O advogado da Uninove atribuiu as demissões à pandemia e chegou a dizer que, no começo do ano, houve a contratação de 400 novos professores. Foi rapidamente refutado.

O diretor do SinproSP, Celso Napolitano, lembrou que no início do ano letivo a Uninove quis reduzir linearmente a carga horária de todos os professores, para aproveitar-se de uma portaria do MEC que autorizava a ampliação de de aulas em EaD nos cursos presenciais.

A proposta inicial da Uninove limitava-se ao pagamento do plano de saúde por apenas um mês, depois do aviso prévio, e a concessão das bolsas de estudo. Após duas horas, chegou-se a uma proposição com condições de ser submetida aos professores. O Tribunal deu dez dias de prazo para que a assembleia seja realizada e o Sindicato informe, ao TRT, se a ação deve ter prosseguimento.

 

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio