Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 25 de janeiro de 2022

26 de novembro de 2021

26/11 – acordo na Educação Básica garante direitos até 2025, SP quer aluno em duas escolas com novo Ensino Médio, Paulo Freire no livro dos ‘Heróis da Pátria’, e mais: guerra anti-máscara incendeia escolas dos EUA

.

Com a pressão dos comitês nas escolas e das assembleias nos sindicatos, o patronal cedeu. O que era dissídio virou acordo, não vai ter recurso ao TST, o reajuste e a PLR estão garantidos e o direitos valem até 2025! Veja mais aqui:   https://bit.ly/32oK3NF
Comunicado Conjunto 01/2021:
 https://bit.ly/3cOIpHh 

 

 

 

Educação básica: acordo entre profissionais de educação e patronal garante direitos até 2025
Rádio Peão Brasil; 25/11
https://bit.ly/3nU7dE7

Foi assinado hoje, 25/11, comunicado conjunto entre a Federação dos Professores de São Paulo-Fepesp e os representantes das escolas particulares de Educação Básica reunidos no Sieeesp, a Feeesp e Sinepes, que garante pagamento de abonos e reajustes salariais, além de manter as cláusulas sociais das convenções coletivas de trabalho de professores e auxiliares de administração escolar até 2025.

Pelo acordo, discutido e aprovado em rodadas de assembleias em todo o Estado entre 20 e 24 de novembro, fica garantido o pagamento da PLR (Participação em Lucros e Resultados) de 11% neste ano, 15% em 2022 e 18% em 2023.

O acordo estabelece pisos salariais, mantem o reajuste de salários estabelecido em dissídio (6,29%, retroativo a 1º de março), bem como recupera qualquer defasagem de salários provocada pela inflação em 2022 e 2023.

Todas as cláusulas contidas nas convenções coletivas de trabalho de professores e de auxiliares de administração escolar serão mantidas. Algumas cláusulas, que haviam sido excluídas das convenções em função de recurso patronal ao Tribunal Superior do Trabalho (como o pagamento de ‘janelas’, ou o intervalo entre aulas) voltam à convenção coletiva.

 

Novo ensino médio de SP pode ter alunos matriculados em duas escolas
Estadão; 25/11
https://bit.ly/3DRiavA

O governo de São Paulo se prepara para abrir a possibilidade de um mesmo aluno se matricular simultaneamente em duas escolas no novo ensino médio. O plano é que seja possível cursar, em uma unidade, as matérias básicas, aquelas obrigatórias a todos, e escolher outro colégio que ofereça o currículo específico de seu interesse.

No novo ensino médio, que deve ser obrigatoriamente implementado por todas as escolas do Brasil a partir do próximo ano, os alunos terão que optar por uma área do conhecimento, com a qual tenham mais afinidade, para aprofundar seus estudos.

 

Bolsonaro volta a criticar Enem e diz que gostaria de questão sobre ditadura militar no teste
Folha de S. Paulo; 25/11
https://bit.ly/3ldHzbH

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nesta quarta-feira, 24, em um evento em homenagem a escolas cívico-militares. Bolsonaro disse que, se pudesse interferir, a prova vista no domingo, 21, teria mais questões “objetivas” e também sugeriu que gostaria que o teste tivesse perguntas sobre a ditadura militar – mas sem discutir se o período foi ou não uma ditadura.

 


Médico Carlos Gilberto Carlotti fica em 1º em eleição para reitor da USP
FSP; 25/11
https://bit.ly/3CUfa0h

O médico Carlos Gilberto Carlotti, professor titular da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, ficou em primeiro lugar na eleição interna para definir o novo reitor da USP (Universidade de São Paulo). A escolha se deu por meio de votação indireta, mas seu nome ainda terá que ser confirmado pelo governador João Doria (PSDB).

A escolha do novo reitor pelo governador costuma ser uma formalidade, visto que em quase todas as ocasiões os candidatos mais votados pelo colégio eleitoral foram nomeados. Apenas na gestão de José Serra (PSDB), em 2009, quando optou pelo segundo lugar, o jurista e diretor da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, João Grandino Rodas, e durante a ditadura militar, quando Paulo Maluf escolheu o diretor da Escola Politécnica Antônio Hélio Guerra Vieira, candidatos menos votados foram escolhidos.

 

Adolescente precisará de autorização assinada por responsável para se vacinar na escola em SP
Yahoo; 24/11
https://bit.ly/3oZD6KQ

A partir desta quinta-feira (25), equipes da Secretaria Municipal da Saúde, da Prefeitura de São Paulo, irão às escolas da rede municipal e estadual para aplicar a segunda dose da vacina contra Covid-19 nos adolescentes de 12 a 17 anos. Para receber o imunizante, os pais e responsáveis devem assinar um documento autorizando a vacinação.

A gestão municipal disponibilizou um modelo base para os responsáveis preencherem, que pode ser impresso ou manuscrito. É obrigatória também a apresentação da carteira de vacinação do estudante.

“A intenção é mostrar as informações mínimas que o responsável deve colocar na autorização para que ela tenha o mínimo de autoridade e rastreabilidade para ser entregue na escola”, diz Luiz Artur Vieira Caldeira, diretor da Covisa (Coordenadoria de Vigilância em Saúde), à reportagem.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Educador Paulo Freire pode ser inscrito no ‘Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria’
Agência Senado; 25/11
https://bit.ly/3CSG2O7

A Comissão de Educação (CE) aprovou nesta quinta-feira (25), em decisão terminativa, o Projeto de Lei do Senado (PLS) 148/2017, que inscreve o nome do educador Paulo Freire no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria. O texto, apresentado em 2017 pela então ex-senadora Fátima Bezerra, teve voto favorável do relator, senador Paulo Rocha (PT-PA). Se não houver recurso para votação em Plenário, a matéria segue para a Câmara dos Deputados.

Brasileiros heroicos – O Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria fica no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, na praça dos Três Poderes, em Brasília. Só podem nele ser inscritos nomes de brasileiros ou de grupos de brasileiros que tenham oferecido a vida à Pátria, para sua defesa e construção, com excepcional dedicação e heroísmo. A homenagem só poderá ser concedida mediante lei e após 10 anos da morte do laureado.

 

Rio de Janeiro: Empresa aposta em educação infantil domiciliar
Migalhas; 25/11
https://bit.ly/3CZsosp

Foi para salvar mães e pais aflitos durante a pandemia que nasceu a Poppins micro-schools, empresa especializada em educação infantil domiciliar que acaba de chegar ao Rio e já conta com mais de 50 profissionais especializados espalhados pela cidade e também pela capital paulistana, onde tudo começou.

A proposta é simples: levar a experiência da escola para dentro de casa, por meio de planejamento pedagógico, materiais personalizados e educadora exclusiva – todas são formadas em pedagogia, psicologia ou letras e passam por um processo seletivo rigoroso – para pequenos de 4 meses a 4 anos de idade.

 

Atleta olímpica não graduada em educação física pode dar aula
Migalhas; 25/11
https://bit.ly/3r86KQJ

A ex-nadadora olímpica e detentora de recordes brasileiro e sul-americano, Manuella Lyrio, pode ser treinadora de natação mesmo ser ter graduação em educação física. Assim decidiu, em liminar, o juiz Federal substituto Tiago Bitencourt de David, da 14ª vara Cível Federal de SP.

Manuella Lyrio se aposentou em 2020 e buscava, desde então, atuar como treinadora de natação. Houve resistência em sua contratação por clubes e academias, pois a ex-atleta não detém graduação em educação física e inscrição no CREF – Conselho Regional de Educação Física.

Diante desse contexto, a defesa da ex-nadadora impetrou mandado de segurança e alegou que a experiência e as credenciais de Manuella já lhe conferiam condições técnicas suficientes para atuar como treinadora de natação, conforme legislação aplicável.

 

Artigo: ‘EaD, novos formatos e precarização aguda do trabalho docente’
Revista Adusp; 25/11
https://bit.ly/3cREYiU

Por Paulo Hebmüller, revista Adusp: “Exclusão digital de grande parcela da juventude, adoção célere de Ensino a Distância, novos formatos de cursos e modalidades de contratos e acentuada precarização da atvidade docente são alguns dos aspectos de um retrato realista da educação em tempos de Covid-19 e das “oportunidades” geradas e aproveitadas pelas instituições privadas. Graças à providencial ajuda do MEC na gestão de Abraham Weintraub, até 40% da carga horária total dos cursos já vinham sendo oferecidos na modalidade EaD antes mesmo da pandemia, maximizando lucros das mantenedoras. As universidades públicas, porém, também são engolfadas na onda de “home office” e hibridismo.

“A pandemia criou a ‘mágica’, a descoberta para os mantenedores de que eles podem fazer enorme economia. Deixar apenas aulas práticas no presencial e colocar as teóricas em salas gigantescas no ensino remoto, com alunos de diferentes unidades ou cidades.

 

CORONAVÍRUS

Bolsonaro diz que ”outra onda” da COVID-19 ”está vindo”
Estado de Minas; 25/11
https://bit.ly/3FTQsPz

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira (25/11), que uma quarta onda de COVID-19 pode chegar ao Brasil. A declaração ocorreu em entrevista à Rádio Sociedade da Bahia enquanto comentava sobre o avanço do vírus em países europeus.

Bolsonaro defendeu também que não deveria ter carnaval no próximo ano, mas destacou que a decisão não cabe a ele. O chefe do Executivo aproveitou para culpar governadores pelo surto da COVID-19 no país.

 

Covid: o que se sabe sobre nova variante detectada na África do Sul
G1; 26/11
https://glo.bo/3nRtYZi

Variante B.1.1.529 tem 50 mutações, algo nunca visto antes. Ainda não se sabe se ela é mais perigosa ou transmissível, mas alterações genéticas preocupam por possível defasagem das vacinas.

Há a expectativa de que, nesta sexta-feira (26), a Organização Mundial da Saúde (OMS) batize com um codinome grego uma nova variante do coronavírus que foi registrada pela primeira vez na África do Sul e já é considerada aquela com o maior número de mutações.

Ainda é cedo para dizer o quão transmissível ou perigosa é a variante B.1.1.529. Isto porque ela ainda está restrita a uma província sul-africana.

Por outro lado, é importante destacar que a África do Sul tem só 24% da população totalmente vacinada, então, pode ser que, ao chegar a países com taxas mais altas de imunização, a variante não tenha tanta força.

 

 

 

 


Guerra cultural incendeia escolas dos EUA
El País; 24/11
https://bit.ly/3rjRIXU

A guerra cultural travada atualmente nos Estados Unidos tem uma nova frente: os conselhos escolares do ensino público. São reuniões em que um punhado de moradores de um determinado bairro discutem assuntos como o salário dos professores e os serviços de limpeza.

Há um ano, em diferentes cantos do país, eles se tornaram palco de protestos, às vezes violentos, liderados por pais contrários à “agenda política tóxica” que inclui o uso obrigatório de máscaras nas salas de aula, novos enfoques de equidade racial no ensino e políticas para a integração de pessoas transgênero.

Vários membros dos conselhos escolares enfrentaram nos últimos meses ameaça de morte e de estupro, insultos e assédio dentro e fora das reuniões, as quais desde outubro, por ordem do Departamento de Justiça, são monitoradas por agentes de segurança.

Entre os próprios membros dos conselhos se criam lados, e é comum ver uma metade usando máscara e a outra não, para deixar claro a qual pertencem. Tamanho é o nível de politização do debate que grupos conservadores e progressistas desembolsaram grandes somas de dinheiro nas disputas dos conselhos, para assegurar que sua posição obtenha a maior representatividade possível.

Em outubro, o Departamento de Justiça qualificou os acontecimentos dos últimos meses como “um alarmante pico de assédios, intimidações e ameaças de violência” contra membros de conselhos escolares.

O procurador-geral dos Estados Unidos, Merrick B. Garland, determinou que o FBI e os procuradores federais trabalhassem com os policiais locais para monitorar as ameaças contra as pessoas que trabalham nos 14.000 distritos escolares públicos do país. A Associação Nacional de Conselhos Escolares comparou alguns dos incidentes com o terrorismo doméstico, embora tenham recuado depois que a mensagem desencadeou uma reação de alguns de seus membros.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio