Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 14 de agosto de 2022

11 de novembro de 2021

11/11 – a PLR da Educação Básica, ministro viaja a Paris mesmo com crise no Enem, quatro anos de fracasso da ‘reforma’ trabalhista, e mais: consciência negra em debate e filmes

.

Comissões de professores e auxiliares tem estabilidade garantida e toda assistência dos sindicatos para acertar sua PLR com a escola, além do que puder ser negociado entre a Federação e o patronal
Leia tudo aqui: https://bit.ly/31T2Kcc

 

 

Em meio à crise no Enem, ministro da Educação vai a Paris por uma semana
O Globo; 10/11
https://outline.com/pVbSBT

A crise no Ministério da Educação não parece preocupar o ministro Milton Ribeiro. Apesar de dois coordenadores do instituto que realiza o Enem terem sido exonerados e de outros 35 funcionários terem pedido demissão, Ribeiro, seu secretário-executivo, Victor Godoy Vega, e o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Marcelo Lopes da Ponte, foram para Paris na segunda-feira para participar da 41ª Conferência Geral da Unesco com passagem e diárias pagas pelo governo.

Ou seja: às vésperas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e em meio a uma crise no instituto que realiza o exame, a cúpula do ministério está ausente de Brasília. A portaria que chancelou o afastamento do ministro foi assinada por Jair Bolsonaro.

ENEM: SBPC diz que instabilidade no Inep é danosa para toda a sociedade
Folha de S. Paulo; 10/11
https://bit.ly/3F9DNaz

A SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) manifestou preocupação com a debandada de servidores do Inep, órgão ligado ao Ministério da Educação.

Segundo a entidade científica, a instabilidade pode ter “consequências danosas não apenas às atividades avaliativas do Inep, mas para a sociedade brasileira”.

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), que é responsável pela elaboração do Enem e pelas principais avaliações federais do país, sofre um desmonte inédito no governo de Jair Bolsonaro (sem partido). Na segunda-feira (8), 33 servidores pediram exoneração dos cargos citando a “fragilidade técnica e administrativa da atual gestão” do órgão.


Artigo: ‘Desmanche do Inep vem do início do governo Bolsonaro e ameaça educação’
Folha de S. Paulo; 10/11
https://bit.ly/3n3uzqe

Por Hubert Alquéres, membro da Academia Paulista de Educação: “A metástase do Inep acontece a 13 dias da realização do Enem, pondo em risco a principal porta de entrada no ensino superior para milhões de jovens em todo o país.

Não apenas ele, mas também o Censo da Educação, medida fundamental para a repartição das verbas do Fundeb, principal fonte de financiamento do ensino básico. O Saeb, prova da avaliação desse nível de ensino a ser realizada ainda neste mês, também pode ficar comprometido. O mesmo pode acontecer com o Enade, voltado para a avaliação do ensino superior.

Em poucas palavras, está sendo descontruído o arcabouço institucional duramente construído desde os anos 1990 e responsável pela disseminação da cultura da avaliação em nosso país.

Mas crise do Inep é filha legítima do descaso do governo Bolsonaro com a educação. Por isso mesmo, Milton Ribeiro e Danilo Dupas Ribeiro continuarão intocáveis em seus cargos.

 

TRABALHO

Reforma trabalhista reduziu ações na Justiça, mas não cumpriu promessa de empregos
Folha de S. Paulo; 11/11
https://bit.ly/3n19NaN

Quatro anos depois da entrada em vigor da reforma trabalhista, completados nesta quinta (11), o saldo é de queda no número de ações na Justiça do Trabalho, mas o número de empregos anunciado pelo governo à época ficou só na promessa.

governo Michel Temer chegou a divulgar durante a tramitação da proposta que era estimada a geração de 6 milhões de empregos em até uma década com a aprovação —2 milhões apenas nos dois primeiros anos.

A Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no entanto, mostra uma história diferente: a taxa de desocupação trimestral, que chegou a ficar entre 6% e 7% em 2014, subiu para 8,7% em agosto de 2015 —considerando-se trabalhadores formais, informais, por conta própria, entre outros.

Em meados de 2017, antes da mudança na legislação, a desocupação era de 12,6%. Dois anos depois, em 2019 e antes da pandemia, estava em 11,8%. Em 2021, já com a crise sanitária, o mercado de trabalho sofreu um novo golpe e o desemprego tem oscilado acima disso, entre 14,7% e 13,2%.

 

CORONAVÍRUS

Quarta onda, Covid-19: Alemanha bate recorde de novos casos e Rússia, de óbitos
Rede Brasil Atual; 10/11
https://bit.ly/3kuj1uG

ela terceira vez em uma semana a Alemanha registrou recorde de novos casos diários de covid-19 desde o início da pandemia. Foram 39.676 infecções contabilizadas em 24 horas, nesta quarta-feira (10), de acordo com o Instituto Roberto Koch (RKI). Até então, os maiores números haviam sido registrados na sexta e quinta-feira da semana passada – com 37.120 e 33.949, respectivamente. Há uma semana, os novos infectados estavam na casa dos 20 mil, quase a metade do índice atual, o que revela o agravamento da pandemia no país.

“Continuamos vivenciando, pelo menos nas UTIs, uma pandemia de não vacinados, o que volta a pressionar o sistema, porque o número de não vacinados é muito grande”, alertou o ministro da Saúde, Jens Spahn.

Até o momento, 67,3% da população alemã foi completamente vacinada. Contudo, assim como vem ocorrendo nos Estados Unidos e vários países europeus, os não vacinados continuam resistindo a aderir à imunização.

 

 

Práticas antirracistas na comunicação, um debate fundamental
Rede Brasil Atual; 09/11
https://bit.ly/30mvedZ

Seminário promovido pelo Centro de Comunicação e Letras do Mackenzie nestes dias 11, 12 e 16 de novembro foi organizado com a participação de alunos negros.

Na convocação para o seminário, os organizadores lembram a origem do 20 de novembro, oficialmente instituído Dia da Consciência Negra em 2003. A data relembra o assassinato do líder quilombola Zumbi dos Palmares, na Serra da Barriga em Alagoas, em 1695, por bandeirantes enviados pelos portugueses. Reconhecido como feriado apenas em cinco estados brasileiros, o Dia da Consciência Negra é uma conquista do movimento negro para celebrar batalhas negras por liberdade e não a concessão circunstancial da liberdade, como no caso do feriado de 13 de maio.

E explicam: o chamado Dia da Abolição da Escravatura, instituído em 1890, dois anos depois da assinatura da Lei Áurea pela Princesa Isabel, buscava celebrar a “fraternidade entre os brasileiros”. “Uma falácia rejeitada pela militância negra que insistia na denúncia das condições sub-humanas às quais a população negra esteve submetida desde então”, ensinam.


A importância do cinema na educação antirracista
Notícias Concursos; 11/11
https://bit.ly/3ksfBZh

Nesta sexta-feira, dia 12, às 16h, um debate ao vivo com lideranças da educação antirracista vai discutir o tema a partir de filmes, séries e documentários. Será no youtube do Canal Curta!, aqui.

O encontro terá as participações das professoras Waldette Tristão, doutora em Educação pela Faculdade de Educação da USP e formadora de gestores e professores para uma educação antirracista; Denise Rampazzo, doutoranda em Educação na Unifesp, mestre em Educação pela Faculdade de Educação da USP e formadora de professoras; Dayse Ramos, mestre em Letras pela USP e doutoranda em Educação pela PUC.

Além deste debate, a Tamanduá Edu criou o especial Consciência Negra – Educação Antirracista, na qual os professores cadastrados na plataforma poderão assistir gratuitamente 12 filmes, séries e documentários sobre o tema, até o dia 21/11. Aqui: https://www.youtube.com/watch?v=42qXWSWNcPQ

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio