Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 25 de janeiro de 2022

3 de novembro de 2021

03/11 – Governo do Estado despreza distanciamento em sala de aula, Ministério do Trabalho despreza vacina, a inflação nos últimos doze meses, e mais: meio ambiente e a reunião da Cop26 na Escócia

.

‘No século XIX, os homens mais ricos do Brasil eram traficantes de escravos. Rentismo ocupa hoje o mesmo lugar. País precisa asfixiá-lo, para voltar a ter esperança’. Artigo, do economista Marcio Pochmann, no site da Fepesp:  https://bit.ly/31fHXPD

  

 

Acaba nesta quarta (3) o rodízio de alunos no estado de SP
Agora; 03/11
https://bit.ly/3k1yyBW

A partir desta quarta-feira (3) não haverá mais a necessidade de distanciamento nas salas de aula da rede estadual de ensino, acabando, assim, com o rodízio de alunos nas unidades. Passa a ser obrigatória a presença diária dos alunos nas escolas.

O uso de máscara de proteção facial nas dependências continua sendo obrigatória, assim como a higienização das mãos com álcool em gel.

A exceção da presença nas salas de aula continua valendo para jovens pertencentes ao grupo de risco, com mais de 12 anos, que não tenham completado seu ciclo vacinal contra Covid-19, gestantes e puérperas e menores de 12 anos pertencentes ao grupo de risco. Estudantes com condição de saúde de maior fragilidade à Covid, mesmo com o ciclo vacinal completo, deve comprovar com prescrição médica para permanecer em atividades remotas.

 

Com medo da evasão, escolas devem ter reajuste menor
Agora; 29/10
https://bit.ly/3waFQbp

As escolas particulares deverão ser cautelosas ao definir os percentuais de reajuste nos preços para o ano letivo de 2022. Diante da crise econômica no Brasil, as instituições temem que um aumento muito elevado provoque alto índice de evasão. “As escolas sabem que não podem aumentar demais, porque as famílias já estão com muita dificuldade financeira”, comenta Benjamin Ribeiro da Silva, presidente do Sieeesp (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo).

Inflação no Brasil em 12 meses (até setembro de 2021)

IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo)
Educação: 3,12%
Creche: 5,7%
Pré-escola: 7,01%
Ensino fundamental: 6,25%
Ensino médio: 6,51%
Ensino superior: -0,80%
Geral: 10,25%

INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor)
Educação: 3,62%
Creche: 4,92%
Pré-escola: 10,16%
Ensino fundamental: 6,92%
Ensino médio: 7,38%
Ensino superior: 0,19%
Geral: 10,78%

 

O Sindicato dos Professores de Jundiaí mantém convênio com o CLUBE SÃO JOÃO para oferecer preços especiais para os professores sindicalizados e seus dependentes. Saiba mais aqui: https://bit.ly/3BAv6Eg

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Regra do Fundeb vira entrave de R$ 125 bi para governos que venderam folha salarial
Folha de S. Paulo; 01/11
https://bit.ly/2ZMpKsr

As novas regras do Fundeb, fundo de financiamento da educação, têm provocado confusão no pagamentos de salários em estados e municípios. A lei veta a transferência de recursos a outros bancos que não a Caixa e o Banco do Brasil.

A norma ignora que a maioria dos governos estaduais e prefeituras já havia vendido a operacionalização das folhas de pagamentos para bancos privados. Há ainda casos de entes que trabalham com bancos estaduais.

A situação deixou governos locais em situação de instabilidade. Se mantiverem os pagamentos de todo o funcionalismo em bancos com quem têm contratos, correm risco de serem enquadrados em ilegalidades.


UNE prepara projeto de educação aos presidenciáveis nas eleições 2022aulas presenciais, e pais precisam se adaptar à decisão do governo
BNC Poder; 02/11
https://bit.ly/3wafIx8

A União Nacional dos Estudantes (UNE) prepara um projeto de Educação para todos os candidatos que disputarão a presidência do Brasil em 2022. É oque afirma a presidente da entidade, a estudante do Amazonas, Bruna Brelaz (26).

Ela disse ao BNC, que o Brasil vive um retrocesso sem tamanho, no debate educacional. Nesse sentido, ela defende que é preciso repensar a Educação, pois atualmente se apresenta assim: “Corte de verbas nas universidades, o ENEM mais desigual para a história do país, a destruição do FIES e do Prouni. Então a gente vai precisar repensar o Brasil”.

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Ações da Cogna (Kroton) disparam após compra da Editora Eleva
Estadão; 01/11
https://bit.ly/3BGsbty

Os papéis da companhia de educação Cogna (COGN3) dispararam na manhã desta segunda-feira (01). Por volta das 11h30, as ações atingiram os 12,5% de valorização, aos R$ 2,79. Por trás do salto, está a notícia de que a Somos Sistemas (empresa controlada pela Vasta, que pertence à Cogna) haveria concluído a aquisição da Editora Eleva por um valor base de R$ 612 milhões.

Com a transação, a Vasta agora detém todos os direitos e ativos relacionados aos sistemas de ensino de educação básica até então comercializados pela holding Eleva Educação. Segundo o comunicado da Cogna, a Vasta agora se consolida como uma das principais companhias de subscrição de sistema de ensino do Brasil.

 

CORONAVÍRUS

‘Não é um número’: campanha homenageia vítimas da covid no Brasil
Rede Brasil Atual; 28/10
https://bit.ly/31lXSvP

No Dia de Finados, nesta terça-feira (2), o Memorial Inumeráveis ocupa as redes sociais do Brasil com as histórias de vida de algumas das mais de 608 mil vítimas da covid-19. Os números no Brasil são, de fato, gravíssimos, porque o país tem menos de 3% da população do mundo, mas registra mais de 12 % das mortes pela doença. No entanto, o objetivo do memorial é não permitir que essas histórias de pessoas que perderam a vida para a pandemia – e para a omissão governamental – se limitem a números. Desse modo, o memorial convida os enlutados a compartilhar um texto curto sobre a sua pessoa querida. A iniciativa presta uma forma de “homenagem, protesto e cura” com a hashtag #nãoéumnúmero.

 

TRABALHO

Ministério do Trabalho proíbe demissão de pessoas não vacinadas contra a covid-19
Rede Brasil Atual; 02/11
https://bit.ly/2ZMpKsr

O ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni (DEM), anunciou nesta segunda-feira (1º) publicação de uma portaria proibindo empregadores de exigir a comprovação de vacinação contra a covid-19 para a contratação ou manutenção de um trabalhador no emprego. O texto da Portaria nº 620 do ministério considera como “prática discriminatória a obrigatoriedade de certificado de vacinação em processos seletivos de admissão de trabalhadores, assim como a demissão por justa causa de empregado em razão da não apresentação de certificado de vacinação”.

A portaria ainda estabelece que empregadores poderão apenas realizar a testagem periódica dos trabalhadores com a finalidade de “assegurar a preservação das condições sanitárias no ambiente de trabalho”.

 

 

 

 

Meio ambiente: por que a COP26 interessa diretamente a você
Nexo; 30/10
https://bit.ly/3k1Y9dV

Representantes de governos, setor privado e sociedade civil se reúnem neste domingo (31) na cidade de Glasgow, na Escócia, para a abertura das negociações da COP26, a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, que vai até 12 de novembro.

Adiada de 2020 para 2021 por conta da pandemia de covid-19, a COP26 é o prazo final para que os países decidam como irão cumprir com o Acordo de Paris para o clima. O evento gera grande expectativa em meio ao aumento da preocupação global com a mudança climática.

 

O mapa que ajuda a visualizar a mudança climática na sua região
Nexo; 01/11
https://bit.ly/3kmusof

As mudanças climáticas são um dos principais desafios do planeta. Foi pensando em uma forma visual de representar o impacto do aquecimento global em diferentes lugares do mundo que Spencer Glendon, pesquisador de mudanças climáticas, criou o projeto Probable Futures (ou “Futuros Provavéis”, em tradução livre).

O site reúne diversos materiais em inglês sobre a crise climática e um mapa interativo que faz simulações de como ficará o clima de diferentes regiões a depender do cenário de aquecimento global.

A principal demarcação feita pelo mapa está relacionada aos dias do ano – ele contabiliza quantos dias em um ano países vão enfrentar altas temperaturas. Assim, quanto mais vermelho o mapa ficar, maior será o número de dias muito quentes. O mapa também ilustra a situação do planeta em relação a outros eventos climáticos, como aumento ou diminuição de temporadas de frio e umidade.

Todos esses fatores variam de acordo com a escala de aumento da temperatura global, que vai de 1,5ºC até 3ºC. Esses são os cenários vistos como mais prováveis em decorrência das mudanças climáticas, a depender da ação humana para lidar com o problema.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio