Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 28 de fevereiro de 2024

13 de junho de 2019

Ensino privado adere à Greve Geral, o que fica e o que sai na ‘reforma’, TRF-1 derruba liminar que impedia desmonte das federais, e mais.

.

[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_whwi"]

 

#14J – É AMANHÃ!
Com força, com confiança, amanhã é o dia de retornarmos o destino deste país – pela Educação, pela Liberdade, pela Justiça. Veja no seu sindicato quais são as atividades para a manifestação desta sexta, dia 14. Em São Paulo, Capital, todos na avenida Paulista a partir das 16 horas! Veja as orientações para amanhãhttp://bit.ly/2MLZfw0

 


 

Professores de ao menos 33 escolas particulares de SP 
aderem à greve sexta, diz sindicato
Folha de S. Paulo; 12/06
http://bit.ly/2IBWvMy

Professores de ao menos 33 escolas particulares em São Paulo decidiram por não dar aula nesta sexta-feira (14), quando haverá uma greve-geral contra a reforma da Previdência, segundo sindicato de professores. A lista do Sinpro-SP  inclui escolas tradicionais como o colégio Equipe, Escola da Vila, Santa Cruz e Vera Cruz Silvia Barbara, diretora do sindicato, diz que a organização vem levando carros de som para escolas para mobilizar o corpo docente para o ato e aumentar o número de instituições fechadas na sexta.

 

Professores da rede particular param na sexta
R7; 12/06
http://bit.ly/2ICUbVD

Professores da rede de escolas particulares de São Paulo devem aderir à greve geral convocada para a próxima sexta-feira (14) conforme anunciou o Sinpro (Sindicato dos Professores de São Paulo) contra  Reforma da Previdência e em defesa da Educação. Professores da rede pública e o transporte coletivo também devem parar.

 

Colégios particulares de SP vão parar nesta sexta-feira
Estadão; 12/06
http://bit.ly/2IcN5Ie

Colégios particulares de São Paulo vão ter as atividades suspensas ou interrompidas parcialmente nesta sexta-feira, 14, em razão da greve geral no País contra a reforma da Previdência. Em assembleia, professores e estudantes de várias unidades aprovaram a paralisação.

 

Confira lista de categorias mobilizadas
para a Greve Geral desta sexta (14)
Brasil de Fato; 12/06
http://bit.ly/2X6H20l

Bancários, professores, metalúrgicos, trabalhadores da Educação, estudantes e docentes de universidades federais e estaduais, trabalhadores da saúde, de água e esgoto, dos Correios, da Justiça Federal, químicos e rurais, portuários, agricultores familiares, motoristas, cobradores, caminhoneiros, eletricitários, urbanitários, vigilantes, servidores públicos estaduais e federais, petroleiros, enfermeiros, metroviários, motoristas de ônibus, previdenciários e moradores de ocupações por todo o Brasil. O que toda essa gente tem em comum? O fato de que decidiram, em assembleia e como categoria, cruzar os braços e se juntar aos atos desta sexta-feira (14), na Greve Geral contra a reforma da Previdência, contra os cortes na educação e por mais empregos.

 


Mobilização para a Greve Geral segue a todo vapor no País
Agência Sindical; 12/06
http://bit.ly/2IDetOT

Os preparativos para a Greve Geral se espalham pelo País. Levantamento das entidades sindicais indicam que a maioria dos Estados já tem uma agenda de atos e paralisações programadas para a sexta, 14, dia da paralisação. Organizada pela CUT, Força Sindical, CTB, Nova Central, UGT, CGTB, CSB, CSP- Conlutas e Intersindical, a greve ganhou a adesão de bancários, professores, metalúrgicos, químicos, portuários, trabalhadores rurais, agricultores familiares, metroviários, motoristas, cobradores, caminhoneiros, trabalhadores da educação, da saúde, de água e esgoto, dos Correios, da Justiça Federal, petroleiros e servidores públicos.

 

Greve geral: do ensino básico à universidade, 
educação para contra PEC da Previdência
Rede Brasil Atual; 12/06
http://bit.ly/2F9IB3c

Sindicatos que representam trabalhadores da educação, desde o ensino básico até a universidade, aprovaram adesão à greve geral da próxima sexta-feira (14), contra a “reforma” da Previdência proposta pelo governo Bolsonaro, via proposta de emenda à Constituição (PEC). Creches, pré-escolas, unidades de ensino fundamental e médio, bem como as faculdades e universidades, das redes pública e privada, vão ter as atividades suspensas. A reforma prejudica todos os trabalhadores, mas em especial os professores. Eles exigem o fim dos cortes de recursos na educação. Além da greve, haverá manifestações em vários locais do país. Em São Paulo, o ato será às 16h, no vão livre do Masp, na Avenida Paulista.

 

Artigo: Ricardo Patah, presidente da UGT |
“Sem diálogo, caminho é a greve”
Folha de S. Paulo; 13/06
http://bit.ly/2IDLMRH

“Não há outra saída. Infelizmente. Desde o começo do ano, procuramos diálogo com o governo Jair Bolsonaro (PSL). Nenhuma porta se abriu. Parece que nós, trabalhadores, somos inimigos. O que não é verdade. Estamos todos no mesmo barco, numa viagem aparentemente suicida. Parece que apostamos em mais miséria, menos educação, mais desemprego, mais preconceito e mais violência. Esse é o Brasil que vemos pela frente, à deriva, sem um projeto nacional”, escreve o presidente da União Geral dos Trabalhadores.

 


Aposentados fazem passeata em SP contra reforma da Previdência
Agência Sindical; 12/06
http://bit.ly/2Zjp9c7

O Sindicato dos Aposentados, Pensionistas e Idosos, da Força Sindical, realizou nesta quarta (12), no Centro de São Paulo, uma manifestação contra a reforma da Previdência e de convocação para a Greve Geral.  Cerca de 300 pessoas, entre dirigentes, aposentados e filiados, participaram do ato, que teve caminhada pelas ruas Direita e Boa Vista e concentração em frente ao Poupa Tempo, na Praça da Sé e no Largo da Misericórdia.

 

Capitalização, estados e rural: 
veja o que deve sair do relatório da Previdência
Folha de S. Paulo; 12/06
http://bit.ly/31uWOkN

O relator da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara dos Deputados, Samuel Moreira (PSDB), e líderes de partidos na Casa correm nesta quarta-feira (12) para fechar os últimos pontos do acordo que viabilizará a leitura do relatório nesta quinta. O que deve ficar de fora: Capitalização; Estados e municípios; Desconstitucionalização; Benefício assistencial a idosos; Aposentadoria rural. O que pode mudar: Tempo de contribuição; Transição; Idade para Professoras.

 

Previdência: parecer pode ser apresentado na 5ª; 
PSDB fecha questão a favor e PSB pode mudar de posição
Diap; 12/06
http://bit.ly/2ZoiRrs

Líderes da oposição querem adiar a apresentação do relatório. Eles estiveram reunidos, nesta terça-feira (11), com o presidente da comissão especial que analisa a proposta, deputado Marcelo Ramos (PL-AM). Ele confirmou para esta quinta, a apresentação do relatório. No entanto, Ramos disse que, se houver apelo da maioria, pode adiar a discussão da proposta. “Vou conversar com outros líderes para discutir procedimentos de votação. Não me interessa abrir a discussão da matéria num processo tenso, conflituoso e desqualificado”, disse.

 

 


TRF-1 derruba liminar que suspendia bloqueio de verbas nas federais 
UOL; 12/06
http://bit.ly/2IeEXr0

O TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região) revogou na noite de hoje uma decisão liminar (isto é, provisória) da Justiça Federal da Bahia que suspendia os bloqueios realizados pelo MEC (Ministério da Educação) no orçamento das universidades federais. A decisão é do desembargador Carlos Moreira Alves e atende a um recurso apresentado pela AGU (Advocacia-Geral da União) na última segunda (10).

 

 


Veja a programação da 9ª Conferência Nacional 
de Educação Paulo Freire, Educação Libertária e Democracia
CNTE; 11/06
http://bit.ly/2XJPHmf

De 26 a 28 de junho será realizada em Curitiba (PR) a 9ª Conferência Nacional de Educação Paulo Freire, Educação Libertária e Democracia – Construindo o Movimento Pedagógico Latino-americano. Participam da Conferência representantes dos sindicatos filiados à CNTE de todas as regiões do país. No dia 27, a partir das 10h, haverá o debate “Políticas Educacionais no (Des)Governo Bolsonaro – Análise das políticas do Governo Bolsonaro”; Já no período da tarde, haverá a exposição Práticas da Educação Libertária e Democrática; A manhã do dia 28 de junho, a partir das 9h, será dedicada aos Grupos de Trabalhos Temáticos do Plano Nacional de Educação (PNE). Todos os eventos contarão com especialistas em Educação e outras áreas de interesse.

 

 

Os principais desafios do Início da carreira do professor
Nova Escola; 12/06
http://bit.ly/2ZixQTU

O Brasil tem cerca de 2,2 milhões de professores, o que caracteriza a profissão como a mais numerosa de todo o país. Segundo dados da pesquisa Profissão Professor, realizada pelo Todos pela Educação em parceria com o Itaú Social, 49% dos docentes brasileiros não recomendam a própria profissão, e 71% avaliam como insuficiente a sua formação inicial para dar aulas. Somado a isso, o quadro de saúde emocional dos professores brasileiros é preocupante. Entretanto, como será que os professores com menos de 5 anos de experiência na área enxergam esse início de profissão? Quais serão os principais desafios enfrentados por esses profissionais e como eles se sentem?

 

 


Exclusivo: Luiz Fux disse para Deltan Dallagnol, 
da Lava Jato, “contar com ele”
Band; 12/06
http://bit.ly/2F98OyX

Pela primeira vez, o nome de um ministro do Supremo Tribunal  Federal (STF) citado: Luiz Fux. O ministro foi responsável por barrar uma entrevista que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concederia à imprensa no ano passado. No trecho inédito, de uma conversa que teria acontecido em 22 de abril de 2016, Dallagnol encaminha para Sergio Moro mensagens que enviou para um grupo de procuradores da operação. Deltan relata uma conversa que teve com o ministro Fux, que teria dado apoio à Lava Jato após uma “queda de braço” entre Moro e o também ministro do STF Teori Zavascki, morto em 2017.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio