Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 28 de fevereiro de 2024

21 de fevereiro de 2019

Cobertura especial: Reforma da Previdência | 5 pontos para entender a proposta de capitalização da Reforma | Proposta de Bolsonaro para a Previdência prejudica mais mulheres do que os homens | Reforma de Bolsonaro e o fim do bem-estar social | Parlamentares não gostam de ausência de reforma para militares | Celso Napolitano em entrevista à radio Jovem Pan | Professores lançam manifesto em defesa da Escola Sem Censura | USP lança cátedra para treinar professores | Governo Bolsonaro e o pente-fino ideológico do Enem | EUA pressionam Brasil contra Venezuela | E mais.

[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_whwi"]

Cobertura especial sobre a Reforma da Previdência: 

 

5 pontos para entender a proposta de capitalização da Reforma
Carta Capital; 20/02
http://bit.ly/2TXFuRm

Como já era previsto, a PEC da Reforma da Previdência trouxe alguns detalhes sobre o modelo de capitalização. Nele, cada trabalhador fica responsável por poupar para a própria velhice, ao contrário do modelo atual, que prevê um acordo entre gerações – os trabalhadores ativos financiam a aposentadoria dos inativos. Esse ponto é o mais criticado por entidades sindicais e líderes de oposição. No Chile, o modelo tornou idosos miseráveis: 90% dos aposentados recebe menos de dois terços do salário mínimo do país. A taxa de suicídio entre octogenários é a maior na América Latina.

Reforma da Previdência prevê idade mínima 
de 60 anos para professores
Folha de S. Paulo; 20/02
http://bit.ly/2XhsbNY

A proposta de reforma da Previdência prevê regras mais duras para que professores se aposentem. Os professores da iniciativa privada, segundo o texto, terão que cumprir uma idade mínima de 60 anos. Isso valerá para homens e mulheres, que terão que contribuir por 30 anos.

Reforma da Previdência terá que 
esperar definições internas da Câmara
Folha de S. Paulo; 20/02
http://bit.ly/2U0aznH

Por ser uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição), o projeto terá quer ser analisado por duas comissões. A primeira delas é a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), que ainda não começou a funcionar. Vinte dias depois do início do ano legislativo, as bancadas dos partidos na Casa ainda não chegaram a um acordo sobre a divisão das comissões.

Proposta de Bolsonaro para a Previdência
prejudica mais mulheres do que os homens

Rede Brasil Atual; 21/02
http://bit.ly/2TVx1y6

Pelas regras de transição propostas por Bolsonaro, que quer implementar a idade mínima de 62 anos para as mulheres, essa mesma mulher terá de trabalhar mais sete anos (55+7 = 62) para se aposentar por idade. Ainda assim, ela só chegaria a 32 anos de contribuição (25+7 = 32) e não se aposentaria com o benefício integral, que, pelas novas regras, vai exigir, no mínimo, 40 anos de contribuição. Dessa forma, o benefício será de apenas 60% a quem atingir 20 anos de contribuição e sobe 2% por ano de contribuição que exceder esse tempo mínimo exigido na proposta de reforma, até chegar a 100% com 40 anos de contribuição.

Maldades da reforma de Bolsonaro
são parte da destruição do bem-estar social

Rede Brasil Atual; 20/02
http://bit.ly/2ttZYpp

O economista Fausto Augusto Júnior, coordenador de Educação do Dieese, afirma que os trabalhadores não devem ficar ansiosos, já que, seguindo o rito legal, a proposta deve tramitar por no mínimo seis meses entre a Câmara dos Deputados e o Senado. “Tudo vai depender da combinação de forças no Congresso Nacional e a capacidade de reação dos trabalhadores”, afirma o economista, ressaltando a importância de construir a resistência. “Porque a questão não é só a aposentadoria do trabalhador, o que já seria muita coisa. Mas essa reforma trata de um processo de mudança do Estado democrático de direito no país”, avisa. “Temos de fazer esse debate sobre que projeto de sociedade a gente quer, de visão de Brasil.”

Parlamentares mostram desagrado
com ausência de reforma para militares

Exame; 18/02
https://abr.ai/2ElNsOK

Caciques de partidos do chamado Centrão criticaram publicamente o governo nesta quarta-feira (20) pela decisão de encaminhar ao Congresso a proposta de reforma da Previdência sem incluir no pacote entregue o projeto que altera as regras dos regimes previdenciários dos militares.

 

 

 

 


Veja o recado de Celso Napolitano em entrevista à radio Jovem Pan
Jovem Pan News; 21/02
http://bit.ly/2U1xz5t

Veja o recado de Celso Napolitano em entrevista à radio Jovem Pan (aos 2m50s da reportagem). O vídeo completo de Celso está aquihttps://bit.ly/2IoCkoj

 


Sinpro Sorocaba | Reunião de mobilização
Sinpro Sorocaba; 20/02
http://bit.ly/2U01lrt

O Sinpro-Sorocaba convoca às professoras e os professores da rede privada de ensino – educação básica – para uma reunião de mobilização preparatória, para a assembleia que será realizada ainda este mês. A mobilização ocorrerá no próximo sábado (23), a partir das 9h30 na sede do Sinpro. A união da categoria é imprescindível para que possamos defender nossos direitos, o respeito ao trabalho das professoras e professores e a manutenção de uma educação de qualidade e plural.

 

 

Professores lançam manifesto em defesa da Escola Sem Censura
Sinpro Campinas; 21/02
http://bit.ly/2GAloJX

O Sinpro Campinas e região em parceira com outras entidades de educadores lançará na próxima quarta-feira, dia 27, o manifesto em Defesa da Escola Sem Censura. O evento começará às 19h, no Colégio Carlos Gomes, em Campinas. A inciativa surgiu das rodas de conversa realizadas pelo Sinpro para tratar sobre violência e perseguição ideológica aos professores. Nos eventos, os professores presentes entenderam que a perseguição aos docentes, o cerceamento da liberdade de cátedra da categoria e a  tentativa da implantação de projetos que pretendem criminalizar os professores e impedir o debate e a pluralidade de ideias em sala de aula são estratégia política. Criou-se, então, a rede de resistência em defesa da Escola Sem Censura.

 

USP lança cátedra patrocinada 
para treinar professores do ensino básico
Folha de S. Paulo; 20/02
http://bit.ly/2SkfsGB

Em busca de reduzir a grande distância entre a pesquisa acadêmica e a realidade das salas de aulas no país, a USP (Universidade de São Paulo) lançará nesta quinta-feira (21), com patrocínio de R$ 5 milhões da Fundação Itaú Social, uma cátedra com foco no ensino básico.

 

 

Governo Bolsonaro vai criar comissão
para pente-fino ideológico de questões do Enem

Folha de S. Paulo; 20/02
http://bit.ly/2ShEMwP

O governo Jair Bolsonaro (PSL) vai criar uma comissão especial para fazer uma análise ideológica do banco de questões do Enem. O principal alvo será o expurgo de itens que abordem uma suposta “ideologia de gênero”, termo nunca usado por educadores. Uma portaria do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), responsável pelo exame, será publicada nos próximos dias para criar a comissão. Servidores do próprio instituto temem que o pente-fino inviabilize outras abordagens, como visões críticas da ditadura militar, por exemplo.

 

 

Previdência testará serventia de Bolsonaro
Valor Econômico; 21/02
http://encurtador.com.br/dhloW

A reforma da Previdência do governo Jair Bolsonaro foi talhada para arregimentar o apoio dos trabalhadores mais pobres dos centros urbanos contra a elite do funcionalismo. É este o fundamento da progressividade da proposta que reduziu a alíquota dos servidores públicos e dos trabalhadores da iniciativa privada com rendimento até um salário mínimo para 7,5% e aumentou aquela de carreiras de Estado com rendimentos alinhados pelo teto para 16,8%. Esta será a propaganda que escorregará para a fantasia se incorporar o discurso de que a alíquota máxima será de 22%. Este percentual apenas incidirá para aqueles que recebem acima do teto de R$ 39 mil, só ultrapassado com penduricalhos que não entram na base de cálculo da contribuição previdenciária.

 

Filho do presidente sugere mudar a PEC
Valor Econômico; 21/02
http://encurtador.com.br/cBV25

Mesmo ligada a Bolsonaro, a frente parlamentar da segurança pública diz que não aceitará a elevação da contribuição previdenciária dos policiais nem o aumento no tempo para a carreira se aposentar. […] Primogênito de Bolsonaro, o senador Flávio (PSL-RJ) defendeu, nas redes sociais, que os guardas municipais se aposentem mais cedo, com 55 anos. “Caberá ao Congresso Nacional aprimorar a proposta de nova previdência com emendas. Por exemplo, a que inclui as guardas municipais nas mesmas regras de policiais”, escreveu.

 

EUA pressionam Brasil a usar força militar 
em operação na Venezuela
Folha de S. Paulo; 20/02
http://bit.ly/2EmlGlr

Os EUA querem que o Brasil use força militar para entregar ajuda humanitária à Venezuela. A área de Defesa brasileira resiste à ideia por temer que a situação escale para um conflito, e também vetou a sugestão de que soldados americanos participassem da operação.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio