Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 27 de fevereiro de 2024

31 de maio de 2022

31/05 – O bloqueio de verbas na Educação, Ciência e Saúde; um kit de educação domiciliar à venda pela internet; mercado paralelo abre cursos de Medicina; e mais: ‘study influencers’, nova moda pré-vestibular

.

[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_whwi"]

“Muitos professores relataram intromissão nas aulas pelas famílias, por grupos de ensino, institutos, inclusive afetando a própria liberdade de cátedra. Esse grupo Escolas Abertas (que pressionou pelo retorno do ensino presencial no auge da pandemia) e o Escola sem Partido agiram de maneira muito intensa neste período da pandemia”, relata Celso Napolitano. A Fepesp é uma das instituições parceiras do manual contra a censura nas escolas. Leia aqui: https://bit.ly/3wVGlYP

 

 

ENSINO SUPERIOR

Mercado paralelo oferece possibilidade de abrir cursos de medicina
Valor Econômico; 31/05
http://glo.bo/3ayj5HB

A corrida por liminares para conseguir abrir cursos de medicina, fora do programa Mais Médicos e da moratória de cinco anos instituída em 2019, criou um mercado paralelo de consultores, advogados e até mantenedores de faculdades oferecendo caminhos para que as instituições de ensino entrem nesse rentável mercado, que movimenta cerca de R$ 12 bilhões, o equivalente a 25% do faturamento total do ensino superior.

Esses serviços estão sendo ofertados até em redes sociais. O Valor teve acesso a um post de uma consultoria mineira chamada CVFAC – Compra e Venda de Faculdades, cujo título da publicação é “Abra sua faculdade de medicina com a CeVeFac.”

A proposta inclui um pagamento caução de R$ 300 mil, outros R$ 4 milhões quando a liminar é concedida pelo juiz e mais 6% das mensalidades durante cinco anos, que é praticamente o período de todo o curso de medicina. O post informa ainda que o interessado deve ter conhecimentos da área médica e do setor de ensino superior. “Você deve possuir uma faculdade em qualquer lugar (não pode ser local/cidade que tenha faculdades dos grandes grupos como Kroton, Ser, etc)”, mas pode ser em regiões em que os consolidadores tenham polo de ensino a distância, cuja presença é praticamente em todo o país.

 

CAMPANHA SALARIAL 2022:
ULTRATIVIDADE VALE NO ENSINO SUPERIOR

Em negociação nesta campanha salarial do Ensino Superior, foi acordado que as mantenedoras irão seguir todas as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho de professores e auxiliares de administração até 12 de julho, apesar do julgamento do STF. Portanto, se qualquer direito da Convenção Coletiva for desrespeitado, procure imediatamente o seu sindicato.

Pressão, mobilização, é assim que conseguiremos garantir nossos direitos.

 

 

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Governo divulga hoje decreto com bloqueio de cerca de R$ 14 bi no Orçamento
Valor Econômico; 30/05
http://glo.bo/3GBCxyU

O governo espera divulgar hoje o decreto do presidente Jair Bolsonaro (PL) que detalhará por ministérios o bloqueio de cerca de R$ 14 bilhões no orçamento de 2022, segundo uma fonte. As pastas foram informadas sobre os cortes na semana passada.

As áreas mais afetadas são: Educação, com R$ 3,2 bilhões, Ciência e Tecnologia, com R$ 2,9 bilhões e Saúde, com R$ 2,5 bilhões.

O bloqueio é necessário para manter os gastos programados para o ano dentro do limite do teto. Dispêndios já programados são cortados para acomodar novas despesas que não estavam previstas.

 

Entidades dizem que corte de verba vai parar projetos de pesquisa e querem cobrar governo na Justiça
Estadão; 30/05
https://bit.ly/3N33IVP

A Academia Brasileira de Ciências (ABC) e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) alertam que os cortes de recursos no setor, previsto pela gestão Jair Bolsonaro (PL), vão paralisar projetos de pesquisa. A expectativa é de uma redução orçamentária de R$ 2,9 bilhões na área – Educação e Saúde devem ser outras pastas bastante afetadas. O governo federal deve detalhar as perdas de verba em cada ministério ainda nesta segunda-feira, 30.

Conforme a ABC, o corte praticamente paralisa ao menos 30 programas científicos do País, como projetos voltados para o enfrentamento da covid-19, o combate a doenças negligenciadas e colaboração com missões espaciais. Procurado, o Ministério da Ciência e Tecnologia não se manifestou.

“Ainda que reconheçamos a defasagem nos salários dos servidores de muitas categorias, é inaceitável que a ciência brasileira seja o alvo escolhido para arcar com a maior parte desse custo”, protestou a SBPC, em nota. “Não é possível buscar o desenvolvimento do País em um ambiente de evidente perseguição ao conhecimento.”

 

CAMPANHAS SALARIAIS

RJ: assembleia aprova estado de greve e intensificação da luta
Sinpro Rio; 29/05
https://bit.ly/38TFBKH

A Assembleia da Educação Básica do município do Rio de Janeiro, referente à Campanha Salarial de 2022, reunida neste 28 de maio, aprovou, por unanimidade, Estado de Greve e intensificação da pauta de luta. Foi aprovada ainda nova assembleia para o dia 25 de junho, de forma presencial, no Espaço Cultural Paulo Freire, localizado na sede Centro do Sindicato.

Nas intervenções, ficou claro o repúdio da categoria ante a posição patronal de descaso, que, na mais recente reunião paritária, apresentou a proposta absurda de 4% de reajuste. Rechaçada de imediato na mesa de negociação, a proposta foi considerada um acinte, um deboche, perante as perdas salariais que chegam a 17% nos últimos três anos.

 

TO: profissionais da educação iniciam paralisação em Araguaina
Conexão Tocantins; 30/05
https://bit.ly/3ta9jll

Durante a manhã, a categoria realizou ato público em frente à Prefeitura de Araguaína. Os professores estão acampados na Prefeitura e prometem sair somente após serem recebidos pelo prefeito Wagner Rodrigues.

Nesta terça-feira, 31, no segundo dia de paralisação, os profissionais da educação realizarão uma assembleia geral, às 17 horas, que pode culminar em uma greve, conforme a pauta do edital de convocação da assembleia.

 

EDUCAÇÃO DOMICILIAR

Kit para ensino domiciliar é vendido pela internet por mais de R$ 1,5 mil
UOL; 30/05
https://bit.ly/3a9VzQQ

Empresas têm vendido na internet kits de ensino domiciliar para famílias que têm interesse na modalidade. Os materiais destinados para crianças e adolescentes, de diferentes etapas escolares — da educação infantil ao ensino médio —, saem mais de R$ 1.500.

Um dos sites visitados pela reportagem foi do Instituto Ave Maria Homeschooling. A empresa oferece kits de educação infantil para crianças de 3, 4 e 5 anos, ensino fundamental e médio. “Livre de ideologias, mobilidade total e tendência educacional no mundo” são algumas das características citadas pela empresa na descrição do produto.

Especialistas consultados pelo UOL afirmam que a venda de produtos como esses é “preocupante”, já que podem promover uma “educação negacionista da ciência e fundamentalista”.

 

‘A educação domiciliar é um projeto egoísta’
Racismo Ambiental; 30/05
https://bit.ly/3lWq1ka

Nesta entrevista, a professora da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (FE/Unicamp) Luciane Barbosa (foto), uma das organizadoras do dossiê ‘Homeschooling e o direito à educação’, fala sobre o projeto de lei 3.179/2012, que regulamenta a prática da educação domiciliar, ou homeschooling, no Brasil. O projeto foi aprovado na semana passada na Câmara dos Deputados e segue para análise do Senado. Para a pesquisadora, sua aprovação pode significar a transferência de recursos e de esforços do Estado que deveriam ser destinados para a escola pública para atender e fiscalizar uma prática acessível apenas para parcelas mais ricas da população.

P- Uma outra frente de críticas que vinha sendo apontada a esse projeto era com relação à importância da escola no processo de socialização das crianças. Esse projeto contempla de alguma forma essa preocupação, na sua visão?

‘Eu penso que esse argumento da socialização é o que a gente precisa prestar bastante atenção e aprofundar as reflexões. E sinto que os que defendem a escola têm perdido um pouco nesse debate. Por quê? Porque as pesquisas internacionais sobre educação domiciliar já revelam que a questão da socialização não é um problema necessariamente no homeschooling. E é também por isso que a discussão do fator classe é a que mais se sobressai aqui no Brasil, pois essas crianças da educação domiciliar já estariam na escola privada se não estivessem sendo ensinadas em casa’.

 

SAÚDE

Média móvel de casos de covid-19 tem aumento 70% em uma semana
Rede Brasil Atual; 30/05
https://bit.ly/38DATAA

O Brasil registrou nesta segunda-feira (30) 63 mortes e 24.082 casos de covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). A média móvel calculada em sete dias ficou em 24.809 novos casos, aumento de 70% em uma semana. Além disso, é a maior marca desde 31 de março, quando estava em 25.745. Já média móvel de óbitos, que ficou em 121, registrou alta de 24,7% em uma semana.

Além disso, a taxa de transmissão da covid-19 no país está em 1,42. Significa que cada 100 pessoas infectadas transmitem a doença para 142. Conforme estimativa da plataforma Info Tracker (USP/Unesp), essa taxa deve chegar a 1,57 na próxima segunda-feira (6), o que indica que a transmissão está acelerando.

 

 

 

 

Com dicas de estudo, vestibulandos e universitários viram influenciadores digitais
Estadão; 29/05
https://bit.ly/3PR69Nb

Estudar para o vestibular ou na faculdade pode ser bastante solitário e desafiador. As cobranças são altas e os medos, constantes. Por isso, estudantes decidiram compartilhar as experiências acadêmicas nas redes sociais. Os “study influencers” mostram desde técnicas de estudo, aulas e resolução de exercícios até vlogs sobre o dia a dia e bate-papos sobre a vida de estudante.

Nicolas Lazaroto Bezerra de Lima, de 19 anos, conta que não gostava de estudar e não se considerava um bom aluno. Mesmo assim, ganhou diversas medalhas em olimpíadas de Matemática e Astronomia, e foi aprovado em vestibulares das Universidades de São Paulo (USP), de Campinas (Unicamp) e Estadual Paulista (Unesp).

Mas muita coisa mudou desde quando estava no terceiro ano do ensino médio. “Antes, eu não via utilidade nas coisas que estudava. O que mudou foi que, em vez de apenas aprender por obrigação, comecei a querer entender o assunto, ler livros sobre o que gostava, e assim acabei me interessando pelo hábito de adquirir conhecimento”, explica.

E foi assim que, no último ano, o jovem mudou a rotina de estudos e começou a postar vídeos no YouTube. Hoje o canal ‘Nicolas Lazaroto’ tem 79,5 mil inscritos, fora os 24,6 mil seguidores no Instagram. Posta aulas ensinando matérias específicas – geralmente de Exatas – e resolvendo exercícios. Mas o que dá maior visibilidade e cria mais engajamento, segundo ele, são os vídeos sobre sua experiência fazendo vestibulares ou dando dicas.

Mesmo tendo sido aprovado em universidades concorridas e renomadas, Nicolas continua estudando para o concurso público da Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx). Quer seguir a carreira militar. Este ano, fará a terceira tentativa. Segundo o estudante, a prova é mais difícil que os vestibulares convencionais por ser “mais conteudista, com exercícios objetivos, sem tanto contexto”, diferentemente da prova do Enem, na qual a interpretação de texto pode auxiliar na resolução.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio