Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 28 de fevereiro de 2024

30 de abril de 2021

30/04 – Chico Buarque no 1º de Maio das centrais, ‘não mandem crianças para a escola’ diz secretário do RS, Guedes e o filho ‘nota zero’ do porteiro, e mais: bilionários às pencas com a pandemia.

.

[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_whwi"]
Participe, na sua telinha: neste sábado, dia 1, às 14 horas, no site da Fepesp ou nas redes sociais, o 1º de Maio unificado!
Veja aqui:  https://youtu.be/ByVxCf7kCrA  

 

 

1º de Maio: Chico Buarque confirma participação na Live das Centrais
Rádio Peão Brasil; 29/04
https://bit.ly/3390YAR

As Centrais Sindicais, pelo segundo ano consecutivo, farão o ato do Dia Internacional do Trabalhador no formato virtual. Neste momento em que o Brasil ultrapassa 380 mil mortes por Covid-19, o tema é 1° de Maio pela Vida – Democracia, Emprego e Vacina para Todos.

CUT, Força Sindical, UGT, CTB, CSB, NCST, CGTB, Intersindical e Pública farão o 1º de Maio Unitário das Centrais Sindicais em live, que será transmitida, a partir das 14 horas, pela TVT – TV dos Trabalhadores, além dos canais no Youtube e redes sociais do movimento sindical.

Além de Chico Buarque, a porção artística do evento terá a participação de Gregorio Duvivier,  Elza Soares, Chico César, Tereza Cristina, Delacruz, Johnny Hooker, Marcelo Jeneci, Odair José, Aíla, Renegado, Bia Ferreira, Doralyce; Osmar Prado, Lirinha, Tereza Seibilitz, Elen Oleria, Paulo Betti, Lucy Alves, entre outros.

 

Participe, na sua telinha: neste sábado, dia 1, às 14 horas, no site da Fepesp ou nas redes sociais, o 1º de Maio unificado! Veja aqui:  https://youtu.be/ByVxCf7kCrA

 

Volta às aulas em São Paulo na pior fase da pandemia tem poucos alunos e expõe professores à covid-19
Rede Brasil Atual; 29/04
https://bit.ly/3uayhzx

Levantamento feito pelo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) mostra que a volta às aulas determinada pelo governo João Doria (PSDB), no pior momento da pandemia, está servindo apenas para expor professores e outros trabalhadores da educação ao risco de contaminação pelo novo coronavírus.

Passadas quase quatro semanas de aulas, dados das 64 subsedes do sindicato mostram que as escolas têm recebido, em média, 5% dos alunos que poderiam retornar neste momento, em que o limite é de 35% do total de estudantes. A Secretaria da Educação não divulgou nenhum balanço da retomada das atividades.

 

Lei da ‘Escola sem Mordaça’ é aprovada no Rio de Janeiro
Rede Brasil Atual; 29/04
https://bit.ly/3xAXtkK

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou nesta terça-feira (27) um projeto de lei que estabelece que professores, estudantes e funcionários de escolas sediadas no estado sejam livres para expressarem pensamentos e opiniões no ambiente escolar, a Lei da Escola sem Mordaça. A proposta, agora, segue para sanção ou veto do governador Cláudio Castro (PSC).

Segundo deputado Carlos Minc (PT), lei “é antítese da Escola sem Partido”. Objetivo é garantir autonomia e livre expressão de alunos e professores


“Não quero escola cheia; recomendamos que os pais não enviem quem não precisar”, diz secretária de Educação do RS
Zero Hora; 29/04
https://bit.ly/3xzTXao

O governo do Rio Grande do Sul anunciou nesta quinta-feira (29) o cronograma para a retomada das aulas presenciais na rede pública estadual. No entanto, a recomendação da Secretaria da Educação (Seduc) é para que não voltem todos os alunos aos bancos escolares neste momento. Em entrevista à Rádio Gaúcha na manhã desta quinta-feira (29), a secretária da pasta, Raquel Teixeira, pontuou que o retorno é para um grupo específico de estudantes.

— Estamos recomendando fortemente que os pais não encaminhem para a escola quem não precisar, quem estiver fazendo bem o ensino remoto. Não quero escola cheia.


Porto Alegre: Servidores da educação definem estado de greve
Correio do Povo; 29/04
https://bit.ly/3t6Ab2W

Em assembleia geral online na noite desta quinta-feira, os servidores da educação do Simpa decidiram pelo estabelecimento do estado de greve da categoria. Uma nova assembleia foi marcada para a segunda-feira, 3 de maio.

A assembleia contou com mais de 500 participantes, e debateu a mobilização dos professores diante das decisões do governo do Estado. Nesta semana, foram alterados os critérios do distanciamento social, definindo o retorno das aulas em meio à pandemia de Covid-19.


Investimento em ensino básico é fundamental para reduzir a desigualdade
G1; 28/04
https://bit.ly/3e5pQzM

A educação pública é uma das políticas mais eficazes no combate às desigualdades no Brasil, segundo levantamento exclusivo do Made/USP (Centro de Pesquisa em Macroeconomia das Desigualdades). Os dados apontam que os gastos com educação reduzem em até 9,62% o índice que mede a diferença de renda.

O índice de Gini serve para indicar a desigualdade, em uma escala que varia de 0 (perfeita igualdade) a 1 (desigualdade máxima). Com os investimentos em ensino público, de acordo com o levantamento, esse índice cairia de 0,568 (com base em dados de 2017 e 2018) para até 0,513.

O levantamento do Made/USP tem por base os dados da POF (Pesquisa de Orçamentos Familiares), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Também foram considerados os investimentos diretos por estudante divulgados pelo Inep, do Ministério da Educação.

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Metodista tem 60 dias para apresentar plano de recuperação
Extra Classe; 28/04
https://bit.ly/3nHL2zi

A Educação Metodista, mantenedora da Rede Metodista de Educação, que tem 15 instituições no RS, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, ingressou nesta quinta-feira, 29, com Pedido de Recuperação Judicial junto à Vara de Direito Empresarial, Recuperação de Empresas e Falências da Comarca de Porto Alegre.

Com a RJ, o grupo visa a reestruturação das suas instituições de educação superior e básica. As instituições metodistas acumulam dívidas calculadas em cerca de R$ 500 milhões, oriundas majoritariamente de passivo trabalhista, e uma parcela importante referente a dívidas com Bancos e uma parcela menor com fornecedores.

No dia 14 de abril, o magistrado deferiu uma medida liminar na cautelar antecedente à RJ. Agora as mantenedoras terão 60 dias para elaborar o Plano de Recuperação Judicial.

 

CORONAVÍRUS


400 mil mortes por covid-19? Total já pode ter passado de 514 mil no Brasil, apontam pesquisadores
BBC Brasil; 28/04
https://bbc.in/3gRlr5m

Oficialmente, o Brasil ultrapassou nesta quinta-feira (29/04) a marca trágica de 400 mil mortos por covid-19 durante a pandemia. Mas registros hospitalares brasileiros apontam que o número de pessoas que morreram em decorrência de casos confirmados ou suspeitos da doença no país pode já ter passado de 514 mil.

Essa estimativa aparece em duas análises distintas, uma liderada por Leonardo Bastos, estatístico e pesquisador em saúde pública do Programa de Computação Científica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e outra pelo engenheiro Miguel Buelta, professor titular da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP).

Ambas se baseiam em dados oficiais de síndrome respiratória aguda grave (SRAG), um quadro de saúde caracterizado por sintomas como febre e falta de ar.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL


Guedes critica excessos do Fies e diz que filho de porteiro foi aprovado com nota zero
Folha de S. Paulo; 29/04
https://bit.ly/3nylAvO

Segundo Guedes, houve universidades que viraram caça-níqueis ao atrair o máximo possível de alunos na esteira dos recursos liberados pelo programa estudantil. E citou o caso do filho de um porteiro.

“Houve excessos no Fies. É verídico. O porteiro do meu prédio um dia me falou ‘doutor Paulo, meu filho fez vestibular para uma faculdade privada, e olha a carta que recebi’. A carta dizia ‘parabéns, o senhor foi aprovado com média…’ e tinha um espaço. Era uma carta padronizada. E no espaço a média zero. Então claramente houve excessos”, disse. A declaração foi dada durante a abertura institucional do 18° Fórum da Undime/SC e 5º Fórum da Undime Região Sul, que teve transmissão on-line.

Guedes disse na reunião que algumas universidades abriram vagas para todo mundo. “Deram bolsa para quem não tinha a menor capacidade. Não sabia ler, escrever. Botaram todo mundo. Exageraram. Foi de um extremo ao outro”, afirmou o ministro na reunião.

 

Artigo: ‘Declarações de Paulo Guedes soam sinistras’
Folha de S. Paulo; 29/04
https://bit.ly/3t0wU56

Por Alexandre Kalache e Karla Giacomin, médicos: “Mais do que nunca, é preciso buscar valores que nos tragam de volta a perspectiva da vida e da longevidade. Não faz nenhum sentido imaginar que uma população que envelhece seja um ônus para o país. A economia e a previdência social brasileiras somente se sustentarão se apostarmos na vida, na educação, na saúde de qualidade, no cuidado ao longo da vida, em programas sociais de inclusão que reduzam a desigualdade e aumentem as oportunidades.

Não fossem as políticas sociais que resistem, como o Sistema Único de Saúde (SUS), nossas perdas de vidas teriam sido ainda mais avassaladoras. Chega de tratar brasileiros idosos como seres descartáveis.

Senhor ministro, a má gestão da coisa pública é que é o problema, não a longevidade”.

 

Ministro ‘sem-noção’ da Educação diz que só distribuir tablets e conexão à internet não é a solução para as escolas durante a pandemia
G1; 29/04
https://glo.bo/3aRHJAe

O Ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou nesta quinta-feira (29) que a distribuição de tablets, chips e conexão à internet “não são a solução” para garantir acesso ao ensino na pandemia.

A declaração foi dada durante a abertura institucional do 18° Fórum da Undime/SC e 5º Fórum da Undime Região Sul, que teve transmissão on-line.

Ribeiro falava sobre as críticas que recebeu ao se posicionar contra o Projeto de Lei 3477, conhecido como PL da Conectividade, que pretendia atuar de forma emergencial durante a suspensão das aulas presenciais.

 

 

 

O aumento na fortuna dos bilionários durante a pandemia
Nexo; 27/04
https://bit.ly/3nLzStr

Tradicionalmente, a revista americana Forbes faz uma lista anual das pessoas com fortunas de mais de um bilhão de dólares. A publicação também mantém um ranking em tempo real, atualizado diariamente.

O número de bilionários e o tamanho de suas fortunas nunca foram tão grandes como durante a pandemia de covid-19. Diferentemente da crise de 2008, a atual afetou os trabalhadores, mas beneficiou algumas das grandes empresas.

 

No Brasil, a tendência observada no mundo durante a pandemia se repetiu.

A fortuna total dos bilionários brasileiros cresceu de 186,8 bilhões de dólares em 2019 para 208,5 bilhões em 2021, um aumento de 11,6%.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio