Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 17 de outubro de 2024

Por Beth Gaspar em 28 de outubro de 2020

28/10 - privatização da saúde, rematrículas, a venda da Laureate, professor nota 10 usa anúncio de imóveis para ensinar matemática - e mais.

.


Para sua aula: artigos que vão além da notícia, sobre atualidades e de interesse geral, focado em história, ciências ou cultura e que pode ajudar nossas professoras e professores em suas aulas. Aqui:  https://bit.ly/37Sf11p

 

Decreto de Bolsonaro autoriza equipe econômica a preparar modelo de privatização para unidades básicas de saúde

O Globo; 27/10
https://outline.com/nNK99U

Decreto publicado nesta terça-feira no Diário Oficial autoriza a equipe econômica a preparar modelo de privatização para unidades básicas de saúde (UBS). A medida incluiu a política de fomento ao setor de atenção primária à saúde no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) da Presidência da República.

O decreto prevê a "elaboração de estudos de alternativas de parcerias com a iniciativa privada para a construção, a modernização e a operação de Unidades Básicas de Saúde dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios." A medida foi vista com desconfiança por alguns gestores locais, que enxergaram na medida uma tendência de privatização das unidades.

O texto afirma que, inicialmente, a medida permitirá a estruturação de projetos pilotos, cuja seleção será estabelecida em ato da Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos do Ministério da Economia. O GLOBO questionou o Ministério da Economia sobre a medida e a pasta confirmou que a medida pretende fomentar privatização no setor.

 

Campanha Nacional pelo Direito à Educação aponta retrocessos ‘mascarados’ em decreto de Bolsonaro
Rede Brasil Atual; 27/10
https://bit.ly/3oJYXoC

Em quase quatro anos, nenhum projeto de educação foi implementado na rede municipal de educação. Por outro lado, houve proposta para distribuir ração humana aos estudantes, fechamento de períodos integrais na educação infantil, redução de merenda e do Programa Leve-Leite, matrículas em escolas que ainda estavam em obras.

A única promessa efetiva do governo de Doria e Covas para a educação em São Paulo foi zerar a fila da creche em um ano, o que não foi cumprido. E a única realização anunciada pela gestão, ter zerado a fila da pré-escola, é na verdade um feito da gestão de Fernando Haddad (PT), encerrada em 2016, que apenas foi concluído em 2017.

A integra do Decreto está aqui.

 

Brasília: “Estamos preparando a volta para março de 2021”, diz secretário de Educação
Metropoles; 27/10
https://bit.ly/35JVUUH

Internado no Hospital Santa Luzia com Covid-19, o secretário de Educação de Brasília, Leandro Cruz, comemorou, em uma rede social, a decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) de suspender, nesta terça-feira (27/10), liminar que determinou o retorno das aulas presenciais na rede pública.

O gestor agradeceu o empenho dos educadores e profissionais da pasta. “Estamos preparando a volta presencial para março de 2021, conforme planejamos, e seguimos com o objetivo de oferecer aos nossos estudantes aulas mediadas por tecnologias e materiais impressos”, afirmou Leandro Cruz, em texto compartilhado no Instagram.

 


TRT mantém afastamento de professores do grupo de risco
Agência Sindical; 27/10
https://bit.ly/2TxRQkI

Mais uma vitória dos professores de São Paulo. O Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (SP) recusou, segunda, 26, mandado de segurança impetrado pelo Sindicato das escolas particulares, o Sieeesp, contra decisão que afasta do trabalho presencial gestantes e docentes que vivem com pessoas do grupo de risco. A decisão foi tomada pelo desembargador Paulo Kim Barbosa.

O Sieeesp pretendia cancelar a liminar concedida dia 7 de outubro pelo TRT. Na decisão, o Tribunal permitiu que professores coabitantes com pessoas de grupos de risco para Covid-19 permaneçam trabalhando de casa durante a pandemia.

A liminar determina que o afastamento das escolas ocorra até a “cessação do risco de contágio, observando-se neste sentido as decisões e orientações dos entes públicos competentes e respectivos órgãos de governo e administração para decidir acerca desta questão”.


Rematrícula escolar: contrato deve contar com cenário de pandemia
IstoÉ Dinheiro; 27/10
https://bit.ly/31MfM8f

Em algumas escolas particulares, o período de rematrícula já começou. Porém, devido ao novo coronavírus, ainda há dúvidas sobre como ficarão as aulas para o ano que vem – presenciais, remotas ou parciais.  Para especialistas ouvidos pelo Uol, os contratos devem prever o que acontecerá com as aulas caso a pandemia siga ou ocorra uma segunda onda, por exemplo.

Guilherme Farid, chefe de gabinete do Procon-SP, afirma que deve estar detalhado qual o modo como as aulas serão prestadas. “Já sabemos da situação, e as regras podem ficar claras no contrato. É possível descrever como ficam as aulas em cada situação, como o que acontece se houver novos fechamentos e lockdown”, diz.

 

 

Ânima Educação anuncia compra de ativos da Laureate no Brasil
Extra Classe; 27/10
https://bit.ly/34BHI0y

A companhia paulista superou oferta de R$ 4 bi da Ser Educacional e deve assumir unidades do grupo norte-americano que no RS mantém dois campi da UniRitter, Fapa e Fadergs

Em um comunicado aos acionistas, o grupo Ânima Educação anunciou nesta terça-feira, 27, ter sido notificada pela Laureate que sua oferta vinculante pelos ativos do grupo norte-americano no Brasil foi escolhida “como proposta superior de forma definitiva”.

Em um comunicado, a Laureate declara que a proposta da Ânima superou a oferta da Ser Educacional em R$ 500 milhões, entre outras vantagens – leia nota no final deste texto. Em 13 de setembro, a Ser Educacional, quinto maior grupo educacional privado do país, informou aos acionistas a assinatura de um contrato com valor estimado em R$ 4 bilhões para a incorporação dos negócios no Brasil da Rede Internacional de Universidades Laureate. A transação marca um período de perdas de mercado na educação superior e prejuízos financeiros cumulativos das principais empresas de ensino privado do país que especulam em Bolsa de Valores.

 

Na contramão do mundo, Brasil reduz ritmo de testes de covid-19
Rede Brasil Atual; 27/10
https://bit.ly/31NbAp6

No Brasil, apenas pouco mais de 10% da população passou por testes de covid-19, frente a médias que superam os 40% na Europa e Estados Unidos.

Portugal, por exemplo, já testou mais de 30% de sua população; o Reino Unido, mais de 40%; a Alemanha 25%, a Rússia 40%, a Itália 25%, Islândia 51%, Coreia do Sul 50% e a Austrália, 34%. Os Estados Unidos já testou 43% da população, mas o país é um caso à parte, já que o presidente despreza medidas de distanciamento social, Mesmo entre os latino-americanos, o Brasil segue atrasado. O Chile testou mais de 21% de sua população e o Equador, 27%.

Dos estados brasileiros, estão entre os que menos testaram: Pernambuco (6,8%), Acre (6,9%), Minas Gerais (7,8%) e Paraná (8,3%). Já os que mais testaram foram Distrito Federal (22,2%), Piauí (17%), Roraima (14,9%) e Amapá (14,5%).

 

Professor que usa planta de imóveis para ensinar matemática vence o prêmio Educador do Ano de 2020
G1; 27/10
https://glo.bo/2G5BNHE

O professor Luiz Felipe Lins, do Rio, foi anunciado nesta terça (27) como vencedor da edição 2020 do Prêmio Educador do Ano. Concorreram 3.700 educadores. Ele usou plantas e projetos de imóveis para ensinar matemática.

O projeto "Geometria e Construção" envolveu 70 alunos do 7º ano do ensino fundamental da Escola Municipal Francis Hime, no Rio de Janeiro.

Cinco jurados escolheram Lins entre os dez finalistas - os vencedores do Prêmio Educador Nota 10. Devido à pandemia, só foram aceitas propostas desenvolvidas antes do fechamento das escolas.

"Quando houve a construção de um conjunto habitacional próximo à escola, eu vi que muitos se interessaram. Pensei: como pegar este interesse e trabalhar as orientações curriculares? Perguntei se conheciam uma planta de imóvel, ninguém conhecia. Projetei uma e fui mostrando a janela, a porta, a sala. Falei de escala, mostrei proporção. Propus que eles fizessem um projeto de casa, e eles toparam o desafio", afirma Lins (na foto).

Os alunos tiveram que imaginar como seria uma casa – desenhando sua planta baixa e produzindo uma maquete – e calcular áreas e o custo para colocar o piso nos ambientes.

Viram que também era necessário comprar argamassa e calcular a quantidade necessária do material por metro quadrado. Tinham que manejar orçamentos como parte do aprendizado de matemática.

Prêmio Educador Nota 10 - A partir das 3,7 mil inscrições, foram escolhidos 50 finalistas e, entre eles, os 10 vencedores. Eles são do Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Pernambuco, São Paulo e Rio de Janeiro.

Cinco projetos são voltados a alunos do Ensino Fundamental, e três a estudantes do Ensino Médio. Há ainda um projeto de gestão e outro com crianças bem pequenas.

O Prêmio Educador Nota 10 foi criado em 1998 pela Fundação Victor Civita que, desde 2014, realiza a premiação em parceria com Abril, Globo e Fundação Roberto Marinho.

Conteúdo Relacionado

crossmenu