Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 14 de abril de 2024

27 de maio de 2021

27/05 – 14 Estados + DF sem aulas presenciais, governo erra feio no Fundeb, as Centrais em Brasília, e mais:  acesso à internet vira direito social básico

.

[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_whwi"]
Ensino Superior: patronal envia contraproposta, Sindicatos discutem cláusulas hoje em reunião do Cones, o Conselho de Sindicatos da Fepesp: preparação para a assembleia deste sábado, 29/05 . Saiba mais aqui: https://bit.ly/2Sp3YqF
 


Escolas públicas continuam sem aula presencial em 14 estados e no DF
UOL; 26/05
https://bit.ly/3bXw2bD

Passados 14 meses do início da pandemia no Brasil, 14 estados e o Distrito Federal continuam sem aulas presenciais nas escolas públicas. Nesses locais, só as unidades particulares estão recebendo estudantes, segundo levantamento feito pela Folha.

Sem nenhuma ação do governo federal para ajudar os estados a organizarem o retorno das atividades presenciais, o descompasso da reabertura das escolas no país aprofunda ainda mais as desigualdades educacionais regionais e entre alunos da rede pública e privada.

Ainda que tenham autorizado a reabertura das particulares, alguns estados afirmam aguardar a redução do número de infecções de Covid-19 para retomar as aulas presenciais em suas escolas. Outros, que iniciaram a vacinação de professores, dizem aguardar o avanço da imunização do grupo.

 

São Paulo: secretário da Educação negocia vacina Pfizer para jovens com comorbidades
UOL; 26/05
https://bit.ly/3bXw2bD

O secretário de Educação do Estado de São Paulo, Rossieli Soares, negocia a inclusão de jovens de 16 a 18 anos com comorbidades na vacinação contra a Covid-19, com o imunizante da Pfizer.

Ele se reuniu com dirigentes da fabricante no último dia 18 e, nesta quarta-feira (26), encaminhará um ofício para o Ministério da Saúde, pleiteando que esse grupo seja incluído no PNI, o Programa Nacional de Imunizações, que por ora contempla apenas maiores de 18 anos.

 

Guarulhos: Prefeitura inicia testagem em todos os profissionais da Educação antes da retomada das aulas presenciais
Hoje; 26/05
https://bit.ly/3hQPzhX

A testagem dos profissionais da educação acontece até a sexta-feira (28) em três postos de atendimento nos CEUs Continental, Bonsucesso e Paraíso-Alvorada, seguindo as orientações da Secretaria da Saúde.

A fim de evitar aglomerações, os resultados dos testes não serão entregues na data da coleta. Eles serão enviados para a Secretaria de Educação para levantamento de dados e mapeamento da evolução da pandemia. Após esse levantamento, os resultados serão enviados por e-mail para que cada unidade escolar os encaminhe individualmente.

POLÍTICA EDUCACIONAL

Governo errou repasses do Fundeb em 1,6 milhão de matrículas e desconhece total de municípios afetados
Folha de S. Paulo; 26/05
https://bit.ly/3forBZK

O governo Jair Bolsonaro distribuiu dinheiro do Fundeb (fundo da educação básica) com base em erro em 1,6 milhão de matrículas. Até agora não se sabe o número de municípios afetados pelos equívocos revelados pela Folha.

O cálculo foi refeito pelo FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), responsável pela gestão do Fundeb. O órgão é controlado por indicados pelo centrão e ligado à pasta do ministro Milton Ribeiro (Educação).

O problema atingiu todo o país. Não há ainda previsão de regularização das transferências com o uso dos dados corretos. Houve municípios e estados que receberam menos verbas e outros, mais, o que exigirá devolução de recursos.



Governo Bolsonaro tenta emplacar o homeschooling. Entenda o que está em jogo
Carta Capital; 26/05
https://bit.ly/3fTiDmp

Menina dos olhos do bolsonarismo, a educação domiciliar (o chamado homeschooling) voltou a ganhar atenções do Congresso. O presidente Jair Bolsonaro estabeleceu, em fevereiro, que o tema deveria ter prioridade na Câmara dos Deputados — e o presidente Arthur Lira (PP-AL) encontrou formas de desengavetar a pauta, estacionada desde 2019.

O debate do homeschooling corre em duas tramitações independentes na Casa, e suscita forte oposição de parlamentares, instituições acadêmicas e ativistas que defendem o direito à educação e a proteção integral de crianças e adolescentes.

 

Artigo: ‘Os riscos por trás do PL que torna Educação serviço essencial’
Brasil de Fato; 25/05
https://bit.ly/2ThlfCF

Por Regiane Beltran Fernandez é professora:  “Os defensores da PL 5595 são os mesmos que foram favoráveis a todos os cortes de verbas para a educação e para a saúde aprovados nos últimos anos.

Para além das conclusões dos profissionais da educação que vivem no dia a dia a realidade escolar e que, portanto, a conhecem profundamente, estão aí os números para provar a atual situação em que se encontram as redes públicas de ensino hoje, com todas as suas deficiências, sejam elas, estruturais ou de recursos, humanos e materiais. Só há uma saída, os profissionais da educação e toda a sociedade devem se engajar nas campanhas contra a aprovação do PL5595/20 pressionando os senadores se, de fato, o nosso compromisso for a preservação da vida”.


CORONAVÍRUS

CPI da Covid convoca nove governadores e aprova novos depoimentos de Pazuello e Queiroga
Folha de S. Paulo; 26/05
https://bit.ly/3yHJcDz

Os senadores da CPI da Covid aprovaram nesta quarta-feira (26) requerimento para convocar novamente o ex-ministro Eduardo Pazuello (Saúde) e o atual titular da pasta, Marcelo Queiroga. Aprovaram ainda a convocação de nove governadores para que expliquem o uso de recursos federais nos estados.

São eles Wilson Lima (AM), Helder Barbalho (PA), Ibaneis Rocha (DF), Mauro Carlesse (TO), Carlos Moises (SC), Antonio Oliverio Garcia de Almeida (RR), Waldez Góes (AP), Wellington Dias (PI) e Marcos José Rocha dos Santos (RO). Também foi convocado o ex-governador do Rio Wilson Witzel.


Pressão por leitos aumenta e ocupação chega a 90% em nove capitais e no DF
Folha de Paulo; 26/05
https://bit.ly/2RHUEP2

Com o aumento de novos casos da Covid-19 no país, cresceu a pressão por leitos para pacientes graves e o nível de ocupação já ultrapassa 90% das vagas em nove capitais brasileiras, além do Distrito Federal.

O cenário representa uma piora em relação à semana passada, quando sete capitais estavam em um patamar acima de 90% na ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

 

 

TRABALHO

Ato das Centrais cobra Vacina Já e arrecada alimentos
Agência Sindical; 26/05
https://bit.ly/3oUzTLW

As Centrais Sindicais realizaram, em Brasília, na manhã de quarta (26) ato contra a carestia e a fome. A mobilização reforça a campanha pela vacinação em massa, comida pra todos e Auxílio Emergencial de R$ 600,00 a 70 milhões de brasileiros necessitados.

A organização montou mais de 600 cestas básicas com alimentos doados pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (Contag). As cestas foram doadas a catadores de material reciclável de cooperativa do Distrito Federal. A categoria foi gravemente atingida pela falta de emprego e redução do Emergencial.

De auxílio a proteção social e investimento, movimento sindical aponta prioridades para o país
Rede Brasil Atual; 26/05
https://bit.ly/3bTKPUQ

Depois de ato diante do Congresso, na manhã desta quarta-feira (26), representantes do movimento sindical foram ao Congresso entregar a líderes partidários documento com uma agenda legislativa proposta pelas entidades. Prevê desde medidas emergenciais para manter empregos, empresas e renda, a ações visado a retoma do desenvolvimento. Os sindicalistas defendem um “Projeto Nacional de Desenvolvimento que reoriente as estratégias nacionais, regionais, setoriais de crescimento econômico com justiça social”.

Os sindicalistas também falam em reindustrialização, apoio à inovação e à pesquisa e de políticas que levem à expansão do emprego, além de “crescimento dos salários com proteção social e laboral”. Mas a primeira medida, insistem, é a manutenção do auxílio emergencial no valor integral que era pago até dezembro, de R$ 600 (ou R$ 1.200 para mães que são chefes de família).

 

Professoras e professores da FIG-Unimesp entram greve
Sinpro Guarulhos; 25/05
https://bit.ly/3vr0Pp9

Os recorrentes atrasos nos pagamentos dos salários dos professores da FIG-Unimesp geraram uma situação insustentável para os docentes que decidiram por paralisar suas atividades a partir do dia 21/05/2021.

E nota, o Sinpro esclarece “à comunidade acadêmica da FIG que professores e professoras reiteram seu histórico compromisso com a formação dos estudantes e convidam a todos e todas para se somarem ao debate em torno os rumos da FIG e o imprescindível reestabelecimento das normas previstas na legislação trabalhista”.

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Número de calouros na Uniasselvi aumenta 32%
Valor Econômico; 27/05
https://bit.ly/3oUzTLW

A Vitru – dona da instituição de ensino Uniasselvi, que tem 98% de sua base de alunos matriculados em cursos a distância – registrou um aumento de 32% no número de calouros matriculados no processo seletivo do começo do ano. A alta registrada pela companhia, controlada pelos fundos Carlyle e Vinci Partners, confirma a expansão do mercado de educação a distância que, juntamente, com as aquisições foram responsáveis pelo crescimento do setor de ensino superior no vestibular de verão.

Com isso, a base total de alunos da Vitru somou 329 mil, o que representa um aumento de 14,7% em relação ao primeiro trimestre de 2020, quando a pandemia ainda não havia sido decretada no país. O grupo é o terceiro maior em volume de alunos de cursos de graduação on-line.

 

Com pandemia, acesso à internet vira direito social básico
Exame; 26/05
https://bit.ly/3wzBiu0

A pandemia fez com que a percepção dos brasileiros sobre a relação com a internet fosse alterada de maneira significativa, e hoje o acesso à educação digital já é considerado um direito humanitário básico. A conclusão é de uma pesquisa global inédita realizada pela empresa de educação Pearson em parceria com a empresa de pesquisas de mercado americana Morning Consult.

O estudo Global Learner Survey 2021, que abrange opinião de estudantes de 6.000 pessoas, entre estudantes universitários e pais de jovens com idade entre 11 e 17 anos no Brasil, China, Estados Unidos e Reino Unido, buscou analisar os principais impactos da covid-19 nos processos de aprendizagem globais e de que maneira o acesso à internet reconfigurou o ensino como o conhecemos.

Principais achados da pesquisa:

Acesso à internet como direito humano – Com a permanência do ensino digital, 87% dos pais e 87% dos alunos concordam que a pandemia transformou o acesso à internet como um direito social básico. No Brasil, esse número é de 83% e 86%, respectivamente.

Aprendizagem digital veio para ficar – Para 90% dos pais e estudantes universitários dos quatro países consultados, o aprendizado online continuará sendo uma realidade, mesmo com o fim da pandemia e obrigatoriedade do distanciamento social.

Futuro do trabalho – Ao impactar estudantes de diferentes idades, a pandemia também transformou a força de trabalho do amanhã, afirma o relatório. Há um consenso global de que as habilidades profissionais do futuro não serão as mesmas de hoje, e universidades e escolas precisam passar a dedicar mais tempo para disciplinar os alunos para as novas exigências do mercado. O foco no ensino digital deveria ser maior, segundo a opinião de 74% e 66% dos pais e alunos brasileiros.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio