Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 27 de fevereiro de 2024

25 de julho de 2022

25/07 – O corte em programas de pós-graduação, promessas para a Educação que ficaram no papel, o manifesto pelo respeito ao resultado das urnas, e mais: os gargalos no controle de armas no Brasil

.

[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_whwi"]
Hoje, às 19 horas: o combate à mercantilização da educação, a valorização dos profissionais da educação, a regulamentação do ensino híbrido e à distância, as dificuldades impostas aos trabalhadores e sindicatos a partir da introdução das reformas trabalhista e sindical, e a campanha salarial do Ensino Superior. Para acompanhar o programa, acesse: https://www.instagram.com/profleonardobastos/

 

 


Unisinos encerra quase metade dos programas de pós-graduação  A Unisinos (Universidade do Vale do Rio dos Sinos), tradicional instituição privada com sede no Rio Grande do Sul, anunciou o encerramento de 12 de seus 26 programas de pós-graduação —alguns com nível de excelência nas avaliações oficiais. Há receio da comunidade acadêmica sobre demissões de professores. Capes convocou as lideranças da instituição para debater o tema na próxima semana.  Folha de S. Paulo, 22/07  https://bit.ly/3OxdYpi


SBPC, FCHSSALLA e mais 32 entidades se manifestam contra fechamento de cursos de Pós-Graduação na Unisinos –  “Extinção institucional unilateral é um contrassenso do ponto de vista de qualquer intenção de fortalecimento da política científica no Brasil e configura também um atentado ao investimento público realizado durante estes anos todos de construção dos programas”. SBPC, 23/07    https://bit.ly/3PCm1mi  

POLÍTICA EDUCACIONAL

CONAPE: Carta de Natal se compromete com educação pública, soberania nacional e reconstrução do país –   Instância de resistência e reação ao desmonte da educação, a segunda edição da Conferência Nacional Popular de Educação (Conape) aprovou a Carta de Natal. Um resumo do documento final da etapa nacional que reafirma o compromisso coletivo em defesa da educação pública de qualidade, laica, democrática e inclusiva. O evento, realizado entre os dias 15 e 17 de julho, reuniu educadores, especialistas e trabalhadores da educação na capital potiguar. Saiba Mais, 20/07  https://bit.ly/3Oxgegg


Número de professores formados à distância na rede privada dobra em dez anos  –  O número de concluintes em cursos voltados à formação de professores (Pedagogia e Licenciatura) na modalidade de Educação a Distância (EAD) cresceu 109,4% na rede privada entre 2010 e 2020, aponta nota técnica da ONG Todos Pela Educação. No mesmo período, os concluintes na modalidade presencial (tanto na rede pública como na rede privada) diminuíram, com queda mais acentuada justamente na rede privada presencial “Selo Escola Osasco Legal trata do reconhecimento por certificação das instituições escolares particulares, de educação infantil, que sejam devidamente autorizadas e reconhecidas pelos órgãos governamentais e atuem em consonância com as normas vigentes”.  Extra, 21/07  http://glo.bo/3b2AkBv


Artigo, por Luiz Carlos de Freitas: ‘Tutores, a “grande” reconversão’ – Em meio à crise de falta de professores, os estados americanos correm para trocar professores por “tutores”: ao invés de melhorar as condições e elevar a profissão docente. E claro, a moda já está sendo copiada por aqui. Blog Avaliação Educacional, 24/07  https://bit.ly/3PT4RQV


Principais promessas do plano de governo de Bolsonaro para Educação ficam só no papel –   Três das principais promessas do presidente Jair Bolsonaro no plano de governo apresentado nas eleições de 2018 não saíram do papel. Na lista, estão mais aulas de português, matemática e ciências; prioridade para educação fundamental, ensino médio e técnico; e o fim de uma suposta “doutrinação” nos colégios, elencada como prioridade, embora fosse negada por profissionais e especialistas da educação..  O Globo, 25/07    http://glo.bo/3BhboRo

 


ELEIÇÕES 2022

Empresários, personalidades e intelectuais afirmam sua confiança na justiça eleitoral em manifesto –  Apesar do momento difícil, acreditamos no Brasil. Nossos mais de 200 milhões de habitantes têm sonhos, aspirações e capacidades para transformar nossa sociedade e construir um futuro mais próspero e justo. O Brasil terá eleições e seus resultados serão respeitados (entre as assinaturas iniciais, Celso Napolitano, presidente Fepesp). DCM, 22/07   https://bit.ly/3J1AFRi


Faculdade de Direito da USP convida entidades para ato em defesa da democracia –  O manifesto é inspirado na ‘Carta’ de 1977, lida por Goffredo da Silva Telles Jr., que pedia o restabelecimento de um estado democrático de direito e manifestava repúdio ao regime militar. Carta Capital, 22/07   https://bit.ly/3oqM8k0

Haddad é confirmado candidato ao governo de SP: ‘Vamos fazer uma nova revolução democrática’ – Em convenção estadual neste sábado (23), o PT confirmou a candidatura do ex-prefeito e ex-ministro Fernando Haddad ao governo de São Paulo. Os delegados do partido também aprovaram a coligação com o PSB, oficializando o ex-governador Márcio França (PSB) como candidato da chapa ao Senado. A candidatura a vice de Haddad, no entanto, ainda permanece em aberto, enquanto avançam as negociações com os partidos aliados. Estiveram presentes no evento representantes da federação Brasil da Esperança – PT, PCdoB e PV –, além de nomes do PSB, Rede e Psol. Rede Brasil Atual, 23/07   https://bit.ly/3zpWqpR

Bolsonaro ataca STF e chama atos para 7 de setembro durante convenção – Evento que confirmou chapa Bolsonaro e Braga Netto como vice teve ainda discurso de Michelle Bolsonaro, lembrando a facada, e presidente enaltecendo sua gestão, inclusive sobre a pandemia que matou quase 680 mil pessoas no Brasil. Rede, 24/07   https://bit.ly/3v9ft6n

Educação, tema ausente na agenda eleitoral – A reflexão estratégica sobre o que realmente importa é escassa. A relativa pobreza do debate leva a crer que todas as energias se consomem nos objetivos de curto prazo. Estadão, 24/07   https://bit.ly/3Bg0DyT

 

OBITUÁRIO

Valdir Lanza: vice-presidente do Semesp morre em acidente de moto no litoral de SP – O dono da Faculdade de São Vicente (Unibr), Valdir José Lanza, morreu na manhã deste sábado (23), após ter sofrido um grave acidente de moto na Avenida Perimetral, em Santos, no litoral de São Paulo, por volta das 23h30 de sexta-feira (22). Atualmente, além de comandar a Unibr, Lanza tinha papel ativo como vice-presidente do Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo (Semesp). O velório de Valdir Lanza será realizado na segunda-feira (25), entre 8h e11h , no Memorial de Santos , na Sala Imperial. G1, 23/07   http://glo.bo/3OzhlvQ

 

TRABALHO

Jornada de quatro dias por semana é testada no Reino Unido –  Experimento desenvolvido pela campanha global 4 Day Week colocou cerca de 3,3 mil trabalhadores, de mais de 30 setores da economia, a desempenhar suas funções laborais em uma semana de quatro dias no Reino Unido. Esse modelo de trabalho promete vidas mais saudáveis aos trabalhadores, maior sustentabilidade e não gera perda de lucratividade às empresas. Outros países como Irlanda, Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Israel também testam a experiência. Agência Sindical, 22/07   https://bit.ly/3zFepdf

 

SAÚDE

OMS declara varíola dos macacos como emergência de saúde mundial Diretor-geral Tedros Adhanom declarou que risco na Europa já é alto e que espera que decisão de hoje leve a mais investimentos no controle do surto e transmissão da doença. Rede Brasil Atual,  21/07  https://bit.ly/3z2VjvX

 

 

 

Os gargalos do controle de armamentos num Brasil mais armado
Nexo; 24/07
https://bit.ly/3zvybYt

Após três anos e meio de medidas do governo Jair Bolsonaro que deixaram a população brasileira mais armada, casos de compra legalizada de arsenais em benefício de organizações criminosas colocam em evidência os riscos da política armamentista implementada.

Em meados de julho, por exemplo, uma investigação da Polícia Federal em Minas Gerais mostrou que um membro da facção PCC, que acumula 16 processos criminais, conseguiu comprar em 2021 duas carabinas, um fuzil, duas pistolas, uma espingarda e um revólver. Isso foi possível porque ele obteve do Exército seu registro como CAC, sigla para “caçadores, atiradores e colecionadores”.

Diante do caso, o Exército admitiu que não faz maiores averiguações sobre quem pede o registro de CAC além de ler as certidões entregues pelo solicitante. A negligência se soma a outras lacunas do controle de armas e munições no país, agravadas em anos recentes.

Neste texto, o Nexo ouve um especialista e destrincha as causas dos obstáculos à fiscalização pelo Exército de uma população cada vez mais armada, mostrando também o que mudou durante o governo Bolsonaro.

A resistência antiga do Exército – As falhas do sistema brasileiro para o controle de armas e munições não começaram no governo Bolsonaro. Desde 2004, o Exército resiste a implementar a legislação aprovada naquele ano, segundo a qual os sistemas da Polícia Federal, que controla a posse de armas pela população em geral, e do Exército, que controla a posse pelos CACs, devem ser integrados.

Gerente de projetos do Instituto Sou da Paz, que monitora o uso de armas de fogo no Brasil, Bruno Langeani afirma que, atualmente, “se um policial para alguém numa rodovia com uma arma, e essa pessoa diz que é atiradora esportiva, ele não tem acesso a um sistema para checar de fato se essa arma está registrada no Exército ou não”. “É um problema grave de segurança pública”, afirmou Langeani ao Nexo.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio