Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

segunda-feira, 22 de junho de 2020

Por Beth Gaspar em 22 de junho de 2020

22/06 - manifesto exige segurança sanitária para volta às aulas, 50 mil mortes por covid, Weintraub fujão causa indignação, a enquete pelo Enem - e mais.

.
 

A Fepesp, seus sindicatos integrantes, a Apeoesp e outras entidades de profissionais da educação nas redes pública e privada, se unem em nota pública pela mobilização e manifestação para exigir que a volta às aulas seja feita com a garantia de um ambiente seguro para professores, pais e alunos.
Leia o manifesto aqui:   https://bit.ly/2Z3VnK2

 

O que se sabe sobre a volta das aulas presenciais no Brasil
UOL; 22/06
https://bit.ly/3ejJ16K

Escolas públicas e particulares de todo o país estão fechadas e com as atividades presenciais suspensas desde meados de março devido à pandemia do novo coronavírus.

Não há, até o momento, uma data definida para a reabertura de todas as escolas. Mas a retomada de atividades de comércio e serviços em diferentes estados, como São Paulo e Rio de Janeiro, acendeu o debate sobre a volta das aulas presenciais.

 

Volta às aulas pós pandemia gera expectativa: como será?
Diário do Pará; 22/06
https://bit.ly/2V1H0EL

Enquanto esse dia não chega, fica mesmo a certeza de que hábitos comuns, vividos no dia a dia das escolas, serão revistos, como dividir o lanche com os colegas, abraçar a professora, brincar na hora do recreio sem se preocupar com o contato físico ou até mesmo ficar com a carteira colada na do amigo mais próximo. Mudanças que afligem não apenas os estudantes, mas seus responsáveis e toda a comunidade escolar.

 

 

Weintraub causa 'indignação' ao sair às pressas para os EUA, diz NYT
Folha de S. Paulo; 21/06
https://bit.ly/2V9hywW

No título do New York Times, que mobilizou três repórteres, "Ex-ministro brasileiro faz saída rápida para os EUA conforme inquéritos abalam governo" (imagem acima). No segundo enunciado, Abraham Weintraub "desembarcou em Miami sob a nuvem de uma investigação criminal".

O jornal descreve "muita indignação com a partida às pressas", porém "o Departamento de Estado disse que não comenta". No Intercept americano, no título para texto de Glenn Greenwald, "Bolsonaro contorna fraudulentamente a proibição de imigração de Trump para contrabandear seu ex-ministro para os EUA".

 

Reação a efeitos da pandemia na educação é principal desafio de próximo ministro
Folha de S. Paulo; 21/06
https://bit.ly/3enU3YB

O terceiro ministro da Educação do governo Jair Bolsonaro chegará à pasta em cenário crítico. O conavírus levou ao fechamento de escolas, exige esforços para manter o ensino e acarretará em queda de recursos.

A pasta não cumpriu até agora papel de protagonista na articulação para enfrentamento da crise.

O MEC tem sido praticamente ausente na manutenção de aulas remotas e na definição de protocolos de retorno às aulas, e —fato considerado mais grave— não criou qualquer linha de financiamento para mitigar os efeitos da pandemia.


Movimento negro pede que STJ suspenda ato de Weintraub revogando cotas para pós-graduação
Monica Bergamo; 19/06
https://bit.ly/3epj05Z

Organizações ligadas ao movimento negro protocolaram no Superior Tribunal de Justiça (STJ) um mandado de segurança pedindo a suspensão do último ato de Abraham Weintraub como ministro da Educação, no qual ele revogou a portaria estipulando cotas para negros, indígenas e pessoas com deficiência em cursos de pós-graduação.

"Fica evidente que o ato praticado pelo sr. Ministro da Educação, à míngua de motivação, infelizmente, manchando a honorabilidade de tão alto cargo, não passou de mero melindre com sua demissão", afirma o documento, assinado pela Coalizão Negra, que reúne 150 entidades de defesa dos direitos dos negros, e pelo Coletivo de Advocacia em Direitos Humanos (CADHU).

 

 

Artigo: ‘Para além da queda do bobo da corte’
Fepesp; 20/06
https://bit.ly/2Yj5DyQ

Por Adércia dos Santos: “A educação deveria estar respirando aliviada, mas o que se espera, na verdade, é saber que rumos o país vai tomar quanto à política geral, porque o fato é que nenhuma pasta neste desgoverno tem autonomia para absolutamente nada”.


Inep abre enquete do Enem 2020 para candidatos escolherem data da prova; estudantes relatam problemas para votar
G1; 20/06
https://glo.bo/3179wJ0

A enquete sobre a escolha das datas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 foi aberta neste sábado (20), às 10h, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), ligado ao Ministério da Educação (MEC).

Os candidatos terão até 30 de junho para escolher uma das três opções de datas: a primeira prevê provas em dezembro; a segunda, em janeiro de 2021; a terceira, em maio de 2021.

Opções para datas do Enem 2020 (participar da enquete aqui: http://enem.inep.gov.br/)

Opções        Enem impresso       Enem digital

1          6 e 13 de dezembro de 2020 10 e 17 de janeiro de 2021

2          10 e 17 de janeiro de 2021     24 e 31 de janeiro de 2021

3          2 e 9 de maio de 2021            16 e 23 de maio de 2021

 

 

  

Brasil supera 50 mil mortes de covid-19
Rede Brasil Atual; 21/06
https://bit.ly/2CnvEUW

Total marca os três meses do ingresso da doença no país, desde o primeiro caso registrado na cidade de São Paulo. Entidades criam rede para articular ações.

O Brasil rompeu o patamar de 50 mil mortes de covid-19 na noite deste sábado (20), ao alcançar 50.090 mortes. A informação foi divulgada pelo consórcio de veículos de imprensa, a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde do país.

Esse número foi obtido a partir de 968 mortes registradas em 24 horas. O total de 50 mil mortes marca os três meses do ingresso da doença no país, desde o primeiro registro de morte na cidade de São Paulo.


Coronavírus: estados têm dificuldade de controle e epidemia acelera em direção ao interior
Rede Brasil Atual; 2/06
https://bit.ly/2YoGS4a

“O que começou a acontecer no nosso país é que ela (doença) vagarosamente foi se interiorizando. O que torna muito mais complicado o controle num país com as dimensões do nosso. Em cidades cuja a condição de assistência é com poucos recursos para esse tipo de paciente que necessita de uma abordagem muito mais adequada de UTI”, explica o infectologista.

A imprevisibilidade se acentua diante da chegada no inverno, de acordo com Caseiro. Principalmente nas regiões Sul e Sudeste, onde a temporada costuma ser mais rigorosa, aumentando o risco de doenças respiratórias como a Influenza, a gripe. “Na verdade, quando a gente observa os dados de notificação da chamada Síndrome Respiratória Grave, aumentou de uma forma impressionante. Isso não se justifica, porque nós tivemos vacinação. Certamente, esse aumento sem precedente de casos de SRAG que estão imputando a influenza, na verdade são pelo coronavírus. Então na verdade esse número que já é trágico, certamente é muito pior do que esse dado que eles estão mostrando para nós”, contesta o médico infectologista.

­

Escolas apostam em gincana para as crianças e pais mudam rotina durante a pandemia
Estadão; 17/06
https://bit.ly/2Yl5lrc

No início do período de isolamento por causa do coronavírus, a professora Juliana Duarte, de 40 anos, chegou a pensar que as aulas remotas da filha Laura, de 8 anos, eram parte de uma situação temporária. Quase três meses depois e sem previsão de retorno das atividades escolares, ela já fez uma série de adaptações na rotina e em casa para que o processo seja produtivo sem desgastar a criança.

Para enfrentar o desafio de manter os pequenos envolvidos com as atividades, pais e escolas estão se reinventando e fortalecendo o diálogo e brincadeiras, como gincanas para encontrar objetos em casa e revirar os álbuns de fotos da família.

 

 

Alunos de escola rural contam com 'delivery de tarefas' para suprir acesso precário à internet
G1; 19/06
https://glo.bo/2YlXVDW

A pouco mais de 20 quilômetros do Centro de São José dos Campos, uma caminhonete branca vai levantando poeira pelas ruas de terra do Jaguari, bairro com características rurais na zona norte da cidade. O veículo vai parando em diversas casas para entregar atividades aos alunos da escola Madre Teresa. Como ali o estudo online é difícil para muitas famílias, é assim que a educação tem chegado enquanto as escolas estão fechadas por causa da pandemia do coronavírus.

Com oito anos e no segundo ano do ensino fundamental, Pedro é um dos que aguardam a passagem da caminhonete para receber as atividades. Ao receber a "encomenda", vai para um cômodo da casa e senta no banco de madeira em frente a uma pequena mesinha. Diante de um computador que não funciona, vai fazendo as tarefas no papel.

A escola Madre Teresa, no bairro Jaguari, é comandada por uma entidade filantrópica e atende gratuitamente cerca de 100 crianças entre o ensino infantil e o quinto ano do ensino fundamental. A auxiliar de limpeza Márcia Oliveira e a secretária Maiara de Almeida são quem realizam as entregas. A caminhonete e o motorista são da Prefeitura de São José dos Campos.

O percurso pelas ruas de terra, cheio de morros e com gados à beira das ruas, é longo. Leva cerca de três horas para ser concluído. Como muitos alunos moram longe da escola e seria difícil eles irem buscar as atividades, a escola começou a levar os materiais uma vez por semana de casa em casa.

 

 

Conteúdo Relacionado

crossmenu