Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

quinta-feira, 19 de maio de 2022

Por Beth Gaspar em 19 de maio de 2022

19/05 - Educação domiciliar segue para votação no Senado, ultratividade e mobilização no Ensino Superior, diretoria do Sinpro Jundiaí eleita com 98,4% dos votos, e mais: o ciclone que trouxe o frio

.

Ensino Superior: Todos devem ficar atentos às convocações dos sindicatos. A manifestação das assembleias foi contundente: não aceitamos salários sem a reposição da inflação. Vamos demonstrar o descontentamento com a atuação das mantenedoras na negociação. Discuta essa situação com seus colegas, nas instituições de ensino ou nas plataformas remotas. Veja aqui: https://bit.ly/3PvKzO4

  

POLÍTICA EDUCACIONAL

Homeschooling é aprovado pela Câmara
Valor Econômico; 19/05
http://glo.bo/3lqFFnz

Destino de proposta no Senado é incerto; votação representou uma vitória da base governista

Apesar da resistência de partidos da oposição, a Câmara dos Deputados aprovou ontem, por 264 a 144, o texto-base do projeto que regulamenta o ensino doméstico (homeschooling). Dois parlamentares se abstiveram. Por acordo, a análise dos destaques, com sugestões de mudanças no parecer da relatora Luísa Canziani (PSD-PR), foi adiada para hoje.

Apenas após a conclusão dessa etapa, o texto seguirá para apreciação do Senado. Durante a análise do texto-base, PT, PSB, PDT, PCdoB, Psol, PV e Rede orientaram contra a matéria. O MDB liberou sua bancada a votar como quisesse.

 

Entidades criticam projeto de lei que libera o ensino domiciliar no país
G1; 19/05
http://glo.bo/3ac6rxO

Mais de 400 entidades assinaram um manifesto contra a liberação do ensino domiciliar (homeschooling) que está sendo debatida pelo Congresso Nacional em um projeto de lei.

O documento assinado na terça-feira (17) é assinado pela União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), e a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), entre outras instituições. As entidades signatárias do manifesto defendem que a aprovação do projeto representa um risco à garantia do direito fundamental à educação e pode intensificar as desigualdades já existentes.

 

CAMPANHA SALARIAL 2022

Impasse na negociação do ensino superior: patronal nega repor defasagem da inflação, quer impor teto de salários, recusa mediação
Rádio Peão Brasil; 18/05
https://bit.ly/3yKXWDY

As mantenedoras das instituições de ensino superior querem impor um teto ao salário de professores e auxiliares de administração, negaram repor as perdas causadas pela inflação e insistem em reajuste de 6% parcelado entre 4% agora e 2% em janeiro de 2023 mesmo diante de uma inflação crescente, que chegou a 10,57% na data base das categorias, em 1º de março.

“É o impasse. O patronal decidiu que não quer repor a defasagem nos salários, mas dizem que ‘querem negociar’? Isso não é uma negociação de verdade”, disse Celso Napolitano, coordenador da comissão de negociadores dos sindicatos integrantes da Fepesp na rodada de negociação desta quarta-feira, 18/05, da campanha salarial do Ensino Superior.

 

Ensino Superior: empresários cedem e vão manter todas as cláusulas da Convenção Coletiva
Agência Sindical; 18/05
https://bit.ly/3G7Z2LW

Pelo menos uma notícia positiva aos professores: os empresários cederam à reivindicação dos Sindicatos e e vão manter todas as cláusulas da Convenção Coletiva do ano passado, o que é conhecido como ‘ultratividade das normas’, até o dia 12 de julho.

[Mesmo assim] nova reunião entre os professores do Ensino Superior do Estado de SP e representantes das instituições terminou sem acordo. A rodada de negociação da campanha salarial foi nesta quarta (18), e as mantenedoras seguem negando repor as perdas causadas pela inflação, que chegou a 10,57% na data base da categoria, em 1º de março.

 

‘Então já sabe – Agora, a saída é a mobilização!’
Fepesp; 18/05
https://bit.ly/3PvKzO4

“Temos que nos organizar e demonstrar o descontentamento com a atuação das mantenedoras na negociação. E vencer o impasse com o poder e a disposição de luta das categorias”, conclui Celso Napolitano.

Todos devem ficar atentos às convocações dos sindicatos. a manifestação das assembleias foi contundente: não aceitamos salários sem a reposição da inflação. Discuta essa situação com seus colegas, nas instituições de ensino ou nas plataformas remotas.

 

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Uniasselvi e Cesumar vão gerar sinergias de R$ 2 bi a R$ 2,8 bi
Valor Econômico; 19/05
http://glo.bo/3Mtem7X

Companhia combinada tem 775 mil alunos no online e disputa liderança com Kroton.

Aprovada ontem sem restrições pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a combinação dos negócios entre os grupos de ensino a distância Uniasselvi e UniCesumar vai gerar sinergias entre R$ 2 bilhões e R$ 2,8 bilhões no período de cinco anos. A companhia combinada que, atualmente, tem cerca de cerca de 775 mil alunos matriculados em cursos on-line divide palmo a palmo a liderança desse mercado com a Kroton, que pertence à Cogna.

A Vitru, controladora da Uniasselvi, anunciou, em agosto do ano passado, a aquisição da UniCesumar por R$ 3,2 bilhões, sendo 63% em dinheiro e a diferença em troca de ações. A transação envolve ainda outros R$ 300 milhões referentes a metas a serem atingidas e acordos de não competição. A companhia tem como principais acionistas as gestoras Vinci, Carlyle e Neuberger Bermann.

 

Dasa e Ânima fecham parceria para estágio e curso
Valor Econômico; 19/05
http://glo.bo/3FZyzzT

As companhias têm em comum a família Bueno como investidora.

Seis meses após a gestora de private equity DNA, controlada pela família Bueno, fazer um aporte de R$ 1 bilhão por 25% do braço de faculdades de medicina da Ânima, surgem os primeiros frutos dessa transação entre os negócios de saúde que têm o fundo como investidor.

A Dasa, também controlada pela família Bueno, e a Ânima fecharam uma parceria para que os alunos das faculdades de medicina façam os estágios obrigatórios dos últimos anos da graduação nos hospitais e laboratórios de medicina diagnóstica da Dasa e os médicos do grupo possam fazer suas especializações nas instituições de ensino da Inspirali, braço de faculdades medicina da Ânima, que conta com 14 escolas em São Paulo, Belo Horizonte, Salvador, Florianópolis e Natal.

 

TRABALHO

 

‘Reforma’ trabalhista não criou empregos como prometido, diz estudo da USP
Radio Peão Brasil; 18/05
https://bit.ly/3sHGaxS

Em estudo publicado nessa terça-feira (17), pesquisadores do Centro de Pesquisa em Macroeconomia das Desigualdades (Made-USP) concluem que a “reforma” trabalhista aprovada em 2017 “não apresentou efeito estatisticamente significante sobre a taxa de desemprego”. O resultado da pesquisa desmonta o argumento do governo golpista de Michel Temer, autor da “reforma”, que à época estimava que a precarização dos direitos dos trabalhadores criaria entre 2 e 6 milhões de empregos.

Para chegar ao resultado divulgado hoje, os pesquisadores Gustavo Pereira Serra, Ana Bottega e Marina da Silva Sanches compararam a taxa de desemprego do Brasil com a de outros 11 países da América Latina e Caribe que não não passaram por mudanças nas leis trabalhistas no mesmo período.

 

SAÚDE

Casos de covid-19 nas Américas subiram 27,2% na última semana, alerta Opas
Rede Brasil Atual; 18/05
https://bit.ly/3lqlVR2

A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) alertou nesta quarta-feira (18) que as novas infecções e mortes pela covid-19 tem aumentado “constantemente” nas Américas nas últimas quatro semanas. Os casos da doença no continente subiram 27,2% na semana passada em relação à anterior. Os países da região registraram mais de 918 mil casos e 3,5 mil óbitos pela doença na semana finalizada no dia 14.

A alta de casos vem sendo puxada principalmente pelos Estados Unidos, que responderam por mais de 605 mil novas infecções, crescimento de 33%. Todas as sub-regiões do continente, no entanto, tiveram alta de casos. A América Central teve o maior aumento percentual, com alta de 80%.

 

 

 

Onda de frio: os efeitos do ciclone Yakecan que derruba as temperaturas pelo país
Nexo 18/05
https://bit.ly/3G3Z07B

O ciclone Yakecan derrubou as temperaturas das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país. O fenômeno começou no dia 14 de maio, no Oceano Atlântico, e tem avançado rumo ao continente. Com ele, uma massa de ar polar trouxe frio, geada e até mesmo neve, incomum no Brasil especialmente antes do início oficial do inverno em junho.

Os ventos deixaram 200 mil pessoas sem energia no Rio Grande do Sul e chegaram a tombar um caminhão em Santa Catarina. Há preocupação com os impactos do clima em plantações e com a crescente população de rua dos centros urbanos, desamparada para suportar a queda brusca nas temperaturas.

‘O som do céu’ - Na língua tupi-guarani, Yakecan significa “o som do céu”. O ciclone é do tipo subtropical – ou seja, ele se formou abaixo do trópico de Capricórnio, que corta os estados de São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul, a partir do encontro de massas de ar quente e ar frio.

Junto com o encontro de uma massa de ar polar vinda da Antártida, o Yakecan derrubou as temperaturas no país e trouxe rajadas intensas de vento.

Diante da tempestade, o InMet (Instituto Nacional de Metereologia) emitiu na terça-feira (17) um alerta vermelho, o mais grave do seu sistema de classificação de riscos.

Segundo comunicado da Marinha do Brasil, o ciclone ocorre em alto mar, a cerca de 900 km do litoral do Rio Grande do Sul. “Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e solicita-se ampla divulgação às comunidades de pesca e esporte e recreio”, diz a nota.

Impactos sociais - A queda nas temperaturas também traz preocupações sociais, especialmente com a população de rua.

As prefeituras de Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro anteciparam parte de seus esforços para a doação de agasalhos e de planos emergenciais de amparo para os moradores de rua, como a construção de abrigos temporários.

Em alguns casos, os esforços não foram suficientes. Ao jornal Folha de S.Paulo, o padre Júlio Lancelotti, conhecido por suas ações sociais, relatou que dezenas de pessoas dormiram nas ruas na madrugada desta quarta (18) sem saber dos abrigos construídos pela administração municipal, encarando uma temperatura de 7ºC e sensação térmica que variou entre 0°-C e 2°C. “Os serviços da prefeitura não circulam pela cidade, ficam parados, não vão atrás das pessoas”, disse o padre. “Falta um toque de atenção, de humanização, de carinho”.

 

Ciclone: Cidades gaúchas suspendem aulas da rede pública e fazem alerta para cuidados
Estadão; 17/05
https://bit.ly/3FVPnYx

Diversos municípios gaúchos estão em estado de alerta com a chegada de um ciclone extratropical que pode gerar fortes rajadas de ventos de mais de 100 km/h a partir desta terça-feira, 17, principalmente no litoral e Lagoa dos Patos, zona sul. Baixas temperaturas e chuva também estão previstas em algumas regiões do Rio Grande do Sul.

Em Porto Alegre, as aulas da rede municipal estão suspensas nos turnos da tarde e noite desta terça-feira, 17. Segundo a prefeitura, ‘’a decisão se estende à rede conveniada e a medida foi tomada para preservar a segurança dos alunos e das equipes’’, esclarece nota publicada no Twitter.

Conteúdo Relacionado

crossmenu