Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 20 de junho de 2024

Por Beth Gaspar em 16 de junho de 2020

16/06 - fim de linha para Weintraub, vacinas antes da volta às aulas, transporte coletivo na pandemia - e mais.

.

Site Fepesp: Hoje nos Jornais em um clique
Todo dia, as principais notícias em um clique,
bem na página inicial do site da Federação.
Aqui:   https://bit.ly/3hrKxWx

 


Ministros do STF são avisados de que Weintraub cai e acreditam que ele pode acabar preso
Monica Bergamo; 15/06
https://bit.ly/3fsUzER

O ministro Abraham Weintraub, da Educação, já estaria com os dias contados na equipe do presidente Jair Bolsonaro e sua queda pode ocorrer a qualquer momento.

Esse foi o recado passado por um interlocutor frequente de Bolsonaro a ministros da corte. Magistrados acreditam, inclusive, que o ministro da Educação pode acabar sendo preso se continuar atacando as instituições, como tem insistido em fazer.

 


Cármen Lúcia segue Fachin e mantém Weintraub no inquérito das fake news
Estadão; 14/06
https://bit.ly/2NeXqW9

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, seguiu o colega Edson Fachin e votou contra a concessão de habeas corpus em favor do ministro da Educação, Abraham Weintraub, no inquérito das fake news.

Governo de Brasília multa ministro da Educação, Abraham Weintraub, por não usar máscara
Metrópoles; 15/06
https://bit.ly/30Oc92e

O governo do Distrito Federal (GDF) multou o ministro da Educação, Abraham Weintraub, em R$ 2 mil por não usar máscara. Um decreto distrital proíbe a circulação em locais públicos sem o adereço de proteção.

O auto de infração expedido nesse domingo (14/06) foi obtido pela coluna Grande Angular. O Ministério da Educação recebeu o documento oficialmente às 11h45 desta segunda-feira (15/06).

 

Bolsonaro diz que Weintraub não foi 'prudente' e não representava governo ao participar de ato
G1; 15/06
https://glo.bo/3dduqsp

Ministro da Educação compareceu a ato de bolsonaristas um dia após fogos de artifício terem sido lançados contra o prédio do STF. Ala política do governo defende demissão do ministro.

 

Editorial: “Fora, Weintraub”
Folha de S. Paulo; 16/06
https://bit.ly/2zAnFCY

Não há mais a menor condição de Abraham Weintraub continuar ministro de Estado do Brasil. Esse jagunço do bolsonarismo, que parece ter a ambição de superar o chefe nos modos e nos métodos, envergonha a democracia nacional e seguirá arruinando o futuro de uma geração de jovens enquanto estiver no Ministério da Educação.

Se não for demitido pelo presidente Jair Bolsonaro —que o faria não por convicção, mas por mero instinto de sobrevivência—, Weintraub precisa ser processado por crime de responsabilidade perante o Supremo Tribunal Federal.

 

Direitos trabalhistas ameaçados na pauta de terça, 16, no Parlamento
Contee; 12/06
https://bit.ly/2CdqTNR

A MP 936, agora pautada para o dia 16, prevê adiamento de recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) dos meses de março a maio, teletrabalho, prorrogação temporária de acordos coletivos e antecipação de férias. Também permitia a suspensão dos contratos de trabalho por até quatro meses. O dispositivo, no entanto, foi retirado do texto após fortes críticas no meio político. A exclusão se deu por meio da MP 928/20.

 

 


Rio: Sem vacina ou medicamento não haverá retorno de aulas presenciais
Site UFRJ; 15/06
https://bit.ly/30NSHSX

No próximo dia 16/6, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) completará 90 dias de atividades presenciais não essenciais suspensas. Ainda resta muita incerteza sobre quando ou como ocorrerá o nosso retorno presencial, mas a Administração Central da Universidade tem agido de maneira responsável, sempre baseada em critérios técnico-científicos, desde o início da pandemia da COVID-19. Permaneceremos firmes na garantia da segurança ao corpo social e à população.

É importante dizer que, se não houver alternativas, como a vacina ou medicamento eficaz contra a COVID-19, o retorno presencial completo não será possível no ano de 2020.

 


Amazonas: Para 68% dos professores, volta às aulas só pode acontecer após vacina
Estado Politico, Manaus; 15/06
https://bit.ly/3ednfli

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas, Sinteam, divulgou nota nesta segunda feira (15), na qual defende a criação de uma comissão para discutir amplamente a retomada das aulas presenciais.

Paraná: Escolas particulares- pais preferem retorno só em agosto
Gazeta do Povo,; 15/06
https://bit.ly/3ednfli

"O Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Paraná (Sinepe) realizou uma pesquisa com 8,5 mil pais de alunos de creches, escolas e universidades privadas a respeito da retomada gradual das atividades escolares presenciais e constatou que a maioria dos pais prefere que o retorno só ocorra em agosto e que, mesmo após o retorno, as atividades remotas sejam mantidas para que possam optar por levar ou não seus filhos às escolas.

Questionados sobre uma possível data de retorno, entre quatro alternativas apresentadas que iam de 22 de junho a 03 de agosto, 67,3% se mostrou mais confortável com o retorno das aulas presenciais no início de agosto, contra 18,1% que gostaria que as aulas retomassem na primeira data apresentada."


Despreparo e incertezas ameaçam educação pós-pandemia
Folha de S. Paulo; 13/06
https://bit.ly/3e4RMBG

Com escolas em todo o Brasil fechadas há praticamente três meses por causa da pandemia do novo coronavírus, estados e municípios já vislumbram os desafios para a volta das aulas. Quase duas em cada dez redes públicas ainda não começaram a se preparar para retomar as atividades (16%) nem têm estratégias para evitar o abandono escolar (21%).

Estudo de autoria do centro de pesquisas educacionais Iede (Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional) e do comitê de educação do IRB (Instituto Rui Barbosa) mapeou a situação das redes. O trabalho “A Educação Não Pode Esperar” contemplou 249 delas, de todas as regiões.

O levantamento, que envolveu pelos menos cem auditores públicos, teve a participação de 26 tribunais de contas, com foco nas secretarias estaduais e também as municipais de capitais. Além disso, mais 11 cidades de cada estado foram analisadas com base em dois critérios: maior número de matrículas e maior proporção de estudantes mais pobres. Este é o mais amplo estudo feito até agora na área.

Ainda não há consenso sobre datas de retorno das aulas. No entanto, conselhos que representam gestores da educação já trabalham em protocolos para a retomada.

 

 

 

Por que o transporte coletivo é um entrave na pandemia
Nexo; 15/06
https://bit.ly/37wuAty

Com o relaxamento do isolamento social e a retomada do comércio em várias regiões do Brasil, a circulação de ônibus lotados voltou a ser rotina em grandes cidades como São Paulo, o que preocupa pesquisadores das áreas de transporte e saúde e contraria a promessa dos gestores públicos de transportar apenas passageiros sentados.

Os ônibus são espaços com alto risco de transmissão do novo coronavírus por serem ambientes fechados, com pouca ventilação e presença de ar-condicionado, além da dificuldade de manter um distanciamento mínimo de um metro entre uma pessoa e outra. Pesquisadores mostraram que motoristas de ônibus tem 70% mais chances de pegarem a doença do que outros profissionais.

Conteúdo Relacionado

crossmenu