Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 17 de fevereiro de 2024

Por Beth Gaspar em 15 de fevereiro de 2022

15/02 - Conclat recebe independentes, crise no Inep e as notas erradas no Enem, Covid pode passar de pandemia a endemia, e mais: os ícones da semana de 22

.

Esse é o item 25 do Plano de Ações deliberado pelas delegadas e delegados ao 10º Congresso da Fepesp. Conheça o plano completo aqui.

 

 

 

Confusão ao divulgar notas do Enem reflete crise no Inep, dizem servidores
UOL; 14/02
https://bit.ly/3LB6sJN

Por volta das 18h da última quarta-feira (9), o ministro da Educação, Milton Ribeiro, anunciou nas redes sociais que a divulgação da nota do Enem 2021, prevista para dali a dois dias, seria antecipada e aconteceria apenas uma hora após sua postagem. O que o ministro chamou de "boa notícia", no entanto, decepcionou os participantes do exame, que só conseguiram acessar suas informações não às 19h, como anunciado, mas depois das 23h.

Servidores ouvidos pelo UOL afirmaram que houve demora na liberação dos dados porque a equipe do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) responsável pelo processo foi avisada às pressas da antecipação. Além disso, novatos no órgão, que não têm experiência e conhecimento sobre os procedimentos, entraram na equipe.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Justiça autoriza aluna a frequentar escola no Rio sem se vacinar contra a Covid
Folha de S. Paulo; 14/02
https://bit.ly/34Aw0q1

A Justiça Federal autorizou uma estudante do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, a frequentar a escola sem ter sido vacinada contra a Covid-19. Na decisão, o desembargador Marcello Granado, do TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região), afirma que a exigência de vacinação para entrar na escola viola a liberdade de locomoção da estudante.

No documento, o magistrado argumenta que "negar os riscos para a saúde relacionados a qualquer vacina é uma postura anticientífica, especialmente se tratando de uma vacina cujos testes de segurança e eficácia não estão concluídos", escreve ele.


Pesquisa aponta lacunas do ensino na pandemia
Valor Econômico; 15/02
https://glo.bo/3BpjJAI

Mais de 70% dos alunos precisam de aulas de reforço de matemática e português depois da pandemia e dois em cada dez correm o risco de evasão escolar, mostra pesquisa do Datafolha, feita a pedido do Itaú Social, da Fundação Lemann e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O levantamento, divulgado ontem, revela ainda que o processo de reabertura e retorno presencial às escolas vem sendo assimétrico e tem relação com o nível de desigualdade socioeconômica.

O estudo quantitativo foi realizado por telefone com 1.306 pais e responsáveis e 1.850 estudantes, ao longo de dezembro de 2021.

 

Por ausência de políticas públicas de educação, analfabetismo volta a crescer no Brasil
Rede Brasil Atual; 14/02
https://bit.ly/3JtDoSz

Um estudo divulgado pelo programa Todos pela Educação, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), mostra que 41% das crianças de 6 e 7 anos não sabem ler e escrever. Esse é o maior índice de analfabetismo registrado no país desde 2012.

O recorte de idade se deu em razão do Plano Nacional de Educação (PNE), que tem como diretriz curricular a alfabetização de crianças no 1º e 2º ano do ensino fundamental, quando as crianças tem idades entre 6 e 7 anos.

 

TRABALHO

Conclat convidará independentes
Agência Sindical; 15/02
https://bit.ly/3LwTVHk

Dos estimados 12 milhões de sindicalizados brasileiros atuais, dois milhões integram bases de entidades não-filiadas a Centrais Sindicais. A ideia da organização da Conferência, que acontecerá em 7 de abril, é também convidar entidades não-filiadas para o evento. Sindicatos de peso, como de engenheiros, professores da rede privada e fiscais da Receita, entre outros, são independentes.

APOIO – Presidente da Federação dos Professores (Fepesp), Celso Napolitano, considera correta a iniciativa, exatamente por ampliar a representatividade que se busca na nova Conferência.

 

GENTE


Professora de São Bernardo é finalista em prêmio de educação
Diário do Grande ABC; 14/02
https://bit.ly/3Luottn

Pela segunda vez na carreira, a professora de educação física de São Bernardo Joyce Moura José Pin, 39 anos, representa o Grande ABC no Prêmio Educador Nota 10 – uma das principais premiações de educação básica do País. Com o projeto pedagógico Em Tempos de Pandemia… Acrobática com a Família, a docente conquistou uma vaga entre os 50 finalistas e busca avançar à próxima etapa, quando serão selecionados, até o fim do mês, os dez vencedores, que disputarão o título de educador do ano.

Docente há seis anos no Colégio Engenheiro Salvador Arena, antigo Termomecanica, tradicional instituição de ensino de São Bernardo, Joyce precisou se reinventar durante o isolamento causado pela pandemia da Covid-19 para ministrar as aulas de educação física de maneira remota.

 

CORONAVÍRUS

Covid deve mudar status de pandemia para endemia no segundo semestre, diz Dimas Covas
Valor Econômico; 15/02
https://glo.bo/3BkSwyO

A partir do segundo semestre, países com vacinação mais avançada, entre eles o Brasil, deverão não mais estar sob uma pandemia, mas sob uma endemia provocada pelo coronavírus. É esse o cenário que está sendo considerado pelo diretor do Instituto Butantan, de São Paulo, o médico Dimas Covas.

Isso significa que a doença deixará de ser tratada como uma crise sanitária uma situação de emergência para se tornar algo mais controlado e estável, o que não necessariamente significa que a doença estará vencida.

 

Média de mortes por Covid completa uma semana acima de 800 no Brasil
Folha de S. Paulo; 13/02
https://bit.ly/3JuOeb3

O Brasil completou uma semana com média móvel de mortes por Covid acima de 800 óbitos por dia. Nesta segunda-feira (14), a média foi de 859 vidas perdidas, aumento de 42% em relação ao dado de duas semanas atrás.

Nesta segunda, foram registradas 464 mortes por Covid e 58.100 casos da doença. Com isso, o país chega a 638.913 vidas perdidas e a 27.541.131 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2 desde o início da pandemia.

A média móvel de casos, apesar de continuar em níveis elevados, apresentou redução de 28% e chegou a 133.713 pessoas infectadas por dia.

 

 

 

Figuras e obras do início do século 20 que surgiram para o evento
Nexo; 14/02
https://bit.ly/3oLFcOY

A Semana de 22 aconteceu no suntuoso Theatro Municipal de São Paulo. Realizar o evento naquele local icônico e no ano em que o Brasil completaria 100 anos de sua independência teria um peso simbólico. Na programação havia debates, apresentações musicais, declamação de poemas. Havia uma grande movimentação de público, mas as reações não foram tão entusiasmadas quanto o esperado – aquilo tudo era diferente do que os círculos culturais da capital paulista estavam acostumados. Vaias, gritos e outros grunhidos eram ouvidos em abundância.

Neste especial, o Nexo relembra a Semana de 22 a partir de 22 ícones – entre pessoas e obras – que têm relação direta com ela e com a primeira geração de artistas modernistas.

...

‘Passado o susto, o escritor e diplomata maranhense Graça Aranha estava radiante na madrugada de 27 de janeiro de 1922, quando, na capital paulista, foi acordado por um terremoto. “É o cosmos!”, bradava ele no saguão do Grande Hotel da Rotisserie Sportsman, no viaduto do Chá, zona central da cidade, quando recebeu um de seus amigos, o artista carioca Emiliano Augusto “Di” Cavalcanti.

A cidade estava em pânico pelo ocorrido, mas a felicidade de Aranha e seus agradecimentos ao Universo se davam porque dias depois estava marcada a realização de um evento organizado por ele para mostrar para São Paulo o que havia de mais moderno na arte brasileira. Os jornais já anunciavam a iniciativa “no dia 11 a 18 de fevereiro próximo”. Para Graça Aranha, o terremoto era um indício de que a exposição não só seria um sucesso, mas que também sacudiria as estruturas da cultura nacional.

O evento, que ficou conhecido posteriormente como a Semana de 22, se tornou um marco para o modernismo brasileiro e completa 100 anos neste 2022. Originalmente pensado para durar sete dias, o festival acabou durando apenas três, dado o sentimento de estranheza causado no público. A partir dele, consagraram-se nomes como Di Cavalcanti, Mário e Oswald de Andrade, Anita Malfatti e Heitor Villa-Lobos’. (Leia mais aqui)

Conteúdo Relacionado

crossmenu