Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 28 de fevereiro de 2024

14 de setembro de 2022

14/09 – Vitória completa da greve na Unib, a paralisação na PUC/SP, a carta compromisso aos candidatos pelo direito à educação, e mais: Godard, o cineasta que mudou a forma de fazer e ver cinema

.

[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_whwi"]

A greve de trinta dias na Universidade Ibirapuera mostrou a resistência e persistência de professoras e professores, unidade e força sob a direção segura do sindicato. Comissão de professores irá acompanhar o cumprimento do acordo até janeiro, com estabilidade garantida! Leia tudo aqui:  https://bit.ly/3RN7BAh

 

UNIB: a greve que durou trinta dias e dobrou patronal caloteiro – A persistência de professoras e professores da Universidade Ibirapuera. orientados pelo Sindicato, resultou em vitória completa . A sua greve, de 9 de agosto a 9 de setembro, e o seu estado de greve do dia 9 em diante até a conclusão das audiências do dissídio de greve, no dia 13, provou que a luta vale a pena.

A universidade foi obrigada a aceitar um acordo que restaura a dignidade dos docentes, com o pagamento de salários, férias e direitos atrasados, protege a todos com estabilidade provisória de90 dias e ainda exige o pagamento dos dias parados – já que a motivação da greve foi exatamente pela falta de pagamento pelo empregador. “A conduta exemplar dessas professoras e desses professores é um exemplo de dignidade profissional para toda a categoria”, disse Celso Napolitano, que dirigiu as assembleias de greve e a condução do dissídio.

Veja aqui os termos do acordo e como irá funcionar a comissão especial de acompanhamento, protegida por estabilidade especial. Fepesp, 14/09   https://bit.ly/3RN7BAh

 

PUC-SP: professores e alunos fazem ato em dia de paralisação – A paralisação na PUC/SP [desta terça], 13 de setembro, está sendo marcada por atos e manifestações de apoio às professoras e professores. Está marcada para esta quarta-feira, 14/09, às 15h uma nova assembleia, que será remota.O protesto deveu-se à decisão da Fundação São Paulo, mantenedora da PUCSP, de alterar o critério de cálculo dos salários a partir de agosto, provocando uma redução de cerca de 10% na remuneração mensal.

Segundo o presidente da Apropuc, os professores tiveram conhecimento da mudança numa nota de rodapé do holerite, no dia do pagamento dos salários. Para o presidente do SinproSP, Luiz Antonio Barbagli, “a Fundasp agiu de uma forma truculenta porque não avisou nada (…) Você não pode ser pego de surpresa com 10% a menos do seu pagamento”.  SinproSP, 13/09   https://bit.ly/3S1LaYb

 

Rio de Janeiro: assembleia aprova proposta de reajuste salarial na Educação Superior  – Reunidos em assembleia, no dia 10 de setembro, professores e professoras da Educação Superior aprovaram a proposta acordada na paritária sobre reajuste salarial da data-base de abril de 2022. Toda a Convenção Coletiva e suas cláusulas sociais se mantém inalteradas e o reajuste se dará da seguinte forma:
– Foi aprovado um reajuste de 8% , sendo 4% em agosto e mais 4% em novembro; mais 50% de um salário de abono, pago 15% setembro, 25% em outubro e 15% em novembro.
Obs.: O abono foi acordado como uma forma de minimizar as perdas decorrentes da demora na negociação neste ano. SinproRio, 12/09   https://bit.ly/3dbnS3h

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Fora da faculdade, ex-estudantes têm dificuldades em pagar dívida do Fies – Milhares de estudantes brasileiros que foram à faculdade na intenção de conquistar melhores oportunidades no mercado de trabalho estão com dívidas no financiamento. Segundo o FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), 1.093.053 contratos do Fies estão com atraso no pagamento das parcelas. Folha de S. Paulo, 13/09   https://bit.ly/3DjQq5m


Fies: conheça as diferentes regras para negociar a dívida – Estudantes que firmaram contrato com instituições financeiras credoras para o Fies (Financiamento Estudantil) até o segundo semestre de 2017 podem pedir o refinanciamento da dívida. As negociações podem ser feitas na Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. Por lei, os bancos serão obrigados a conceder descontos que podem variar entre 12% e 99% para pagamento em parcela única. O saldo devedor poderá ser parcelado em até 150 vezes, a depender da situação do estudante. A renegociação poderá ser solicitada até o dia 31 de dezembro de 2022.  Folha de S. Paulo, 13/09   https://bit.ly/3QIXCLe


Assembleia Geral da ONU discute educação e sustentabilidade – Com foco em educação, desenvolvimento sustentável e respeito às minorias, ocorre até o próximo dia 27 a 77ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York. Pela primeira vez desde o início da pandemia de covid-19, o evento será inteiramente presencial. A Assembleia Geral foi aberta ontem (12), quando assumiu o novo presidente do órgão, o húngaro Csaba Kőrösi. Com mandato de um ano, ele substitui no cargo o então presidente Abdulla Shahid, das Maldivas. Agência Brasil, 12/09   https://bit.ly/3Ba4yvk


9ª edição do Prêmio Municipal de Educação em Direitos Humanos está com inscrições abertas estagnação –
Estão abertas as inscrições para o 9º Prêmio Municipal de Educação em Direitos Humanos e Cidadania, um projeto do Departamento de Educação em Direitos Humanos, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação (SME). Serão aceitas iniciativas que promovam os direitos humanos, executadas entre 2021 e 2022 na Rede Municipal de Ensino. O valor total das premiações é de R$ 85.500,00, com três projetos contemplados em cada uma das cinco categorias: Unidades Educacionais, Centros Educacionais Unificados, Educadores, Estudantes e Grêmios Estudantis. As informações sobre os prêmios de cada categoria e inscrições podem ser encontradas no formulário de inscrição e no Edital (acesse). SME, 12/09  https://bit.ly/3RIKLdD

 

Siga a Fepesp no Twitter:
http://twitter.com/fepesp

 

ELEIÇÕES 2022

Carta Compromisso pelo Direito à Educação recebe mais de 130 assinaturas de candidatos A Carta Compromisso pelo Direito à Educação nas Eleições 2022, formulada pela Campanha Nacional de Direito à Educação e outras entidades, e apoiada pela CNTE, defende 40 compromissos por uma Educação Pública justa e de qualidade. Leia a carta completa aqui.

O objetivo principal é garantir um financiamento adequado para a Educação Pública nos próximos governos. A Carta já recebeu mais de 130 assinaturas de candidatos de todos os estados do país, firmando um pacto com uma Educação Pública gratuita e de qualidade. Alguns dos compromissos incluem o piso salarial do magistério, a revogação do teto de gastos (Emenda Constitucional 95/2016), além de uma educação democrática e inclusiva. Contee, 14/09  https://bit.ly/3BhKuHx


Lula defende escola integral como instrumento para melhorar a educação “Tudo que um pai quer, tudo que uma mãe quer, é ver a meninada estudar, se formar e trabalhar. É ver as crianças ficarem brincando na rua sem medo de uma bala perdida e nós vamos fazer um sistema de escola integral para toda criança ficar na escola o dia inteiro”, disse Lula em comício realizado em Nova Iguaçu (RJ), na quinta-feira (8).

Em outra ocasião, durante encontro do ex-presidente com governadores no final de agosto, Lula destacou que “a escola em tempo integral é uma das soluções não só para formar melhor nosso jovem, mas também para evitar que ele chegue no crime”. Vermelho, 13/09  https://bit.ly/3QCqTYh


Reprovação de Bolsonaro em setembro indica reeleição ‘improvável’ O cientista político Alberto Carlos Almeida e o geógrafo Tiago Garrido consideram “improvável” que o presidente Jair Bolsonaro consiga a reeleição. Os pesquisadores analisaram dados do Datafolha sobre a avaliação do mês de setembro dos três ex-presidentes da República que se já se reelegeram. “Tomando-se como referência as três reeleições anteriores – Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff –, a avaliação de Bolsonaro teria de melhorar muito até 2 de outubro para que ele se torne o favorito”, diz a análise.

Garrido e Almeida, coautores do livro A Mão e a Luva – O que Elege um Presidente (Editora Record), teoricamente Jair Bolsonaro poderia se reeleger. Mas, olhando para os números, “é improvável”. Rede Brasil Atual, 13/09  https://bit.ly/3Lh8pLU

 

 

O que Godard inventou que mudou a forma de fazer e ver cinema
Nexo, 13/09
https://bit.ly/3eOpEbb

O cineasta franco-suíço Jean-Luc Godard morreu nesta terça-feira (13) aos 91 anos. Segundo familiares, a morte ocorreu de “maneira tranquila” após um suicídio assistido – quando o indivíduo encerra a própria vida com acompanhamento médico e psicológico. Godard morava na Suíça, onde o procedimento é legalizado.

Godard foi um dos cineastas mais influentes do século 20. Ícone da nouvelle vague, movimento francês que ganhou o mundo nos anos 1960, sua produção subverteu padrões estabelecidos e criou novas formas de provocar reflexões a partir de imagens.

Neste texto, o Nexo conversa com um crítico e um professor de história do cinema para explicar a trajetória e o legado de Godard.

 

A trajetória – Godard começou a carreira como cineasta ainda nos anos 1950, com curtas-metragens e outras incursões experimentais. Também teve uma formação teórica robusta, como parte da equipe da revista Cahiers du Cinéma, referência da crítica. Faziam-lhe companhia na redação nomes que viriam a ser grandes realizadores do cinema francês, como François Truffaut, Éric Rohmer e Claude Chabrol.

A geração constituiu o movimento da nouvelle vague, vanguarda que marcou o cinema francês e mundial. E aquela que foi apontada como a sua maior obra foi justamente o primeiro filme de Godard: “Acossado”, de 1960, que usa uma trama policial para subverter a narrativa cinematográfica e as formas de Hollywood.

Godard continuou produzindo muito entre os anos 1980 e 2010. Foram mais de 40 longas ao longo de 70 anos de carreira. Seu último filme foi “Imagem e palavra”, lançado em 2018.

“Existiram vários Godard, de acordo com os momentos do mundo e da sociedade, ele soube acompanhar a história”, afirmou ao Nexo Pedro Maciel Guimarães, professor de história e estética do cinema da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). “Ele foi se modificando. O Godard dos anos 1960 é um, dos 1970 é outro, dos 1980 é outro, dos 1990, dos 2000. Ele conseguiu acompanhar a evolução técnica e estilística do mundo, sempre mantendo um ponto de vista crítico em relação às imagens.”

Para o crítico Chico Fireman, as fases de Godard acompanharam não só a história do mundo, mas também a evolução do cineasta enquanto artista.

“As fases do cinema dele derivam disso. O jovem que queria mudar tudo; o revolucionário prático, que fez do cinema uma plataforma política; o cineasta maduro que assumiu essa persona que construiu ao longo das décadas e garantiu sua liberdade para falar sobre absolutamente tudo, inclusive revisionar o próprio cinema”, disse ao Nexo.

 

O legado – Na visão de Mário Alves Coutinho, doutor em literatura pela Universidade Federal de Minas Gerais, Godard produziu, ao mesmo tempo, cinema e literatura. “Godard, concretamente, escreveu com a câmera”, afirmou em sua tese de doutorado, defendida e aprovada em 2007.

Guimarães, da Unicamp, ressalta a versatilidade do cineasta. “Ele fez vídeos, instalações, programas de TV, videoclipes. Ele ousou tocar em tipos de imagens que sofrem com uma falta de reputação diante de uma certa elite intelectual – da qual ele faz parte também – e testar até onde podiam ir”, afirma o professor.

“O Godard reinventou a imagem, a montagem, o trabalho do ator, a escrita de roteiros e a própria postura do diretor diante de sua obra. Foram vários campos de inovação, de rebeldia, de reinvenção”

Curiosamente, Godard acabou influenciando diretores que viriam a figurar entre os principais nomes de Hollywood – que representava um estilo de cinema que ele criticava.

“Eu vejo Godard como o grande artista visual do cinema”, disse Scorsese ao site da Criterion em 2014. “Para mim, ‘O desprezo’ é um encontro cinematográfico com a eternidade. Um dos filmes mais arrebatadores já feitos.” Scorsese homenageou o longa em “Cassino” (1995), ao incorporar parte da trilha sonora da produção godardiana no projeto.

“Há muitos artistas que te levam para um outro lugar sensorial”, disse Tarantino ao podcast Narrative Art em 2016. “E Godard é um desses.” Apesar dos elogios, Godard não era fã do americano. “O trabalho dele é nulo”, afirmou em 2005. “Tarantino batizou sua produtora em homenagem a um de meus filmes [Bande à part]. Teria feito melhor se me desse dinheiro.”

Segundo Chico Fireman, o maior legado de Godard é a liberdade autoral que ele conquistou a partir de suas obras.

“Para Godard, fazer cinema sempre foi um ato revolucionário. Seja na experimentação, seja no discurso. Mexer nas bases sempre foi uma intenção. Ele passou a vida toda tentando escapar do pensamento tradicional, das amarras do cinema, inclusive, e isso deu a ele uma liberdade autoral que muitos tentaram e poucos conseguiram. É sua herança maior”

 

O hermetismo – A revolução promovida por Godard no cinema fez com que sua obra fosse considerada hermética e de difícil entendimento para boa parte do público, mais acostumado a narrativas lineares. O franco-suíço, no entanto, é praticamente uma unanimidade entre estudiosos e críticos do cinema.

“Justamente por ser hermético que ele tem uma tendência inicialmente a agradar as pessoas que estão no entorno do cinema”, disse Guimarães. “Ele demanda uma certa atenção, uma reflexão, uma postura intertextual que nem todo espectador tem, de conseguir relacionar uma imagem às outras que vieram diante dela e uma postura política diante das imagens.”

Para Chico Fireman, o projeto de arte como ato revolucionário proposto por Godard é o que torna ele um cineasta mais difícil de ser acessado pelo grande público.

“Por mais reconhecimento que ele tenha recebido, ele nunca estacionou, sempre esteve se reinventando e, sendo assim, por que poupar o espectador? Cada filme do Godard é um convite à revolução. Ele foi uma espécie de eterno cientista do cinema”, diz o crítico.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio