Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

segunda-feira, 14 de junho de 2021

Por Beth Gaspar em 14 de junho de 2021

14/06 - a vacinação de professores do ensino superior, terceirização do magistério da rede particular rejeitada em debate, pastor e militar no Inep, e mais:  ainda precisamos de sindicatos no século 21?   

.


SP deve ampliar cadastro da Educação para vacinação contra Covid-19:  nos próximos dias, professores de ensino superior e de cursos livres poderão se inscrever
BandNews; 12/06
https://bit.ly/3gos5zE

O governo de São Paulo deve abrir nos próximos dias o cadastro para professores do ensino superior e de cursos livres na campanha de vacinação contra a Covid-19.

Por enquanto, esses trabalhadores não entram no grupo prioritário dos profissionais de Educação.

Em entrevista à rádio BandNews FM, o secretário estadual da Educação, Rossieli Soares, explicou que é preciso saber quantos ainda faltam ser contemplados na campanha. Não há dados, por exemplo, do número de docentes de cursinho ou inglês em São Paulo.

 

Vacinação em SP: confira o novo calendário de imunização anunciado pelo governo estadual
Estadão; 13/06
https://bit.ly/3zntGgl

O governo de São Paulo anunciou neste domingo, 13, a antecipação em 30 dias no calendário de vacinação contra a covid-19 no Estado. Com a mudança, toda a população com mais de 18 anos deve estar imunizada até o dia 15 de setembro. Essa é a terceira alteração no cronograma promovida neste mês pela gestão do governador João Doria (PSDB), que anteriormente estimava os prazos para o mês de outubro.

Com as atualizações, o cronograma de vacinação fica assim:

Adultos sem comorbidades, de 50 a 59 anos: 16 a 22 de junho (3 milhões de pessoas)
Adultos de 43 a 49 anos: 23 a 29 de junho
Adultos de 40 a 42 anos: 30 de junho a 14 de julho
Adultos de 35 a 39 anos: 15 a 29 de julho
Adultos de 30 a 34 anos: 30 de julho a 15 de agosto
Adultos de 25 a 29 anos: 16 a 31 de agosto
Adultos de 18 a 24 anos: 1º a 15 de setembro


Campinas: MPT cobra lista de profissionais da educação com comorbidades não vacinados
G1 11/06
https://glo.bo/3xbVbHY

O Ministério Público do Trabalho (MPT) de Campinas (SP) informou que manteve a posição sobre a necessidade da prefeitura afastar do trabalho presencial os profissionais da educação com comorbidades da Covid-19 que não tenham sido vacinados. Em audiência nesta sexta-feira (11), o órgão deu prazo até 18 de junho para que a administração municipal indique quais trabalhadores estão imunizados ou não e se foram realocados para funções remotas.

O pedido da lista foi feito após a prefeitura informar que cerca de 90% dos profissionais com doenças preexistentes (comorbidades) já foram imunizados, mas revelar dificuldade em apresentar dados exatos pelo fato do controle ser do governo estadual.

"Para isso, a municipalidade [prefeitura] teria que cruzar os dados da vacinação por idade, dos pertencentes à área da educação e dos comorbes, com os dados dos profissionais da área da educação, incluindo os terceirizados", informou o MPT, em nota.

Bilionário Jorge Paulo Lemann entra em novo projeto com BID; ensino na pandemia
Folha De S. Paulo; 11/06
https://bit.ly/3vnLepm

O bilionário Jorge Paulo Lemann fez parceria com o representante do BID no Brasil, Morgan Doyle, para implementar um programa que visa reduzir as falhas de aprendizagem dos estudantes durante a pandemia no Brasil.

Com investimento de entidades como BID Lab, Fundação Lemann e Imaginable Future em torno de R$ 12 milhões, o ImpulsiONa vai conectar redes de educação, organizações sociais e startups para incentivar o uso de tecnologia e inovação nas escolas públicas.

 

CORONAVÍRUS

USP procura voluntários para pesquisa sobre sequelas da covid-19
Rede Brasil Atual; 13/06
https://bit.ly/3gm4pLY

A Universidade de São Paulo está à procura de voluntários para avaliar “a funcionalidade e prognóstico de pacientes após a alta hospitalar por covid-19”. O objetivo da pesquisa é avaliar as possíveis sequelas motoras, cognitivas e emocionais dos pacientes que foram internados devido à covid-19. A pesquisa está sendo desenvolvida sob coordenação do professor José Eduardo Pompeu, pelo Laboratório de Estudos sobre Tecnologia, Funcionalidade e Envelhecimento (Letefe) da USP, vinculado ao Departamento de Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Faculdade de Medicina da USP.

Os interessados em participar do estudo devem ter idade acima de 18 anos e sido hospitalizado nos últimos 12 meses, por mais de 48 horas, em decorrência do coronavírus. O formulário para inscrição deve ser preenchido a partir deste link. A universidade fornece mais informações pelo e-mail restituo.carolinegil@gmail.com.

 


POLÍTICA EDUCACIONAL

Debatedores rejeitam terceirização do magistério da rede particular
Agência Câmara; 12/06
https://bit.ly/3vw5CVH

Debatedores reunidos pela Comissão de Educação da Câmara dos Deputados rechaçaram nesta sexta-feira (11) a hipótese de terceirização das atividades de magistério na rede particular.

O posicionamento foi unânime. “Nunca vi um debate na Comissão de Educação em que representantes dos setores privado e público concordaram em tudo”, afirmou a presidente da Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup), Elizabeth Guedes. “Isso é inédito, ainda bem que está registrado.”

Reforma trabalhista - A hipótese de terceirização do magistério decorre de uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Ao analisar recente reforma trabalhista (Lei 13.429/17), a Corte entendeu que todas as atividades da empresa podem ser terceirizadas. Nas escolas, isso se restringia em geral a atividades como limpeza e segurança.

Para o procurador do Trabalho Tadeu Henrique Lopes da Cunha, a terceirização é incompatível com a atividade docente, esta regulamentada também pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB). “A decisão do STF não se aplica a tudo, mas apenas ao trabalho temporário, que não é o caso do magistério”, disse.

 

MEC nomeia pastor e deputado militar para conselho do Inep
Estadão; 12/06
https://bit.ly/3vohfhh

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, nomeou  o deputado estadual Tenente Coimbra (PSL-SP) e o pastor evangélico Roque do Nascimento Albuquerque para o conselho consultivo do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a principal autarquia do MEC. As nomeações foram alvo de contestações de ex-dirigente e técnicos da entidade, que alegam que os perfis seriam inadequados para os cargos.

Ex-presidente do Inep, Maria Inês Fini avalia que os nomes são alheios ao debate educacional do País e não possuem perfil estatístico nem de expertise com a educação básica, áreas estratégicas do Inep. "Eu não conheço essas pessoas", critica.

 

Governo promulga lei que garante internet gratuita a alunos e professores de escola pública
G1; 11/06
https://glo.bo/3iL3fvr

O governo promulgou nesta sexta-feira (11) a lei que garante acesso à internet gratuita para alunos e professores carentes da rede pública. A lei já está em vigor.

Serão destinados R$ 3,5 bilhões para ações que promovam a conectividade. Entre as fontes de recursos, estão as dotações orçamentárias e o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust). O texto prevê repasses a estados, municípios e DF, que vão aplicá-los conforme a demanda local. A transferência da União deverá ocorrer em parcela única em até 30 dias.

Na última terça-feira (1º), o Congresso derrubou o veto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao projeto, que já havia sido aprovado na Câmara e no Senado.


PARA SUA AULA

Mapa interativo permite visualizar conexões no cérebro
Educador+; 11/06
https://bit.ly/3vlK7qp

Cientistas lançam mapa interativo do cérebro humano que permite ‘viagem’ pelo órgão. Parece complicado, mas o programa é divertido de se ver.

Na página oficial do projeto, é possível ver trechos específicos do cérebro, o que facilita o uso da ferramenta na educação. Não deixe de dar uma olhada -  e de usar na sua aula.

 

TRABALHO

Live debate perspectivas do teletrabalho e home office
Agência Câmara; 12/06
https://bit.ly/3vw5CVH

O Sindicato dos Engenheiros no Estado de SP (Seesp) realiza no próximo dia 17, às 16 horas, live “Teletrabalho e home office: regras, direitos e perspectivas”. A atividade será transmitida pelo canal no Youtube, página no Facebook da entidade.

As palestras serão ministradas por Ivani Bramante Contini, desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª Região (SP); Renata Matsumoto, chefe da Seção de Segurança e Saúde do Trabalho da Superintendência Regional de São Paulo; Giovanni Reis, diretor de Recursos Humanos da ABB Automação Ltda, e Magnus Farkatt, assessor jurídico do Seesp. Murilo Pinheiro, presidente do Seesp, e o diretor Fernando Palmezan Neto farão a mediação.

 




Ainda precisamos de sindicatos no século 21?
SinproRS; 14/06
https://bit.ly/2SoUYCD

Esse é o tema central do Sinpro/RS Debate de junho, que será realizado em dois painéis, respectivamente, nesta segunda feira, 14 e na próxima quarta, dia 16. às 17h30, no canal do Sinpro/RS no YouTube (aqui: https://www.youtube.com/watch?v=ZWTSYzrTaf4)

O Sinpro/RS Debate promove, nos próximos dias 14 e 16 de junho, segunda e quarta-feira, uma grande discussão sobre o papel do sindicalismo nos dias atuais. Os painéis serão transmitidos ao vivo pelo Canal do Sinpro/RS no Youtube. Também serão gravados e disponibilizados no mesmo espaço.

PAINEL 1 – O sindicalismo no mundo contemporâneo (hoje, 14/06, 17h30) - Na primeira live, na segunda-feira, 14 de junho, a pesquisadora Larissa Corrêa, da PUC-RIO, especialista em movimentos sociais e mundo do trabalho, e Antônio Lisboa, representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da Organização Internacional do Trabalho (OIT), apresentarão um panorama do sindicalismo em diversos países e como as organizações sindicais têm dado respostas às demandas dos trabalhadores na contemporaneidade.

PAINEL 2 – Os desafios do sindicalismo no Brasil pós-reforma (quarta, 16/04) - Na quarta-feira, 16, a economista Marilane Teixeira, pesquisadora do Cesit/IE-Unicamp; o sociólogo Clemente Ganz Lucio, assessor técnico das centrais sindicais, professor e ex-diretor técnico do Dieese; e o economista Artur Henrique da Silva Santos, ex-presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e diretor da Fundação Perseu Abramo, discutirão sobre os Desafios do sindicalismo no Brasil pós-reformas.

Conteúdo Relacionado

crossmenu