Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

segunda-feira, 14 de março de 2022

Por Beth Gaspar em 14 de março de 2022

14/03 - Reajuste integral na Educação Básica, USP, Unesp e Unicamp mantêm máscaras mesmo em lugar aberto, RIP educadora Lisete, e mais: democracia na posse do novo presidente do Chile

.
Professoras, professores e auxiliares de administração escolar da educação básica nos municípios cobertos pelos sindicatos integrantes da Fepesp terão reajuste salarial de 10,57%  a partir de 1º de março. Saiba mais aqui.


USP, Unesp e Unicamp mantêm máscaras mesmo em lugar aberto
Folha de S. Paulo; 13/03
https://bit.ly/3I3sGBn

As universidades estaduais paulistas decidiram continuar a pedir o uso de máscara dentro de seus campi mesmo após o decreto do governador João Doria (PSDB) que acabou com obrigatoriedade do acessório em ambientes abertos.

A utilização da máscara é compulsória na USP (Universidade de São Paulo) e na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) em qualquer ambiente e "altamente recomendável" na Unesp (Universidade Estadual Paulista), segundo nota da instituição.

Outro item em comum nos protocolos é a exigência de comprovante de imunização com esquema vacinal completo para ingresso em qualquer instalação universitária. A medida vale não só para estudantes, professores e funcionários, mas também para todos os visitantes que circularem pelas instalações das universidades

 

'SUS da Educação' deve passar na Câmara na próxima semana após acordo com MEC
Folha de S. Paulo; 12/03
https://bit.ly/3q5fqGd

A Câmara dos Deputados deve votar na próxima semana o projeto que cria o SNE (Sistema Nacional de Educação). Considerado uma espécie de "SUS da Educação", por prever mecanismos de colaboração entre os entes da Federação, o projeto passou no Senado na última quarta-feira (9).

O texto, sob relatoria do senador Dário Berger (MDB-SC), é muito similar ao projeto que tramita na Câmara. Além disso, congressistas conseguiram chegar a um acordo com o MEC (Ministério da Educação) para alinhar o teor, o que assegura, segundo deputados, um entendimento mais rápido e sem surpresas..

 

https://youtu.be/PhbHa-6gCQc

Educação Básica 2022, parte 4 de 4 no Minuto Fepesp
Fepesp; 14/03

Para negociar com força e altivez, defender nosso reajuste, a PLR, todos os direitos das cláusulas sociais, o Sindicato precisa do respaldo da categoria – com sua mobilização e com os recursos da sua contribuição negocial. É um pequeno desconto, uma vez por ano, que sustenta a estrutura do sindicato, o seu departamento Jurídico, nossas ações e comunicação. Naturalmente, você pode se opor à contribuição. Mas, reflita: a quem pode interessar enfraquecer o sindicato?

 

GENTE

Morre a educadora Lisete Arelaro, defensora do ensino público no Brasil
Rede Brasil Atual; 13/03
https://bit.ly/3Ibl0ga

A professora Lisete Arelaro, de 76 anos, morreu na noite de ontem (12) em São Paulo. Ela se tratava de um câncer. Nascida em Campinas, no interior paulista, completaria 77 em 30 de maio. Em 2018, a educadora concorreu ao governo paulista pelo Psol (recebeu 507 mil votos). Também foi secretária da Educação em Diadema, na região do ABCD paulista (1993/96 e 2001/02), e diretora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP, de 2010 a 2014). A informação foi confirmada pelo presidente do partido, Juliano Medeiros: “Uma das maiores lutadoras em defesa da educação pública do Brasil”.

Lisete, que também foi filiada ao PT, integrou a equipe de Paulo Freire na Secretaria Municipal de Educação em São Paulo, durante a gestão de Luiza Erundina na prefeitura (leia entrevista aqui). “Lisete era essencialmente uma guerreira”, escreveu o professor Daniel Cara. “E era guerreira em todas as esferas da vida: como mulher, mãe, professora, amiga, militante, pesquisadora.”

 

Nota da Reitoria da USP sobre o falecimento da ex-diretora da Faculdade de Educação, Lisete Arelaro
Jornal da USP; 13/03
https://bit.ly/3JaAHpv

A Reitoria lamenta profundamente o falecimento da ex-diretora da Faculdade de Educação (FE) da USP, Lisete Regina Gomes Arelaro, ocorrido no dia de ontem, 12 de março.

Com trajetória plural, transitando em todos os segmentos da educação brasileira, Lisete teve atuação destacada na academia e na administração pública, sempre envidando seus esforços no desenvolvimento de políticas públicas voltadas ao ensino, abrangendo a educação infantil, o financiamento da educação e a municipalização do ensino, incluindo estudos sobre a obra de Paulo Freire, com quem trabalhou.

 

CORONAVÍRUS

Professor teme avanço da Covid-19 e pede atenção ao uso de máscaras nas escolas
Rede Brasil Atual; 13/03
https://bit.ly/3KDgbhu

Na última quarta (9), o uso de máscaras deixou de ser obrigatório em espaços abertos no Estado de São Paulo. A decisão, anunciada pelo governador João Doria (PSDB), inclui as escolas da rede pública e privada, em ambientes como quadras esportivas e o pátio das instituições de ensino. Em salas de aula a exigência está mantida.

Celso Napolitano, presidente da Fepesp (Federação dos Professores do Estado de SP), está reticente quanto à liberação. Ele explica: “Eu, como professor, acho complicado, principalmente na Educação Básica. No Ensino Superior é mais fácil, os estudantes já sabem onde devem ou não tirar a máscara”.

Para o professor seria preferível ter uma determinação única, que não traga dúvidas. “Não concordo com liberar em partes da escola e em outras não. Muitos alunos não têm discernimento para saber onde tirar. E a cobertura vacinal das crianças ainda é baixa. O melhor é ouvir o que a ciência diz”, completa Napolitano.

 

Covid soma quase 30 milhões de casos e 655 mil mortes, mas número de ocorrências cai
Rede Brasil Atual; 13/03
https://bit.ly/3KDgbhu

Com 133 óbitos confirmados nas últimas 24 horas, o Brasil chegou neste domingo (13) a 655.078 mortes pela covid-19, com a média móvel se mantendo abaixo de 500/dia. Segundo o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), a semana termina com média de 419 óbitos, ante 601 no primeiro dia de março. Mas bem acima, por exemplo, do registrado há exatos dois meses, em 13 de janeiro: 129 mortes/dia.

Já o total de casos teve hoje acréscimo de 18.642, chegando a 29.368.776 desde o início da pandemia, dois anos atrás. De acordo com o Conass, a média móvel está em 45.680, ante 65.691 no dia 1º e 61.141 em 13 de janeiro. Assim, o número de casos cai 30% em março e 25% em dois meses.

 

 

 

Gabriel Boric toma posse como presidente do Chile
Estadão; 11/03
https://bit.ly/3CJGcJo

Presidente mais jovem da história do país, com 36 anos, encarará um dos momentos mais difíceis desde o fim da ditadura de Pinochet, em 1990; Bolsonaro não compareceu à cerimônia.

Gabriel Boric tomou posse nesta sexta-feira, 11, como presidente do Chile, sem gravata e cercado por maioria de mulheres em seu gabinete, uma mudança de rumo que pode ser vista no primeiro dia à frente de um país abalado após a crise de 2019. protestos.

“Faremos o possível para superar os desafios que enfrentamos como país”, disse ele ao encerrar a cerimônia de posse no Congresso em Valparaíso, a 120 km de Santiago.

 

Movimentação em Santiago na posse de Boric (foto de Sergio Gomes, ‘enviado especial’ à capital chilena).

Cercado pelas mulheres que comporão o novo governo do Chile, Boric assumirá o cargo em um dos momentos mais desafiadores desde o fim da ditadura de Augusto Pinochet, em 1990.

“Pensando em minhas avós, minha mãe, minha filha, filho, enteadas, em milhões de mulheres que lutaram durante séculos para quebrar barreiras”, postou no Twitter a ministra da Justiça e Direitos Humanos, Marcela Ríos.

O ex-líder estudantil recebeu a faixa presidencial de Sebastián Piñera, de 72 anos — o dobro de sua idade — que termina seu segundo mandato como parte de um ciclo político que trouxe avanços graças ao modelo neoliberal, mas também deixou uma grande lacuna de desigualdade que desencadeou grandes protestos em outubro de 2019.

Das pitorescas colinas de Valparaíso, os vizinhos reclamaram porque queriam ver Boric, que desceu do Ford Galaxie no qual fez um passeio formal com sua ministra do Interior, Izkia Siches, também de 35 anos.

O carro foi conduzido pela primeira vez por uma mulher, a suboficial dos Carabineros, Lorena Cid, parte de sua escolta desde novembro de 2021.

“Da mesma forma, as pessoas desceram das colinas para protestar (por Piñera). Agora temos um presidente de verdade, Gabriel Boric se torna presidente do Chile como uma promessa de uma nova esquerda”, disse à AFP a estudante Ana María Soto.

Após a cerimônia, os ministros prestaram juramento perante o Presidente Boric, começando por Siches, médica de profissão, que será a primeira mulher ministra do Interior.

Assim como Boric e Siches, Camila Vallejo e Giorgio Jackson fazem parte da geração de estudantes que liderou os protestos em 2011 exigindo maior acesso à educação gratuita e de qualidade e expondo as lacunas sociais deixadas pela jovem democracia chilena.

Eles e os outros 24 ministros, 14 deles mulheres, juntaram-se a delegações internacionais e convidados especiais em um jantar no Cerro Castillo, no balneário vizinho de Viña del Mar.

A ex-presidente do Brasil, Dilma Rousseff participou da cerimônia, diferentemente do atual chefe do Executivo, Jair Bolsonaro. Entre outros líderes, estiveram o diplomata da Ilha de Páscoa, Manahi Pakarati, que recebeu cada convidado como Diretor de Protocolo: os presidentes do Uruguai, Luis Lacalle Pou; da Argentina, Alberto Fernández; do Peru, Pedro Castillo; Rei Felipe VI da Espanha; Luis Arce, da Bolívia.

Conteúdo Relacionado

crossmenu