Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 27 de fevereiro de 2024

12 de setembro de 2022

12/09 – Estado de greve na Unib com proposta do TRT, 200 anos de desigualdade na Educação, contra a MP anticiência, e mais: minorias e as candidaturas em 2022

.

[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_whwi"]

Siga a Fepesp no Twitter!
twitter.com/Fepesp

 

Greve na Unib: professores da Unib aceitam proposta do Tribunal, estado de greve – Professores permanecem em estado de greve:  ou seja. poderão voltar a paralisar imediatamente as atividades caso a mantenedora descumpra qualquer compromisso assumido na audiência. Proposta do TRT inclui estabilidade por 90 dias, pagamento dos dis parados

Reunidos em assembleia na noite da sexta-feira, 09/09, professoras e professores da Universidade Ibirapuera decidiram aceitar a “cláusula de paz” proposta pelo Tribunal Regional do Trabalho e suspender a greve, mantendo-se, contudo, em “estado de greve. A proposta do TRT prevê o pagamento de salários atrasados, o não desconto dos dias parados, estabilidade por 90 dias. Nesta terça, dia 13, a mantenedora foi convocada a voltar ao Tribunal. A Unib tem prazo até dia 15, quinta-feira, para cumprir com sua parte na proposta, ou seja, pagar o que deve. Fepesp, 11/09   https://bit.ly/3RN7BAh

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

200 anos de desigualdade na Educação – ‘Ninguém queria ouvir na comemoração dos 200 anos da Independência que o presidente se acha “imbrochável”. Foi inapropriado, deselegante, machista. Deveríamos estar debatendo não o absurdo das falas de Jair Bolsonaro, mas os séculos de desigualdade educacional – que vem da formação do País, persiste e foi aprofundada nos últimos anos’. Opinião, Renata Cafardo, Estadão, 08/09   https://bit.ly/3qtMPtR

 

Escola no DF carimbou mão de alunos para não repetir merenda – Uma escola em Planaltina, no Distrito Federal, carimbou as mãos de alunos para que eles não repetissem a merenda. Estudantes do Centro Educacional (CED) 3 afirmaram ao site G1 que a situação ocorre há duas semanas. Segundo uma estudante ouvida pelo portal, o CED 3 impede que os alunos repitam o prato pela falta de lanche. Outro aluno declarou que, por vezes, eles são impedidos de comer se não carimbarem a mão. Estadão, 10/09  https://bit.ly/3BAJTlH

 

ELEIÇÕES 2022

Pesquisas eleitorais desta semana podem mostrar efeito do voto útil Expectativa sobre eleição ser decidida no primeiro turno movimenta redes sociais. “Tem um grupo expressivo que se declara eleitor de Ciro e tenderia a votar em Lula”, afirma colunista do ‘UOL’ ao ‘Revista Brasil TVT’. Entre os nomes que foram às redes para defender o voto útil estão influenciadores como o músico Tico Santa Cruz, eleitor de Ciro Gomes (PDT), e que sinalizou poder votar em Lula para decidir a eleição no primeiro turno. O ex-deputado e comentarista da GloboNews, Fernando Gabeira, também declarou de forma discreta voto no petista ao tuitar o “L” na noite de sexta-feira (9). Rede Brasil Atual, 11/09  https://bit.ly/3U0xHlb

 

TSE proíbe Bolsonaro de usar imagens do 7 de Setembro em propaganda eleitoral O ministro Benedito Gonçalves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), proibiu neste domingo (11) que Jair Bolsonaro (PL) e seu candidato a vice, Braga Netto (PL), usem nas propagandas eleitorais, em todos os meios, as imagens capturadas durante os eventos oficiais do 7 de Setembro.  O atual vice Hamilton Mourão (Republicanos), Silas Malafaia e Luciano Hang também foram citados. A representação protocolada acusou os representados de suposta prática de abuso de poder político e econômico e uso indevido dos meios de comunicação. A Brasil da Esperança afirma que o desfile cívico-militar custou mais de R$ 3 milhões de recursos públicos e serviu para promover a imagem e a candidatura de Bolsonaro. Rede Brasil Atual, 11/09  https://bit.ly/3DeO5IP

 

Com Lula ou Bolsonaro, direção da Bolsa é para cima em 2023, dizem gestores –  [N]o caso de uma vitória do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o setor de educação e as construtoras, em especial aquelas mais voltadas à baixa renda, impulsionados por possíveis programas sociais a serem adotados por um governo petista, têm maiores chances de se destacarem em relação aos pares. Folha de São Paulo, 08/09   https://bit.ly/3RZ8Tse

 

CIDADANIA

SBPC convida comunidade científica a se manifestar contra MP anticiência  Com o objetivo de derrubar a Medida Provisória 1.136, de 26 de agosto de 2022, que limita ainda mais os repasses de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico (FNDC) às instituições de ciência e pesquisa, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) convida integrantes das sociedades afiliadas e entidades científicas e acadêmicas a manifestarem publicamente repúdio a essa manobra do Governo Federal. SBPC, 08/09  https://bit.ly/3Bccooa

 

O que são minorias? - Politize!
Minorias articuladas: por que a política pode ser melhor
Nexo, 11/09
https://bit.ly/3DiCQiw

Enquanto o candidato médio a concorrer nas eleições de 2018 era um homem branco, em 2022 ele é um homem negro. A proporção de candidaturas de pessoas pretas e pardas superou pela primeira vez a de brancos, segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Candidaturas de mulheres, indígenas e pessoas LGBTI+ também cresceram.

Pouquíssimo representados nos espaços de poder, esses grupos concorrem às eleições neste ano motivados por incentivos para ampliar a diversidade na política e pelo agravamento das condições de vida das minorias nos últimos anos. Evidências mostram que sua eleição pode contribuir para a redução das desigualdades e a criação de novas políticas públicas.

O Nexo explica, no segundo texto de uma série sobre por que a política pode sair melhor da votação de 2022, o que causou o aumento de candidaturas de grupos minoritários neste ano e qual a importância desse tipo de representação nos espaços de poder. Mostra também as iniciativas criadas para eleger essas candidaturas em outubro.

O perfil das candidaturas em 2022 – Segundo o TSE, 29.105 pessoas registraram candidatura para os cargos de deputado estadual (ou distrital), deputado federal, senador, governador e presidente em 2022. O número é o maior para uma eleição nacional desde 1994. Mais de 98% dessas candidaturas haviam sido deferidas até sexta-feira (9), de acordo com informações da corte.

Entre essas candidaturas, 34% são de mulheres. A proporção de concorrentes femininas é a maior de uma eleição nacional dos pleitos mais recentes, segundo a Justiça Eleitoral. Em 2018, que havia registrado os maiores números até agora, esse percentual havia sido de 31,8%, por exemplo. Em 2014, foi de 30%. Em 2010, foi de 22%.

O que explica o aumento das minorias -O aumento das candidaturas de mulheres, negros, indígenas e pessoas LGBTI+ em 2022 acontece na esteira de mudanças feitas nos últimos anos no sistema eleitoral para incentivar a presença desses grupos nos espaços de poder, que no Brasil ainda são majoritariamente brancos e masculinos.

Segundo dados do Observatório Equidade no Legislativo criado pelo Senado Federal, dos 513 deputados federais eleitos em 2018, apenas 15% são mulheres. A proporção de negros (24,3%) é um pouco maior, embora esteja longe do percentual desse grupo na população brasileira. Joênia Wapichana (Rede-RR) é a única representante indígena.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio