Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

segunda-feira, 12 de setembro de 2022

Por Beth Gaspar em 12 de setembro de 2022

12/09 - Estado de greve na Unib com proposta do TRT, 200 anos de desigualdade na Educação, contra a MP anticiência, e mais: minorias e as candidaturas em 2022

.

Siga a Fepesp no Twitter!
twitter.com/Fepesp

 

Greve na Unib: professores da Unib aceitam proposta do Tribunal, estado de greve - Professores permanecem em estado de greve:  ou seja. poderão voltar a paralisar imediatamente as atividades caso a mantenedora descumpra qualquer compromisso assumido na audiência. Proposta do TRT inclui estabilidade por 90 dias, pagamento dos dis parados

Reunidos em assembleia na noite da sexta-feira, 09/09, professoras e professores da Universidade Ibirapuera decidiram aceitar a "cláusula de paz" proposta pelo Tribunal Regional do Trabalho e suspender a greve, mantendo-se, contudo, em "estado de greve. A proposta do TRT prevê o pagamento de salários atrasados, o não desconto dos dias parados, estabilidade por 90 dias. Nesta terça, dia 13, a mantenedora foi convocada a voltar ao Tribunal. A Unib tem prazo até dia 15, quinta-feira, para cumprir com sua parte na proposta, ou seja, pagar o que deve. Fepesp, 11/09   https://bit.ly/3RN7BAh

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

200 anos de desigualdade na Educação – ‘Ninguém queria ouvir na comemoração dos 200 anos da Independência que o presidente se acha “imbrochável”. Foi inapropriado, deselegante, machista. Deveríamos estar debatendo não o absurdo das falas de Jair Bolsonaro, mas os séculos de desigualdade educacional – que vem da formação do País, persiste e foi aprofundada nos últimos anos’. Opinião, Renata Cafardo, Estadão, 08/09   https://bit.ly/3qtMPtR

 

Escola no DF carimbou mão de alunos para não repetir merenda - Uma escola em Planaltina, no Distrito Federal, carimbou as mãos de alunos para que eles não repetissem a merenda. Estudantes do Centro Educacional (CED) 3 afirmaram ao site G1 que a situação ocorre há duas semanas. Segundo uma estudante ouvida pelo portal, o CED 3 impede que os alunos repitam o prato pela falta de lanche. Outro aluno declarou que, por vezes, eles são impedidos de comer se não carimbarem a mão. Estadão, 10/09  https://bit.ly/3BAJTlH

 

ELEIÇÕES 2022

Pesquisas eleitorais desta semana podem mostrar efeito do voto útil- Expectativa sobre eleição ser decidida no primeiro turno movimenta redes sociais. “Tem um grupo expressivo que se declara eleitor de Ciro e tenderia a votar em Lula”, afirma colunista do ‘UOL’ ao ‘Revista Brasil TVT’. Entre os nomes que foram às redes para defender o voto útil estão influenciadores como o músico Tico Santa Cruz, eleitor de Ciro Gomes (PDT), e que sinalizou poder votar em Lula para decidir a eleição no primeiro turno. O ex-deputado e comentarista da GloboNews, Fernando Gabeira, também declarou de forma discreta voto no petista ao tuitar o “L” na noite de sexta-feira (9). Rede Brasil Atual, 11/09  https://bit.ly/3U0xHlb

 

TSE proíbe Bolsonaro de usar imagens do 7 de Setembro em propaganda eleitoral - O ministro Benedito Gonçalves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), proibiu neste domingo (11) que Jair Bolsonaro (PL) e seu candidato a vice, Braga Netto (PL), usem nas propagandas eleitorais, em todos os meios, as imagens capturadas durante os eventos oficiais do 7 de Setembro.  O atual vice Hamilton Mourão (Republicanos), Silas Malafaia e Luciano Hang também foram citados. A representação protocolada acusou os representados de suposta prática de abuso de poder político e econômico e uso indevido dos meios de comunicação. A Brasil da Esperança afirma que o desfile cívico-militar custou mais de R$ 3 milhões de recursos públicos e serviu para promover a imagem e a candidatura de Bolsonaro. Rede Brasil Atual, 11/09  https://bit.ly/3DeO5IP

 

Com Lula ou Bolsonaro, direção da Bolsa é para cima em 2023, dizem gestores -  [N]o caso de uma vitória do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o setor de educação e as construtoras, em especial aquelas mais voltadas à baixa renda, impulsionados por possíveis programas sociais a serem adotados por um governo petista, têm maiores chances de se destacarem em relação aos pares. Folha de São Paulo, 08/09   https://bit.ly/3RZ8Tse

 

CIDADANIA

SBPC convida comunidade científica a se manifestar contra MP anticiência -  Com o objetivo de derrubar a Medida Provisória 1.136, de 26 de agosto de 2022, que limita ainda mais os repasses de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico (FNDC) às instituições de ciência e pesquisa, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) convida integrantes das sociedades afiliadas e entidades científicas e acadêmicas a manifestarem publicamente repúdio a essa manobra do Governo Federal. SBPC, 08/09  https://bit.ly/3Bccooa

 

O que são minorias? - Politize!
Minorias articuladas: por que a política pode ser melhor
Nexo, 11/09
https://bit.ly/3DiCQiw

Enquanto o candidato médio a concorrer nas eleições de 2018 era um homem branco, em 2022 ele é um homem negro. A proporção de candidaturas de pessoas pretas e pardas superou pela primeira vez a de brancos, segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Candidaturas de mulheres, indígenas e pessoas LGBTI+ também cresceram.

Pouquíssimo representados nos espaços de poder, esses grupos concorrem às eleições neste ano motivados por incentivos para ampliar a diversidade na política e pelo agravamento das condições de vida das minorias nos últimos anos. Evidências mostram que sua eleição pode contribuir para a redução das desigualdades e a criação de novas políticas públicas.

O Nexo explica, no segundo texto de uma série sobre por que a política pode sair melhor da votação de 2022, o que causou o aumento de candidaturas de grupos minoritários neste ano e qual a importância desse tipo de representação nos espaços de poder. Mostra também as iniciativas criadas para eleger essas candidaturas em outubro.

O perfil das candidaturas em 2022 - Segundo o TSE, 29.105 pessoas registraram candidatura para os cargos de deputado estadual (ou distrital), deputado federal, senador, governador e presidente em 2022. O número é o maior para uma eleição nacional desde 1994. Mais de 98% dessas candidaturas haviam sido deferidas até sexta-feira (9), de acordo com informações da corte.

Entre essas candidaturas, 34% são de mulheres. A proporção de concorrentes femininas é a maior de uma eleição nacional dos pleitos mais recentes, segundo a Justiça Eleitoral. Em 2018, que havia registrado os maiores números até agora, esse percentual havia sido de 31,8%, por exemplo. Em 2014, foi de 30%. Em 2010, foi de 22%.

O que explica o aumento das minorias -O aumento das candidaturas de mulheres, negros, indígenas e pessoas LGBTI+ em 2022 acontece na esteira de mudanças feitas nos últimos anos no sistema eleitoral para incentivar a presença desses grupos nos espaços de poder, que no Brasil ainda são majoritariamente brancos e masculinos.

Segundo dados do Observatório Equidade no Legislativo criado pelo Senado Federal, dos 513 deputados federais eleitos em 2018, apenas 15% são mulheres. A proporção de negros (24,3%) é um pouco maior, embora esteja longe do percentual desse grupo na população brasileira. Joênia Wapichana (Rede-RR) é a única representante indígena.

Conteúdo Relacionado

crossmenu