Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 27 de fevereiro de 2024

12 de abril de 2022

12/04 – O ‘abafa’ no escândalo do MEC, a denúncia da precarização do Ensino Superior, o primeiro de Maio no Pacaembu, e mais: como falar de política com os eleitores de 2022

.

[addthis tool="addthis_inline_share_toolbox_whwi"]

Audiência pública na Alesp: Celso Napolitano denuncia o estrago que vem sendo feito nas instituições de ensino superior sob o comando de grupos financeiros que visam lucro em detrimento da educação de seus ‘clientes’. Leia tudo aqui: https://bit.ly/3uuKzFA

 

 

Em meio a novas denúncias de corrupção, governo Bolsonaro tenta abafar CPI do MEC
Rede Brasil Atual; 12/04
https://bit.ly/3rjaZrM

O governo de Jair Bolsonaro resolveu jogar pesado para impedir a instalação de uma Comissão Parlamentar que apure as denúncias de corrupção no Ministério da Educação e Cultura, a CPI do MEC. Ao passo que sobe o número de denúncias de desvios de recursos envolvendo a pasta, sua base de apoio aumenta a pressão sobre senadores para que não assinem o requerimento, que até agora conta com 24 assinaturas. São necessárias 27.

“O ministro (Ciro Nogueira, Casa Civil) está atuando com os mecanismos de força que ele tem, com o orçamento secreto, com (as emendas) RP9, mobilizando todas as estruturas do governo Bolsonaro para impedir que a investigação se concretize”, disse hoje (11) à rádio Eldorado o autor do requerimento, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Segundo o parlamentar, a expectativa é conseguir as assinaturas necessárias até esta quarta-feira (13). Até lá, é aguardada a adesão do presidente da Comissão de Educação do Senado, Marcelo Castro (MDB-PI).

 

AGU pede ao TSE que arquive representação do PT para investigar Bolsonaro por gabinete paralelo de pastores no Ministério da Educação
Estadão; 11/04
https://bit.ly/3xrxy1z

A Advocacia-Geral da União (AGU) defendeu que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) arquive o pedido do Partido dos Trabalhadores (PT) para investigar o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, pelo gabinete paralelo de pastores instalado na pasta. O caso foi revelado pelo Estadão.

A AGU diz que não há elementos mínimos de irregularidades que justifiquem a abertura de uma apuração contra Bolsonaro. Outro ponto levantado é que uma eventual ação judicial de investigação eleitoral só poderia ser apresentada na janela entre o registro das candidaturas e a diplomação dos eleitos.

 

Ministério Público pede arquivamento de denúncia contra Mercadante
Painel, FolhaJus; 11/04
https://bit.ly/37dMwgD

O Ministério Público Federal pediu o arquivamento de denúncia contra o ex-ministro Aloizio Mercadante (PT) no caso em que foi gravado por um assessor do então senador Delcídio do Amaral (PT-MS) oferecendo ajuda para que ele não fizesse acordo de delação premiada.

Em 2015, Mercadante era ministro da Educação e um dos mais influentes assessores da então presidente Dilma Rousseff (PT), que já enfrentava a ameaça de sofrer processo de impeachment.

 

VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS

Escalada de violência nas escolas será debatida no Senado Federal
Rádio Senado; 11/04
https://bit.ly/3xmDDMK

A Comissão de Educação (CE) vai ouvir especialistas sobre a escalda de violência nas escolas de todo o país. O autor do REQ 15/2022 – CE, senador Confúcio Moura (MDB-RO), justifica que é preciso orientar as famílias e os profissionais de educação sobre como enfrentar o problema, já que os alunos estão sendo reintegrados ao convívio escolar após um longo intervalo por causa da pandemia. Flávio Arns (Podemos-PR) defende que o Governo promova maior integração entre saúde e educação para facilitar a volta às aulas.

Entre os convidados para o debate estão o secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Mauro Rabelo, e o psiquiatra especialista em temas ligados à juventude, Jairo Bouer.  A data da audiência ainda não foi definida.

 

Escola no Recife tem 26 alunos atendidos com crise de ansiedade
Folha de S. Paulo; 11/04
https://bit.ly/3rh4hmk

Conforme a Secretaria de Saúde do Recife, equipes do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), acionadas pela direção da escola, foram até o local e constataram que os adolescentes apresentavam sintomas como sudorese, saturação baixa e taquicardia.

A psicóloga clínica Adriana Nascimento, que não atendeu o caso, ressalta que é necessário o cuidado com a saúde mental dos estudantes, principalmente após o período da pandemia, que os deixou muito tempo em atividades remotas, sem o convívio social.

“Eu vejo esse tipo de coisa como um ápice. Escancara que a saúde mental dessas pessoas não está sendo olhada, não está sendo cuidada. Toda crise de ansiedade é uma forma de comunicar algo que não está sendo olhado. É quase como um grito, é bastante intenso”, avalia.

 

TRABALHO

Centrais definem 1º de Maio no Pacaembu
Agência Sindical; 12/04
https://bit.ly/3uyhgBV

As Centrais Sindicais definiram realizar o ato do 1º de Maio 2022 na Praça Charles Miller (em frente ao Estádio do Pacaembu), em São Paulo, a partir das 10 horas. O local é próximo de estações de metrô e com fácil acesso também de carro e ônibus.

O lema do 1º de Maio unificado deste ano deve ser Emprego, Direitos, Democracia e Vida, assim como ocorreu na Conferência Nacional da Classe Trabalhadora – Conclat 2022. Dentre os artistas que irão participar da festa do trabalhador estão Daniela Mercury, Dexter e Lecy Brandão.

Os organizadores do ato também farão convites para organizações sociais e a representantes dos poderes municipal, estadual, federal e legislativo. “Também vamos convidar personalidades e dirigentes políticos que defendem pautas progressistas”, adianta o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves (Juruna).

 

Justiça condena empresas a pagar danos morais por ‘gordofobia’
Valor Econômico; 12/04
http://glo.bo/3uyqqyo

A Justiça do Trabalho tem recebido cada vez mais processos que tratam expressamente de “gordofobia” nas empresas. Há decisões tanto de segunda instância quanto do Tribunal Superior do Trabalho (TST) para condenar empregadores ao pagamento de indenização por danos morais em razão de ofensas a trabalhadores. Os valores vão de R$ 5 mil a R$ 30 mil, a

“Cerca de 65% dos executivos não gostam de contratar pessoas gordas. Quando se trata de mulher, a gordofobia é ainda mais intensificada”, diz a professora de Direito do Trabalho da PUC-SP, Cristina Paranhos Olmos, do Olmos e Olmos Sociedade de Advogados, que fez mestrado em discriminação estética e tem um livro sobre o tema.

Na Justiça do Trabalho, há 419 processos que trazem a expressão “gordofobia”, de 2014 até agora. O assunto ganhou mais relevância nos últimos dois anos, durante a pandemia, segundo dados fornecidos pelo Data Lawyer, plataforma de jurimetria. Em 2021, foram ajuizados 167 processos. Em 2020, 161.

 

Sindicalistas se reunirão com Lula na próxima quinta-feira (14)
Contee; 12/04
https://bit.ly/3O72s4Y

As centrais sindicais CTB, CUT, Força Sindical, UGT, NCST, Intersindical, CSB e Pública se reúnem com o ex-presidente Lula na próxima quinta-feira (14), em ato realizado na Casa de Portugal, na capital Paulista.

O evento que começará às 9 horas tem por objetivo entregar ao dirigente petista e futuro candidato à presidência da República a Pauta da Classe Trabalhadora, o conjunto de propostas aprovado na Conclat 2022.

O encontro pretende abrir um diálogo com o presidenciável para a construção de um projeto de governo baseado nas aspirações da classe trabalhadora

 

ENSINO

11 cursos da USP estão entre os 50 melhores do mundo
Folha de S. Paulo; 11/04
https://bit.ly/38KQrlI

A avaliação elencou 44 cursos da USP como os cem melhores do mundo. Onze deles ficaram no top 50. A universidade é a segunda instituição da América Latina com mais programas nas primeiras posições, atrás apenas da Universidade Nacional Autônoma do México, que tem 50.

O melhor desempenho da USP é o do curso de odontologia, que ficou no 15º lugar de todos os avaliados. A segunda área melhor avaliada da USP é a de engenharia de minérios e minas, que ficou na 31ª posição.

Além da USP, cursos da Unesp (Universidade Estadual Paulista) e da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) também apareceram no top 50 global.

A área de engenharia do petróleo da Unicamp ficou em 31º lugar, odontologia, em 32º e agricultura e silvicultura, em 47º. Odontologia da Unesp ocupou a 36ª posição.

 

‘Paulo Freire práxis e contextos’ tem início em Maio, inscrições abertas
Pós Graduação; 11/04
https://bit.ly/38KQrlI

Terá início em maio este curso especial, com carga horária total de 400 horas em encontros presenciais quinzenais aos sábados e conteúdos e atividades disponibilizados online. Inscrições ainda abertas.  Informações e inscrições pelo email Daiana.rodriguez@inaci.com.br ou pelo whatsapp (11) 95835-2025.

 

SAÚDE

Sem dados de SP, Brasil registra 69 óbitos e 8,8 mil novos casos de Covid-19 em 24h
Correio do Povo; 11/04
https://bit.ly/37K8esN

Brasil registrou, entre o último domingo (10) e esta segunda-feira, 69 mortes causadas pela Covid-19, de acordo com dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) divulgados nesta segunda-feira (11). Com os registros, o País atingiu 661.327 vidas perdidas para a doença. A média móvel de óbitos em sete dias foi de 145, ante 159 no último domingo (10) e 194 de média em 1º de abril, há uma semana. Problemas técnicos impediram que os dados do Estado de São Paulo fossem contabilizados.

O levantamento do Conass, que compila dados de secretarias de Saúde dos 26 Estados e do Distrito Federal apontou, ainda, 8.803 casos de Covid-19 em 24 horas. Com os números, o total de registros conhecidos e oficiais atingiu 30.161.205 casos desde o início da pandemia. A média móvel de casos ficou em 21.201, ante 22.922 casos de média há uma semana.

 

 

 



Como falar de política: as lições de 2018 para os eleitores de 2022
Nexo; 11/04
https://bit.ly/3LSZX4m

Quatro anos se passaram desde que os brasileiros viveram o ano eleitoral de 2018, marcado por uma profunda divisão social tanto sobre valores ideológicos e projetos para o país quanto sobre os próprios fatos, distorcidos por notícias falsas transmitidas massivamente pelas redes sociais.

Tudo indica que a proximidade da eleição de 2022 fará voltar a frustração decorrente da dificuldade de dialogar com amigos e familiares em campos diferentes do espectro político, especialmente nas redes sociais. Com a enxurrada de informações em uma campanha que novamente se dará em grande parte no ambiente digital, voltam também dúvidas sobre como lidar com desinformação e discursos extremistas.

A busca por quem está disposto a ouvir – Uma das principais dúvidas entre eleitores é como lidar com pessoas com opiniões extremas e que não se mostram dispostas a dialogar, bem como o que fazer com postagens que amplificam essas ideias. Isabele Mitozo, professora de comunicação da UFMA (Universidade Federal do Maranhão) relata ao Nexo que, na pesquisa que desenvolve desde 2018 sobre o uso do WhatsApp e eleições, nunca encontrou nos grupos políticos “um link sequer que fosse de agências de checagens de fatos”. “Isso é um sintoma importante do quanto as bolhas funcionam no bloqueio a esse tipo de conteúdo”, disse ela, destacando que as pessoas mais radicalizadas se sentem confortáveis nesses ambientes e preferem acreditar no que circula dentro deles.

Sobre essas barreiras à comunicação com determinados grupos, Tardáguila explica que o objetivo dos checadores de notícias não é corrigir os extremos, mas sim informar “quem ainda escuta”. O critério pode ser válido também para o eleitor que tenta apresentar argumentos a amigos ou parentes.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copyright © 2018 FEPESP - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio