Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 19 de novembro de 2024

Por Beth Gaspar em 10 de novembro de 2022

10/11 - Todos os nomes e temas no grupo de transição da Educação, quem mais ganha com ensino, China faz concurso com escolares de SP, e mais: saudades de Gal Costa, Rolando Boldrin

.

Gal Costa, Rolando Boldrin – para sempre imortais
em nosso repertório de cultura.

 

Quem está no grupo setorial de transição da Educação  A composição do grupo reunidos pelo coordenador da comissão, ex-ministro José Henrique Paim, em seu primeiro encontro foi esta:

Aléssio Trindade de Barros – FGV/IFPB
Alexandre Schneider – ex-Secretário Municipal De Educação de São Paulo
Ana Estela Haddad – USP
Ana Inoue – Itaú Educação e Trabalho
Ana Paula Pereira – Instituto Sonho Grande
Anita Gea Martinez Stefani – Instituto Natura
Anna Helena Altenfelder – CENPEC
Binho Marques – ex-Governador do Acre
Caetano Siqueira – Movimento Profissão Docente
Cida Bento – CEERT
Claudia Costin – FGV/CEIPE
Claudia Pereira Dutra Cleber Pacheco Cleuza Repulho – CENPEC
Daniel Cara – FEUSP / Campanha Nacional pelo Direito à Educação
Denis Mizne – Fundação Lemann
Fernando Haddad
Gabriel Barreto Corrêa – Todos pela Educação
Gastão Vieira – ex-Deputado Federal (PT/MA)
Getulio Marques Pereira – SEEC/RN
Gregório Grisa – IFRS
João Bernardo de Azevedo Bringel – FGV
João Marcelo Borges – FGV/DGPE / Instituto Unibanco
José Francisco Soares – ex-Presidente do INEP
José Henrique Paim – FGV/EBAPE
Lara Simielli – FGV/EAESP / d3E
Leonardo Barchini – ex-Chefe de Gabinete do Prefeito de São Paulo
Luis Fernando Masonetti – FDUSP / ex-Assessor de Fernando Haddad
Macaé Maria Evaristo dos Santos – Vereadora e Deputada Estadual eleita (PT/MG)
Marcelo Bregagnoli – Reitor IF Sul MG
Mariza Abreu – Consultora Educacional
Natacha Costa – Cidade Escola Aprendiz
Neca Setubal – Fundação Tide Setubal / CENPEC
Olavo Nogueira Filho – Todos pela Educação
Paula Louzano – Consultora; Universidad Diego Portales (Chile)
Priscila Cruz – Todos pela Educação
Ricardo Henriques – Instituto Unibanco
Rodrigo Luppi – Instituto Unibanco
Ronaldo Mota – UFSM / ex-SESu MEC
Rosa Neide Sanches de Almeida – Deputada Federal (PT/MT)
Selma Rocha – Setorial de Educação do PT
Thiago Tobias – Advogado; FGV/Comitê de Diversidade e Inclusão
Vinicius Wu – Secretário Municipal de Educação de Niterói/RJ
Weber Sutti – Fundação Lemann.
Fepesp, 10/11  https://bit.ly/3A2OwUj


O que foi tratado na primeira reunião do grupo de transição - Relatório preparado pela senadora eleita Tereza Leitão. Cada participante falou por três minutos. Foi assegurado por Fernando Haddad que todas as entidades nacionais serão ouvidas e, na sua primeira reunião, dia 8/10, ainda não foi apresentada a dinâmica ou metodologia de trabalho. Os temas:

  •  Retomar a política educacional e o papel formulador do MEC: da creche à Pósgraduação;
    • Considerar o Plano nacional de Educação para elaboração do relatório de avaliação da situação atual do MEC;
    • Relacionar e considerar as mudanças futuras, que envolvem a legislação do
    FUNDEB, PNE e outras;
    • Discutir orçamento (atual) e para 2023 e situação orçamentária do FNDE;
    • Analisar a estrutura e as informações produzidas pelo INEP;
    • Analisar a situação das propostas de educação integral e educação de período integral tendo como referência currículos que tratem da língua, de diferentes campos da ciência, da arte e a integração de políticas nos territórios (por exemplo: cultura, saúde, assistência social);
    • Aperfeiçoamento do Ensino Médio: diferentes visões foram apresentadas sobre a Reforma;
    • Retomar questões relativas ao diálogo com Estados e Municípios e à aprovação de Lei relativa à criação
    do Sistema Nacional de Educação;
    • Concretizar políticas públicas para recuperação dos conhecimentos não desenvolvidos durante a pandemia e reorganização do ambiente escolar;
    • Analisar as políticas de formação inicial e continuada dos professores;
    • Examinar a relação entre as universidades públicas e a as escolas públicas no que se refere à formação dos professores e ao incentivo à pesquisa e a investigação especialmente no ensino médio;
    • Analisar, visando priorizar, as políticas voltadas à primeira infância;
    • Exame da EJA (Educação de Jovens e Adultos);
    • Analisar as condições de oferta da formação profissional e a situação dos Institutos Federais;• Retomar as políticas para a Juventude voltadas à superação das desigualdades e garantia do direito à cultura em relação com o Ensino Médio;
    Exame da situação da Educação Inclusiva;
    • Exame da situação da Educação Ambiental e políticas específicas para a Amazónia;
    • Avaliação da Lei 11.645 história e cultura indígena e afro-brasileira;
    • Avaliação da Lei de Cotas e encaminhamento da formulação de nova base legal.
    Fepesp, 10/11  https://bit.ly/3A2OwUj

 

Equipe de Educação de Lula descarta novos acordos para escolas cívico-militares - Especialistas que participam do núcleo de transição de Educação do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), avaliam que militares não têm de fazer gestão do processo pedagógico e descartam novos acordos para escolas cívico-militares – projeto que é uma das bandeiras do governo Jair Bolsonaro (PL).

A oposição aos temas identificados com o bolsonarismo também entrou na pauta numa reunião fechada nesta terça-feira (8) sob a coordenação do ex-ministro da Educação Henrique Paim, num hotel da região central de São Paulo.O Globo via Folha de Pernambuco, 08/11  https://bit.ly/3V1yPF9


Em encontro com Lula, ministros do STF defendem ações em educação e meio ambiente - Durante o primeiro encontro com Lula, os ministros do STF defenderam a ampliação de investimentos na área de educação e meio ambiente. A informação foi divulgada há pouco pelo próprio Tribunal. “Os ministros [durante a reunião] apontaram preocupações para o Brasil, como a necessidade de investimentos em educação e meio ambiente. O presidente eleito, por sua vez, afirmou que atuará pela reconstrução da união do Brasil”, informou o Supremo por meio de nota oficial. O Antagonista, 09/11  https://bit.ly/3UHqohZ

 

Opinião: ‘Além da educação: ricos têm mais ganho com ensino; combate à desigualdade precisa ser mais amplo’ – ”Crianças que não fazem parte dos estratos mais abonados têm expectativas reduzidas também porque os integrantes da família são menos recompensados pelos esforços educacionais. Outros fatores podem influenciar o progresso socioeconômico: relações sociais privilegiadas, discriminação sistemática, habilidades socioemocionais diferenciadas ou herança patrimonial.

“A tarefa de reduzir a presente desigualdade entre jovens e crianças é, portanto, acrescida da remoção do peso de diferenças históricas. Trata-se de projeto essencial, na educação básica, especialmente, na de jovens e adultos e no mercado de trabalho. O fracasso de políticas públicas e a perpetuação de injustiças, afinal, enfraquecem a crença na democracia”. Editorial, Folha de S. Paulo, 08/11  https://bit.ly/3A4S2O5

 

INTERNACIONAL

Consulado da China doa 1,2 mil livros à Secretaria da Educação de SP – O Consulado-Geral da China em São Paulo doou 1,2 mil livros para a Secretaria da Educação do Estado (Seduc), via Fundo Social de SP no início dessa semana. A doação é fruto de um protocolo de intenções assinado em 2021 entre o Consulado, a Seduc e a Secretaria de Relações Internacionais, com o objetivo de promover a capacitação técnica e a difusão cultural entre os dois países. A ação marcou a possibilidade de cooperação em educação e cultura entre o Brasil e outros países do mundo, ponto que deve ficar no radar das editoras brasileiras interessadas em colaborações internacionais.. PublishNews, 09/11  https://bit.ly/3DU4h16

 

Educação de SP e Consulado da China premiam vencedores do concurso de desenho “A China na Minha Vida”– A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) e o Consulado Geral da China em São Paulo anunciaram nesta segunda-feira (7) os 54 vencedores do concurso de desenho “A China na Minha Vida” para estudantes do ensino fundamental e ensino médio da rede estadual paulista. Ao todo, 382 estudantes de 211 escolas enviaram seus trabalhos. A proposta do concurso é ampliar o conhecimento dos estudantes sobre aspectos culturais, econômicos, ambientais, políticos e históricos que estão relacionados à presença da China e de imigrantes chineses no Brasil e valorizar as vivências e experiências dos estudantes a partir dos seus referenciais sobre a China. Sec Educação SP , 08/11  https://bit.ly/3tl1cC4

Conteúdo Relacionado

crossmenu