Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

quarta-feira, 8 de junho de 2022

Por Beth Gaspar em 8 de junho de 2022

08/06 - Paralisação e protestos contra novos cortes na Educação, inflação na cesta básica supera o mínimo, e mais: pesquisa apura que brasileiros são os que mais acreditam na ciência em todo o mundo

.

Na quarta-feira dia 15 vai ser a assembleia da Campanha Salarial 2022 no Ensino Superior e Celso Napolitano explica neste Minuto Fepesp o que é uma assembleia com falta abonada – ou seja, professores e auxiliares de administração estão dispensados de dar aula para participar da assembleia.
Assista agora, aqui:  https://youtu.be/2UWLhQEXKqI

 

 

Professores da UFMG farão paralisação nesta 5ª contra cortes na educação
Estado Minas; 07/06
https://bit.ly/3msO3nm

Na tarde desta terça-feira (7), professores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) anunciaram paralisação das atividades a partir desta quinta (9/6), em protesto aos cortes na educação e recomposição salarial.

A categoria também se manifestou contrária à proposta de mensalidades nas universidades públicas, privatizações, reformas trabalhistas e teto de gastos para a educação.

 

Corte do ICMS pode tirar R$ 1 bilhão de USP, Unesp e Unicamp
Folha de S. Paulo; 07/06
https://bit.ly/3Nx6Qtz

A limitação de alíquota de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre combustíveis, energia, telecomunicações e transporte público deve causar uma perda anual de R$ 14,36 bilhões para o estado de São Paulo.

Os cálculos foram feitos com exclusividade pela Sefaz-SP (Secretaria da Fazenda e Planejamento) e também apontam que as universidades públicas paulistas —USP, Unicamp e Unesp— devem ter perdas expressivas com a limitação de ICMS.

Juntas, as três instituições podem deixar de contar com recursos estimados em R$ 1,03 bilhão por ano. A USP tem um orçamento de R$ 7,572 bilhões. Já a Unicamp tem orçamento de 3,787 bilhões; a Unesp, de R$ 3,788 bilhões, ainda segundo o governo estadual.

 

Estudantes preparam jornada de luta contra os cortes na Educação
A Verdade; 07/06
https://bit.ly/3MA0jga

No dia próximo dia 9 de junho, estudantes de todo o país promoverão manifestações contra os ataques de Bolsonaro à Educação e ao futuro da juventude.

Para além dos R$ 348,5 milhões bloqueados que iriam para materiais didáticos, recentemente foram cortados mais 3,2 bilhões do orçamento do MEC, um corte que afetará diretamente os Institutos e Universidades Federais, CEFET’s e o Colégio Pedro II. A falta desse recurso impossibilita a manutenção da estrutura desses locais de ensino, o pagamento em dia das bolsas de auxílio estudantil e pode levar à demissão de diversos funcionários, além do fechamento da instituição, diz manifesto da Aerj, Associação de Estudantes do Rio de Janeiro.

Sem bolsas de assistência estudantil, muitos alunos se veem forçados a largar a escola para trabalhar e ajudar no sustento de casa ou vivem uma jornada exaustiva de trabalho e estudo, o que dificulta a permanência na escola e aumenta a desigualdade.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Câmara Federal deve votar Plano Nacional de Educação Digital nesta semana
Veja; 07/06
https://bit.ly/3MpKNUc

A Câmara deve analisar nesta semana o projeto de lei que prevê a implementação do Plano Nacional de Educação Digital nas escolas brasileiras. Relator do PL 4513/2020, o deputado Professor Israel Batista comenta que ainda não há no Brasil uma política abrangente que coloque o país no patamar dos países desenvolvidos quando o assunto é inclusão digital.

Segundo pesquisa da OCDE, em 2030, o Brasil terá apenas 2% de graduados em carreiras de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM, na sigla em inglês), enquanto China e Índia chegarão a 37% e 26,7%, respectivamente.

 

ECONOMIA

Inflação generalizada faz cesta básica superar o mínimo
Agência Sindical; 07/06
https://bit.ly/3xvJJKc

A Fundação Procon-SP realiza, periodicamente, várias pesquisas. Entre elas, a que mede a variação da cesta básica. Em março, era de R$ 1.137,20. Em abril, chegou a R$ 1.209,71.

“O preço de todos os bens subiram, e isso impacta muito na cesta básica. Para as classes mais pobres, o impacto é muito maior. E está cada vez mais difícil substituir produtos essenciais de alimentação, já que tudo está caro”, comenta Waldir Pereira Gomes, presidente do Sindicato dos Economistas do Estado de São Paulo.

Boa parte dessa repercussão se deve à comparação com o salário mínimo, cujo valor bruto é R$ 1.212,00. Descontados os 7,5% à Previdência, quem ganha o mínimo recebe R$ 1.121,10. Ou seja, a cesta básica ficou R$ 88,61 acima do Piso Nacional.

 

SAÚDE

Santos: uso obrigatório de máscaras faciais se estende a escolas particulares de ensino infantil
G1; 06/06
http://glo.bo/3xtJlM7

A Prefeitura de Santos, no litoral de São Paulo, estendeu a volta do uso obrigatório de máscaras faciais para escolas particulares que ofereçam a Educação Infantil. A medida começa a valer nesta segunda-feira (6) e compreende as unidades que são supervisionadas pela Secretaria de Educação (Seduc).

O decreto nº 9.706, que define a nova obrigatoriedade, foi publicado na última sexta-feira (3) no Diário Oficial da cidade. De acordo com o decreto, a máscara deve ser usada em todos os ambientes fechados, seja para quem permanece dentro do local ou para quem está apenas transitando pela área coberta.


Com novo ‘apagão’, 14 estados não divulgam óbitos pela covid-19
Rede Brasil Atual; 06/06
https://bit.ly/390WS4s

O Brasil registrou nesta segunda-feira (6) 36 mortes e 31.195 casos de covid-19, de acordo com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Os dados, no entanto, estão incompletos. Novamente, as secretarias estaduais apontam instabilidade nos sistemas do Ministério da Saúde. Dessa vez, os problemas afetam o e-SUS Notifica, utilizado para notificação dos casos leves de covid, e o SivepGripe, que registra casos ambulatoriais e internações. São Paulo, por exemplo, estado mais populoso do país, não divulgou nem casos, nem óbitos. Outros 13 estados – AC, AL, AM, AP, GO, MA, MG, MS, PB, RJ, RR, RS e TO – também não divulgaram as mortes pela doença nas últimas 24 horas. Por outro lado, a Bahia não registrou os novos casos.

 

DIREITOS

Garantia Semestral de Salários: o que todo professor precisa saber
Sinpro SP; 05/06
https://bit.ly/3NzfAz5

Uma das mais importantes conquistas das professoras e professores, a Garantia Semestral de Salários é um direito coletivo previsto nas convenções coletivas da Educação Básica e do Ensino Superior e nos acordos coletivos do Sesi SP, Senai SP e Senac SP. Sua principal função que é a de proteger os professores. Ela dificulta as demissões no curso dos semestres, quando naturalmente é mais difícil encontrar aulas.

Esse pequeno tira-dúvidas foi criado por Silvia Babara a partir das principais perguntas dos professores, que chegam ao SinproSP .

A Garantia Semestral nasceu no dissídio coletivo da educação básica de 1989, a partir de uma reivindicação de cinco sindicatos (São Paulo, Santos, ABC, Campinas e Osasco). Somente em 1993 incorporou-se à convenção do ensino superior e nos acordos do Sesi e Senai.

 

 

 

Acredite: Brasileiros são os que mais acreditam na ciência em todo o mundo
Valor Econômico; 06/06
http://glo.bo/3ztqbaG

Pesquisa da multinacional 3M realizada em 17 países mostra que 91% dos entrevistados no Brasil se preocupam que eles próprios ou alguém próximo tenha que mudar de endereço em consequência das mudanças climáticas

Batizada de State of Science Index (Índice do Estado da Ciência), o levantamento traz que, por aqui, 92% dos entrevistados brasileiros confiam na ciência e 90% nos cientistas, enquanto a média nos demais países é de 86%.

Para 87% dos brasileiros entrevistados, não há consequências negativas quando se valoriza a ciência e a produção científica. Pelo contrário: 71% dos entrevistados disseram que, se as pessoas não puderem confiar nas notícias sobre ciência, haverá mais crises de saúde pública. Outros 59% disseram que haverá mais divisão na sociedade e 56% apontaram o aumento na gravidade dos efeitos das mudanças climáticas.

No Brasil, 1.000 pessoas com mais de 18 anos participaram da pesquisa, que foi realizada online e presencialmente entre os meses de setembro e dezembro de 2021. 59% dos entrevistados brasileiros queiram que a ciência resolva questões ligadas à qualidade da água e saneamento, enquanto 56% querem que ela ajude com o acesso igualitário à saúde de qualidade, 55% com a qualidade do ar e da fome e 52% contra os efeitos da mudança climática. Globalmente, porém, a crença de que a ciência pode ajudar nas questões climáticas é maior, de 58%. Por outro lado, o mundo é menos crente (40%) na ajuda da ciência ao combate à fome.

 

A Ciência em Si

De Gilberto Gil, no CD ‘Quanta’
YouTube: https://youtu.be/HjKvabHTAwg

Se toda coincidência
Tende a que se entenda
E toda lenda
Quer chegar aqui
A ciência não se aprende
A ciência apreende
A ciência em si

Se toda estrela cadente
Cai pra fazer sentido
E todo mito
Quer ter carne aqui
A ciência não se ensina
A ciência insemina
A ciência em si

Se o que se pode ver, ouvir, pegar, medir, pesar
Do avião a jato ao jaboti
Desperta o que ainda não, não se pôde pensar
Do sono eterno ao eterno devir
Como a órbita da terra abraça o vácuo devagar
Para alcançar o que já estava aqui
Se a crença quer se materializar
Tanto quanto a experiência quer se abstrair
A ciência não avança
A ciência alcança
A ciência em si

Conteúdo Relacionado

crossmenu