Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

sexta-feira, 8 de abril de 2022

Por Beth Gaspar em 8 de abril de 2022

08/04 - O aumento de EaD nos cursos de Saúde, polarização de opiniões nos colégios, ‘kit robótica’ é novo escândalo no MEC, e mais: uma brasileira entre os cientistas mais influentes no mundo

.

Professoras, professores, pessoal administrativo no Ensino Superior: fiquem atentos aos avisos do sindicato! Vamos discutir as formas de pressão diante das mantenedoras. Leia tudo aqui: https://bit.ly/3v27UgO

 

 

Colégios de SP preparam estratégias para enfrentar polarização nas eleições
Folha de S. Paulo; 07/04
https://bit.ly/3uktCgN

Educadores temem que embate político interfira em sala de aula; discussão recente na escola Avenues, na capital paulista, viralizou nas redes sociais

O aumento da polarização no país, com as eleições presidenciais em outubro, já preocupa as escolas particulares de São Paulo. Com o receio de que as atividades em sala de aula se tornem munição política para candidatos, elas buscam estreitar a comunicação com os pais para evitar que discordâncias no ambiente escolar virem embates públicos.

A solução não é nova: reforçar aos pais o papel da escola na formação política, ética e moral dos alunos. O desafio, no entanto, é fazê-los compreender que esse aprendizado depende de discussões plurais, críticas e que, muitas vezes, podem ser contrárias às posições políticas das famílias.

 

Professor repreende aluno em debate com indígena e pais reagem
Jornal Nexo; 07/04
https://bit.ly/3jlgHoC

Um conflito entre um estudante de ensino médio e seu professor na escola Avenues, na zona sul de São Paulo, tem gerado repercussão nas redes sociais. A discussão ocorreu no dia 28 de março durante uma palestra da líder indígena Sônia Guajajara. O jovem contestou declarações de Guajajara e foi repreendido pelo docente.

O estudante contrariou a líder indígena depois de ela ter defendido a reforma agrária e criticado o uso de agrotóxicos no país. “Quando você se referiu à democratização das terras, eu acho que você se equivocou. Democracia é um modelo de governo. Você tirar o que é de alguém não é. Desculpe eu te falar isso. Isso é roubo de propriedade privada. Por favor, melhore”, disse o estudante.

O professor Messias Basques o rebateu na sequência: “Deixa eu te dizer uma coisa, meu querido. Quando você entender o que é ser uma pessoa desse tamanho, você vai se lembrar desse dia com muita vergonha”, afirmou ao aluno. “Me respeite porque eu sou um doutor em antropologia. Eu sou especialista por Harvard. Isso é ciência, não é discussão. No dia que você quiser discutir com a gente, traga seu diploma.”

Localizada no Real Parque, bairro nobre da cidade de São Paulo, a Avenues cobra uma anuidade de R$ 172.400 para cada aluno. Os pais precisam realizar um depósito inicial anual de R$ 25.000 e o resto do valor é dividido em parcelas mensais de pouco mais de R$ 12 mil.

 

Cursos EaD na área da saúde tiveram aumento nas matrículas, segundo o Inep
QueroBolsa; 07/04
https://bit.ly/3LSXpn4

A procura por cursos a distância aumentou. De acordo com dados do Censo da Educação Superior 2020,  pela primeira vez as matrículas do EaD superaram as dos cursos presenciais. E, ainda segundo o Censo, os cursos da área da saúde se destacaram nesse crescimento.

Para o Professor Celso Niskier, diretor presidente da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), "as matrículas nos cursos EaD foram aceleradas pela pandemia e a tendência é que no próximo Censo da Educação Superior tenha um aumento ainda maior".

 

ESCÂNDALO NO MEC

Bolsonaro tenta se isentar por kit robótica a escolas sem água e culpa Congresso
Folha de S. Paulo; 07/04
https://bit.ly/3xbD6ge

"Kit robótica para municípios de alguns estados do Brasil: RP9, o dinheiro vai diretamente para o prefeito e o prefeito é que licita e compra esse material. Vai botar a culpa em mim? Suspeita de corrupção? Não tenho nada a ver com isso, o Orçamento aqui, quem dá destino é o relator do Orçamento, é o cara mais poderoso que eu, tem mais dinheiro", disse.

Cada kit foi adquirido pelas prefeituras por R$ 14 mil, valor muito superior ao praticado no mercado e ao de produtos de ponta de nível internacional.

 

Presidente do FNDE diz que kit robótica possivelmente atendeu a indicação parlamentar
FolhJus; 07/04
https://bit.ly/3uZUYYZ

O presidente do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), Marcelo Lopes da Ponte, afirmou que a compra de kits de robótica para escolas de pequenas cidades de Alagoas, com deficiências estruturais, muito possivelmente atendeu a "indicações parlamentares".

Nesta quarta-feira (6), a Folha mostrou que o governo Bolsonaro destinou R$ 26 milhões de recursos do MEC para a aquisição de kits de robótica para escolas de pequenas cidades de Alagoas. Essas instituições, no entanto, sofrem com carências básicas de infraestrutura, como falta de salas de aula, de computadores, de internet e até de água encanada.

Marcelo Loes da Ponte também respondeu diversas perguntas sobre as denúncias de existência de um balcão de negócios para a distribuição de recursos para a educação, esquema que seria operado por dois pastores.

O presidente do FNDE indicou que os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura usavam seu nome e o do ex-ministro Milton Ribeiro indevidamente ‘para se gabaritar, para fazer lobby’.

 

Artigo: ‘A educação do futuro e a tecnologia
Folha de S. Paulo; 08/04
https://bit.ly/3jgiMSX

Ferramentas tecnológicas não bastam para educar seres humanos autônomos

Por Claudia Costin, diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais, da FGV, e ex-diretora de educação do Banco Mundial.: “Evidentemente, tudo isso integra uma abordagem de ensino que nos faz avançar, mas para que se possa preparar os jovens para um mundo em acelerada digitalização o que precisa ser feito é formá-los para o que não pode ser substituído por máquinas, que é a capacidade de pensar, colaborar e analisar em profundidade. E isso só se faz atraindo e retendo bons professores, motivados e preparados para educar seres humanos autônomos.

Para tanto, é fundamental que as novas diretrizes de formação docente aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação sejam implementadas nas licenciaturas e nas escolas para que, de fato, se construa a educação do futuro.”

 

Sucateamento, descaso e escândalos na Educação cobrarão a conta de jovens
UOL; 07/04
https://bit.ly/3jgLRgP

Além dos problemas no Enem, o Novo Ensino Médio é alvo de críticas de especialistas em educação. Especialmente polêmicos são os Itinerários Formativos, com 1200 horas divididas entre os três anos do ensino médio, nos quais os estudantes poderão escolher as áreas de conhecimento do interesse (Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Linguagens), incluindo a formação técnica. Há a preocupação, entre educadores e especialistas, de que essa reforma aprofunde as desigualdades no acesso à educação superior. Afinal, escolas privadas, com mais recursos, terão condições estruturais mais adequadas para implementar a nova agenda.

Esse descompasso entre o que prevê o Novo Ensino Médio e a realidade das salas de aula nas escolas públicas do Brasil terá impacto direto sobre uma das mais bem sucedidas políticas educacionais implementadas no país, as ações afirmativas. As dificuldades relatadas pelos especialistas pode ter outro efeito: afastar estudantes negros e pobres do Enem, tornando a corrida pelo ingresso nas instituições públicas de ensino superior ainda mais árdua.

 

SAÚDE

Por que a fala de Lula sobre o aborto está cientificamente certa
Nexo; 07/04
https://bit.ly/3jgk9AW

Uma declaração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre o direito ao aborto, que simplesmente reproduz o consenso científico sobre o tema, causou rebuliço entre bolsonaristas, evangélicos e até membros do próprio partido do pré-candidato petista ao Planalto.

Num debate em São Paulo com integrantes do parlamento europeu, na terça-feira (5), Lula disse que toda a mulher no Brasil deveria ter direito à interrupção da gravidez por essa ser “uma questão de saúde pública”.

O que a ciência diz sobre o aborto - Lula disse o que os dados científicos já concluíram: o aborto é, de fato, uma questão de saúde pública. Sob supervisão, o é um procedimento de pouco risco, mas um quinto das mulheres ainda utilizam métodos inseguros, como introdução de objetos no útero, o que eleva o perigo de morte e leva a hospitalizações e necessidade de atendimento.

Em uma década, o Sistema Único de Saúde gastou R$ 486 milhões com internações por complicações do aborto, sendo 75% provocados. A literatura científica sobre o tema mostra que a criminalização é uma política custosa e ineficiente para conter a procura por aborto. Além de limitar a busca de assistência de saúde adequada por mulheres que recorrem ao procedimento, o contexto gera um mercado de clínicas clandestinas e tráfico de medicamentos abortivos.

 

Covid-19: Brasil registra primeiro caso de Ômicron XE, que pode ser mais contagiosa
O Globo; 07/04
http://glo.bo/3xdQMro

Paciente é um homem de 39 anos, morador de São Paulo.

A amostra foi coletada há um mês, em 7 de março. Segundo o laudo, o caso é de “provável origem” da África do Sul. Outro documento, também obtido pelo GLOBO, mostra que o Butantan notificou a Rede Cievs na quarta-feira e que o paciente tem esquema vacinal completo.

Entre os sintomas apresentados, estão coriza, distúrbios de olfato e de paladar, dor de cabeça, tosse, febre e dor de garganta. Os sintomas começaram em 17 de fevereiro e o homem já está recuperado.

 

 

 

 

Médica Angelita Gama:  Após sobreviver à Covid, brasileira está entre cientistas mais influentes do mundo
Folha de S. Paulo; 08/04
https://bit.ly/3pyN1q4

As mensagens de parabéns não param de chegar no celular da cirurgiã Angelita Habr-Gama, 89, que nesta semana foi reconhecida pela Universidade Stanford (EUA) como uma das médicas que mais contribuíram para o desenvolvimento da ciência no mundo.

"Foi um reconhecimento que eu não esperava. Espero que seja um incentivo para os pesquisadores brasileiros, especialmente para as mulheres. A primeira coisa que a mulher precisa ter é autoconfiança e mostrar isso aos outros. E não aceitar o não como resposta", diz a professora emérita da USP, em entrevista à Folha em seu apartamento, em Moema (zona sul de São Paulo).

A médica foi incluída entre os 2% de cientistas mais citados em diversas disciplinas no mundo. O relatório foi preparado por uma equipe de especialistas liderada por John Ioannidis, professor de Stanford, em parceria com a editora Elsevier BV.

Angelita é uma das pesquisadoras brasileiras mais premiadas e publicou mais de 200 artigos científicos em revistas indexadas na base de estudos PubMed.

Conteúdo Relacionado

crossmenu