Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

terça-feira, 6 de julho de 2021

Por Beth Gaspar em 6 de julho de 2021

06/07 - $100 milhões do MEC para canal de homeschooling, fraude em cotas dão em (quase) nada na USP, SPBC quer ‘responsabilização já’ por Covid, e mais: ninguém liga para a Copa da pandemia

.

Todos de olho: no Superior, pelo pagamento do abono de 50% nesta terça; na Educação Básica, no andamento do dissídio.

 

 

USP conclui só 0,5% dos processos por fraude em cotas raciais
Folha de S. Paulo; 06/07
https://bit.ly/3Az3gZx

A USP atingiu neste ano o patamar de mais de 50% de ingressantes oriundos de escolas públicas, dos quais 44,1% autodeclarados pretos, pardos ou indígenas.

Com a vigência da política afirmativa, vieram também as denúncias de fraudes nas cotas raciais. Até hoje, apenas 1 dos 193 processos desse tipo em curso, ou 0,5% do total, foi concluído.

As ações foram originadas de 381 denúncias que ficam sob responsabilidade da Pró-Reitoria de Graduação. Dessas, 160 foram descartadas por não apresentarem indícios de materialidade e 27 não prosperaram porque os alunos cancelaram suas matrículas por conta própria.


Rede municipal de ensino de São Paulo mantém aulas em julho
Agora; 05/07
https://bit.ly/2UvKkL2

As férias escolares que costumam ocorrer no mês de julho passaram por mudanças para este ano nas redes estadual e municipal de São Paulo. Ambos anteciparam os calendários como forma de diminuir a circulação de pessoas e conter o avanço da pandemia de Covid-19, mas as dinâmicas foram diferentes.

Recesso na cidade havia sido antecipado em março; escolas do estado terão 15 dias de férias. As unidades estarão abertas para oferecer merenda escolar aos alunos que mais precisam, segundo o estado. Todos os atendimentos serão feitos com horário marcado.

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Governo Bolsonaro vai usar até R$ 100 milhões do MEC para criar nova emissora de TV
DCM; 06/07
https://bit.ly/2V1yDvB

Nas próximas semanas, o governo Bolsonaro vai lançar um novo canal de TV. A estimativa é que a nova emissora custe entre R$ 50 milhões e R$ 100 milhões anualmente, com verba do MEC (Ministério da Educação).

Segundo Ricardo Feltrin, do UOL, “o novo canal é mais um passo no "projeto" governamental do chamado ‘homeschooling’, ou educação em casa”.

O projeto é feito a toque de caixa pela EBC (Empresa Brasil de Comunicação), atualmente responsável pela TV Brasil 1 e 2, além da Agência Brasil. O diretor-geral da EBC, coronel Romy Pinto, é quem cuida dos planos para o novo canal.

 

O NEGÓCIO DA EDUCAÇÃO

Ser desiste novamente de adquirir faculdades da Ânima no Nordeste
Valor Econômico; 06/07
https://glo.bo/3wmKtgK

A Ser Educacional desistiu das aquisições da Faculdade Internacional da Paraíba (FPB), do Centro Universitário dos Guararapes (UNIFG) e do Cedepe Business School, localizadas no Nordeste, que haviam sido vendidos pela Ânima por R$ 180 milhões em 29 de dezembro.

Esses ativos faziam parte do acordo firmado entre a Ser Educacional e a Ânima na transação de aquisição da Laureate Brasil. Os dois grupos educacionais disputavam a operação brasileira do grupo americano, que ficou com a Ânima.

Mas, como a Ser havia feito uma oferta inicial e não concordou com a venda da Laureate para Ânima, entrou com uma ação judicial e arbitral. Após um período de discussões, as partes fizeram um acordo, com a Ser retirando as queixas e, em contrapartida, teria preferência de venda de cinco instituições de ensino da Laureate: centros universitários UniRitter e Fadergs, em Porto Alegre, e IBMR, no Rio, Faculdade Internacional da Paraíba (FPB), Centro Universitário dos Guararapes (UNIFG) e Cedepe Business School. A Ser não ficou com as faculdades do Sul e Sudeste.

 

‘A escola que conhecemos hoje já morreu’ diz Daniel Castanho, do grupo Ânima Educação
Estadão; 06/07
https://bit.ly/3wme763

A educação brasileira “tem de passar por uma transformação enorme”. Quem o diz, e que se dedica a essa causa há muito tempo, é o empresário Daniel Castanho – que faz de seu grupo, a Anima Educação, o laboratório de uma “comunidade de aprendizagem” de 350 mil alunos e 18 mil educadores.

Castanho quer tirar da frente dos alunos, por exemplo, disciplinas como Matemática, Física, Português… Na verdade, já está tirando, pois o modelo de ensino que se pratica em suas escolas é integrado e holístico. “No Anima não temos mais a área de tecnologia, pois ela está presente na empresa como um todo”. E a pandemia do coronavírus, nisso tudo? “O que ela está fazendo é antecipar o que já precisaria estar mudado”.


Opinião: ‘O oportunismo dos grandes conglomerados de educação’
Carta Capital; 05/07
https://bit.ly/3wk5rx4

Por Gilson Reis, Contee: “Lemann, Kroton, Yduqs, Ânima Holding, SEB, Pearson, Bahema, Ser Educacional, Inspira. Em comum, apesar dos irônicos nomes das duas últimas, tudo o que essas empresas não são é inspiração pedagógica ou exemplo de preocupação educacional.

As outras denominações, às vezes só um amontoado de letras ou palavras cuja pronúncia deixa dúvidas, na verdade dizem bem a respeito do que o conjunto dessas empresas, bancos e multinacionais representa: desnacionalização, alta lucratividade, capital financeiro nacional e internacional, nenhum compromisso com a educação como direito constitucional e instrumento de desenvolvimento nacional sustentável”.



CORONAVÍRUS

Brasil supera 525 mil mortes por covid-19; cientistas denunciam gestão criminosa
Rede Brasil Atual; 05/07
https://bit.ly/3dPexLH

O Brasil ultrapassou as 525 mil mortes pela covid-19. Nas últimas 24 horas, foram registradas 695 vítimas, além de 22.703 novos casos de infectados.

Também hoje, a Rede Brasileira de Mulheres Cientistas, aliada a entidades como a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), lançou o manifesto #ResponsabilizaçãoJá (veja o clipe de lançamento aqui). A entidade pede a responsabilização pelas mais de 525 mil mortes decorrentes da covid-19 no Brasil. Há fartas evidências de que partes significativas destas mortes poderia ser evitada. A criminosa condução do governo federal na pandemia destruiu a vida de milhares de brasileiras e brasileiros (…) De forma deliberada e perversa, o governo federal dificultou o acesso às vacinas e às medidas básicas de segurança, como distanciamento social e uso de máscaras”, afirmam.


 

 

Sem clima: o desinteresse pela Copa América da pandemia
Nexo; 05/07
https://bit.ly/3At7LoN

Brasil sobra no primeiro tempo, elimina Peru e vai à final da Copa América após o jogo desta segunda-feira (5). Mas, na reta decisiva, o torneio que veio para o país de última hora tem baixos índices de audiência na TV, pouca repercussão entre o público e perde em atenção para outros temas esportivos nas redes sociais. O “Durma com essa” fala sobre o clima de uma competição organizada em um país assolado pela pandemia.

Euro e Copa América expõem: seleção brasileira é a menos querida em seu país. E isso não tem nada a ver com Tite
ESPN; 05/07
https://bit.ly/3ysFug5

Se você for uma exceção, um fã fervoroso da seleção brasileira, você deve até se incomodar com isso, mas precisa admitir: é incrível o quanto ela não consegue mobilizar e sensibilizar os apaixonados por futebol em seu próprio território.

Em tempos de Euro e Copa América simultâneas, o fato fica ainda mais claro porque nos permite comparar as relações de outros países com suas seleções, seja através da cobertura jornalística, seja por aquilo que conseguimos captar de sentimento dos torcedores – mesmo com estádios (quase) vazios.

Conteúdo Relacionado

crossmenu