Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo, 18 de agosto de 2024

Por Beth Gaspar em 4 de agosto de 2022

04/08 - Patronal do Superior procrastina negociação e cria impasse, falta abonada no dia 17 vale para o dia todo, home office sem negociação coletiva, e mais: os 5 inquéritos que ameaçam o presidente

.
Mantenedoras nada apresentam na rodada desta quarta! Sindicatos reafirmam reivindicações, assembleia de professores e pessoal administrativo marcada para dia 17, com falta abonada!
Leia tudo aqui:  https://bit.ly/3OWW27N

 

 

 

CAMPANHA SALARIAL 2022

Ensino Superior: patronal procrastina a negociação e cria impasse  - “O patronal finge que negocia, procrastina indevidamente e com isso joga a negociação em um impasse”, diz Celso Napolitano, coordenador da comissão de negociação dos trabalhadores. “Não querem repor a defasagem salarial, se recusam a discutir o trabalho de professores nas disciplinas ministradas a distância, em cursos presenciais, e recusam a possibilidade de mediação como forma de superar o conflito. Nossa paciência está no limite”. Radio Peão Brasil, 03/08  https://bit.ly/3OWYc7p

 

Assembleia dia 17: falta abonada vale para o dia todo -  A assembleia do dia 17 será realizada com a falta dos trabalhadores sendo abonada para participar da reunião da categoria. A falta abonada está garantida na convenção coletiva de professores e auxiliares de administração escolar do Ensino Superior. Essa falta com pagamento é uma paralisação de fato do trabalho e cobre o dia todo, todos os períodos do dia 17 – manhã, tarde ou noite – para que não haja nenhum constrangimento pela participação no evento. Fepesp, 03/08   https://bit.ly/3OWW27N

 

#17A: Dia 17 de agosto, o ensino privado vai parar -  Paralisação nacional foi convocada pela Contee e entidades filiadas. Salários aviltados, relações de trabalho precárias, desrespeitos a direitos, contratos precarizados e intransigência patronal, que dificultam negociações, negociações, são as razões mais que plausíveis para essa movimentação. Contee, 03/08   https://bit.ly/3JsuhCQ

 

TRABALHO

Câmara aprova MP sobre ‘home office’ sem cláusula de negociação coletiva. Texto segue para o Senado - A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (3) o texto principal da Medida Provisória (MP) 1.108, que regulamenta o teletrabalho (home office) e altera regras do auxílio-alimentação. O texto, que “caduca” no próximo domingo, ainda precisa passar pelo Senado. Foram 248 votos a favor e 159 contrários. Ainda pode haver alterações com os destaques. Rede Brasil Atual, 03/08  https://bit.ly/3QkTIJ2

 

Aprovada há cinco anos, no governo do presidente Michel Temer, a reforma trabalhista está longe de ser um tema pacificado na sociedade. ´Para nós, foi e continua sendo um ataque aos direitos trabalhistas e sua representação sindical. Nesta quinta, dia 4, às 17h30.
PARA PARTICIPAR, CLIQUE AQUI: https://bit.ly/3BFyMIk

 


POLÍTICA EDUCACIONAL

MEC prorroga prazo de inscrições do Prouni após falhas no sistema - Candidatos relatam sumiço de vagas e falta de nota de corte parcial; prazo foi estendido até sexta (5). Candidatos se queixam nas redes sociais desde terça-feira (2) sobre problemas no processo de inscrição. De acordo com os relatos, o sistema tem sumido com vagas antes anunciadas e não apresentava a nota de corte parcial para cada curso.  Folha de S. Paulo, 03/08  https://bit.ly/3SloYcJ


Justiça derruba liminar que barrava escola cívico-militar no estado de SP - O TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) derrubou uma liminar que barrava a implementação do Pecim (Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares), criado pelo governo de Jair Bolsonaro (PL), no estado paulista. Na decisão, o desembargador José Luiz Gavião de Almeida justifica que a escola cívico-militar "é medida já implantada em outros estados".  UOL, 03/08  https://bit.ly/3Q178d9


Grupos privados aproveitam Novo Ensino Médio para avançar sobre a educação pública -  A inserção cada vez maior de institutos privados dentro da educação pública, em todo o Brasil [é um] processo que se aproveita das brechas criadas pela dificuldade da rede estadual em trabalhar por conta própria a formação de professores para disciplinas criadas no Novo Ensino Médio e de oferecer material didático com estes novos conteúdos, mas também um processo que contribui para alimentar um desejo da atual gestão da Secretaria de Educação (Seduc) de instalar uma “educação empreendedora” nas escolas. Sul21, 03/08  https://bit.ly/3bshKCW

 



Presidenta do Sindicato dos Professores do ABC - SINPRO ABC, Edilene Arjoni (no clipe) participa da panfletagem e coleta de assinaturas para o abaixo assinado em defesa do Vale-Transporte Social, que irá beneficiar trabalhadores e trabalhadoras em situação de vulnerabilidade. A ação ocorre nesta quarta, 5, no centro de Santo André, e é realizado pelo Comitê Popular de Luta do ABC. Sinpro ABC, 03/08 https://fb.watch/eGvsXKwzqb/

 

 

SAÚDE

Em SP profissionais de educação são orientados sobre a monkeypox - A cidade de São Paulo concentra mais de 80% dos casos de varíola dos macacos do estado. São 879 casos. A grande maioria desses casos em homens adultos. Mas foram identificados três casos em crianças. Todas elas abaixo de seis anos de idade. Apesar da varíola dos macacos ser considerada de baixa letalidade , o diretor do departamento de pediatria da Faculdade de Ciências Medicas da Santa Casa, Marco Aurélio Safadi, explica que entre as crianças, três grupos são mais vulneráveis, entre elas, as crianças com menos de oito anos. Agência Brasil, 03/08   https://bit.ly/3QevIqK

 

 

Bolsonaro pode ser preso? Conheça os 5 inquéritos que ameaçam o presidente
Estadão; 03/08
https://bit.ly/3OZ4qU8

No último dia 16 de maio, o presidente Jair Bolsonaro expôs publicamente um temor que seus interlocutores mais diretos ouvem com frequência. A um grupo de empresários do setor de alimentos afirmou sem meias palavras: “Mais da metade do meu tempo eu me viro contra processos. Até já falam que eu vou ser preso… Por Deus que está no céu, eu nunca vou ser preso.”

Um mês depois, repetiu sua teoria para outro público. Desta vez, Bolsonaro comentava a condenação da ex-presidente da Bolívia Jeanine Áñez por atitudes antidemocráticas. “A turma dela perdeu, voltou a turma do Evo Morales. Agora foi confirmado dez anos de cadeia para ela. Qual a acusação? Atos antidemocráticos. Alguém faz alguma correlação com Alexandre de Moraes e os inquéritos por atos antidemocráticos? Ou seja, é uma ameaça para mim quando deixar o governo?”, afirmou.16 de agosto – início da propaganda eleitoral, incluindo na internet e por meio de alto-falantes, caminhada, carreata ou passeata.

O Estadão apurou que um dos inquéritos que mais preocupa Bolsonaro é o que aponta sua “atuação direta, voluntária e consciente”, segundo a Polícia Federal, na prática do crime de violação de sigilo funcional. O deputado Filipe Barros (PSL-PR) e o ajudante de ordens do presidente Mauro Cid também foram implicados.9 de setembro – partidos e candidatos devem começar a prestar contas parciais da movimentação financeira ocorrida desde o início da campanha.

Confira detalhes de cada uma das apurações que miram Bolsonaro:

Ataques às urnas eletrônicas - Às vésperas da campanha que sua reeleição, Bolsonaro é investigado pela live realizada em julho de 2021, na qual o chefe do Executivo voltou a propagar notícias falsas e declarações infundadas sobre supostas fraudes no sistema eletrônico de votação, além de promover ameaças ao pleito deste ano.

Milícias Digitais - A investigação mira a atuação coordenada de grupos na internet para divulgar notícias falsas e atacar opositores bolsonaristas e instituições democráticas. Depois que o inquérito das fake news esfriou no STF, a investigação se tornou a frente com maior potencial explosivo contra aliados do presidente.

Associação entre a vacina da covid-19 e a AIDS - A investigação se debruça sobre declarações dadas por Bolsonaro durante live feita em 21 de outubro, exatamente um dia após a leitura do relatório da CPI da Covid no Senado. O colegiado pediu o indiciamento por 11 crimes relacionados à conduta do chefe do Executivo no enfrentamento à pandemia.

Vazamento de inquérito da Polícia Federal - A investigação também foi aberta com base em pedido do Tribunal Superior Eleitoral, em agosto de 2021. A Polícia Federal apurou se o presidente Jair Bolsonaro cometeu crime ao divulgar o inquérito sigiloso da corporação sobre uma invasão ao sistema eleitoral ocorrida em 2018.

Interferência na PF - A investigação mais antiga sobre o chefe do Executivo é a que apura tentativa de interferência política na Polícia Federal. O inquérito foi aberto na esteira da renúncia do ex-juiz Sérgio Moro – atual candidato ao Senado pelo Paraná – do Ministério da Justiça e Segurança Pública, em abril de 2020. Tal investigação ganhou fôlego após a divulgação da controversa reunião ministerial do dia 22 de abril daquele ano.

Conteúdo Relacionado

crossmenu