Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

sexta-feira, 3 de julho de 2020

Por Beth Gaspar em 3 de julho de 2020

03/07 - Feder no MEC, volta às aulas e ansiedade na pandemia, Bolsonaro e a educação ‘horrível’, sua escola no Enem 2019  - e mais.

.


Campanha ‘É preciso ouvir o educador!’ antes de qualquer protocolo de volta às aulas repercuteveja aqui:  https://fepesp.org.br/noticia/8503/

 

Bolsonaro convida Renato Feder, secretário do Paraná, para assumir Ministério da Educação
Folha de S. Paulo; 03/07

https://bit.ly/2AvJRPg

O presidente Jairo Bolsonaro (sem partido) convidou o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, para comandar o Ministério da Educação após a dupla polêmica da saída de Abraham Weintraub e da desistência de Carlos Decotelli.

Antes de Carlos Decotelli ser anunciado, na semana passada, Feder chegou a ser um dos mais cotados para chefiar o ministério.

Na ocasião, pesou contra o seu nome o fato de ele ter sido um dos principais doadores da campanha de João Doria ao governo de São Paulo, em 2018.

O empresário também buscou contato com Olavo de Carvalho por meio de alunos do escritor, mas o considerado guru ideológico do governo não deu retorno a ele, segundo aliados.

 

Professores: o risco da volta às salas e a ansiedade na pandemia
Nexo; 02/07
https://bit.ly/2C2Clfb

Maioria dos profissionais de educação no Brasil diz não ter preparo para o ensino remoto. Educadores relatam pressão e abandono das escolas na quarentena, mas temem retorno ao modelo presencial.

Em artigo publicado no jornal Folha de S. Paulo em 28 de junho (veja aqui), Celso Napolitano, presidente da Federação dos Professores do Estado de São Paulo, criticou a proposta por não ouvir os professores e reconheceu que os profissionais estão sobrecarregados durante a pandemia e que serão expostos ao vírus mesmo com uma retomada parcial. Ele afirmou que a entidade poderá ir à Justiça caso as aulas retornem sem que os governos tenham o controle da doença.

 

 

 

Opine: ‘O plano de volta às aulas não tem professor’
Rádio Peão Brasil: https://bit.ly/2CSvCok

Site Contee: https://bit.ly/3gm3Cbn

Agência Sindical: https://bit.ly/3iqWoon

Folha de S. Paulo: https://bit.ly/38g4BqC

 

Por Celso Napolitano: “No plano do Estado, apresentado no dia 24, apenas donos de escolas foram consultados. Nenhum professor, nenhum funcionário administrativo participou do planejamento até agora. A pedagogia, as relações de trabalho foram deixadas em segundo plano. Os docentes estarão expostos: mesmo o cálculo de 35% de alunos na primeira fase do retorno iria obrigar o professor a 100% de participação”.

 

Rio vai testar 80 mil funcionários da rede estadual de educação, antes da volta às aulas
O Globo; 03/07
https://glo.bo/3f9tuHj

O governo do Rio fará testes de Covid-19 em 80 mil funcionários da rede estadual de educação, como parte do plano de retorno às aulas presenciais. A informação foi antecipada pelo RJ1, da TV Globo, e confirmada pela Secretaria de Estado de Saúde.

Segundo a pasta, 45 mil professores participarão do inquérito sorológico. Ainda não se sabe quando os testes começarão a ser realizados, já que o projeto está em fase de desenvolvimento.

 


 Bolsonaro diz que 'educação brasileira está horrível'
Estadão; 02/07
https://bit.ly/2NT12x6

Após demitir três ministros da Educação em um ano e meio de governo, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira, 2, que a situação da educação brasileira está "horrível". Em conversa com apoiadores, na saída do Palácio da Alvorada, pela manhã, Bolsonaro também disse que "talvez escolha hoje" o novo titular da pasta, que está vaga desde a demissão do professor Carlos Alberto Decotelli, na terça-feira, 30.

 


Especialistas concordam com Bolsonaro sobre situação "horrível" da educação
Correio Braziliense; 03/07
https://bit.ly/2VFSv5a

Especialistas do setor corroboram a declaração do presidente. Eles alertam que o sistema educacional brasileiro enfrenta problemas históricos e que, neste governo, os ministros que ocuparam a pasta — Ricardo Vélez Rodríguez e Abraham Weintraub — nada fizeram para reverter o quadro. O terceiro a ser conduzido à função, Carlos Alberto Decotelli, nem chegou a tomar posse. Ele teve a nomeação anulada no Diário Oficial da União (DOU) de ontem, após uma série de inconsistências no currículo.

Claudia Costin, diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da Fundação Getulio Vargas, afirmou que “a educação brasileira tem graves problemas”. “Dois deles são uma profunda desigualdade educacional e uma crise de aprendizagem”, frisou.

Ela disse que o país demorou para universalizar o acesso à educação e foi um dos últimos a agir nesse sentido na América Latina. “Não é que vinha bem e ficou ruim e, agora, tende a se resolver. Desde a década de 1930 já éramos inferiores a outros países da América Latina. Em meados dos anos 1990, avançamos, com a entrada das crianças na escola”, relembrou.

 


Brasil não atinge metas e fica estagnado na educação sob Bolsonaro
Folha de S. Paulo; 03/07
https://bit.ly/2NRgTfR

Os indicadores mostram que o Brasil patina para avançar na educação básica e no ensino superior. No primeiro ano do governo Jair Bolsonaro (sem partido), houve estagnação nos indicadores educacionais relacionado a taxas de alfabetização de jovens, alunos em escolas de tempo integral, educação profissional e acesso à universidade.

Os dados são do Relatório do 3º Ciclo de de Monitoramento das Metas do PNE (Plano Nacional de Educação), produzido pelo governo federal e divulgados nesta quinta-feira (2).

O PNE foi criado em lei, em 2014, e estipula metas educacionais para serem alcançadas até 2024. O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), órgão ligado ao MEC (Ministério da Educação), tem a responsabilidade de publicar acompanhamentos periódicos.

 


Bolsonaro faz sua herança maldita na Educação
Josias de Souza; 27/06
https://bit.ly/2NS1pYT

Ouviram-se no cercadinho do Alvorada duas expressões que definem com precisão o drama do setor educacional. Uma apoiadora do presidente disse que a Educação "está definhando no Brasil". E Bolsonaro, num rasgo de lucidez, reconheceu que "a Educação está horrível". Percebe-se que o presidente não ignora o problema. A escolha do próximo ministro da Educação revelará se Bolsonaro deseja transformar o seu governo, finalmente, em parte da solução. Até aqui, o MEC foi o motor da encrenca.... –

 

Três ministros da Educação em 18 meses: como o “entra e sai” é danoso para o país
Gazeta do Povo; 02/07
https://bit.ly/3goO4U5

Desde o início da gestão do presidente Jair Bolsonaro, três ministros passaram pela chefia do Ministério da Educação (MEC). Nos 18 últimos meses, a pasta foi gerida por titulares de diferentes perfis — Vélez Rodriguez, Abraham Weintraub e, por cinco dias, Carlos Decotelli — e estagnou em vários aspectos.

Especialistas ouvidos pela reportagem avaliam como a instabilidade é danosa para a Educação do país e engessa a articulação da própria pasta junto a entes federativos."

 

 Sem data por causa de pandemia, Enem tem contrato travado por briga judicial
Estadão; 03/07
https://bit.ly/38o9yh7

Gráfica Plural, que era a 1ª colocada na concorrência deste ano, foi habilitada para impressão da prova, após um questionamento do ‘Estadão; processo estava sem definição havia quase dois meses; 2ª colocada obteve liminar contra assinatura.

 

 

 

Coronavírus faz mais 1.252 mortes em 24 horas. Total de doentes chega a 1,5 milhão
Rede Brasil Atual; 02/07
https://bit.ly/2BxMsbK

Com 1.252 novas mortes nas últimas 24 horas, a pandemia de covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, mostra que segue em ritmo acelerado no Brasil. Desde o início do surto, em março, são 61.884 vítimas oficialmente registradas, de acordo com o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), em boletim divulgado no fim da tarde desta quinta (2).

 

Doria ignora recorde de novos casos de covid-19 e afrouxa quarentena em São Paulo
Rede Brasil Atual; 02/07
https://bit.ly/2D7v91N

Governador considera gestão da crise “um sucesso” e anuncia que vai atender pedido de prefeitos para permitir abertura de comércios por mais horas diárias. Também ontem completou-se um mês do início da abertura do comércio implementada pelo governo João Doria (PSDB). Os dados podem ser um indicativo importante de que a situação está se agravando novamente, já que o aumento de casos seria a primeira consequência negativa da reabertura.

 

 

 

 

Veja o desempenho da sua escola no Enem 2019
Folha de S. Paulo; 03/07
https://bit.ly/2YSMvb8

A Folha tabulou os resultados do Enem 2019 a partir da base de dados bruta divulgada pelo MEC (Ministério da Educação) semana passada, para determinar a média dos colégios públicos e particulares no exame.

O governo deixou de apresentar os resultados com a média da nota das escolas em 2016, com a justificativa de que a informação era usada pelo mercado de colégios particulares para propaganda.

A tabulação feita pela reportagem excluiu escolas com menos de dez participantes no exame e/ou aquelas em que menos de 50% do total de estudantes fez a prova. A metodologia segue o mesmo critério que o MEC usava em anos anteriores.

Nessa ferramenta abaixo, você pode ver a posição de uma escola no país ou apenas dentro do seu estado (clique no quadro abaixo, digite o nome da escola e pressione "enter").

Conteúdo Relacionado

crossmenu