Fepesp - Federação dos Professores do Estado de São Paulo

segunda-feira, 3 de maio de 2021

Por Beth Gaspar em 3 de maio de 2021

03/05 - O lobby de mães bolsonaristas de escolas ricas de SP, mobilização no Senado contra a lei da escola aberta na pandemia, o orçamento da Educação na Câmara, e mais: cinco bons aplicativos para a Educação Infantil

.

Com 400 mil mortos e mais de 15 milhões de infectados pela Covid-19 no país o Senado quer votar lei para abrir escolas, obrigar professora a dar aula presencial na marra?

Mande sua mensagem para os senadores, para tirar da pauta esse projeto nefasto!
MARA GABRILLI - sen.maragabrilli@senado.leg.br
ALEXANDRE GIORDANO (assumiu com a morte por Covid de Major Olimpio) - sen.giordano@senado.leg.br
JOSÉ SERRA - sen.joseserra@senado.leg.br

 

Vacinação de professores deve estar concluída até setembro, prevê coordenadora do programa
Folha de S. Paulo; 01/05
https://bit.ly/2Si1vhL

Trabalhadores da educação básica e superior devem ser vacinados contra a Covid-19 de junho a setembro, de acordo com estimativa da coordenadora do PNI (Programa Nacional de Imunizações), Francieli Fantinato.

Fantinato afirmou que o país deve estar em uma situação mais confortável de vacinas no terceiro trimestre. “Então esses 3,4 milhões de trabalhadores da educação provavelmente em junho já serão atendidos”, afirmou.

Para os profissionais imunizados com a Coronavac, a primeira dose deve ser aplicada em junho e a segunda, no mês seguinte. Se a imunização for com a vacina AstraZeneca, que possui um intervalo de 84 dias entre as duas doses, a conclusão do processo deve se dar em setembro.

 

‘Escolas Abertas’: Como opera o lobby de mães bolsonaristas de alunos de escolas ricas de SP que quer aulas presenciais na pandemia
Rede Brasil Atual; 29/04
https://bit.ly/3xAXtkK

O Senado vai votar o projeto de lei (PL 5.595/2020) que libera a educação presencial e força o retorno às aulas presenciais. De autoria das deputadas federais Paula Belmonte (Cidadania-DF) e Adriana Ventura (Novo-SP), o texto declara a educação básica e superior da rede pública e privada de ensino como atividade essencial durante a pandemia.

Por trás da campanha pela reabertura está um lobby que poucos conhecem a fundo. Trata-se do Movimento Escolas Abertas, formado por mães de alunos de colégios de elite de São Paulo.

Surgiu a partir de um grupo no WhatsApp de mães de alunos da Saint Paul’s School, com mensalidades de até R$ 8.500. Entre os 22 autores da ação, há mães e pais de estudantes de outros colégios caríssimos, entre eles Porto Seguro, Avenues, Miguel de Cervantes, Chapel School, Santa Cruz, Viva, Gracinha, Pentágono, Móbile e Dante Alighieri.

Com base em artigos de grandes jornais, elas argumentam que crianças e adolescentes, além de não transmitirem a covid-19 da mesma forma que os adultos, estão adoecendo por não frequentarem a escola.

Elas haviam conseguido o que queriam. O resultado: em 15 fevereiro, duas semanas após a reabertura em SP, 329 casos de covid-19 foram confirmados entre professores e outros trabalhadores da educação estadual, em 186 escolas públicas, segundo levantamento da Apeoesp.

Em colégios particulares como Móbile, Santa Cruz, São Luís e Santa Marcelina, não foi diferente. Dezenas de estudantes, professores e funcionários testaram positivo para o vírus nesse período, suspendendo as aulas novamente.

Segundo o educador Daniel Cara, o grupo acredita que os colégios “não são espaços de educação, mas estabelecimentos que prestam serviços aos seus filhos. Querem que a escola deixe de ser um equipamento pedagógico para se tornar simplesmente um espaço de convivência e lazer”, diz.


CNTE defende retorno às aulas presenciais somente com segurança sanitária
Mundo Sindical; 30/04
https://bit.ly/3eSTXKb

Na manhã desta sexta-feira (30/5), a Comissão de Educação da Câmara dos Deputados realizou audiência pública virtual, de autoria do Deputado Rogério Correia (PT-MG), para discutir a vacinação de profissionais da educação e estudantes da rede pública O presidente da CNTE também destacou a falta de debates do governo com a categoria.

“Infelizmente, não há diálogo para definir processos. Por isso, radicalizamos nossas reivindicações e exigimos vacina para todos, testagem em massa, rastreamento dos casos de infecção, com a nossa participação nos protocolos de segurança”. O coordenador-Geral da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (CONTEE), Gilson Reis, avaliou que a situação atual, não somente na educação, mas frente a esta pandemia, é culpa da ausência de coordenação, que deveria ser feita pelo Governo Federal.


Guarulhos: Estado e escolas particulares afirmam que aulas presenciais continuarão; nas municipais estarão suspensas até 30 de maio
Click Guarulhos; 29/04
https://bit.ly/3aVZQVy

Diante da notícia divulgada pela Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de SP) de que obteve perante a 1a. Vara da Fazenda Pública um acordo pelo qual ficariam suspensas as aulas presenciais nas escolas estaduais e particulares de Guarulhos, o portal GRU Diário, em reportagem do jornalista Eurico Cruz, procurou a Secretaria de Estado da Educação, que afirmou não fazer parte do processo e que, portanto, as aulas presenciais continuam mantidas.

Ainda ao GRU Diário a Secretaria estadual informou que, caso o município não concorde, precisará publicar um decreto com embasamento epidemiológico para suspensão das atividades presenciais.

 


Araraquara: Servidora da Educação morre vítima da covid-19
A Cidade; 02/05
https://bit.ly/3nTxKjn

A morte da servidora da Educação de Araraquara, Queli Fernanda Geraldo Fernandes, neste domingo (2), vítima da covid-19 gera comoção nas redes sociais.

Funcionária de um Centro de Educação e Recreação no Adalberto Roxo, região Norte de Araraquara, a vítima tinha 45 anos e estava internada desde 27 de abril.

O CER José Alfredo do Amaral Gurgel foi um dos primeiros a ser interditado pela Prefeitura após funcionários testarem positivo para covid-19, dia 24 de abril.

 

CORONAVÍRUS


Saúde recebe 4 milhões de doses de vacina AstraZeneca, e Queiroga defende volta às aulas
Folha de S. Pasulo; 02/05
https://bit.ly/3eKxNcW

Ao receber 2 milhões de doses de vacina contra a Covid do consórcio internacional Covax Facility​ neste domingo (2), o ministro Marcelo Queiroga (Saúde) aproveitou a ocasião para defender a importância da volta às aulas.

No Aeroporto Internacional de Guarulhos, durante pronunciamento à imprensa, Queiroga, em cumprimentos à Unicef pelas ações na área de educação, disse que as atividades escolares precisam ser retomadas.

"Um tema importante é o retorno às atividades letivas, os alunos que precisam retornar às aulas. Temos ação conjunta com a Unicef, e é fundamental que os alunos voltem às aulas não só para aprender, mas também [porque] nas aulas eles recebem alimentos, e sabemos que os nossos programas de segurança alimentar na educação são importantes."

 

POLÍTICA EDUCACIONAL

Lira critica gasto mínimo com educação no Orçamento 2021
Poder360; 29/04
https://bit.ly/3gYeVK4

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), criticou nesta 6ª feira cortes feitos no Orçamento e também a obrigatoriedade de haver gastos mínimos em educação e saúde. Ele citou como exemplos reduções de recursos para o Censo 2021 e o programa Minha Casa Minha Vida.

Lira afirmou que na próxima 3ª feira (4.abr.2021) deve ser votado um projeto pelo Congresso Nacional para “readequação de alguns cortes inadequados”.

“Cortar programa Minha Casa Minha Vida, cortar dinheiro para pesquisa de vacina, cortar dinheiro para Censo, cortar dinheiro para agricultura, cortar dinheiro para alguns serviços essenciais…”, citou Arthur Lira.

 

Artigo: ‘Filho do porteiro é o acerto do Fies’
Folha de S. Paulo; 01/05
https://bit.ly/3eI7pjK

Por Rodrigo Zeidan, doutor em Economia pela UFRJ: “Guedes prova de novo que não entende de Brasil, de economia ou de políticas públicas.

O ProUni e o Fies, bem desenhados, são fundamentais em um dos países mais desiguais do mundo e só funcionam quando o filho do porteiro entra na universidade com ajuda do resto da sociedade. Guedes, mais uma vez, prova que não entende nada de Brasil, de economia ou de políticas públicas.Senhor ministro, a má gestão da coisa pública é que é o problema, não a longevidade”.  Educação não é só formar alguém para o mercado de trabalho. Precisamos de mais e bons profissionais de humanas, mas temos que acabar com a norma social de que é aceitável não saber matemática. Afinal, saber fazer contas dá dinheiro.

 

 

5 aplicativos que professores podem usar na educação infantil
Porvir; 30/04
https://bit.ly/3aZjy2L

Um aplicativo quando bem utilizado pode fazer uma grande diferença no aprendizagem para a educação infantil. Às vezes é difícil separar um tempo e encontrar boas sugestões que possam dar aos professores dicas para o trabalho, principalmente neste período de aulas remotas. O Porvir separou algumas sugestões que podem ser úteis para trabalhar questões como linguagem, desenvolvimento, conhecimento das palavras e criatividade. Confira:

Kinedu ( www.kinedu.com/pt) -  Voltado para crianças de 0 a 4 anos, ele traz diversas atividades que podem auxiliar no desenvolvimento do bebê. A proposta do app é que pais e educadores participem da aprendizagem dos bebês brincando. Para professores e escolas, a plataforma também oferece planos de aula personalizados.A fortuna total dos bilionários brasileiros cresceu de 186,8 bilhões de dólares em 2019 para 208,5 bilhões em 2021, um aumento de 11,6%.

Toontastic (www.toontastic.withgoogle.com) - Para o professor que trabalha com linguagem, esse aplicativo pode ser muito interessante. Nele a criança é quem cria a própria história, escolhendo cenário, criando personagens e até mesmo gravando as vozes do jogo. Ajuda a trabalhar questões como enredo, contexto e sequência.

Inventeca (www.inventeca.me) - Esse app vai auxiliar as crianças a criarem suas próprias histórias. Ele é uma ferramenta que pode auxiliar no exercício da fala, da leitura e da criatividade dos estudantes. Por meio de histórias pré moldadas, os usuários podem reformulá-las como quiserem e criar a própria narração. Existe uma versão paga e também uma versão gratuita.

Khan Academy Kids (https://pt.khanacademy.org/kids) - Por meio de atividades interativas, esse app propõe que as crianças  aprendam de um jeito divertido e incentiva o desenvolvimento da linguagem e leitura, além de ser possível preparar um conteúdo personalizado para cada aluno.

Chrome Music Lab (musiclab.chromeexperiments.com) - Também do Google, esse app é para as crianças musicais. Um site onde é possível ensinar música de maneira lúdica para as crianças. Segundo a plataforma, muitos professores o utilizam de um jeito inovador explorando as conexões entre a música e diferentes disciplinas como matemática, ciências e artes.

Conteúdo Relacionado

crossmenu